Direita tenta reeditar 1960 e 1989 em 2014, por Diogo Costa

LAMENTAVELMENTE A HISTÓRIA SE REPETE – Algumas pessoas ficam cheias de dedos para comentar sobre o processo eleitoral atual. Não é hora para omissões. A história brasileira é que subsidia o conteúdo desse texto.

Em 1960 Jânio Quadros se elegeu presidente da república pelo PTN (com o apoio da UDN). O PTN era um micro partido que nem de longe estava no centro da política nacional, como estavam a própria UDN, o PSD e o PTB.

Em 1989 Fernando Collor de Mello se elegeu presidente da república pelo PRN. O PRN era um micro partido que com muito gosto abraçou as pretensões da “nova política” de Collor, egresso da ARENA, do PDS e do PMDB.

Em 2014 a direita quer repetir o fenômeno com uma candidatura laranja, que usa o PSB como barriga de aluguel e que um dia depois da eleição irá para o micro partido Rede, espécie de PTN ou PRN dos dias de hoje.

Tanto Jânio Quadros quanto Collor se auto definiam como figuras acima dos partidos tradicionais. Criticavam a política em si, os partidos políticos e os próprios políticos.

Se apresentavam como mui dignos representantes da “nova política” que iria sanear e moralizar o Brasil…

É o mesmo discurso falso, cínico e mentiroso da moça lá do Acre.

A Rede, que sequer foi criada ainda, o PTN e o PRN tem em comum o fato de serem legendas pequenas e sem contornos ideológicos e programáticos bem definidos.

Em 1961, sem conseguir uma base de apoio minimamente confiável no Congresso Nacional, Jânio renuncia e mergulha o país numa violenta crise institucional.

Leia também:  Teoria moderna da moeda é da hora, por Fernando Nogueira da Costa

O golpe só não vei ali mesmo graças a atuação corajosa e certeira do então governador gaúcho, Leonel Brizola, e da sua Campanha da Legalidade que garantiu a posse constitucional de João Goulart.

Em 1992 Collor sofreu um impeachment, muito mais por ter se isolado no Congresso e por estar num partido pequeno e irrelevante como o PRN.

A história está aí para quem quiser ver e estudar.

Àqueles que negam a política e os partidos políticos, ao contrário do que dizem, deseducam as massas e são os verdadeiros representantes das ideias mais reacionárias que se possa imaginar.

Em outras palavras, são apenas farsantes.

Farsantes com um discurso falsamente moderno que se coloca acima da política, acima dos partidos, acima dos políticos e acima das instituições.

Não existe nada mais conservador e de extrema direita do que esse messianismo que falsamente paira acima de tudo e de todos.

Marina Silva é uma espécie de Jânio Quadros ou de Fernando Collor de Mello. Nada mais do que isto.

Cabe àqueles que tem um mínimo de conhecimento histórico, impedir que o Brasil de 2014 caia novamente numa aventura da extrema direita.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

70 comentários

  1. Nisso a direita ucraniana é

    Nisso a direita ucraniana é mais sincera – promoveu a “Revolução LARANJA”. Os marineiros poderiam adotar a cor…

    Saravá!

  2. Só discordo de uma coisa:

    Eu só discordo de uma coisa no pensamento do Diogo, onde ele diz:

    “A Rede, que sequer foi criada ainda, o PTN e o PRN tem em comum o fato de serem legendas pequenas e sem contornos ideológicos e programáticos bem definidos.”

    Na verdade, eu acredito que a Rede tenha sim, contornos ideológicos e programáticos bem definidos, e é isso mesmo que aumenta o perigo do estrago que a eleição de Marina Silva pode provocar no Brasil.

    Abraços!

     

  3. Análise CORRETÍSSIMA e quem

    Análise CORRETÍSSIMA e quem tem mais de 60 anos saberá entender perfeitamente.

    A garotada ainda não conhece o RISCO que um novo JÂNIO (loucura total) ou um COLLOR (aventureiro alinhado com a mídia) representam – o PREÇO a pagar é muito alto…

  4. Não sei que Direita e’ essa.

    Não sei que Direita e’ essa. Lá na Veja só falam horrores de Marina. Se nem a esquerda ou direita apóiam Marina, o que está acontecendo? Não precisa muito esforço para saber.

  5. Discordo. Todo partido que

    Discordo. Todo partido que chega ao governo (inclusive o de Esquerda) se transforma automaticamente em Direita, pois se vê obrigado a fazer aquilo que qualquer governo faz (impor sua vontade dentro dos limites da Lei, modificando-a quando necessário for e usando a repressão em caso de rebelião dos cidadão). Mas isto não quer dizer que todo partido de oposição seja de Esquerda. De fato, o que o autor chama de Direita é na verdade a Extrema Direita. 

  6. Já percebe-se a debandada de

    Já percebe-se a debandada de quadros apoiadores do Aócio pulando do barco em busca de ADESÃO PREMIADA. 

  7. Diogo quem queres enganar?

    Marina Silva de direita? Que mentira, que lorota boa… a lunática das matas sonha junto com os petistas. Como é mesmo aquela frase esquerdopata? Sonho que sonhos juntos se torna pesadelo… algo mais ou menos assim não é? E pensar que o Freddy Krueger do agreste quer retornar em 2018…

    Toma que a Marina é tua! É cria do PT!

    • Rebolla pensa,deveríamos exercitar nossas opiniões petrificadas

      Agora, sim, me chamem de direita ou não me chamem de nada. Esquerda que não estuda e que menospreza reflexões da direita não é esquerda que vê a longo prazo. O mesmo acontece com a direita (ou centro) que não estuda, com atenção, o que se pode extrair (não de eliminar, mas de mexer com dogmas que há num lado ou noutro, em ambos). Rebolla pensa, deveríamos exercitar nossas opiniões petrificadas, fechadas ( ainda temos orgulho… de termos opiniões fechadas, “convicções”). A recentéssima história nos mostra como dogmas de um grande partido de esquerda (centro-esquerda) foram para a direita, pouco a pouco, inclusive recorrendo a mentiras, numa politicagem digna dos mais arcaicos coronéis, a de estimular a versão de que Ciro Gomes era novo Collor, esse é só um exemplo. Expulsões, intervenções, retiradas espontâneas, todos esses filmes antigos da velha esquerda tb ocorreram com repercussões até hoje e amanhá. Que se páre pra pensar pelamordedeus.O Blog e os comentristas não deveriam se igualar a blog de um Reinaldo Azevedo às avessas. E, sim, refletir muito mais e se transformar numa esquerda moderna (sim, o maior partido de esquerda não nasceu de “baixo pra cima” – uma propaganda por influência religiosa válida em certas circunstâncias. Não sou Marinista, mas o que ela falou sobre Elite não é a elite que vulgarmente e popularmente se chama. Indidualmente, acho que, sim, Marina é de esquerda, porém é imperfeita… não é esuerda “pronta e acabada” e tem um lado muito ingênuo e, se ganhar, será manipulada.

  8. O novo José Alencar

    Prezados,

    Lula, do PT, tinha José Alencar capitaneando o “PSD” de então, assim como o original, que era meio ambivalente, mas sempre apoiava o PTB de Getúlio e Jango, num papel semelhante ao que hoje o PMDB desempenha. Assim temos: na época de Gegê e Jango, PTB+PSD venciam UDN e nanicos. Com Lula, PT+Industriais brasileiros+pequenos partidos venciam a atual UDN (PSDB-DEM). Como estamos com Dilma? A perna PSDista está manca! Cadê a indústria brasileira apoiando Dilma?? M. Temer não representa o industrial! Até quando os empresários da economia de verdade (não a financista), tanto da Indústria como do Comércio, irão se omitir? Tem que ter um maior engajamento de lideranças como a Dona Luiza Trajano (Comércio) e alguém (quem???) do lado da Indústria, aliando-se à Dilma! Têm que aparecer, dar a “cara a tapa”, fazer manifesto de apoio à candidatura Dilma! Eles precisam ser convencidos a atuar, pois os outros dois candidatos, já está claro, apoiarão a economia financista, pois têm André Lara Resende e Gianetti (Marina) e Armínio Fraga (Aécio) à frente de suas equipes econômicas. Precisamos de um novo José Alencar, lutando por juros baixos (quase venceu no início do gov Dilma, mas o bombardeamento sobre inflação da mídia financista venceu), lutando pelo mercado interno e lutando contra os banqueiros das altas taxas de juros. Industriais, Uni-vos!!!

      • Entendo o que vc quer dizer,

        Entendo o que vc quer dizer, até quase concordo, mas acho que ainda existem exemplares raros. Não é possível que nada seja produzido aqui no Brasil por industriais brasileiros! Bem, assim espero!

  9. Esse midia é tão canalha que

    Esse midia é tão canalha que querem fabricar o clima de 2002,com essa estória que marina é o Lula de saias economia ta um caos, Repitir a história como farsa,

    e canalice vai além tentando colocar Lula no palanque da marina,sendo que em 2010 não se podia votar na Dilma por que quem ia governar era o Lula,agora os Jenios adimitem que Lula fez um otimo governo,

    povo sordido,e povo acefalo os que repetem isso.

     

     

  10. Sugiro suprimir a seção Multimídia do Dia

    Sugiro suprimir  Multimídia do Dia:Só uns gatos pingados a apreciam ou provavelmente a assistem.Gosto de política, e   sou de esquerda (apesar de parte do pessoal não me ver assim).Vejo tb. que nem sempre apreciam meus gostos musicais,isso é secundário.Uma analogia:é como igreja querendo ocupar ainda mais espaços do que já há em abundância, estão invadindo a Multimídia onde vídeos nada mais são do que ilustrações de disputas político-eleitorais,”mensagens”. Infelizmente esse alerta ponho sob um Post que quase nada a ver com o tema).O Multimídia do Dia atrai, mantém alguns visitantes não cadastrados e cadastrados,é um diferencial entre os blogs alternativos com uma linha editorial definida.

    • Se vale mais uma opinião, em

      Se vale mais uma opinião, em lugar de suprimir a Multimídia , que vinha sendo um local diferenciado no blog, que tal deixarmos para postar os vídeos com mensagens políticas nos posts políticos ? Sem censura, só uma questão de arrumação, se preferirem.

  11. Comparações descabidas.

    Diogo, acho uma visão muito estreita e irreal achar que o ambiente institucional hoje permitiria os mesmos desdobramentos que tínhamos em 61 e em 92. Não estou a defender a candidata Marina, mas creio que ela, diferentemente do Collor e talvez do Jânio tem uma biografia prévia bem conhecida. Não vejo riscos excessivos como andam a dizer por aí. Ao contrário, vejo semelhanças com 2002 quando diziam que se o Lula entrasse tudo viraria uma baderna, que a economia iria colapsar, dentre outras injustiças ao candidato à época.

    Infelizmente hoje vejo o mesmo tipo de discurso vindo de setores mais à esquerda, e igualmente de alguns setores da mídia como a Veja principalmente, de que se a Marina entrar será um risco muito alto.

    Creio cada vez mais na ideia de que quanto mais maduras as instituições, menos “poder real” tem uma pessoa apenas, tendo que se alinhar de um jeito ou de outro a alguns valores da sociedade.

    Espero ter contribuído para o debate.

    • Que isso! Lula vinha de uma

      Que isso! Lula vinha de uma base sindical, com apoio de vários centrais sindicais, movimentos sociais, orgão de classe e intelectuais . Representantes legítimos de uma sociedade tão diversificada como a nossa. Além disso, contava com um partido orgânico, já consolidado e identificado no ambiente político nacional. Que criticava a política praticada, mas nunca a negava. São dois momentos diferentes da história, infelizmente Marina se assemelha mais ao Collor mesmo.

    • concordo com ressalvas

      Boa rarde meu caro Marcelo,

      acho que compreendi o que vocë quis dizer,

      De fato, não dá para comparar esses períodos assim de forma tão rápida e superficial.

      Mas, penso que  comparaçao é possível , porém, complexa. Requer maiores cuidados.

      Outro ponto:

      eu tambem já entrei nessa de defender as “instituições”

      Depois, parei para pensar (PPP) e mudei de ideia.

      Depende das “instituiçoes fortes” Vou ate além disso. Tem instituiçao forte que deveria ser fraca.

      Instituicao tambem “cria” cultura. E cultura pode seguir vários caminhos.

      Pense nisso

       

       

    • Contribuído para o debate? Isso é trollagem!

      Semelhanças com 2002?

      Era o programa de governo do PT difuso, descabido, contraditório, entreguista como o de Marina?

      Lula se escondeu em um partido pequeno para, depois que ganhasse, fundasse um partido nanico?

      Em 2002 Lula fez discurso descontruindo a própria política?

      Você está comparando o terror que a direita fez em 2002 para tentar evitar o fenômeno Lula com o discurso legítmo da esquerda tentando mostrar ao Brasil o que representa Marina?

      De forma desonesta e manipuladora você nos compara com a Veja com o único intuito de desqualificar o texto do Diogo.

      Aqui não tem bobo, Sr. Sousa. Não são os eleitores despolitizados de Marina que irão ler esse seu discurso manipulador.

       

       

      • Caro Jandui,
        Obrigado pelo

        Caro Jandui,

        Obrigado pelo alerta. Diogo, eu não quis desqualificar seu texto e nem compará-lo à Veja e peço perdão se foi isto que transpareceu.

        Agora, vamos entender algo. Quem vota em Marina (e eu não disse em momento algum que votaria nela) ou no outro lá é despolitizado.

        Só é politizado quem vota no PT. (e não estou dizendo que não voto no PT).

        Lula fez sim um discurso de que faria política diferente, sem os Sarneys e Collors da vida. E votei nele naquela ocasião por isto. Não culpo tanto o Lula porque creio que fez isto em nome da governabilidade. Um banho de pragmatismo. Tá, com Collor talvez ele tenha exagerado.

        Mas voltando à Marina, você pode falar bastante aqui neste espaço. Mas política não é fazer barulho no nosso quintal. Vá em outros meios de comunicação por aí, e chame a todos de despolitizados. Assim eu tenho certeza de que você convencerá a todos a não votar em A ou B, e sim a votar na Dilma.

        Boa sorte.

    • “Instituições maduras”?

      “Instituições maduras”? senhor Souza.

      Maduras são goiabas, mangas, cajus.

      Estas instituições maduras a que o senhor

      se refere só estão maduras quando agem

      contra os  do PT. Os da lista de Furnas, os

      do metrô de São Paulo, os do Banestado, etc, etc

       estão sempre verdes. Afinal, o senhor está

      pensando  que aquí neste sítio tem algum bobo, ou

      o senhor é inocente assim mesmo?

      • Walter, peço perdão.
        Não

        Walter, peço perdão.

        Não percebi que para debater aqui todos devem ter a mesma opinião.

        Apenas digo que não sou contra a Dilma, que acho bem intencionada. Não voto no Aécio, cujo partido a meu ver perdeu o bonde da história quando não percebeu que inclusão social era tudo. 

        Mas também não vejo como um mal um partido ficar 16 ou 20 anos no poder. Acontece na França, nos EUA e em outras partes do mundo sem que aconteça nada de tão ruim com outros países. Prefiro no entanto não aderir à ideia de que apenas o PT é solução para o Brasil.

        Se você chama isto de inocência, respeito. Sim, sou inocente.

        Obrigado.

  12. ” A humildade não passa muitas vezes (…) “

    ” A humildade não passa muitas vezes de uma submissão fingida de que se serve para submeter os outros; é um artifício do orgulho que se rebaixa para exaltar; e embora se transforme de mil maneiras, nunca é mais que bem disfarçado e mais capaz de enganar do que quando se esconde sob a aparência de humildade ” – La Rochefoucauld, Máximas e Reflexões,editor Escala, p. 46 (Aforismo nº 254), São Paulo, 2007. (Leiam meu comment sob Rebolla).

  13. Devemos

     Caso a Dilma venha ser reeleita devemos sim agradecer a TODOS OS BLOGUEIROS PROGRESSITAS. Por que se depender da Dilma e do PT pra esclarecer, contrapor e mostar o quando a medieval Marina é uma aventureira, podem esquecer. O Brasil será governado por uma aventureira juntamente com um grupo de templários babando pelas riquezas dessa grande nação chamada Brasil

  14. Marina vai fechar o pré-sal

    Publicado em 29/08/2014, no Conversa Afiada

    Bláblá tira a máscara.
    Vai fechar o pré-sal !

    Política externa é a do FHC/Cerra: fecha o Mercosul e tira o sapato !

    Compartilhe

    Estava demorando.

    Bláblárina da Silva abriu o jogo.

    Segundo o Globo, com manchete em forma de epifania, “Programa de Marina deve tirar prioridade do pré-sal”.

    “Candidata se encontra com usineiros e promete investir em etanol” – quá, quá, quá !

    “O programa vai propor ainda a redução gradativa do uso de termoelétricas para priorizar as energias eólica e solar”.

    E do cuspe.

    Daqui a pouco, em nome da copula dos bagres – como já tentou – ela dinamita Santo Antonio, Jirau e Belo Monte !

    Ou seja, amigo navegante, vem aí um apagão de bom tamanho !

    Na política externa, ela vai fazer o que os Estados Unidos querem, e o Lula e a Dilma não deixaram.

    Vai fechar o Mercosul – como prometeu o Cerra em 2002 – e realizar “acordos comerciais bilaterais”, como querem os Estados Unidos, que, dessa forma, já engoliram a autonomia do México, Colômbia e Chile.

    Por extensão, vai renunciar à África e à China, para aderir ao Pacto do Pacífico, do Obama ( e do FHC).

    Claro, ela vai manter o tripé econômico – clique aqui para ler sobre os idiotas do tripé.

    ​Amigo navegante, ela vai entregar a rapadura.

    É a falsa “terceira via”.

    Ela é a segunda via na veia.

    Entreguismo em estado bruto !​

    ​ Nem o Dudu Campriles chegou a entregar a Petrobras, com tanta clareza, quanto ela, agora diante dos usineiros, essa gloriosa expressão da “nova política” – são eles, usineiros do etanol paulista que vão a Nova York receber o título de “Homem do Ano” para espinafrar o Brasil e a Dilma diante dos americanos.

    O Arrocho prometeu, logo no primeiro pronunciamento de candidato, rever o sistema de “partilha” da Petrobras, que a Dilma e o Lula conseguiram a ferro e fogo.

    Arrocho, Cerra e FHC – e o Globo do Adriano Pires – querem o sistema de concessão, o que é uma maneira de realizar o sonho de consumo do Cerra – vender o pré-sal pelo preço da Vale à Chevron.

    Eles querem o sistema de concessão, que consistia no regime da Petrobrax, e conceder …

    Dudu quase chegou lá.

    Bláblá vai chegar, a seu tempo.

    Bláblá vai mais longe.

    Antes, vai encher os campos do pré-sal de sal.

    E fechar os poços.

    Não é à toa que um de seus “cérebros” combateu as viagens aéreas, porque furam a cama de ozônio com o uso de gasolina.

    (Foi ele também quem prometeu dizimar os rebanhos bovinos, porque a flatulência do gado produz gás que fura a camada de ozônio.)

    Um dia, o ansioso blogueiro perguntou ao notável historiador americano Arthur M. Schlesinger Jr o que aconteceria se Truman se recusasse a jogar a bomba atômica em Hiroshima.

    Seria deposto, ele respondeu.

    Mas, como ?

    Sim, com a progressão das baixas americanas no Pacífico e com a posse de um novo artefato, ele não poderia se recusar. O Congresso – ou as Forças Armadas – o deporia.

    Detonar o pré-sal, que fará do Brasil o quinto maior produtor de petróleo do mundo – e renunciar a 75% dos royalties para a Educação e 25%  para a Saúde -, isso é o convite para um impeachment !

    Com menos de sete meses de Governo.

    Ora, dirão, “ela não sabe o que diz, dá bom dia a cavalo”.

    Não !

    Marina Silva é uma ameaça à soberania nacional !

    Vai vender o Brasil ao Greenpeace.

    Paulo Henrique Amorim

     

     

  15. Quem vota na Marina?

    Não é difícil discernir o que acontece com a candidatura da Marina, seus asseclas e as semelhanças com as candidaturas de Collor e Jânio. O problema é convencer o seu eleitorado despolitizado, que em boa parte vem das camadas D e C…

  16. Diogo Maynard já disse que

    Diogo Maynard já disse que votaria em qualquer um para tirar o PT de cena. Votará em Marina para assim que ela for eleita ele passar pra oposição. Constrange-me citar o nome desse calhorda, mas quis apenas mostrar ser ele um dos muitos que estão na lista de votantes da acreana. Eu mesma conheço um bocado de gente, que julgo inteligente, por sinal, pensarem dessa forma. Por tudo isso, a chance da mulher ser elita pode ser grande, como mostram as pesquisas, porém, ao que tudo indica, teremos um governo desastroso. Servirá apenas para o povão dizer “Volta Lula”.

  17. Lá na frente…

    A verdade é, se Marina for eleita e fizer um péssimo governo, a conta vai cair no colo do PT, afinal, tudo é culpa do PT.

    “O PT deixou o país um caos, não deu para fazer nada,  não sou santidade para fazer milagres,oras “. 

  18. Eu não sei porque tanto

    Eu não sei porque tanto adoração pela esquerda .

     Quem gosta dela pode ir pra Cuba, Venezuela.Coreia do Norte ou…aprender a ser mágico como Lula que agradou esquerda e direita sem problemas.

            ”’Nunca os banqueiros ganharam tanto como no meu governo”

              

  19. A história se repete…

    O processo eleitoral brasileiro, para a nossa tristeza, ainda carrega em seu bojo os seguintes pilares:

    Voto do cabresto, voto censitáro, fraude eleitoral,  maracutais de todos os tipos etc. Tudo isso devidamente ajustado para o século XXI.

    Ex: Pesquisas suspeitas= voto do cabresto

    Opinióes dos “especialistas”= voto do cabresto

    Reportagens e entrevistas diversas = voto do cabresto

    Bade papo com economistas “especialistas” = voto censitário

    Bate papo com “cientistas políticos’ = formaçao do voto do cabresto

    Debates diversos na telinha, para nao se debater nada e angariar votos = voto do cabresto e censitário. Fraude(1989)

    Boca de urna = fraude

    Visita e abraços de candidatos nas pessoas carentes, não raro, tomando aquele cafezinho gostoso= cabresto 

    “Assumir o compromisso perante os presentes” = fraude

    Enfim, há vários outros exemplos.

    Brasil, a grande ameaça comunista que fala português “em nosso quintal do sul”

     

     

     

  20. Acabei de voltar de uma

    Acabei de voltar de uma viagem, onde tive oportunidade de conversar com taxistas, vendedores e garçons. Já de volta, conversei com o povo do trabalho.

    A conclusão é que, salvo uma bala de prata do PT, Marina vai ganhar esta eleição.

    Não estou dizendo que isso vai ser bom, ou ruim, mas sim que é um fato político que todos podem perceber.

    Marina já está na frente. Como Dilma vai reverter essa tendência? Batendo no PSDB?

    E agora com o país em recessão, já era…

    •  
      Conversou também com as

       

      Conversou também com as costureiras, garçonetes, com as manicures?

      E com as professoras, você conversou? e com as babás? com os pedreiros,

      pintores, calceteiros? e com os…

      Olha cara, deixe de papo furado e continue vendo a globo e verá recessão a toda hora.

      • Após minha mensagem,

        Após minha mensagem, conversei com os estagiários aqui do trabalho (3 garotas e 1 garoto). Todos, repito, todos vão votar em Marina. E isso em um Estado do Nordeste.

  21. Marina é o FHC de saias: ” esqueçam tudo o que eu disse”

    Marina:”Há uma lenda de que sou contra transgênicos”. É lenda mesmo?

     
    Marina mente e até o Globo, desmente:
    Na entrevista que concedeu ao Jornal Nacional na noite desta quarta-feira, 27 de agosto, a candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, afirmou que:

    “Há uma lenda de que sou contra transgênicos”

    Segundo notícia publicada pelo Ministério do Meio Ambiente em 26 de março de 2003, quando a candidata estava à frente da pasta, Marina “sempre foi contra a comercialização interna da soja transgênica”. No mesmo texto, a então ministra defendia “precaução” em relação à produção de transgênicos: “Vou aceitar a liberação comercial de organismos geneticamente modificados no Brasil quando a sociedade estiver segura e informada sobre os efeitos dos transgênicos à saúde e ao meio ambiente”.

    Em entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo” em 2003, Marina Silva também se posiciona de forma contrária à comercialização, no mercado interno, da soja transgênica cultivada no Brasil. Para ela, a solução seria exportar os transgênicos produzidos no país. “A legislação brasileira não permite a comercialização de soja transgênica no Brasil. Sou a favor do cumprimento da legislação”.A nota foi  publicada na coluna  “Preto no Branco” do  Globo    

  22. Marina é o FHC de saias: ” esqueçam tudo o que eu disse”

    Marina:”Há uma lenda de que sou contra transgênicos”. É lenda mesmo?

     
    Marina mente e até o Globo, desmente:
    Na entrevista que concedeu ao Jornal Nacional na noite desta quarta-feira, 27 de agosto, a candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, afirmou que:

    “Há uma lenda de que sou contra transgênicos”

    Segundo notícia publicada pelo Ministério do Meio Ambiente em 26 de março de 2003, quando a candidata estava à frente da pasta, Marina “sempre foi contra a comercialização interna da soja transgênica”. No mesmo texto, a então ministra defendia “precaução” em relação à produção de transgênicos: “Vou aceitar a liberação comercial de organismos geneticamente modificados no Brasil quando a sociedade estiver segura e informada sobre os efeitos dos transgênicos à saúde e ao meio ambiente”.

    Em entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo” em 2003, Marina Silva também se posiciona de forma contrária à comercialização, no mercado interno, da soja transgênica cultivada no Brasil. Para ela, a solução seria exportar os transgênicos produzidos no país. “A legislação brasileira não permite a comercialização de soja transgênica no Brasil. Sou a favor do cumprimento da legislação”.A nota foi  publicada na coluna  “Preto no Branco” do  Globo    

  23. Marina Silva não tem absolutamente nada a ver com Collor

    Marina Silva não tem absolutamente nada a ver com Collor, um dos “homens fortes” dos governos Lula e Dilma no Senado, ídolo atual de muitos petistas, simpatizantes, eleitores do PT. Collor é “o homem”, para os petistas. Elogiam seu discurso, sua postura quando acusou Demóstenes, quando acusou Joaquim Barbosa etc etc etc etc. Enfim, os petistas e a esquerda governista amam Collor “de coração” e Dilma é sua aliada “do peito”, carinhosa e muito dedicada aos pedidos do Senador Collor. Esses são fatos públicos e notórios.

    Marina Silva tem uma visão de esquerda e não adianta querer vingar nessa eleição o discurso falso de que somente o PT é de esquerda neste país. O PT, com muita dificuldade, pode ser considerado de centro-esquerda atualmente. O PT é uma versão um tanto light do PSDB hoje em dia. Na verdade, os dois partidos possuem poucas diferenças. A diferença maior está no grau de neoliberalismo que abraçam, nada além disso. O PT é menos neoliberal do que o PSDB, mas adere a políticas neoliberais. Isso todo mundo sabe.

    Marina tem o discurso de esquerda e possui uma visão menos ortodoxa do que o PT na condução de seus projetos e programas, principalmente no que diz respeito à liberdade democrática. Ideologicamente, Marina é muito mais democrática e menos refém da ânsia do poder que essencialmente caracteriza o PT, um partido que acha que tem o monopólio das melhores respostas que atendem os interesses políticos de seus integrantes e simpatizantes mais próximos (só os mais próximos). Os interesses do povo têm recebido tratamento secundário. O que interessa é está no poder. O PT só pensa nisso, acima e antes de qualquer coisa. Depois disso e depois que os interesses de seus integrantes e simpatizantes ou aliados estiverem atendidos, tudo a garantir a manutenção no poder,  aí sim, o PT começa a pensar em fazer algo para o resto das pessoas, o que nem sempre é feito ou nem sempre é feito da forma que deveria e com os resultados desejados.

    Marina é diferente disso. Marina quer melhorar a qualidade de vida das pessoas, combater os problemas crônicos e os novos problemas com um discurso muito mais democrático e popular do que o centralismo democrático ultrapassado petista, com a sua hierarquia proto-stalinista, onde quem manda são os chefões de sempre e quem está na base só faz obedecer. O fato disso ser vendido como uma ideia nova não a torna semelhante a Collor, até porque Marina tem muito mais história política e projeção nacional do que tinha Collor quando ganhou para presidente em 1989. Marina foi senadora muitos anos, ministra do meio ambiente do Governo Lula e já foi candidata a presidente da república em 2010. É uma pessoa que tem história de vida e história política, tem militância e não é candidata por acaso, muito menos ostentando a imagem de “salvadora da pátria”, imagem que Collor apresentava em 1989. Marina é identificada com causas populares, enquanto Collor era identificado com as causas da elite tradicional brasileira. A comparação com Collor é absolutamente improcedente, sob todos os aspectos.

    Ela defende a reforma agrária, reforma política, tributária, administrativa, democracia de alta intensidade, sustentabilidade, criação de políticas alternativas para a geração de emprego e renda, etc etc etc. Na área administrativa, um dos aspectos será a diminuição sensível do número de cargos comissionados, área no qual o PT se esbaldou. Aparelhar o Estado e colocar gente comprometida e não independente foi uma das formas que o PT encontrou para governar. Aliás, nem a Dilma é independente propriamente. Ela vive tendo que prestar satisfação política a Lula e seus puxa-sacos. Se Dilma não tem a liberdade que deveria ter, se não é independente, imaginem o restantes das pessoas de seu governo. Essas é que não têm mesmo. Tirando aqueles cargos eminentemente políticos do primeiro escalão, frutos de alianças partidárias, como os cargos de Ministro, dizem que alguns cargos comissionados só são ocupados em Brasília se a pessoa for filiada ao PT. Quem não for, chega até um certo nível na administração pública federal. O PT exige filiação se você quiser ganhar mais e ter mais poder.

    Marina certamente tem o seu lado neoliberal e isso hoje em dia, apesar dos pesares (crises internacionais recentes e um certo descrédito junto ao eleitorado), é de praxe. Coisas como parcerias público-privadas não me deixam mentir, pois vieram para ficar, assim como a tradicional concessão de serviços públicos, clara política desestatizante a qual o PT aderiu fortemente (se não chega a ser venda de patrimônio público em caráter definitivo, é cessão de uso de patrimônio por um período temporário, ninguém duvidando de que é política alinhada à ideia de Estado Mínimo). Sem falar que o PT criou o tal regime de partilha na exploração do Pré-Sal que é, evidentemente, de natureza neoliberal, pois parte do patrimônio e das riquezas públicas vai para os bolsos de empresas privadas. Marina defende aspectos assim quando fala na ideia de Estado Mobilizador, em contraponto ao Estado Mínimo e ao Estado Provedor.

     

    • Seria o tal “Tripé

      Seria o tal “Tripé Macroeconômico” uma causa popular?

      O engraçado é que ela defende um monte de coisas, mas não explica como fazer nenhuma.

      • Quem não leu o programa está desabilitado para o debate

        Como você não leu, não pode falar nada.

        Quem quiser ler, segue link que disponibiliza a íntegra do programa de governo de Marina Silva, que os petistas tendenciosos e sectários ignoram:

        http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/sob-polemica-marina-silva-lanca-programa-de-governo-em-sao-paulo/

        O que não faltam são propostas concretas sobre o que será feito para amparar cada um dos aspectos defendidos no programa.

        Vou citar um exemplo, só para informar as pessoas:

        Primeiro item do Eixo “Estado e a democracia de alta intensidade”, que trata da Reforma Política (vejam e constatem que o fake acima mente toscamente quando diz que Marina não explica como irá fazer):

        “1.1 Reforma da Política

        A crise contemporânea da política é, em boa parte, crise da representação eleitoral,
        que possui nos partidos políticos os instrumentos de mediação entre eleitos
        e eleitores. Este sistema não mais produz legitimidade suficiente, o que mostra a
        fragilidade da Democracia representativa. Por isso, é necessário, complementarmente,
        criar novos mecanismos de participação popular que possibilitem inclusive
        o revigoramento da Democracia representativa, aumentando sua legitimidade. A
        política precisa reconectar eleitos e eleitores.

        • Instituir a possibilidade de candidaturas avulsas, extinguindo a exigência de
        filiação partidária para que o cidadão possa disputar eleições.

        • Rever a legislação de financiamento eleitoral para baratear as campanhas e
        diminuir a influência do poder econômico.

        • Ampliar o uso dos instrumentos de Democracia direta como plebiscitos e
        referendos.

        • Diminuir o número de assinaturas exigidas para a proposição de projetos de
        lei de iniciativa popular.

        • Aperfeiçoar os mecanismos de Democracia participativa, como os conselhos de
        direitos com representantes da sociedade civil, para que ampliem suas funções.

        • Instituir o fim da reeleição para os cargos executivos, estabelecer mandato de
        cinco anos e unificar o calendário eleitoral.

        • Criar, inovar e usar amplamente novas tecnologias da informação para envolver
        a população na tomada de decisões em assuntos de interesse público e
        matérias de competência do Executivo e Legislativo.”

        Isso são propostas que constam no Programa de Governo de Marina Silva, no subitem 1.1 do primeiro Eixo. A forma como isso será implementado dependerá de discussões políticas no Congresso Nacional, é claro. Novas leis e decretos serão editados, de forma a esmiuçar como será implementado tudo isso.

        Um programa de governo tem caráter geral e um pouco mais abstrato, salvo pontos específicos. O programa traça uma linha geral. O detalhamento, somente depois.

        • ESTADO E A DEMOCRACIA DE ALTA

          ESTADO E A DEMOCRACIA DE ALTA INTENSIDADE

           

          Senhor Argolo, em atenção a sua observação sobre a necessidade de ler o programa de governo de Dona Marina para o Brasil. Corri, disposto a finalmente encontrar a tradução daquelas hipérboles mirabolantes que a candidata utiliza para gáudio de seu rebanho.

           

          Reconheço que uma retórica adornada com mirabolantes  penduricalhos tem o charme de aformosear o discurso. Em contrapartida, aos não crentes, a coisa se torna incompreensível.

          Me apressei, mas confesso, não entendi nada. Tanto que peço sua ajuda. Se possível, detalhar melhor a parte do programa contido na página de número 16. Onde capturei o trecho abaixo e apresento para não dizerem que estou brincando. Rogo, me diga que diabo significa esse blablarínico cipoal.

          a)

          Estado e a democracia de alta intensidade.

          Precisamos construir um novo* Estado, pois esta é uma das condições para a mudança do nosso modelo de desenvolvimento. O Estado, por meio de seu governo precisa  mobilizar o que há de melhor na sociedade e no mercado, para alavancar o desenvolvimento que não se reduza apenas ao crescimento dos indicadores econômicos…..ufa….não dá.

          Me desculpem os crédulos, boa vontade não me faltou, mas peço vênia.

          Orlando

          * novo Estado. Siria isso uma camuflada referência ao Estado Novo, ou apenas, ato fálico, digo, falho. Ou, fala do Estado atul, que a moça vai resgatar para purificar?

           

           

    • Então responda…

      Se o Collor é homem forte do governo qual foi a contribuição inexorável dele para a situação atual do Brasil (levando em conta apenas os governos do PT, claro)

      E só volte quando achar algo ok? Ou seja, nunca rs

    • SABE DE NADA, INOCENTE.

      Alessandre de Argolo, dentre as muitas bobogens que você escreveu, uma me chamou a aatenção: MARINA LUTA PELAS CAUSAS POPULARES.

      Onde já se viu uma candidata que anda com uma banqueira a tira-colo (Neca Setúbal,  uma das donas do banco Itaú) e que está traçando as bases de um improvável governo Marina, lutar por causas populares? Isto é como misturar água com óleo.

      Sabe de nada inocente.

      • Preconceito contra quem é rico

        Lula também é amigo de pessoas ricas (uma delas, o, dizem, “falido” Eike Batista, só para citar um dos mais conhecidos). Dilma, idem. Independentemente disso, quem disse que pessoas ricas NUNCA podem defender causas populares?

        E Neca Setúbal, segundo informou Motta Araujo, assíduo participante deste Blog, só detém 1,5% das ações do Itaú. Ou seja, ela não é majoritária.

        É verdade que ela coordenou, como representante da Rede Sustentabilidade, a elaboração do programa de governo, junto com Maurício Rands, representante do PSB. Mas o programa foi elaborado por diversas pessoas, entre elas, intelectuais, políticos, empresários, etc.

    • Esse é o problema. É uma

      Esse é o problema. É uma petista. Saiu de lá por falta de espaço. Somente. Petista enrustida. Quando sair do armário, isto é, se aliar ao PT para conseguir a tal da governabilidade, haverá choro e ranger de dentes. Mas aí Inês é morta.

    • Comentário Argolo

      Dizer que a Marina e de esquerda so pode ser bricadeira! Autonomia formal para o Banco Central, tripe macroeconomico, Neca Setubal e Eduardo Gianetti da Fonseca, Bornhausen, Demostenes Torres, resistencia a uniao civil dos homosexuais, e ela e de esquerda? Toma um cafe forte porque voce deve ter bebido muito!

  24. Diogo Costa, parabéns pela análise.

    Concordo com o que foi dito, mas acrescento que considero Marina um caso ainda mais perigoso. Primeiro, ela não tenha uma “bandeira” para defender, como Collor e os Marajás e Jânio, a corrupção. Ou seja, é um discurso ainda mais vazio.

    Na verdade, nossa história como país é muito trágica. Não adianta fingirmos que os problemas não existiram nos governo Dilma e Lula.  É claro que como estamos a frente de uma juventude sedenda por dar sua contribuição para história do país, devemos alertar aqueles que estão chegando agora. Porém, nossa juventude parece sempre cair no mesmo conto, na mesma “lorota”. Isso me dá uma sensação angustiante de estarmos presos dentro da mesma situação, dos mesmos acontecimentos. O circulo não é rompido.

    Entre Jango e Collor, tivemos um intervalo de 29 anos. Entre Collor e Marina, caso ela seja eleita, teremos 21 anos de diferença. É pouco tempo. Ainda menor que antes.

    Que sina a dos nossos jovens… sempre em busca de uma “causa” pela qual lutar e sempre caindo nos mesmos engodos. Em algum momento falhamos: talvez, na hora de refletir sobre essas tragédias, “vivendo o luto” para então fecharmos  a conta e repassarmos as novas gerações ou não superando de fato, esperando que aqueles que nos sucedessem liquidassem o assunto…

    Bem, isso parece não acontecer. Há muitas gerações no Brasil de hoje. Muitos viveram a ascensão e queda dos Militares. Outras o fenômeno Collor. Vivemos a era Lula e agora, em plena democracia, com economia estável, ganhos significativos na qualidade de vida, maior envergadura internacional do país Brasil, nos vemos com as mesmas mentiras do passado.

    Portanto, só nos resta enfrentar. Agora, evitando entrar por essa mesma saída falsa. Ou depois, vivendo plenamente as consequencias dessa escolha.

    Agora, não posso negar: se Marina Silva for derrotada na corrida Presidencial, estaremos muito próximos de virar defitinitivamente essa página de nossa história, tão bem definida pelo Nassif, em que “cavaleiros solitários” vem livrar a donzela Brasil da dor de crescer, reconhecendo seus erros.

  25. Já perceberam que quando

    Já perceberam que quando aparece um marinatico urrando que marina defende seu projetos,não apresentão um projeto concreto da marina.

    ficam despejando coisas como:reforma tributaria,qualidade de vida ,uma nova democracia,neoliberalismo,mais não apresentão uma noção de como sera feito e quando será feito!

    Marinaticos parem de ser rediculos ,adimitam logo que tiveram o cerebro lobotomizado.

    • Todo ignorante é sempre cheio de razão

      Antes de você falar a bobagem acima, deveria se dar ao trabalho de conhecer o programa de Governo de Marina Silva. Você não fez isso, mas mesmo assim desanda a falar que não existem as propostas. Ou seja, você ignora e ainda assim acha que tem razão na crítica, quando não tem. Desculpe a franqueza, mas, agindo dessa forma, o máximo que você faz é passar atestado de desinformada, de ignorante.

      • Argolo não vou perder meu

        Argolo não vou perder meu tempo lendo pois o que eu desejo saber,concerteza não está nesse calhamaço,

        por exemplo: faz parte da nova ou velha politica ser hipocrita e usar um partido socialista sendo contra partidos e sair desfilando com banqueiros?

        Quando é que vão meter a mão no pre-sal?

        Quando vão picar a caneta no trabalhismo?

        O banco central vai ser independente pra que ?

        Quando é que vão começar o arrocho salarial?

        O jatinho é caixa 2 ?

        como vão melhorar o transporte publico, se isso é politica dos estados e municipios e aqui em são paulo ela não se da com o chuchu,prometer o que não pode cumprir faz parte da nova ou velha politica?

        • Eu também gostaria de saber

          Eu também gostaria de saber as respostas para estas perguntas,  mas ninguém vai perguntar e se alguém o fizer não obterá respostas  claras. 

          Como  a candidata gosta de dizer : Lamentável !!!!

  26. Notícias do front.

    Parece que baixou o desespero no Exército petista.

    O Exército da Direita é mesmo um bicho solerte e traiçoeiro. A artilharia petista de campanha estava burocraticamente concentrada em cima das forças de Aécio. Contra o general Campos nem se fala: bastavam uns morteiros leves de infantaria e duas ou três baterias de canhões de 75mm.

    De repente, o comandante morre, a sub-comandante vira comandante, e o que era fácil fica difícil feito o cão.

    Resultado: a artilharia petista tem que correr pra tirar o pai da forca, carece urgentemente de reposicionar tudo que é calibre e ainda mandar chamar mais alguma – fartura de canhões e obuseiros de 76mm, 122mm, 152mm, 203mm, 305mm, Katyusha e, desconfia-se, até uns cilindros de gás venenoso pra qualquer golpe baixo.

    (“Ah! se a gente tivesse uma bombinha atômica” – sonha um confrade do STAVKA petista.)

    Nassif, dentro do seu T-34 (pintado com a divisa exortatória “Смерть фашитам!”),  faz o que pode.

    E a história se repete.

    É a enfadonha guerra de caciques e pajés de Pindorama.

    Mas não deixa de ser divertido.

  27. Um provável futuro governo

    Um provável futuro governo Marina vai se distinguir dos governos Collor e Jânio porque, desta vez, ela conseguirá a governabilidade. Como? Governando com o PSDB. Os tucanos e seus aliados de sempre (mercado financeiro, bancos, grande imprensa, Fiesp, etc) já estão de olho no governo Marina. E se alinhando a ela. Marina será o novo Itamar, e não o novo Collor ou o novo Jânio.

  28. Diogo e AA, um pela esquerda

    Diogo e AA, um pela esquerda e outro pela direita, correndo contra o tempo para explicar o “engima Marina”, para os coxinhas dispersos.

    Enquanto isso, o Argolo, tão inteligente como os dois, está tentando entendê-la pela leitura do programa de governo do PSB (?) O papel aceita tudo, meu caro Argolo

  29. Marina como personalidade

    Marina como personalidade política não tem nada a ver com o Collor, pois se trata de uma pessoa bem intencionada e honesta, mas sua base macro-política sim é um problema, o PSB é um partido sem representação significativa no Congresso, seus membros são inexpressivos em termos de liderança política e não vejo figuras de relevo em seu entorno para costurar alianças e apoio no parlamento e as coisas ficam mais complicadas ainda quando ela apresenta esse discurso do privilégio das virtudes pessoais, esse papo de governar com os bons, desconsiderando que na democracia representativa as instituições são superiores aos indivíduos por mais que os indivíduos tenham influência sobre grupos, o Congresso Nacional é mais que fulano e beltrano, é uma pluralidade de cabeças todas se achando em condições de exigir contrapartidas supostamente respaldados pelos seus eleitores.

    Sabe-se que o PT, se perder a eleição, imediatamente irá para oposição, não será linha auxiliar, correndo o risco de se transformar em um arremedo de partido político, não se prestará a ser um parceiro sem poder do governo de M. Silba, o PSDB se não quiser desaparcer não poderá ser apenas um apêndice do PSB, resta o PMDB que será o fiel da balalança, mas com a peculiaridade de ser um partido de grupos regionais, dividido e sem um lidernaça que imponha vinculação automática a um projeto de apoio global ao eventual governo.

    O que incomoda nesse grupo Marina/PSB é a falta de quadros com penetração no tecido social, a falta de propostas relevantes e claras para os desafios do país, a ausência de inteligência política, a mediocridade completa de seus interlocutores, a âncora intelectual, inacreditável, em uma tal de Neca Setúbal que tem se apresentado como fiadora da candidata no mundo capitalista e financeiro, uma figura aparentemente oportunista e pouco expressiva em termos de respaldo social querendo falar aos cotovelos, dando lições, fechando a cara e distribuindo manuais, falando de  autonomia do BC sem avaliar o quanto será dificil em termos políticos uma matéria como esta.

     

     

  30. Finalmente, onde diabo o

    Finalmente, onde diabo o messianismo desse senhora vai sentar praça e acomodar o facho? Foi católica apostólica romana militando na Igreja ligada aos movimentos sociais. Posteriormente se torna evangélica. Parece que foi Deputada pelo PT. Depois, Senadora. Ministra do Meio Ambiente, já no governo Lula quando se torna feroz defensora das pererecas e dos locais de acasalamento dos bagres. Luta que por muito pouco não inviabiliza a construção de importantes  Hidrelétricas.

    Sai do Ministério e do PT, ao perceber a queda de asa do Lula pela indicação de sua Ministra Dilma como candidata do PT.  Preterida em seu sonho oculto, Ingressa no PV, reforçando sua imagem de verdosa defensora da vegetação, dos bichos que andam, rastejam e trepam em árvores, cavam buracos etc., das aves que voam nos ares, e dos peixes que nadam e mergulham nos rios, lagos e mares. No princípio, sua verdadeira intenção não veio a lume. Faz boa figuração como cunha das oposições nas eleições presidências, cumprindo satisfatoriamente a encomenda, levar ao segundo turno a candidata do governo.

    Satisfeita, se equilibra em riba do muro. Oportunismo é o que não escapa nos atos dessa turma. No II turno, não apoia ninguém(?). Claro! Ela apoia, ela mesma. Tanto que perguntada porquê não embarcou no jatinho que matou o Eduardo Campos, como era o programado, responde: “foi Deus que não permitiu, Ele tinha outros planos para mim e para o Brasil” (sic).

    Antes de desembarcar no partido do Dudu, havia rompido com o PV. Em seguida, tentou emplacar um partido próprio, fracassou. Na criação do partido sem nome de partido. Este, se  chamaria Rede. Engraçado, só abrindo um parêntese aqui, dá licença:

    Já notaram? A senhora Marina sempre tem algo oculto, algo dentro do armário. No caso do partido próprio, o nome verdadeiro da coisa foi excluído, afundado. No lugar, emerge uma enigmática Rede. Seria uma teia pra capturar incautos? Que diabo de mistério leva um político a negar a razão da sua militância, de sua existência? Sempre negando, escorregando a tergiversar, demonizando a política. Quando muito, distorcendo tudo, com um escorregadio digamos, placebo (do latim placere, significando “agradarei”)  “nova forma de fazer política”…

    Mas como?  Ignorância! Não pode ser. A moça é sonsa, todavia, muito esperta. Mas… convenhamos, vamos falar sério gente. Que diabo a Marina deseja esconder por trás desse biombo tão surrado?

    Lá atrás, anda corriam os anos 50. E, numa dessas recorrentes tempestades de falso-moralismo, se destaca um jornalista, ex-comunista, daqueles que ao apodrecer mergulham na direita hidrófoba, de nome Carlos Lacerda, inveterado falastrão ligado a UDN. Era um cabra que fazia também política nova. Na verdade, um salafrário golpista. De tão competente na retórica agressiva e ferina. Que até hoje, encontramos vexadas viúvas do demagogo cretino.

    Outros merdas nas quadras seguintes, também diziam fazer política nova: Jânio Quadros, Collor de Mello. Até Eduardo Campos me veio com essa lorota. Ainda antes da cerimônia de 30 dias de suas exéquias, no entanto, já começa a surgir, aos poucos, detritos e destroços da forma nova de fazer política desses noviços negadores da POLÌTICA.  

    Não acho que Marina, Aécio e seus parceiros pratiquem atos abomináveis. Seria estúpido de minha parte, que tenho lado e voto no PT, partido que, como todos os demais utilizam das ferramentas sujas de merda disponível  na democracia capitalista em que labutamos. Acho, que cabe sim, aos políticos e aos partidos, remover a merda que interfere na governabilidade.  E entendo, que isso vem ocorrendo sim, sobretudo no governo atual, desde Lula. Repudio a postura hipócrita e moralistas dos políticos, jornalistas, clérigos, doutores, operários, cristãos, ateus e o diabo, que constroem um discurso para tentar jogar todas as mazelas e práticas de corrupção, como ação exclusiva do universo da política.

    Orlando

     

     

  31. Atentem pois os abutres estão perto…….

    “Cabe àqueles que tem um mínimo de conhecimento histórico, impedir que o Brasil de 2014 caia novamente numa aventura da extrema direita.”

    Não sei a que o articulista se refere quando diz o acima, se para o eleitorado, ou os  distos formadores de opinião, com o poder de influenciar os vatantes!

    Contudo, mesmo concordando com a grande farsa armada com a candidatura da Marina, conforme cita, vejo que se o governo, com sua maquina, os militantes de seu partido, o grande cabo eleitoral Lula, não forem competentes para impedir esta aberração articulada pela direita. eu digo!

    Merecemos ir todos para o buraco, e o mais fundo possível, pois se durante estes 12 anos de governos, não formos capazes de impedir isto, que venha a hecatombe e todos, mercedida ou imerecidamente se explodam!!!!

    Estou cansado, muito cansado para sequer vislumbrar o que pode vir a se tornar o Brasil, caso esta figura, seja bem sucedida. e olha que não falo somente pelos sanguessugas nacionais, mais pelos que estão de bocas abertas para engolirem, nossos recursos naturais,  como sempre fizeram!!!

    Pensen nisto!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

     

  32. boa diogo, foi no ponto

    boa diogo, foi no ponto essencial.

    nada de aghressções à pessoa da marina, mas

    tb acho que o problema dela é a falta de apoio político da relidade política do brasil e não de apoios celestiais.

    lula até agradeceu por não ter sido eleito em 89  porque sabia que à época não tinha apoio suficiente para fazer pelo menos um pouco do que poderia fazer.

    mas na minha opinião dilma vencerá essas eleições e afastará essa possibilidade aventureira  da marina e seus cavaleiros do apocalipse.  

    • Nada melhor que o tempo …
      Nada melhor que o tempo … ele , o tempo , é o SENHOR de todas as verdades !
      O que escreverias hoje ?
      Casualmente passei pela postagem ,li e percebi o quanto é possivel errar … ninguém , mais do que O TEMPO , nos da lições de oportunidade de nos auto-avaliar !
      2019 teremos um “NOVO MESSIAS” tipo Jânio Quadros e Fernando Collor … talves a grande diferenca seja que ESTE É MESSIAS no nome mesmo ! Vamos aguardar para ver no que vai dar !
      Deus salve o Brasil ! o Chile deu exemplo de como é possivel sair do fundo do ABISMO !
      Abraço.

  33. Filho da ditadura, guerrilhero…

    Tá!!!!!…o Comunismo no Brasil arrebentado, Jânio genial, tenta limpar a corrupção no Brasil, os políticos do congresso nacional vende o país no State, Gordon vem para o país e arma a ditadura….Forças o cultas depoem Jânio, tudo bem e a corrupção na esquerda?????

  34. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome