Geddel Vieira Lima, o boca de jacaré, por Bernardo Mello Franco

 
Jornal GGN – Em sua coluna de hoje na Folha de S. Paulo, Bernardo Mello Franco analisa o esquema investigado pela Polícia Federal na Operação Cui Bono?. Segundo a PF, Geddel está envolvido em fraudes na liberação de empréstimos do FI-FGTS, em investigação que teve início em provas colhidas no celular do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
 
Bernardo ressalta que Cunha, Geddel e Eliseu Padilha são antigos aliados de Temer, e que há indícios de ligações do presidente com o esquema na Caixa. Com a perda do foro privilegiado, Geddel fica mais perta da fila das delações. “Quem conhece o jacaré sabe o estrago que sua boca pode causar”, diz o colunista.

 
 
Leia mais abaixo: 
 
Enviado por romério rômulo
 
Da Folha
 
 
Bernardo Mello Franco
 
Numa mensagem interceptada pela Polícia Federal, o doleiro Lúcio Funaro chama Geddel Vieira Lima de “boca de jacaré”. É uma referência à gula que, de acordo com ele, o ex-ministro demonstrava nas negociações para liberar empréstimos da Caixa. “Esse cara acha que eu tenho uma impressora”, reclama. Uma impressora de dinheiro, claro.

Na sexta-feira 13, a PF fez buscas em dois endereços de Geddel na Bahia. Os investigadores suspeitam que o ex-ministro beneficiou empresas e traficou informações sigilosas em troca de propina. Ele é acusado de integrar uma “quadrilha” com o ex-deputado Eduardo Cunha.

Geddel e Cunha são velhos integrantes do PMDB da Câmara. No segundo volume dos “Diários da Presidência”, Fernando Henrique Cardoso reclama do apetite do grupo para devorar nacos da máquina federal. Ele conta que Geddel ameaçou retaliar o governo se o aliado Eliseu Padilha não fosse promovido a ministro. “Não vou nomear Eliseu Padilha nenhum, porque esta pressão está cheirando mal”, anotou FHC, em abril de 1997. No mês seguinte, Padilha virou ministro dos Transportes.

Geddel, Cunha e Padilha são velhos aliados de Michel Temer. Os peemedebistas continuaram a trocar apoio por cargos nos governos petistas. Com o impeachment, passaram a mandar sem intermediários.

Leia também:  Rápidas linhas sobre as eleições municipais de 2020, por Gilberto Maringoni

Depois da batida na casa de Geddel, o Planalto tentou disseminar a versão de que Temer estaria “aliviado”. O presidente não teria motivos para se preocupar, já que o aliado deixou de ser ministro.

Ao menos dois fatos sugerem que o discurso tem pouca conexão com a realidade. O relatório da PF vincula Roberto Derziê, ligado a Temer, a uma operação suspeita de R$ 50 milhões na Caixa. Em dezembro, o presidente assinou sua nomeação para a cúpula do banco. Sem foro privilegiado, o falante Geddel também ficou mais próximo da fila das delações. Quem conhece o jacaré sabe o estrago que sua boca pode causar.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Matérias da folha golpista da

    Matérias da folha golpista da família Frias, ligados a gang fascista ditadora que no poder de 1964 até 1985 e agora em 2016, pagam para jornalistas mercenários golpistas chegarem a tocar de leve no fernando henrique cardoso, mas somente para incriminarem personagens menores SEUS ALIADOS ATÉ HOJE. fernando henrique cardoso, pioneiro na corrupção na Petrobrás, nas privatizações conhecidas como privataria demotucana, nos mensalões e enfim, pioneiro na roubalheira dos cofres públicos, quando “presidente” reclamava do apetite dos boca de jacaré seus aliados! Observem, que em abril de 1997, fhc (distribuidor de cargos propinados que comprou sua reeleição pagando R$ 5.000.000,00, corrigidos, para parlamentares aliados demopeemedebistas) reclamou da pressão para promover a ministro o seu compadre padilha em detrimento de seus chegados demotucanos mas no mês seguinte promoveu-o a ministro dos transportes. Por serem pioneiros na roubalheira, por insistirem diáriamente até hoje em pendurar definitivamente o esquemão deles no pescoço do Lula, suas blindagens e imunidades / impunidades deixam claro que o país está nas mãos de uma máfia gigante, talvez a maior do planeta, com o comando do fhc clinton e seus demotucanos peemedebistas amestrados infiltrados em grande quantidade nos 3 poderes e todas as instâncias a níveis federais, estaduais e municipais, bem como nos crimes organizados, inclusive do abominável e hediondo narcotráfico. Nós queremos os nossos votos de volta! Queremos a anulação do impechment. Queremos a devolução dos nossos sonhos democráticos! Filhosdasputas nenhum são mais do que nós para roubarem os nossos votos, principalmente éssa gangue de bandidos ordinários de última qualidade!

  2. Vai delatar nada…

    Diziam que Cunha iria delatar pra evitar a prisão, que se fosse cassado iria delatar. Está cassado há quatro meses e preso há três, e nem sinal de delatar. Com o Geddel dá-se o mesmo, o cara saiu do Governo mas mantém a sua equipe e sua influência intactas, para quê vai delatar e perder a carta na manga?

    Lembrem-se que na Máfia impera a Omertà… 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome