As incompreensões e a marca do governo Dilma

Dizem por aí que o governo Dilma Rousseff ainda não tem uma ‘marca’… Primeiro, não concordo com isso (depois voltaremos ao assunto). Segundo que em outubro de 2005 o governo Lula ainda não tinha a marca do social consolidada. 

Será que as pessoas já esqueceram das agruras do primeiro mandato de Lula? O governo federal era atacado diuturnamente pela direita e pela ‘esquerda’. A direita desferia potentes ataques moralistas e a ‘esquerda’ ganizava impropérios contra o PT que, segundo ela, havia traído a luta dos trabalhadores. 

A consolidação da figura pública de Lula se deu após as eleições de 2006, em grande parte, e, final e paradoxalmente, após o Crash de 15 de setembro de 2008, quando ruiu o mundo neoliberal após a quebra do Banco Lehman Brothers. 

Porque exigem hoje de Dilma algo que não exigiram sequer de Lula, quando o mesmo tinha apenas três anos, nove meses e catorze dias de mandato? 

O governo Dilma tem marca sim senhor! E não é só uma. A marca do social, conquistada por Lula, se mantém intacta e potencializada no governo Dilma. Todos os programas sociais da era Lula estão preservados no governo Dilma. 

A política nacional de valorização do salário mínimo é rigorosamente a mesma construída no governo Lula. E o pleno emprego que o Brasil conhece hoje é algo que nem no governo Lula foi possível de se atingir. 
Além de tudo isto, e como complemento disto, o governo Dilma entrará para a história com o maior programa de desenvolvimento da infraestrutura de que se tem notícia nos últimos 40 anos. 

A transposição do rio São Francisco (imaginada por D. Pedro II) está 47% concluída e a obra será entregue no início de 2016. O Brasil ficou mais de 30 anos sem construir uma única refinaria e já em 2014 teremos a inauguração da refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco. 

Leia também:  André do Rap, o Caso Robinho e o dinheiro na cueca: cenas de uma guerra híbrida invisível, por Wilson Ferreira

Em 2016 entra em funcionamento o complexo do Comperj, no Rio de Janeiro, e ainda existirão, até 2018, as inaugurações das refinarias Premium I e II, no Ceará e no Maranhão. Teremos também, e já no ano que vem, a inauguração das usinas hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, em Rondônia, agregando quase uma Itaipu ao sistema elétrico nacional. 

A carteira de investimentos da Petrobrás é gigantesca para os próximos anos (mais de 200 bilhões de reais)! 

Enfim, estes são alguns poucos exemplos das inúmeras, centenas, milhares de obras de infraestrutura que estão sendo tocadas por Dilma Rousseff neste incomensurável canteiro de obras chamado Brasil. 

E, melhor ainda, Dilma promoveu uma benéfica desvalorização cambial (que tem pressionado um pouco a inflação), em favor das indústrias nacionais. Dilma assumiu em janeiro de 2011 com uma taxa de câmbio de 1,65 reais por dólar. Em janeiro de 2012, a taxa estava em 1,86 reais por dólar. Em janeiro de 2013, a taxa estava em 2,04 reais por dólar e hoje a relação está em 2,18 reais por dólar. 

Ainda há espaço para aumentar gradativamente a desvalorização, esse é o movimento correto empreendido por Dilma desde que assumiu a presidência. 

Há um pano de fundo n’algumas críticas atuais que surgem contra o governo Dilma. Umas surgem por ignorância, outras por má-fé, outras por esquecimento de períodos recentes da política nacional e outras, sinceras, mas equivocadas críticas. 

O governo Dilma é uma continuação qualificada dos governos de Lula. E Lula sabe perfeitamente disso! É um governo que está desagradando pelos seus acertos, pela sua fidelidade aos pressupostos delineados ainda quando Dilma era a Ministra Chefe da Casa Civil de Lula. 

Leia também:  Haddad destaca a relação entre o bolsonarismo e a pandemia em coluna

A direita a critica pelo que denomina de excesso de intervenção estatal na economia. Pelo viés da direita, a crítica é correta, afinal de contas nenhum governo apostou mais na intervenção estatal na economia, nos últimos 30 anos, do que o governo Dilma. 

Pelo lado da ‘esquerda’, as críticas ao governo Dilma são basicamente as críticas que eram feitas contra o governo Lula. Equivocam-se novamente os adeptos do esquerdismo! Dilma está sendo muito mais intervencionista que Lula em vários e vários setores da economia nacional. 

Em 2014 teremos a avaliação de tudo isto e a certeza de que Lula estará em todos os palanques nacionais defendendo o governo Dilma. 

Ele sabe que o governo Dilma é uma continuação do seu e que foram justamente estas experiências que mudaram o Brasil nos últimos dez anos, enterrando o período neoliberal, fortalecendo a integração sulamericana, a soberania nacional e construindo os caminhos de que o país precisa para se desenvolver econômica e socialmente. 

A marca, ou as marcas do governo Dilma Rousseff estão aí, para quem quiser ver! São as marcas do desenvolvimento econômico, da distribuição de renda, da redução das desigualdades sociais e regionais, da preservação da soberania nacional e da qualificação da infraestrutura nacional, dentre outras várias. 

Como já foi dito, o governo Dilma é uma continuação qualificada dos governos de Lula. E ambos representam o vigoroso projeto de mudança implementado na América do Sul por Hugo Chávez, Néstor Kirchner, Evo Morales, Rafael Correa e tantos outros. 

Leia também:  A repaginação nacionalista do antitruste: só a bailarina que não tem…, por Alessandro Octaviani

Cuidemos, portanto, dos que pretendem destruir esta vigorosa época de mudanças, perdão, como diz o presidente Rafael Correa, não se trata de uma época de mudanças, mas sim de uma mudança de época.

Os adversários tradicionais do projeto de emancipação do país continuam aí a vociferar impropérios, mas há um elemento novo, uma tal de ‘terceira via’… Esta ‘terceira via’ não passa de um disfarce. É a direita querendo enterrar de vez o legado de Lula e Dilma. Para tanto, se apresentam agora em nova roupagem.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

49 comentários

  1. Citar a transposição do São

    Citar a transposição do São Francisco, sem citar os atrasos e o custo multiplicado por mais de 2 e acreditar que será entregue em 2016 é ser um pouco Poliana.

  2. Programa Água Doce-dessalinização da água no Semiárido

    Ministério do Meio Ambiente—Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano 2012
    Downloads:Documento Base 2012 – ffinal-pdf-324 páginas

    A escassez de água, a ocorrência de águas salinas e salobras na maioria dos poços no Semiárido brasileiro, a existência de tecnologias para dessalinização da água, que promove a sua potabilização, fizeram com que o Governo Federal, com a coordenação do Ministério do Meio Ambiente – MMA, em conjunto com instituições federais, estaduais e organizações da sociedade civil, formulassem o Programa Água Doce, visando aumentar a oferta de água de boa qualidade para dessedentação humana…..
    …Desde 2004, quando foi lançado, o Programa Água Doce já implantou 150 sistemas de dessalinização, beneficiando 94.340 pessoas residentes em localidades dispersas do Semiárido brasileiro. A escolha da localidade a ser beneficiada considera critérios como: baixo IDH-M, baixos
    níveis pluviométricos, altos índices de mortalidade infantil e inexistência de outras fontes para abastecimento de água potável para a população….
    ….Neste contexto, este documento tem como objetivos apresentar o Programa Água Doce, sua metodologia, ações, metas e resultados alcançados, que contemplam o compromisso do Governo Federal de garantir o acesso à água de boa qualidade à população do Semiárido.
    Renato Saraiva Ferreira—–Coordenador Nacional do Programa Água Doce

    …..O Programa Água Doce (PAD) é uma ação do Governo Federal, coordenada pelo Ministério do Meio Ambiente em parceria com diversas instituições federais, estaduais, municipais e sociedade civil. Visa a estabelecer uma política pública permanente de acesso à água de qualidade para o consumo humano por meio do aproveitamento sustentável de águas subterrâneas, incorporando cuidados ambientais e sociais na gestão de sistemas de dessalinização. Busca atender, prioritariamente, localidades rurais difusas do Semiárido Brasileiro. O Água Doce conta
    com uma rede de cerca de 200 instituições envolvidas no processo, envolvendo os 10 estados do Semiárido e parceiros federais.
        
    O Programa foi formulado em 2003 de forma participativa com a contribuição de diversas entidades que tratam do tema, tanto a nível federal, como estadual. Entre os principais parceiros destacam-se o BNDES, Petrobrás, Fundação Banco do Brasil, Embrapa, Universidade Federal de Campina Grande, DNOCS e a CPRM. Até o momento vem beneficiando cerca de 100 mil pessoas, em 150 comunidades distribuídas pelo Semiárido, garantindo o acesso à água de qualidade a seus moradores. O programa já capacitou mais de 600 pessoas, entre técnicos estaduais e operadores/
    gestores dos sistemas de dessalinização.
        
    A partir de 2010 suas ações estão sendo orientadas pelos Planos Estaduais de Implementação e Gestão do Programa Água Doce, que têm como meta atender um quarto da população rural do Semiárido até 2019, ou seja, aproximadamente 2,5 milhões de pessoas em 10 anos. Suas ações serão iniciadas a partir dos municípios mais críticos em cada estado e naquelas áreas mais suscetíveis ao processo de desertificação. Para isso são definidos critérios técnicos para atender primeiramente quem mais precisa. Assim, os municípios com menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH), altos percentuais de mortalidade infantil, baixos índices pluviométricos e com dificuldade de acesso aos recursos hídricos serão os primeiros a serem contemplados pelos planos. Para isso, foi desenvolvido o Índice de Condição de Acesso à Água do Semiárido (ICAA) a partir do cruzamento dos indicadores acima citados.
        
    Outro aspecto importante é a relação do Programa com a Política Nacional sobre Mudança do Clima. Por reduzir as vulnerabilidades no que diz respeito ao acesso à água no Semiárido, o Programa Água Doce é considerado uma medida de adaptação às mudanças climáticas. Estudos indicam que a variabilidade climática na região poderá aumentar, acentuando a ocorrência de eventos extremos (estiagens mais severas) com conseqüências diretas na disponibilidade hídrica.

    Dessa forma, iniciativas como o Programa Água Doce, que promovem o uso sustentável da água, contribuem para o enfrentamento dos efeitos das mudanças climáticas. É um esforço do poder público em internalizar tais preocupações, disseminando boas práticas de uso sustentável da água. Em 2009 o TCU, em uma auditoria de natureza operacional sobre políticas públicas e mudanças climáticas, identificou o Programa Água Doce como uma iniciativa a ser ampliada, pois contribuiu para a melhoria da qualidade de vida da população da região do Semiárido e leva em consideração as potencialidades naturais de cada localidade, assegurando meios para enfrentar as vulnerabilidades a que estão sujeitas, em decorrência das variabilidades climáticas.
        
    Em 2011 o Programa passou a integrar o Plano Brasil sem Miséria. O Plano é um esforço do governo da Presidenta Dilma Roussef no combate à pobreza extrema e visa reduzir as desigualdades sociais e promover melhorias na qualidade de vida dos brasileiros. O PAD é uma das iniciativas que compõe o Programa Água para Todos, no âmbito do Plano Brasil sem Miséria, juntamente com construção de cisternas e demais sistemas coletivos de abastecimento. O Água Doce assumiu a meta de aplicar a metodologia do programa na recuperação, implantação e gestão de 1.200 sistemas de dessalinização até 2014, com investimentos de cerca de 168 milhões de reais e beneficiando cerca de 480 mil pessoas (média de 400 pessoas por sistema)….

    ….O Semiárido brasileiro tem área de 969.589,4 km 2 (cerca de 11% do território brasileiro).
    Possui 12,3% da população do país (20.858.264 habitantes 1 ) em 1.133 municípios, o que representa, respectivamente, 21 habitantes/km2 e 22% dos municípios brasileiros. Essa população está distribuída da seguinte forma: 11.747.381 na zona urbana e 9.085.266 na zona rural (MI, 2005)

    O Mapa 1 apresenta o Semiárido brasileiro….

    3-Ministério da Integração Nacional. Nova Delimitação do Semi-Árido Brasileiro, 2005. Acesso em abril/2010…..

    …..2.5 Indicadores de Saúde, Renda, Produção e Mortalidade
    A escassez de chuvas tem justificado, historicamente, o quadro de vulnerabilidade e miséria na região. Análises comparativas com outras regiões semiáridas do mundo mostram que o Semiárido brasileiro sofre com a falta e com a irregularidade das chuvas. Como resultado, grande
    parte da população não tem acesso à água de poço, nascente ou rede de fornecimento de água pública, o que afeta sobremaneira a vida dessas pessoas, inclusive limitando o desenvolvimento dessa região.
        
    Com relação às crianças e adolescentes, há 10,9 milhões de residentes no Semiárido. Isso corresponde a cerca de 52,3% da população dessa região. A UNICEF (2003) 18 apresenta algumas informações sobre essa camada da população:
    •A taxa de mortalidade infantil é superior à média nacional em 95% dos municípios. De acordo com o IBGE (2003) 19 , a média nacional é de 27,5 óbitos de crianças menores de 1 ano/1000 nascidas vivas;
    •Cerca de 33,8% dos óbitos de crianças menores de 1 ano são resultado de afecções perinatais, infecções respiratórias agudas e deficiências nutricionais;
    •Cerca de 350 mil crianças e adolescentes na faixa etária entre 10 e 14 anos estão fora da escola;
    •São analfabetos mais de 390 mil adolescentes;
    •Na faixa etária de 10 a 15 anos, cerca de 17% das crianças trabalham;
    •Aproximadamente 75% das famílias residentes na zona rural vivem com renda per capita de menos de meio salário mínimo por mês….

    …….    Grande parte da população sobrevive de culturas agrícolas como milho e feijão, plantados durante o período chuvoso, cultura do agave, extração de palhas e artesanato. Outra fonte de renda é a transferência direta de renda para as famílias pobres, sob a forma de aposentadoria ou de benefícios governamentais. Destaque ainda para a agricultura de sequeiro – culturas sem irrigação de espécies adaptadas ao clima semiárido que dependem de técnicas de cultivo específicas….

    …..    O Componente de Dessalinização é constituído por dois Subcomponentes: recuperação de sistemas já instalados e implantação de sistemas de dessalinização novos.
    a) Recuperação de equipamentos já instalados: tem como objetivo restaurar equipamentos de dessalinização já instalados que se encontram quebrados, parados ou funcionando precariamente. São também instalados tanques de contenção do concentrado do dessalinizador, a fim de evitar a destinação inadequada do concentrado salino no meio ambiente. A figura 7 mostra um desenho esquemático dos sistemas de dessalinização adotados pelo Programa…..

    b) Implantação de sistemas de dessalinização novos: visa a implantação de novos sistemas de dessalinização, todos com tanques de contenção do concentrado gerado no processo……

    …..Os Acordos para a gestão dos sistemas de dessalinização têm regras, direitos e deveres relacionados à oferta de água doce para as famílias beneficiadas, quais sejam:
    •Normas relativas ao funcionamento dos sistemas de dessalinização e quem são as pessoas responsáveis pela gestão cotidiana do equipamento;
    •Direitos de acesso e uso à água dessalinizada e do concentrado (para lavar roupa, para água de gasto, para uso dos animais e outros usos.);
    •Cobertura dos custos para funcionamento e manutenção dos equipamentos;
    •Instâncias para aperfeiçoamento do acordo de gestão, resolução de conflitos e monitoramento pela própria comunidade do cumprimento do acordo…………

    …….4.2.5 Sistemas Produtivos
    Este Componente tem como objetivo geral a utilização de tecnologias adequadas para o aproveitamento do concentrado (efluente do dessalinizador) em sistemas produtivos locais, promovendo o uso sustentável dos recursos hídricos. Para isso, devem ser utilizadas ações integradas, com base na gestão participativa e na organização comunitária. As unidades de aproveitamento do concentrado englobam as Unidades Demonstrativas (UDs) e as Produtivas (UPs).
        
    É uma combinação de ações integradas, de forte impacto social, que, além de produzir água potável para as comunidades atendidas, proporciona o aproveitamento econômico dos efluentes resultantes do processo de dessalinização. Como resultado, há melhoria da qualidade de vida da população e eliminação do impacto ambiental, que ocorreria caso não houvesse aproveitamento dos efluentes gerados no processo de dessalinização.
        
    a) Unidade Demonstrativa (UD):
    A Unidade Demonstrativa é um sistema de produção integrado onde são realizadas visitas, exposições, aulas e demonstrações do processo produtivo com o objetivo de replicação do modelo.
        
    O sistema de produção integrado foi desenvolvido pela Embrapa Semiárido para se tornar uma alternativa de uso adequado para o efluente (concentrado) do sistema de dessalinização, minimizando impactos ambientais e contribuindo para a segurança alimentar

    …….Esse sistema utiliza os efluentes da dessalinização de águas subterrâneas salobras ou salinas em uma combinação de ações integradas de forma sustentável, na busca do fornecimento de água de boa qualidade. É composto por quatro subsistemas interdependentes:
    •Sistema de dessalinização, que torna a água potável;
    •No segundo momento o efluente do dessalinizador (concentrado), solução salobra ou salina, é enviado para tanques de criação de peixes, tilápias;
    •No terceiro momento, o efluente (concentrado) dessa criação, enriquecido em matéria orgânica, é aproveitado para a irrigação da Erva-Sal (Atriplex nummularia) que, por sua vez, é utilizada na produção de feno;
    •Por último a forragem, com teor proteico entre 14 e 18%, é utilizada para a engorda de caprinos, ovinos e/ou bovinos da região, fechando assim o sistema de produção integrado.

    (Quadro 4) Vantagens da tilápia adaptada ao cultivo
    •Crescimento rápido;
    •Resistência a doenças;
    •Altas taxas de sobrevivência;
    •Ciclo de cultivo curto (seis meses);
    •Reproduz durante todo ano nas regiões mais quentes do país;
    •Facilidade de adaptação ao clima do Semiárido;
    •Tolerância às variações de salinidade……

    …..O custo médio para recuperação de um sistema de dessalinização é de R$ 120 .000,00, a implantação de um novo sistema R$ 196.000,00 e de implantação de uma Unidade Demonstrativa R$ 324.000,00. Nesses custos estão incluídos todas as despesas necessárias, inclusive com os componentes Mobilização Social e Sustentabilidade Ambiental. Em média cada sistema atende a 600 pessoas. As demandas pelos sistemas foram definidas com base nesse valor. Os valores apresentados na Tabela 3 representam as demandas dos estados para um horizonte de 10 anos, relativamente ao atendimento com água de boa qualidade às comunidades rurais do Semiárido. Diante do desafio, a participação de todos os integrantes do Programa Água Doce e o apoio técnico e financeiro de instituições serão imprescindíveis nesse processo….

     

     

  3. Água Doce inaugura unidade em PE

    Programa chega ao município de Ibimirim (PE). Além do fornecimento de água potável, sistema gera novas fontes de renda,  como a piscicultura

    Ministério do Meio Ambiente.–AÍDA CARLA DE ARAÚJO–Quinta, 04 Abril 2013 16:55 Última modificação em Sexta, 05 Abril 2013 18:19|

    Dez mil famílias do semiárido pernambucano deverão ser beneficiadas nos próximos seis meses pelo sistema de osmose reversa – dessalinizadores que são capazes de retirar os sais da água provenientes dos lençóis freáticos, tonando-a própria para o consumo humano. O sistema, desenvolvido pela Embrapa Semiárido, faz parte do programa Água Doce, ação do governo federal coordenada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) em parceria com diversas instituições.

    Nesta semana, foi a vez da Agrovila VIII, no município de Ibimirim, localizado a 340km da capital pernambucana, receber uma unidade demonstrativa do programa. A localidade, formada por um pequeno núcleo populacional com menos de 100 famílias, tem como alternativas de abastecimento hídrico cisternas de águas salobras, poço e carros-pipa.

    “Essa unidade é mais um passo na consolidação das nossas metas, dentro do Plano Brasil sem Miséria, que busca atender às localidades mais necessitadas”, destacou o coordenador do Água Doce, Renato Saraiva Ferreira, do MMA. Em 2011, o programa passou a integrar o Plano Brasil sem Miséria juntamente com a construção de cisternas coletivas e demais sistemas coletivos de abastecimento.

    COMUNIDADE ORGANIZADA
    Inaugurada na quarta-feira, a nova unidade demonstrativa atraiu a atenção da comunidade local, que já pôde conferir a qualidade da água retirada com o novo sistema, entre eles o pequeno Alexandre Moisés Bezerra, 11 anos (foto). Além dos moradores da região, participaram do evento autoridades municipais e estaduais e técnicos do Ministério do Meio Ambiente.

    O representante do Sistema de Dessalinização da Agrovila VIII, José Cláudio da Silva, destacou a organização da população na área. “O aparelho de dessalinização fez com que a comunidade se organizasse, e hoje, além dos moradores, outras famílias que vivem no entorno também foram beneficiadas. Até os efeitos da estiagem foram reduzidos”, comemorou.

    Outro benefício para a comunidade local é a geração de novas fontes de renda, com a utilização do chamado rejeito (água não utilizada para consumo humano) na piscicultura. Na região de Ibimirim, setenta famílias estão sendo beneficiadas desde que teve início a construção do sistema, em agosto passado, com dois tanques para criadouros de peixes. Em menos de quatro meses, os trabalhadores rurais conseguiram produzir quase 700 quilos de pescado.
     

    META DO PROGRAMA
    Formulado em 2003, o programa Água Doce tem por meta beneficiar 2,5 milhões de moradores do semiárido brasileiro até 2019. Até o momento, cerca de 100 mil pessoas de 152 comunidades já tiveram acesso garantido à água potável. O programa também assumiu o compromisso de aplicar a metodologia na recuperação, implantação e gestão de 1,2 mil sistemas de dessalinização, com investimentos de R$ 168 milhões, beneficiando 480 mil pessoas até 2014.

    Entre os principais parceiros destacam-se o BNDES, a Petrobrás, a Fundação Banco do Brasil, a Embrapa, a Universidade Federal de Campina Grande, o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e a Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais (CPRM).
    Clique aqui para ver as fotos

    SAIBA MAIS: Osmose Reversa
    A osmose reversa é um processo relativamente simples. A água carregada de sais passa por uma membrana que retém esses materiais. Uma parte da água sai pura para o consumo. A outra produz o que se chama de rejeito, que vai para um tanque e pode servir de criadouro para peixes ou aplicado em lavouras. A unidade demonstrativa implantada no município de Ibimirim também tem sido fundamental na irrigação da erva atriplex ou, como é conhecida, erva-sal, que pode ser utilizada na produção de feno para alimentação de ovinos e caprinos da região, fechando assim o sistema de produção ambientalmente sustentável.

    URL:

    http://www.mma.gov.br/informma/item/9222-%C3%A1gua-doce-inaugura-unidade-em-pe

  4. Texto do Diogo Costa

    Parabéns pelo texto, Diogo Costa. Gostaria que vc perdesse um pouco de seu tempo elaborando uma relação mais completa possivel das obras da Dilma. O que vc escreveu no texto e mais o que os colegas colocaram nos comentérios já servem de base para formarmos idéia daquilo que defenderemos em nossas discussões rotineiras. Mas, penso que falta muito ainda. Por ex., seria  interessante detalhar as obras de infra estrutura. Abraço.

     

  5. Apesar de manifestamente ter

    Apesar de manifestamente ter tentado, FHC não conseguiu acabar com a Era Vargas. Não conseguiu porque Vargas tratou de dar condições institucionais para o país avançar. Foi assim com a criação da CLT/Justiça trabalhista, Petrobrás, Eletrobrás, BNDES, etc.. Já  Lula e Dilma lançaram programas que, apesar dos indiscutíveis resultados trazidos, por sua natureza, têm um caráter mais precário do que as instituições. No limite, bastaria um governo neoliberal e um desses “ajustes” períodicos do capitalismo, para assistirmos a um retrocesso nos avanços obtidos. Por isso, é da maior importância que os petistas passem a colocar no centro de sua atenção o avanço institucional do país, que será possível apenas com grande mobilização nacional, no bojo de um processo constituinte. De outra forma,  os governos Lula/Dilma correm o risco de passar à história apenas como um capítulo da ordem resultante da abertura lenta, gradual e segura do regime militar. 

     

    • Em casa que falta pão, todo mundo grita e ninguém tem razão

      A grana vai pelo ladrão.

      Não é por acaso.

      É institucional, o Lula colocou na constituição brasileira não escrita, que só se governa no Brasil alimentando os juros pornográficos que o pais paga, contra NADA.

      Oposição política que não ataque as perdas internacionais e nacionais que o erário público sofre, não é candidato da oposição, é candidato espantalho, que está ai para o diversionismo barato e rasteiro desta turma.

      Candidato hoje é o Requião, o PMDB está com a eleição no colo.

  6. Diogo tá no seu papel, o

    Diogo tá no seu papel, o daquele cara que é militante por covicção. Conheci vários assim, nestes longos anos de debates cibernéticos. Podem errar a mão na forma e no tom (e o fazem com frequência), mas ninguém pode negar sua paixão em defender o governo do seu partido do coração contra todo tipo de ataque, real ou imaginário. O fato do PT ter milhares de “Diogos Costas”, que se dispõem a fazer o trabalho de “formiguinha” na construção das verdades do partido ora no poder, ajuda a explicar porque ele (o partido ora no poder) vai continuar lá por um bom tempo. O PSDB tem isso? Não tem.

    • Os do PSDB cuidam …

      dos $$$ que acumularam nos anos dourados.

      Obviamente não estou citando os “jornalistas” empregados pelos 3,5 grupos de midia (marinho, civita, frias e 1/2 mesquita), pois pelo que entendi do seu texto, devem estar escrever loas e mais loas a favor dos governo do PT. Ou não entendi direito? 

      • Não sou petista e só votaria

        Não sou petista e só votaria no PT se a opção fosse Marina Silva, PSOL, PSTU e outras tralhas, por isso fico à vontade pra perguntar: que culpa tem o PT se a oposicinha não tem discurso, não tem militância, não tem base social? Cadê o “Diogo Costa” dos tucanos? Já reparou que quem defende o PSDB o faz muito mais por anti-petismo do que por tucanismo? E quem é “anti” qualquer coisa já está em desvantagem no debate político.

        • Reza brava no PT

          Rezam dia e noite para que a “oposição” seja o PSDB.

          Farinhas do mesmo saco.

          A Oposição está sem discurso porque o debate está interdito.

          Não acredita, basta ler o blog do Nassif e ver que nunca falou em mobilidade urbana, um problema geral e nacional, que afeta 100% dos brasileiros, mas que é inequacionável para o PT, assim, NÃO EXISTE e logo não pode ser debatido.

          O caso do dinheiro próprio é emblemático.

          Bato na fraude dos juros pornográficos há mais 10 na Net, nenhuma linha no assunto.

          Sobe e desce por mágica e o cupom câmbial, epâ……, (assunto proíbido).

          Acorda, Dilma!

          • “Reza brava no PT”

            Alexandre,

            As DEZ repetições de comentários é que ficaram parecendo reza brava. Ou seria algum mantra socialista?

          • Mandinga do blog do Nassif

            Tá tudo dominado.

            No assunto, têm um livro muito interessante do Pierre Weil chamado “O Corpo Fala” e fala de forma verdadeira, sem que possamos controlar. Hoje no programa do Nassif, uma hora surgiu na conversa a importância da Net e suas discussões livres, num diálogo com o Marco no studio, o Nassif na hora ficou incomodado e pôs a mão atrás da orelha, ou seja, ficou com a pulga atrás da orelha KKKKKKKKK!!!!!!

            TV ao vivo têm destas coisas.

        • Reza brava no PT

          Rezam dia e noite para que a “oposição” seja o PSDB.

          Farinhas do mesmo saco.

          A Oposição está sem discurso porque o debate está interdito.

          Não acredita, basta ler o blog do Nassif e ver que nunca falou em mobilidade urbana, um problema geral e nacional, que afeta 100% dos brasileiros, mas que é inequacionável para o PT, assim, NÃO EXISTE e logo não pode ser debatido.

          O caso do dinheiro próprio é emblemático.

          Bato na fraude dos juros pornográficos há mais 10 na Net, nenhuma linha no assunto.

          Sobe e desce por mágica e o cupom câmbial, epâ……, (assunto proíbido).

          Acorda, Dilma!

        • Reza brava no PT

          Rezam dia e noite para que a “oposição” seja o PSDB.

          Farinhas do mesmo saco.

          A Oposição está sem discurso porque o debate está interdito.

          Não acredita, basta ler o blog do Nassif e ver que nunca falou em mobilidade urbana, um problema geral e nacional, que afeta 100% dos brasileiros, mas que é inequacionável para o PT, assim, NÃO EXISTE e logo não pode ser debatido.

          O caso do dinheiro próprio é emblemático.

          Bato na fraude dos juros pornográficos há mais 10 na Net, nenhuma linha no assunto.

          Sobe e desce por mágica e o cupom câmbial, epâ……, (assunto proíbido).

          Acorda, Dilma!

        • Reza brava no PT

          Rezam dia e noite para que a “oposição” seja o PSDB.

          Farinhas do mesmo saco.

          A Oposição está sem discurso porque o debate está interdito.

          Não acredita, basta ler o blog do Nassif e ver que nunca falou em mobilidade urbana, um problema geral e nacional, que afeta 100% dos brasileiros, mas que é inequacionável para o PT, assim, NÃO EXISTE e logo não pode ser debatido.

          O caso do dinheiro próprio é emblemático.

          Bato na fraude dos juros pornográficos há mais 10 na Net, nenhuma linha no assunto.

          Sobe e desce por mágica e o cupom câmbial, epâ……, (assunto proíbido).

          Acorda, Dilma!

        • Reza brava no PT

          Rezam dia e noite para que a “oposição” seja o PSDB.

          Farinhas do mesmo saco.

          A Oposição está sem discurso porque o debate está interdito.

          Não acredita, basta ler o blog do Nassif e ver que nunca falou em mobilidade urbana, um problema geral e nacional, que afeta 100% dos brasileiros, mas que é inequacionável para o PT, assim, NÃO EXISTE e logo não pode ser debatido.

          O caso do dinheiro próprio é emblemático.

          Bato na fraude dos juros pornográficos há mais 10 na Net, nenhuma linha no assunto.

          Sobe e desce por mágica e o cupom câmbial, epâ……, (assunto proíbido).

          Acorda, Dilma!

        • Reza brava no PT

          Rezam dia e noite para que a “oposição” seja o PSDB.

          Farinhas do mesmo saco.

          A Oposição está sem discurso porque o debate está interdito.

          Não acredita, basta ler o blog do Nassif e ver que nunca falou em mobilidade urbana, um problema geral e nacional, que afeta 100% dos brasileiros, mas que é inequacionável para o PT, assim, NÃO EXISTE e logo não pode ser debatido.

          O caso do dinheiro próprio é emblemático.

          Bato na fraude dos juros pornográficos há mais 10 na Net, nenhuma linha no assunto.

          Sobe e desce por mágica e o cupom câmbial, epâ……, (assunto proíbido).

          Acorda, Dilma!

        • Reza brava no PT

          Rezam dia e noite para que a “oposição” seja o PSDB.

          Farinhas do mesmo saco.

          A Oposição está sem discurso porque o debate está interdito.

          Não acredita, basta ler o blog do Nassif e ver que nunca falou em mobilidade urbana, um problema geral e nacional, que afeta 100% dos brasileiros, mas que é inequacionável para o PT, assim, NÃO EXISTE e logo não pode ser debatido.

          O caso do dinheiro próprio é emblemático.

          Bato na fraude dos juros pornográficos há mais 10 na Net, nenhuma linha no assunto.

          Sobe e desce por mágica e o cupom câmbial, epâ……, (assunto proíbido).

          Acorda, Dilma!

        • Reza brava no PT

          Rezam dia e noite para que a “oposição” seja o PSDB.

          Farinhas do mesmo saco.

          A Oposição está sem discurso porque o debate está interdito.

          Não acredita, basta ler o blog do Nassif e ver que nunca falou em mobilidade urbana, um problema geral e nacional, que afeta 100% dos brasileiros, mas que é inequacionável para o PT, assim, NÃO EXISTE e logo não pode ser debatido.

          O caso do dinheiro próprio é emblemático.

          Bato na fraude dos juros pornográficos há mais 10 na Net, nenhuma linha no assunto.

          Sobe e desce por mágica e o cupom câmbial, epâ……, (assunto proíbido).

          Acorda, Dilma!

        • Reza brava no PT

          Rezam dia e noite para que a “oposição” seja o PSDB.

          Farinhas do mesmo saco.

          A Oposição está sem discurso porque o debate está interdito.

          Não acredita, basta ler o blog do Nassif e ver que nunca falou em mobilidade urbana, um problema geral e nacional, que afeta 100% dos brasileiros, mas que é inequacionável para o PT, assim, NÃO EXISTE e logo não pode ser debatido.

          O caso do dinheiro próprio é emblemático.

          Bato na fraude dos juros pornográficos há mais 10 na Net, nenhuma linha no assunto.

          Sobe e desce por mágica e o cupom câmbial, epâ……, (assunto proíbido).

          Acorda, Dilma!

        • Reza brava no PT

          Rezam dia e noite para que a “oposição” seja o PSDB.

          Farinhas do mesmo saco.

          A Oposição está sem discurso porque o debate está interdito.

          Não acredita, basta ler o blog do Nassif e ver que nunca falou em mobilidade urbana, um problema geral e nacional, que afeta 100% dos brasileiros, mas que é inequacionável para o PT, assim, NÃO EXISTE e logo não pode ser debatido.

          O caso do dinheiro próprio é emblemático.

          Bato na fraude dos juros pornográficos há mais 10 na Net, nenhuma linha no assunto.

          Sobe e desce por mágica e o cupom câmbial, epâ……, (assunto proíbido).

          Acorda, Dilma!

  7. A maior marca do governo Lula e Dilma

    A maior marca do governo Lula e Dilma foi trazer o sentimento de pertencimento para a nossa sociedade.

    Ao implantar o bolsa família, aumento real de salário mínimo contra a retórica “mainstream” de que isso iria quebrar empresas, o médico para todos contra a  vontade da direita e a classe médica, entre outros avanços, os últimos governos despertaram o que até então estava adormecido na nossa sociedade desde a  sua formação;…

    … a cidadania…

    Este sentimento irá revolucionar a nossa democracia onde a população tendo o mínimo almeja o máximo, como bem entende Dilma.

    É o exercício da cidadania que impulsiona qualquer democracia.

    Da Agência Brasil:

    Danilo Macedo e Paulo Victor Chagas
    Repórteres da Agência Brasil

    Brasília – A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (27), ao lançar o novo Portal Brasil, que seu governo quer construir uma “prática sistemática” de ouvir as ruas. Segundo a Presidência, o portal pretende ser a porta de entrada da relação entre o cidadão e o governo federal e reunirá informações e serviços de todos os ministérios. Dilma disse que o portal é um instrumento para o exercício da cidadania que contribuirá para a melhoria da qualidade dos serviços e do grau de informação dos cidadãos.

  8. Diogo,
    você esta certo em

    Diogo,

    você esta certo em muitas coisas. Mas parte dos petistas ou as pessoas de esquerda que hoje criticam o governo Dilma, e  eu me incluo, não o fazem com a intenção de que Rousseff não tenha um segundo mandato. Bem longe de la. Nem a considero incompetente, como alguns têm alardeado aqui e acola. 

    As criticas são mais pontuais, com questões em que o governo – por fadiga ou falta de tempo – deixa rolar. E não são as que a imprensa velha insiste em martelar na cabeça do cidadão. 

    E ai, dependendo da pasta ministerial, essas questões podem ser geradas ou empurradas para frente, dando a impressão de um certo descaso quando não, desprezo com o que seria menos importante aos olhos do governo Dilma. 

    Sinto falta de Ministros que tenham mais sustentação e força politica para dar peso à presidente. Espero que logo mais, com a saida dos ministros candidatos, Dilma reformule os ministérios, trazendo ao menos uns dois nomes de peso. 

    Por que não refletir o nome de Ciro Gomes ?  Do PMDB, Requião ? Franklin Martins…. Sim! esses que dão dor de cabeça às vezes, mas têm voz e sabem o momento de agir.  

    Enfim, ela precisa de ministros que ajude a levar para frente as reformas necessarias e que tenham como segurar, ao lado dela, o rojão das eleições e de possiveis grandes manifestações no futuro. 

     

     

    • O PT é um partido incompetente

      O Lula perdeu a melhor chance em séculos para tirar o Brasil do buraco, não fez nada.

      A Dilma têm agora, quinta-feira uma oportunidade, pálida perto da perdida pelo Lula, mas mesmo assim, aproveitável.

      Fique de olho para ver como os barata tontas se mexem.

      É rir para não chorar.

      • Acho que você deveria

        Acho que você deveria explicar o que quer dizer com “Lula perdeu a melhor chance de tirar o país do buraco e não fez nada”. E ainda qual é a oportunidade que Dilma tem, quinta-feira, para fazer isso.

        Todos gostaríamos de saber do que se trata.

  9. Dessalinizadores.

    Entendo que o programa de dessalinização de águas subterrâneas , como ressaltado no seu comentário, de extrema importância . Entretanto vejo a dessalinizaçâo de águas oceânicas como uma possibilidade de ampliar em muito e rápidamente o suprimento emergencial da região do semi-árido. A  Petrobras já domina vários processos utilizados de forma econômica para atendimento das necessidades de suas plataformas e navios.Favorece tal solução a disponibilidade permanente de tal fonte, a proximidade do semi-árido da costa e da constante necessidade de geração térmica para suprir o sistema elétrico local, onde o calor rejeitado para o meio ambiente pode dar maior economia ao processo. É só utilizar melhor as capacidaes da Petrobras: gerenciamento, gestão de utilidades, conhecimento dos processos.

  10. como o governo Lula foi para marcar…

    Dilma já é a marca

     

    ótimo governo, sem dúvida alguma e mais: o melhor que já tivemos

     

    na minha modesta opinião, ser melhor é saber explorar com criatividade, paciência e humildade toda e qualquer restrição resultante de governo anterior, sendo ele de mesmo partido ou não

     

    é exatamente isto o que a oposição nunca entendeu e, consequentemente, seguem acreditanto que só se alcança o sucesso conquistando o olhar e a atenção da mídia, não do povo

     

    enfim, o que é marca é do povo

  11. Não demora para o Diogo Costa gritar: Ninguém segura este país!

    De que adianta berrar que “Dilma está sendo muito mais intervencionista que Lula em vários e vários setores da economia nacional”, sem dizer onde é que se verifica esse troço; será que o Diogo entende por intervenção do estado, o fato do governo promover licitações, para o setor privado, de aeroportos, de campos de petróleo e etc? Será intervenção estatal barrar a reforma agrária e a demarcação de terras indígenas e quilombolas, para que o agronegócio nade de braçada? Como se pode promover privatizações e, ao mesmo tempo, estar “enterrando o período neoliberal”? Ora, se o governo Dilma é continuidade do governo Lula, ele é precedido então, por oito anos de mandato, já devia desde o início mostrar ao que veio, executar o desenvolvimento do projeto do seu partido para a nação; avançar nas propostas sociais, na promoção da igualdade e da redistribuição da renda, como se espera de uma proposta de esquerda.

    Só quem não viveu os anos 1970 e nunca ouviu falar do II PND, para falar em “maior programa de desenvolvimento da infraestrutura de que se tem notícia nos últimos 40 anos”. E falar de “pleno emprego”, quando os ultradiscutíveis índices do IBGE apontam cerca de seis por cento de desemprego, numa época em que campeia a informalidade nos empregos e tantas pessoas desistiram de procurá-los? Se há “pleno emprego”, pra quê tanta bolsa família? Alguém já chamou o Diogo por aqui, com muita razão,  de doutor Pangloss. Ufanismo pouco é bobagem; essa coleção de frases ocas do seu texto não significa nada, é puro autoengano.

  12. Salario Mínimo

    “A política nacional de valorização do salário mínimo é rigorosamente a mesma construída no governo Lula” Será?

    Esse é um tema pouco debatido aqui.

  13. ANÁLISE GOVERNO DILMA

    Nassif;

    Não resta a menor dúvida que os melhores governos que o Brasil já teve foi o de Lula e esta sendo o da Dilma e o próximo dela será melhor ainda.

    Mas penso que ela deu pouca atenção a Reforma Agrária, continuou sendo um tema não priorizado.

    Mas ainda há tempo, para fazer a maior e mais profunda Reforma Agrária da História da humanidade.

    Acredito firmemente nisto.

     

    abraços

    Genaro

     

    • GOVERNO PT

      Se vc diz tudo isso do governo no PeTralha, porque não diz do antecessor FHC que deu essa condição com o PLANO REAL, não se esqueça, a desculpe, esqueci que brasileiro é imediatista e se esquece sempre do passado(bom) né.

      As bolsas familia que foi idealizado no governo do FHC e que virou cartão de visita desse governo e se o país está tão bom assim como vc diz é hora de acabar com esse parternalismo heim.

      Sem mais

  14. Realidade

    Nassif

    Não entendo tanto pessimismo.

    Fica aqui um registro verdadeiro, sem patriotada!

         Moro em Blumenau-SC onde carros de som clamam aos gritos anúncios para trabalhar, e se olharmos em volta quase todo frentista de posto de gasilina, caixa de supermercado é nordestino, e não dão conta de preencher tanta vaga de  emprego nas fábricas de transformadores da WEG, ABB, BLUTRAFOS, etc… fora a matriz têxtil e metalmecânica.

        Antigamente quem alimentava esse apetite por trabalhadores eram nós gaúchos do extremo sul ou fronteira, os próprios catarinenses do oeste e dos então paranaenses que pararam de ir ao sul em função de Curitiba crescer e bloquear o fluxo para Joinville, por isso chegam os nordestinos, muito bem vindos!

    Neste momento  estou de folga na minha  cidade natal de   Rio Grande – RS à 900 km ao sul de Blumenau,  mais precisamente no Balneário Cassino e todas as casa possíveis de alugar estão, estavam e estarão alugadas, face aos empreendimentos de construção naval -plataformas, barcas acessórios etc… Considero uma sorte termos que dividir espaço com carros do Rio de janeiro, Bahia, Fortaleza, Recife.  

    Cheguei de Blumenau às 02h00 da manhã em Rio Grande que já tem rodovia duplicada por conta do governo federal desde 2011/2012, e na vinda cerca  50 km antes de chegar em Pelotas, apartir da bélissima praia de lagoa de São Lourenço do Sul, me deparei com holofotes na beira da estrada, achei que fosse algum acidente e me surpreendi com mais de 10 canteiros de obras a cada 4 ou  5 km com máquinas, tratores, caçambas e muitos funcionários trabalhando de madrugada, vejo que os empresários estão usando a cabeça, fazendo suas máquinas caras aumentar a produtividade, e não bancando o gigolô destas mesmas máquinas.

    Meu pai gaúcho conservador reclama vez ou outra da invasão de cariocas e nordestinos, mas hoje mesmo lembrei a ele que nós gaúchos estamos lá no Piauí plantando e já invadimos todos os lugares, até o Paraguai.

    A cidade do Rio Grande é um canteiro de obras, estão com 70% de um mega Shopping “Praça Rio Grande” construído e tem outro na caçapa perto do Balneário.

    Quando eu era jovem, só tinha emprego de estagiário do CIEE sem carteira assinada, hojeedemanhã  um vizinho da frente da casa da minha mãe, pernambucano que eu não conhecia, foi ao trabalho no se KIA CERATTO estalando de novo, tive uma saudável inveja dele, mas muito mais felicidade, pois com a explosão de oportunidades aumentam algumas dificuladaes, mas emprego demais é o maior problema que a europa quer enfrentar hoje.

    As informações que me chegam é que São José do Norte, do outro lado do canal, a 10 km de distância enfrenta uma demanda de 20.000 residências devido a construção de um novo porto vizinho ao Superporto de Rio Grande, que não dá mais conta do recado, e de novos estaleirtos que estão se instalando.

    Podem falar mal do Lula, mas esse problemão, devemos a ele mas não esqueçamos que quem gestou este cenário foi a DIlma.

  15. Qualquer empreendedor dirá: o
    Qualquer empreendedor dirá: o governo pode ajudar saindo da frente.
    A marca do desGoverno Dilma é maximizar a tese, tornando-se um paquiderme tonto insuportável com a bateção dos cabeções.
    O verbo que resume sua “gestão” (sic) é: emPACar!

  16. O governo do PT foi o melhor

    O governo do PT foi o melhor da história na área social, imagina sem o problema das questões federativas que impedem os avanços de chegarem mais rápido a base.

    Por outro lado não vejo uma política industrial clara e objetiva, com exceção da indústria naval e recentemente o ministério da Saúde que resolveu investir na substituição de importações de remédios.

    Outras indústrias tiveram grande crescimento: tecnologia de informação e bens de capital, mas até quando a maioria continuará sendo empresa brasileira?

    O governo errou em demitir o Carlos Lessa e não aproveitar as melhores cabeças do PT (Márcio Pochmann).

    Sem esquecer os erros na articulação política e a falta de estratégia para contrapor o Mainstream e a mídia hegemônica.

  17. Eh tanta bobagem reunida

    Eh tanta bobagem reunida neste artigo, que somente uma frase sintetizadora define: direto para o desastre

  18. Transferência de riquezas

    O legado Dilma-Lula mais importante para os brasileiros, em termos de impacto sobre nossas vidas, na minha humilde opinião, é a criminosa transferência de dinheiro e riquezas para a banca, numa quantidade e velocidade nunca antes vista.

    Por enquanto só temos candidatos habilitados que defendem a taxa de juros pornográfica.

    A verdadeira terceira via é  a que defende o povo e a nação do achaque.

  19. A ESQUERDA POSSÍVEL

    Nestes últimos 10/11 anos de governo popular temos convivido com a chamada “esquerda possível”. A esquerda possível é aquele anseio popular refletido no voto, mas adaptado e torcido à realidade imposta pelos verdadeiros grupos de poder sem voto: empresarial, financeiro, PIG, STF, Forças Armadas, EUA, etc. São eles que influenciam poderes paralelos no aparato público, como: as procuradorias, ministério público, o Itamaraty, a polícia federal, e outras autarquias que atuam quase soberanamente.

    Ainda, estes grupos organizados massacram ao PT e, ao invés de propor caminhos alternativos para o país apenas criam legiões de analfabetos políticos anti-PT. É a anti-democracia querendo vencer e/ou acabar com o jogo democrático das urnas.

    Desde a “carta aos brasileiros”, a mediados de 2002, seguindo pela escalação de representantes genuínos do “status quo” em diversos ministérios (e no Itamaraty), o PT e aliados tem tentado agradar aos grupos de poder sem voto. Se isso não acontecer, então este “poder” resolveria despejar o governo popular do Governo e, sinceramente, acho que ele poderia ter conseguido em 2005/2006, com a falsa história do mensalão, a não ser pela inteligência do Lula e pela generosidade e lucidez de parte do eleitorado, que não se deixou levar pelo PIG.

    90% dos 3,7 milhões consultados sobre a reestatização da VALE, em 2007, responderam afirmativamente (três vezes mais que os assinantes da “ficha limpa”, que “justificou” a transferência de parte do nosso direito ao poder judiciário), mas isso não importou. O episódio do Daniel Dantas (que ninguém quer abrir o jogo) e, algum tempo atrás, a timidez demonstrada na implantação da CPI sobre a “Privataria Tucana”, refletem alguma parcela de rabo preso e, principalmente, os limites da nossa atual “esquerda possível”.

    Queremos saber como romper este cerco. Que mais precisamos? Mais votos? Maior representação no legislativo? (lembrando que o PMDB teve maioria absoluta em ambas as casas legislativas, durante Sarney, e nem por isso fez a diferença)…ou mais “peito” para enfrentar o cerco?

    Não sei qual a melhor solução, mas acho que um povo mais esclarecido (educação) saberá indicar aos seus líderes qual o caminho para esta esquerda possível caminhar de forma mais acelerada até o encontro com os anseios da sociedade.

     

  20. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome