Muito obrigado, Guido Mantega

Por Jose Renato O. Sampaio Lima

Eu sou mais você, Guido, e sua politica econômica, de sucesso, que visava o desenvolvimento do país. Durante sua gestão, não tivemos nenhuma crise econômica, conforme os números apresentados. Mas essa sua boa conduta no governo era um problema para a oposição e golpistas. Você tinha que sair para a volta da farra do ganho fácil e para a tomada do pré-sal da Petrobras.

Veja, Levy e Tombini, em um único mês, fizeram do país grande picadeiro. Levy na função de animador do circo, com piadas e deboches de você e da própria Dilma. Programa “Somebody love – A volta das viúvas de FHC”. Por isso estão apoiados pela mídia nacional e inglesa.

Se fosse Itamar Presidente, a sua cabeça, Guido, jamais seria entregue em uma bandeja a pedido dos inimigos do Brasil.

Nós, os eleitores democraticamente vencedores, junto com você e com os sindicalistas, também recebemos um Não em 2015. Fomos despejados do governo. O programa do PT morreu. Paramos de sonhar e visualizamos o risco da volta da elite que dilapidadou o país desde a proclamação da República.

Os indicadores macroeconômicos do Brasil são positivos durante o seu período de anos de governo, e comparado com PSDB do período Fraga foram excelentes. Idem se comparados com EUA e Europa. Assim, a intolerância contra você está longe se ser natural ou gratuita.

Sabemos, austeridade fiscal não combina com medidas econômicas de saída de recessões e nunca foi adotada nos períodos anteriores de recuperação econômica.

Você sabe, Ministro da Fazenda e do BACEN louvado por banqueiros e com aprovação do FMI,  americanos, Europa, da elite, somente se trabalhando contra a nação brasileira e focado em campanha de liquidação de patrimônio público.

Desde quando a Presidenta fez ouvidos do Mercadante, do Mercador e do Mercado Financeiro ela se mostra menor. Isso começou ainda no período de campanha eleitoral.

É duro, eu sei, você também não esperava no seu lugar um Executivo do Bradesco, sem período de Quarentena palpitando no BACEN. Da volta da ciranda financeira,  das despesas de juros indexadas com inflação com mais de 50% de ganho real. E taxas básicas de juros muito acima da taxa de retorno operacional.

Taxas muito acima de outros países em crise econômica. País com mais de US$ 380 bi em moeda estrangeira. Credor líquido internacional. Sem dívida com FMI, no entanto prática para felicidade dos magnatas, taxa básica a mais elevada do planeta, aproximadamente 8.000 % acima da taxa do Fed, com 105% de relação dívida/ PIB, e por isso tem classificado com o rate AAA. E  por isso Brasil corre o risco de perder o grau de investimento.

A volta da política de plantar mais inflação para gerar mais juros do período PSDB, isso não é pra você, isso é para quem compactua com prevaricação e improbidade administrativa.

Isso não é ajuste contábil. Isso não é pedalada.

Não existe Lei de Responsabilidade Financeira. Então isso é permitido pelo TCU, pelo Congresso financiado por empresários e banqueiros, pelo STF com cargo vitalicio, presente dos Congressistas, permitido incrivelmente pela nossa presidenta.

A música na mídia e dos tucanos é sempre a mesma de plantar a desgraça e culpar a incompetência petista. Repetir a mesma mentira até que vire um verdade.

Guido, a situação do Brasil neste ponto de Julho/2015, poderia ser comparada com aquele avião lotado, tomado para ser derrubado propositadamente. Levy e Tombini na posição do co-pilotos derrubadores. Dilma, fora de comando. Antes uma observadora.

Nunca antes na história desse país, um presidente defendeu programa de ministro que deliberadamente derruba o país .No lugar de almejar crescimento, deseja período de recessão, no lugar de máximo emprego sempre, quer o desemprego, no lugar de reduzir a meta de inflação para 2% aumenta de 4.5% para cavalar 10% ao ano.  

Voce não iria concordar com esses desatinos. Tá fora por isso.  Para não atrapalhar a tomada do pré-sal que foi decidido lá em 2010.

Guido, entendo seu desapontamento, outro problema foi você ajudar a trazer a taxa SELIC pela primeira vez a limite inferior de 7.2% a-a. com rendimento efetivo menor do que a caderneta de poupança. Deixou a elite raivosa, que quase quebrou o Unibanco.

Concordamos, ajuste fiscal e estagnação econômica é coisa tucana, não vão solucionar os problemas da economia. Inflação de preços administrados acaba quando encerrado o período de medição. Aumentos de taxas de juros SELIC e mais impostos  só vão fazer nosso país retornar ao período de degradação econômica e social que antecedeu os governos do presidente Lula. Portanto, na contra-mão do projeto de desenvolvimento com justiça social e das políticas de crescimento , desoneração, justiça tributária, combinação necessária ao novo salto de desenvolvimento. Brasil, de tamanho continental, com a soma dos Estados brasileiros com suas riquezas minerais, incluindo petróleo, água em abundância, população ativa, baixa densidade demográfica, ansiosa por consumir, com safras recordes, mais bom nível de industrialização jamais poderia ter crise econômica.

Não sou Galvão Bueno, mas na cabeça da Dilma coração valente, a guerreira, ela poderia estar pensando: “que saudades dos tempos do Guido”. Era feliz e sabia. E se ela estivesse no comando, ela diria: volta Guidinho.  E Lula deve estar se roendo porque, comparando com time de futebol, não se deve mexer em time que está ganhando, muito menos mudar jeito radicalmente de jogar. Mudança radical à direita, jamais !

Se fosse para dar um sangue novo no seu lugar, Guido, você sabe, deveria ser de um economista, e de reconhecida competência, alguem identificado com o programa no ciclo de 12 anos, que valorize e com foco nos interesses nacionais. Para buscar ainda mais desoneração até se chegar ao padrão internacional, que reduza o custo Brasil, com reflexo positivo para o crescimento da economia, melhora do caixa do governo, para se evitar novas pedaladas meramente contábeis. Medida para ajustar a taxa de câmbio para valor menos apreciado, bom da perspectiva da indústria nacional, de exportadores e da correção do custo da mão-de-obra, sem afetar a Renda Nacional e PIB em Reais.

Não tem como atender a dois Senhores. Ou segue a esperada cartilha do PT e do desenvolvimento do país e defesa dos interesses do país e da América Latina, ou volta para a cartilha tucana, do endividamento público, das concessões e da entrega dos recursos e da soberania do país, em favor dos interesses estrangeiros.

Paciência. Vamos batalhar outra chance de um governo, tal como do Lula, a favor dos interesses da maior parcela da população brasileira, que um dia há de ser o Povo.

Guido, você plantava esperança no lugar do medo. Muito obrigado.

6 comentários

  1. Morreu?

    O program do PT morreu???? E os 40 milhões que o pt tirou da pobreza e da miséria, e o atestado de idoneidade passado pela justiça do paraná que depois de um ano de inquerito prendeu sem motivo o tisoureiro do partido que recebeu doações legais e contabilizadas? Só para citar pouco do que é o pt.

    Estes bobos que se proclamam pt e falam do pt para fazer coro com o aécio e o pig nãosabem o que fazem. Que turminha…. São piores que o pig e são bobos raivosos.

    E os 40 milhões que tiramos da pobreza e da miséria?

    •  
      Para comparação. Por

       

      Para comparação. Por exemplo, desemprego nos Estados Unidos tem tido queda por 12 meses seguidamente. Estimado em 5,5% em Maio/2015. Lá Obama reduziu o desemprego pela metade tal como programa do PT até 2014.

      Governo do Povo. Povo dono do poder.

      Povo da Alemanha não passa nem passou por crise. Nem China. Índia. Lula reverteu a herança maldita de FHC na parte que toca o Brasil. 

      Infelizmente, agora a tendencia é de aumento do desemprego inclusive projeção para 2016. O desemprego alcançou 8% em abril/2015, segundo IBGE versus os 5.4% em Dez/2014.

      É a maior taxa para o trimestre desde 2012.

      Em abril, havia 8 milhões de pessoas desocupadas. Alta de desocupação 18,7% (1,3 milhão de pessoas a mais) versus Jan/2015.  de Pessoas ocupadas estimado 92,2 milhões. No confronto com Janeiro redução de 511 mil pessoas (-0,6%)

      Lula enfrentou  a maior crise mundial, desde 1929. Fez diferente da Europa Latina, a despeito de todo o pessimismo do Mercado Financeiro, do ódio Tucano do  metalúrgico na Presidência no lugar do Sociólogo e da sabotagem do PiG.

      O Programa de PT foi vitorioso e protegeu direitos trabalhistas e priorizava  máximo emprego, e inclusão social. Fazia ouvidos do Sindicalismo e dos Empresários, voltados para crescimento e soberania do Brasil. Jamais se curvar aos interesses estrangeiros.

      Conspiração contra Lula.

      Em 2015, com Levy e Tombini, eles tem  foco nos interesses de magnatas e resgate do poder par Mercado Financeiro Internacional sobre o patrimônio brasileiro. O retorno da prática das mentiras e crises criadas para fazer anti-politicas econômicas, tal como no período Tucano / Era antes de Lula.

       

  2. Mantega foi imprescindível, mas…

    Sem Guido Mantega o governo Dilma não teria levado a cabo a politica de distribuição de renda e pleno emprego. Mas faltou os 3% de crescimento anual prometido, o que tornaria a politica economica do governo insustentável no médio prazo. No timing correto , Dilma realiza as correções de rumo. Não há motivo para esmorecimentos. 

    • Fundamental agora, Levy e Tombini dispensados, por justa causa.

      Desonerar encargos sociais de pessoas trabalhando e mais eficaz e logico do que as medidas e incentivos para Empresas sustentarem o Trabalhador sem trabalhar.  

      Atitude correta de Dilma,  reverter aumentos de IPI, buscar redução de ICMS (de 25%).Se espelhando, por exemplo, na carga tributária aplicada em outros países competidores.

      E aumentar volume de produção da industria para ser novamente competitiva.

      Caso contrário, risco de virarmos uma Argentina ou Venezuela.

      Ministério da Fazenda não é lugar de engenheiro com curso de matemática financeira e mercados de capitais, exceto se com foco em ganhos financeiros dos especuladores magnatas, os vermes da economia e mostrar crescimento de PIB fake em Reais ( nominal).

      BACEN deveria é ser independente do Mercado Financeiro.  Mostra administração financeira do pais está fora de controle de Dilma, negligente.

      Se Dilma tivesse sido honesta, anunciado um nome do perfil de Levy ou qualquer xerife de banqueiro para cuidar do Ministério da Fazenda e/ou manter BACEN com atividade com um fim para si mesmo não seria eleita.

      Até 2014, pais importava mão de obra, especializada ( engenheiros, médicos, empreendedores ) desempregada da Europa e EUA, invertendo o sentido provocada pela degradação do período FHC. País em situação de pleno emprego / full capacity da industria, com elevados investimentos em infra-estrutura sobrecarregada com efeito Copa  e em moradia. Um boa dor de cabeça. Jamais impor freio na economia. Coisa de maluco, leigo em economia ou mau intencionado dentro do Governo , sim para fazer o que a intentona tucana não teve sucesso.

      O tombo tem sido muito mais rápido acima das mais otimista expectativa do PSDB e adversários dentro do PMDB. Levy tem sido muito competente da expectativa do golpistas.

      Um Presidente, economista desenvolvimentista não lamenta a baixa de preço de petróleo, (não visa os lucros da Petrobras, se Diretora Financeira da Estatal) e de outros insumos cruciais, nem apoia os aumento de carga tributária já acima da praticada internacionalmente, nem defende restrição de benefícios sociais em momento de crise de emprego, junto com sonegação de correção de imposto de renda dos assalariados, enfim a partitura para geração de massa de desempregados e desconstrução do período Lula. 

      Resultado em 2015, no lugar de crescimento baixo de 1% prometido por Levy, se visualiza uma grande goleada da recessão : por ora -1.5%. Um tombo  de 2.5 pontos percentuais versus planejado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome