Lebre que Mia, por Nicole Sigaud

O que se pode ver, até o presente momento, é que a guinada à direita foi uma orientação ideológica de proporções bilionárias

Lebre que Mia, por Nicole Sigaud

INTRODUÇÃO

Esta pesquisa foi feita exclusivamente em sistema de OSINT (Open Source Intelligence), sem qualquer outro tipo de informação, na esperança de que o que foi aqui coletado possa, de alguma forma, ajudar eventuais jornalistas ou leitores a se informarem melhor sobre a ingerência americana sobre a América do Sul via CIA. A pesquisa iniciou-se quando vi pela primeira vez o sítio da International Socialist Organization, por engano, enquanto procurava pela Socialist International. A partir de rápida visualização da logomarca da ISO, reconheci de imediato a semelhança com a logo da OTPOR e de alguns movimentos ligados à Primavera Árabe e a alguns grupos de Black Blocs que atuaram no Brasil durante o ano de 2013, o que me levou a procurar com mais profundidade o porquê dessa semelhança incômoda. O que foi descoberto foi uma rede de desorientação deliberada nos movimentos e pessoas interessadas em pautas da esquerda, com muito dinheiro circulando a partir de organizações governamentais, de pretensa ajuda humanitária e de mega-corporações.  A preocupação então passou a ser da conexão dessa rede com partidos ou mesmo ONGs cuja reputação fosse até então livre de qualquer suspeita, como o que aconteceu com a Green Peace, em relação à Rockefeller Brothers Fund[1].

Com conexões feitas a partir dos próprios sítios, incluindo prestação de contas a acionistas, pode-se ver que existe uma rede muito bem orientada de capital circulando, inclusive dentro do Brasil, entre organizações de atuação obscura, mas de discurso (extravagantemente parecidos, todos eles) pró-democracia, direitos humanos etc. Um pequeno exemplo disso é a quantia de $50,000 dada pela Rockfeller Brothers Fund para a IBASE, sediada no Rio de Janeiro. O arquivo de suporte visual desta pesquisa, em PDF, mostra os fluxos financeiros entre empresas, fundações e organizações governamentais americanas, incluindo algumas anotações acessíveis por ‘click’ na figura.

O caráter pernicioso de algumas fundações mantidas por milionários é relativamente conhecido pelos jornalistas, como a Fundação Ford. O que se pode ver, até o presente momento, é que a guinada à direita foi uma orientação ideológica de proporções bilionárias, que pode e deve ser exposta da melhor maneira possível ao público. Isso implica, inclusive, em acusações diretas à Operação Lava-Jato e sua ligação umbilical ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Esta pesquisa não é exaustiva e não tem o alinhavo textual que um jornalista poderia fazer; a intenção aqui é de fornecer caminhos e dados para pesquisas mais profundas, somente.

HISTÓRICO

O grupo International Socialist Organization (ISO)[2] é um grupo que surgiu em 1969 como International Socialist (IS), segundo o livro Socialism From Below in the United States[3], de Milton Fisk. Essa organização, inicialmente de tendência legitimamente esquerdista, foi-se aproximando do grupo OTPOR!, fundado em 1998 por Srdja Popovic, da Sérvia. O grupo OTPOR! fez parte da queda do presidente sérvio Slobodan Milosevic e, segundo o jornal Workers’ Hammer nº 175, página 5[4], houve um nítido desconforto em relação ao fato desse grupo ser patrocinado por entidades americanas (por volta de 60 milhões de dólares à época).

Havia desde os anos 70 uma íntima relação entre grupos nacionalistas iugoslavos/sérvios/croatas com agências internacionais, sendo o FBI o mais relevante. Um grupo com a palavra “otpor” (resistência) em seu nome nasceu após a Segunda Guerra, sendo então chamado Croatian National Resistance (Hrvatski narodni otpor, HNO), ou Croatian Resistance Movement (segundo o documento liberado pelo FBI). Dentre os membros desse grupo, vários eram acusados de crimes de guerra perpetrados durante a Segunda Guerra, como Dinko Sakic e Ante Pavelic. Este grupo figura no Global Terrorism Database (GTD), sendo autor de ataques terroristas em solo estadunidense (contra Anthony Cikoja em 28/09/1978, contra Daniel Nikolic em 04/10/1978 e contra Krizan Brkic em 22/11/1978, dentre outros ataques com livros-bomba). Nos arquivos do congresso americano existe um conjunto de memorandos explicitamente mencionando a interferência da operação do FBI, COINTELPRO (COunter INTELligence PROgram), na política iugoslava, datando de 25 de fevereiro de 1970.

Oficialmente, a operação COINTELPRO foi terminada após sua exposição pública em 1971. No entanto, várias outras operações de mesmo teor ocorreram não somente pelas mãos do FBI, mas principalmente da CIA dentro da Iugoslávia, como a Operação Istina[5] e outras[6]. O FBI ocupou-se então de grupos domésticos potencialmente subversivos, como o Socialist Workers Party (SWP) de 1961 a 1971[7] e até de grupos feministas ou negros. Após sua exposição, vários indivíduos e grupos ativistas começaram a tomar precauções a respeito de infiltrações e sabotagens internas, como mostra o livro War At Home, de Brian Glick[8], levando em consideração que esse tipo de operação tem inúmeros tentáculos e consequências sociopolíticas[9].

1. DOSSIER OTPOR!

Organização[10] criada em 1998, com o suporte da organização americana National Endowment for Democracy[11] e do milionário George Soros, organizou numerosas revoltas violentas ou não ao redor do mundo, dentro de países politicamente opostos aos Estados Unidos. É geralmente considerada como um dos atores mais relevantes para a queda do regime de Slobodan Milosevic[12].

Leia também:  O envenenamento da política cobra seu preço, por Henrique Matthiesen

“Srdja Popovic, líder e fundador da Otpor![13] – o grupo que organizou a revolução “colorida” na Sérvia – e do CANVAS – grupo que ainda se dedica a treinar activistas em todo o mundo com vista à montagem de revoluciones coloridas– foi, tal como a sua esposa, empregado da Stratfor, a companhia (compania-Br) privada americana de serviços de inteligência.

Após o seu estudo dos emails de Stratfor revelados pelo Wikileaks, e tendo verificado os factos com os interessados, os investigadores Carl Gibson e Steve Horn estimam que Srdja Popovic entregou à Stratfor a sua agenda de direções e também cópias de seus correios electrónicos ao arrepio da autorização das pessoas que se comunicavam com ele por essa via. A firma, com sede no Texas (Estados Unidos), pode assim entrar em contacto com todo o tipo de organizações militantes e espiá-las para prevenir os seus clientes –importantes empresas transnacionais– sobre operações que poderiam estar em preparação contra elas.

Srdja Popovic também trabalhou como conselheiro de Stratfor e preparou para ela um plano de derrube do presidente da Venezuela Hugo Chávez. Otpor! e CANVAS são associações, classificadas como «não violentas», que contam com o respaldo da OTAN para o derrube de governos como meio de propiciar a chegada ao poder de equipas de governo previamente montadas pela CIA[14].”

“Exposed: Globally Renowned Activist Collaborated With Intelligence Firm Stratfor” (inglês- “Revelação: Activista globalmente conhecido colaborou com firma de Inteligência Stratfor-ndT), por Carl Gibson e Steve Horn, Occupy.com, 2 de Dezembro de 2013.

Tradução Alva”[15]

Memorando mostrando a conexão da OTPOR da década de 70 com a operação COINTELPRO:

https://ia800408.us.archive.org/15/items/COINTELPROYugoslavia/35924692-Yugoslav-COINTELPRO-Files.pdf  – pg 115

Aportes financeiros

O grupo OTPOR! Jamais escondeu que uma parte do dinheiro obtido tivesse origem nos EUA. Igualmente, teve relações estreitas com entidades como a International Republican Institute[16] (IRI), uma das fachadas da CIA[17], ou a Freedom House[18], cujo presidente, James Woolsey[19], foi diretor da CIA entre 1993 e 1995.

Relações com Juan Guaidó e tentativas de golpe na Venezuela

Informação dada pelo embaixador da Venezuela na Rússia, Carlos Rafael Faria Tortosa:

“É isso o que a mídia americana está dizendo, enquanto os russos estão reportando que o auto-intitulado líder foi recrutado por Washington há uns dez anos, e ele não é nada senão um marionete dos EUA.”

“Em novembro de 2010, de acordo com emails obtidos pelo serviço de segurança venezuelano, Guaidó e vários outros estudantes ativistas compareceram a um treinamento secreto de cinco dias no hotel ‘Fiesta Mexicana’, no México. As sessões eram dadas pela OTPOR, os treinadores de mudança de regime protegidos pelo governo dos EUA. Os encontros tiveram as bênçãos de Otto Reich, um cubano anti-Castro fanático em exílio que trabalha no Departamento de Estado de George W. Bush, e do ex-presidente de extrema-direita da Colômbia, Alvaro Uribe”, disse.

O artigo diz que a OTPOR foi formada por um grupo de estudantes de Belgrado para acabar com o regime de Slobodan Milosevic, e que “as crianças que lideravam o grupo, depois da queda de Milosevic, vestiram-se com ternos e criaram a organização CANVAS. Eles ainda são financiados pelos Estados Unidos e viajam pelo mundo numa tentativa de acabar com ditadores e autocratas, i.e., aqueles que os EUA não gostam.”

O embaixador venezuelano acrescentou que os americanos achavam que Guaidó estava “pronto para a ação” – mas ele na verdade não está.

“Ele é só um marionete, ele foi colocado lá pelos estados Unidos para ficarem por trás dele e falarem. O conceito de um presidente interino não existe na Constituição venezuelana, Guaidó e os aliados americanos querem somente enganar o público internacional,” Tortosa frisou.”[20] [21] [22] [23] [24] [25] [26]

2. DOSSIER CANVAS

O domínio www.canvasopedia.org foi registrado em 26 de novembro de 2004 pela empresa Orion telekom d.o.o., cujo CEO é Slobodan Djinovic, o qual, além de passar aportes financeiros para o CANVAS, também é seu diretor. O grupo Orion Telekom é da Sérvia, berço da OTPOR!.

Aportes financeiros

Além do dinheiro vindo de Djinovic, o CANVAS também recebe fundos da Albert Einstein Institution[27]. Segundo o próprio site, a AEI é uma organização sem fins lucrativos fundada pelo Dr. Gene Sharp em 1983 para o avanço nos estudos de estratégias de ação não-violentas em conflitos no mundo.

Outras instituições são citadas, como:

The Article 20 Network[28] (“defends and advances the human right to freedom of peaceful assembly worldwide. Through education, advocacy, research and legal services, the Article 20 Network encourages the proliferation of public demonstrations and fights back against obstacles and threats to our human right to peacefully assemble.”),

New Tactics[29] (“is a program of Center for Victims of Torture that helps human rights defenders work more effectively so they can achieve their goals and better address human rights violations around the world, through the use of diverse tactics and strategies.”),

Leia também:  Repensar a política de Segurança Pública é necessário e urgente, por Paula Nunes

Humanity in Action[30] (“is an international educational organization that educates, supports and connect a global network of students, young professionals and established leaders committed to promoting human rights, diversity and active citizenship.”),

Partners Global[31] (“Partners for Democratic Change is a global network of professionals who wish to bring about a world where people work together peacefully to bring about change. The network serves to support local leaders and “create partnerships that transform conflict, strengthen democratic institutions, and achieve sustainable development.””),

IREX[32] (“is a global development and education organization. We strive for a more just, prosperous, and inclusive world. We work with partners in more than 100 countries in four areas essential to progress: cultivating leaders, empowering youth, strengthening institutions, and increasing access to quality education and information.”),

Project Shield[33] (“is a free service that uses Google technology to protect news sites and free expression from DDoS attacks on the web.”) e

Build A Movement[34] (“BAM is a nonprofit, nongovernmental organization based in Washington, D.C. BAM is committed to teaching and training activists, students, scholars and policy-makers to the methods and strategies of nonviolent action to promote democratization, human rights and social change.”).

Presença na Wikileaks

Email de Marko Papic, um contato da empresa de inteligência geopolítica Stratfor dentro do grupo CANVAS, para Fred Burton, diretor de segurança da Stratfor e um dos maiores especialistas em segurança, terrorismo e organizações terroristas[35]:

“From: Marko Papic [mailto:[email protected]]

Sent: Tuesday, February 02, 2010 5:15 PM

To: Fred Burton

Subject: Re: INSIGHT – VENEZUELA: CANVAS analysis

CANVAS is basically the same as OTPOR. 

OTPOR (means resistance) were a group of students from Belgrade who took down Milosevic. They were tangentially connected to U.S funding sources like NED, Freedom House and the Albert Einstein Institute and, through them, the U.S. Agency for International Development and the U.S. Department of State. BUT, the US funding sources more lached on to them after realizing their potency than other way around. 

After they toppled Milosevic, the kids who ran OTPOR grew up, got suits and designed CANVAS – Center for Applied Non-Violent Action and Strategies… or in other words a “export-a-revolution” group that sowed the seeds for a NUMBER of color revolutions. (they even have a website: http://www.canvasopedia.org/) They are still hooked into U.S. funding and basically go around the world trying to topple dictators and autocratic governments (ones that U.S. does not like 😉 

I hooked into them in late 2007 and they have been feeding us intel on Venezuela, Georgia, Serbia, etc. Meredith expressed interest and so I arranged a meeting between CANVAS main guy (Srdjan Popovic) and George/Meredith in Denver around spring 2008. The meeting went well, George invited them to come talk to the analysts on how they run revolutions. They have accepted and I am gaming out when to bring them over here to Austin.”

Outras referências na Wikileaks e alguns exemplos:

Existem várias referências aos grupos OTPOR! e CANVAS em páginas da Wikileaks, referentes aos macro-assuntos: Clinton Emails, Global Intelligence Files, Plusd, Cablegate, Syria Files, Berat’s Box, Carter Cables 2, Hacking Team e Hacking Team Emails. Em fevereiro de 2012 a Wikileaks iniciou a publicação do conjunto de arquivos denominado The Global Intelligence Files, contendo mais de cinco milhões de emails da empresa Stratfor. Essa correspondência data de julho de 2004 a dezembro de 2011, mostrando o trabalho interno de uma companhia que provêm serviços de inteligência a grandes corporações, como a Dow Chemical Co., Lockheed Martin e outras, incluindo o US Department of Homeland Security, US Marines e US Defense Intelligence Agency. Esses emails vazados pela Wikileaks mostram a rede de informantes, estrutura de pagamentos, lavagem de subornos e métodos psicológicos, além de ligações indiretas com Goldman Sach e o Partido Republicano dos EUA[36].

Em um email liberado pela Wikileaks, no endereço https://search.wikileaks.org/gifiles/?viewemailid=1751248, Scott Stewart, da Stratfor, refere-se a Marko Papic – um contato dentro do grupo CANVAS – em um email para seu grupo:

“Hi team,

I wanted to provide a little guidance on how we are going to work with our contact at CANVAS going forward, given that he now has several contacts inside Stratfor.

First, let’s remember that his main utility is his ability to connect us to some of the troublemakers he is in touch with around the world, and that his own ability to discern situation on the ground may be limited. As he told us, he generally has initial contact with an organizer and then lets them do their own thing. He may himself have information that may be useful from time to time, but the main idea here is to use him to gather a network of contacts that we can then contact independently.

Because of this, and the fact that he has contacts all over the world, Marko will not serve as the only point of contact. Each regional analyst can contact the source on their own. If you are interested in talking to him and you don’t have his information, please contact Marko directly.

However, while multiple analysts are permitted to talk to this source, I want to use a single code for all reports from him. I don’t want every analyst to assign a different code and cause a storm of confusion. We will use Marko’s code: SR501.

If you have any questions, please let me know.”

Tradução:

Leia também:  Caso Banestado 2. Conversa incompleta com o delegado Castilho, por Armando Coelho Neto

“Olá, grupo,

Quero dar um pequeno guia de como iremos trabalhar com o nosso contato no CANVAS, já que ele agora tem diversos contatos dentro da Stratfor.

Primeiro, vamos nos lembrar que a utilidade desse homem é sua habilidade de nos conectar com alguns dos geradores de problemas com os quais ele tem contato pelo mundo afora, e que sua habilidade de discernir situações pode ser limitada. Como ele nos disse, ele geralmente tem o contato inicial com um organizador e então deixa-os fazer suas próprias coisas. Ele pode ter informações sobre o que pode ser útil de vez em quando, mas a ideia principal aqui é usá-lo para conseguir uma rede de contatos que possamos contactar de forma independente.

Por causa disso, e o fato de que ele tem contatos no mundo todo, Marko não vai servir como o único ponto de contato. Cada analista regional pode contactar a fonte sozinho. Se estiverem interessados em falar com ele e vocês não têm sua informação, contactem Marko diretamente.

No entanto, enquanto vários analistas podem falar com sua fonte, eu quero que usem um código único para todos os relatórios a partir dele. Não quero que cada analista dê um código diferente e cause uma grande confusão. Vamos usar o código do Marko: SR501.

Se tiverem qualquer dúvida, me comuniquem.”

3. DOSSIER INTERNATIONAL SOCIALIST ORGANIZATION

Domínio da International Socialist Organization, registrado em 1997 no endereço https://www.internationalsocialist.org/ , pela Gandi SAS[37] através do grupo CANVAS[38] (Centre for Applied Nonviolent Action and Strategies) e hospedado junto à empresa Cloudflare[39]. Segundo o próprio sítio, esse grupo coordena ou apoia outros cinco grupos: We Are Many, Socialism Conference, IS Review, Hay Market Books e Socialist Worker[40].

 

O site verdadeiro da Internacional Socialista, no endereço https://www.socialistinternational.org/ E aqui a logo da International Socialist Tendency, cujo endereço é potencialmente uma fonte de erro, no endereço http://internationalsocialists.org/wordpress/

 

O grupo ISO mantém, ramificações em diversos locais dos estados Unidos, como mostra a imagem abaixo, retirada do próprio sítio. Essa informação é dada para aqueles que se dispõem a fazer parte do grupo. Igualmente, fornecem a candidatos um arquivo, chamado Members’ Toolkit[41], que se propõe a ser uma cartilha de como agir perante a organização, formar ramificações e fazer doações de acordo com os ganhos mensais familiares.  Além desse arquivo, existem vários outros para a confecção de cartazes, cânticos etc. Outras informações estão no arquivo de apoio visual desta pesquisa.

[1] https://cadizenlucha.wordpress.com/2014/02/13/destripando-a-greenpeace-la-gran-estafa-de-esta-ong-internacional/ , dia 08/03/2019

[2] Sítio da organização: https://www.internationalsocialist.org

[3] Em http://www.marxists.de/trotism/fisk/ch6.htm

[4] Em https://www.marxists.org/history/etol/newspape/workershammer-uk/175_2000-2001_winter_workers-hammer.pdf

[5] http://www.ebritic.com/?p=551270

[6] https://www.cia.gov/library/readingroom/search/site/Yugoslavia%20Serbia%20Bosnia%20Croatia ; https://www.kla.tv/7811

[7] https://archive.org/details/FBI-COINTELPRO-Socialist-Workers-Party ; https://vault.fbi.gov/cointel-pro/socialist-workers-party/

[8] https://archive.org/details/War_At_Home/page/n1?q=cointelpro

[9] Outras referências:

https://en.wikipedia.org/wiki/Croatian_National_Resistance

https://en.wikipedia.org/wiki/History_of_the_socialist_movement_in_the_United_States

https://en.wikipedia.org/wiki/COINTELPRO

https://vault.fbi.gov/solo

https://www.academia.edu/4180780/The_Rise_and_Disappearance_of_Otpor_Dragana_Mrvos

https://ia800408.us.archive.org/15/items/COINTELPROYugoslavia/35924692-Yugoslav-COINTELPRO-Files.pdf – cf.pg. 115

[10] Atualmente o sítio não existe mais a não ser na memória da Internet: http://archive.wikiwix.com/cache/?url=http%3A%2F%2Fwww.otpor.com%2F

[11] https://www.ned.org/, cuja fundação se deu em 1983 sob a presidência de Ronald Reagan. É uma fundação sem fins lucrativos, cujo objetivo alegado é o de reforço às instituições democráticas do mundo.

[12] https://fr.wikipedia.org/wiki/Otpor

[13] Popovic, também é citado no artigo http://www.occupy.com/article/exposed-globally-renowned-activist-collaborated-intelligence-firm-stratfor#sthash.NgCmzCun.dpbs , mostrando suas ligações com a Stratfor.

[14] «La Albert Einstein Institution: no violencia según la CIA», por Thierry Meyssan, Rede Voltaire, 10 de Fevereiro de 2005.

[15] Encontrado em https://www.voltairenet.org/article181405.html , em 09/03/2019

[16] https://www.iri.org/

[17] https://archives.globalresearch.ca/articles/MOW502A.html

[18] https://freedomhouse.org/

[19] https://en.wikipedia.org/wiki/R._James_Woolsey_Jr.

[20] Encontrado em https://www.b92.net/eng/news/world.php?yyyy=2019&mm=02&dd=13&nav_id=106201 09/03/2019

[21] https://dailystormer.name/venezuelan-ambassador-spills-the-beans-on-guido-fake-presidents-cia-training/

[22] Nota da Stratfor: https://worldview.stratfor.com/article/venezuela-marigold-revolution

[23] Falando do Guaidó e de um terrorista: https://www.telesurenglish.net/analysis/Who-is-Venezuelan-Terror-Plotter-Lorent-Saleh-Four-Former-Latin-American-Presidents-Just-Might-Know-20140924-0071.html

[24] Nomes de outros que foram ter aulas com o CANVAS/OTPOR: https://thegrayzone.com/2019/01/29/the-making-of-juan-guaido-how-the-us-regime-change-laboratory-created-venezuelas-coup-leader/

[25] https://operamundi.uol.com.br/politica-e-economia/54758/a-invencao-de-juan-guaido-como-o-laboratorio-de-mudanca-de-regime-dos-eua-criou-o-lider-do-golpe-de-estado-na-venezuela

[26] https://www.brasildefato.com.br/2019/02/04/a-invencao-de-guaido-como-os-eua-criaram-o-lider-do-golpe-de-estado-na-venezuela/

[27] https://www.aeinstein.org/

[28] https://a20n.org/

[29] https://www.newtactics.org/

[30] http://www.humanityinaction.org/

[31] http://www.partnersglobal.org/

[32] https://www.irex.org/

[33] https://projectshield.withgoogle.com/public/

[34] http://buildamovement.org/

[35] https://wikileaks.org/gifiles/docs/17/1713359_re-insight-venezuela-canvas-analysis-.html

[36] Encontrado em https://wikileaks.org/gifiles/docs/17/1792423_information-on-canvas-.html, 09/03/2019. Arquivo anexo:  https://wikileaks.org/gifiles/attach/126/126766_Info%20on%20CANVAS.doc

[37] https://www.whois.com/whois/internationalsocialist.org Last update of WHOIS database: 2019-03-08T20:30:33Z

[38] Em https://www.canvasopedia.org

[39] Fonte: WHOIS database em 2019-03-08.

[40] Endereços: wearemany.org, socialismconference.org, isreview.org, haymarketbooks.org e socialistworker.org, respectivamente.

[41] https://www.internationalsocialist.org/wp-content/uploads/2017/11/2012-02-iso-members-toolkit.pdf

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora