O circo dos horrores no velório de Campos, por Ronaldo Souza

Confesso que me chocou.

Somente 12 dias após a sua morte, escrevo sobre a tragédia que abateu Eduardo Campos e as pessoas que estavam com ele naquele avião.

Preferi assim para não me deixar levar por deduções ou conclusões precipitadas, ainda que desde o início algumas posturas já indicavam o rumo que as coisas iriam tomar.

O comportamento da imprensa em absolutamente nada representa qualquer novidade. A imprensa é isso aí; sórdida.

É inevitável o uso de uma expressão em inglês que é muito utilizada na imprensa mundial:

“Good news is no news”.

Notícia boa não é notícia.

Isso espelha o interesse por situações como essa. A comoção é trabalhada nos mínimos detalhes. Entretanto, não me lembro de ter visto tanta sordidez antes.

Relembremos a morte de Ayrton Senna.

Comoção nacional.

A imprensa, no seu uniforme de gala, nos fez chorar a morte de um ídolo nacional.

O Brasil chorou.

Mas naquele momento, apesar de eventuais abusos, não parecia haver outro sentimento que não fosse a dor pela perda de Ayrton Senna, um ícone nacional.

Parte da própria imprensa chorou junto com o Brasil.

Não foi assim dessa vez.

O que aqueles homens fizeram com os filhos de Eduardo Campos foi absolutamente execrável.

Ali nada reverenciava Eduardo Campos.

Filhos não enterram o político. Filhos enterram o pai.

A dor dessa hora não pode ser substituída por camisetas e punhos cerrados. Aquilo não era uma batalha a vencer.

Ainda que seja o que ocorre com todos nós, ainda que seja o final esperado, representava a primeira grande derrota imposta pela vida a aqueles meninos.

Leia também:  Feminilidade tóxica em “Game of Thrones”. Žižek escreve sobre o desfecho da série

Como impor aquele espetáculo dantesco a crianças de 17, 18, 20 anos naquele momento de dor única e inigualável.

Em nenhum momento eles homenagearam e muito menos respeitaram a perda do pai. Material de campanha política foi distribuído já no velório.

Um verdadeiro veloriomício, expressão que me esforcei muito para não usar como título desse texto, porque chocaria mais ainda.

Confirma-se mais uma vez que o amor de mãe é algo intocável, sagrado.

Ana Arraes, mãe de Eduardo Campos, esteve todo o tempo fora das manifestações que ocorreram nesses dias, desde a morte até o velório e sepultamento de Campos.

E continua assim.

Mesmo antes do sepultamento, o irmão de Eduardo Campos já enchia o peito para anunciar a candidatura de Marina e se insinuava como vice.

Deplorável.

Não se deve avaliar a dor de quem quer que seja e muito menos como ela se manifesta. Como diz Caetano Veloso em uma de suas músicas, “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”.

Confesso, porém, que tive certa dificuldade em aceitar o comportamento de Renata Campos, a viúva de Eduardo Campos. Mas depois entendi que na verdade se aproveitaram da sua fragilidade naquele momento. Chegaram ao cúmulo quando tentaram coloca-la como vice de Marina, galgando-a ao posto de maior liderança do PSB.

A viúva de repente se tornara a maior liderança política do partido. Escancarava-se de maneira chocante a jogada política que todo o tempo comandou o episódio que envolveu a morte de Eduardo Campos.

Leia também:  Clã dos Bolsonaros está em perigo, por Janio de Freitas

A própria Marina também tentou convencer Renata Campos a ser sua vice.

A vida saudável exige a maturação dos seus acontecimentos.

Há um tempo para a celebração de todos os nascimentos.

E ele começa com a festa interior. A alegria do filho, do neto, do irmão, do sobrinho que nasce tende a se prolongar por toda a vida. Ao mesmo tempo surgem as primeiras dificuldades, os primeiros dissabores. É a vida chegando mais plena e nos dando cada vez mais o lastro para o que virá.

Há também um tempo para a celebração de todas as mortes.

A morte é dor. Doída, insuportável.

Exige um tempo para a reflexão. Daí pode nascer mais força para a vida.

Como terá sido a alegria de Eduardo Campos diante do nascimento de cada um dos seus cinco filhos?

Ele teve esse tempo.

Que papel desempenhará na vida dessas crianças a morte do pai?

Não deram a aqueles meninos o direito de sentir a morte do pai. E não há referencial maior para os filhos do que os pais.

Nossos pais são nossos heróis.

Não lhes permitiram o tempo para o ritual da despedida.

É a hora da dor chorada sozinho, com os irmãos, com a mãe, com a família, com os amigos.

São as primeiras dificuldades, os primeiros dissabores chegando.

Em momentos e de formas diferentes para cada um de nós, mas é a vida que chega através da morte, às vezes parecendo cruel, para nos ensinar a viver, dando-nos cada vez mais o lastro para o que virá.

Leia também:  O Fundo Social do Pré-sal na mira da disputa federativa por recursos, por Carla Borges Ferreira

É a maturação da morte na nossa alma.

Tão necessária à nossa vida.

E os demais?

Abutres.

É o que todos eles são.

Vão usar essa morte por algum tempo.

Um tempo com validade definida.

Aí Eduardo Campos finalmente descansará em paz

E será chorado só pela família.

Que os demais continuem a sua festa.

 

142 comentários

  1. Maravilha!

    Tocou-me bastante o texto!

    Esta frase me deixou pensativo:

    “Filhos não enterram o político. Filhos enterram o pai.”

    Parabéns, Ronaldo!

    Falou o que a maioria de nós sentiu e você soube se expressar como ninguém.

  2. Para quem já perdeu a figura

    Para quem já perdeu a figura do PAI sabe bem o que é sofrer a perda do seu PAI e vivencia-la intimamente, nos momentos posteriores à Morte: em família, com os amigos e em recolhimento. 

    Vivenciei esta situação em 2010.

    Todo o mundo material e dos interesses cessam nesta hora, o tempo para e uma outra realidade se coloca, onde o que mais importa é lembrar da efemeridade da Vida, dos bons momentos vivenciados em família e com os amigos na presença do PAI.

    Jamais os espólios financeiros, políticos, o futuro se estaciona, o presente é doído e de respeito à Morte, de reflexão dela e para muitos de nós, de crença de que um dia estaremos reencontrando nosso PAI em uma outra Vida. 

     

  3. Que coisa a minha mente não captar!

    Que coisa mais absurda essa da minha mente não conseguir captar no arrazoado do texto os horrores e circo que o título faz crer que houve na morte/velório/enterro de EC.

    Vou aguardar que um intérprete categorizado do autor o faça aqui para desfazer minha impressão de que o que li foi um título e palavrório sem eira e nem beira. Uma forçação de barra, smj.

    • “Circo de horrores”????!!!!!

      Faço minhas, as tuas palavras..

      Apesar de um texto muito feito, não se pode negar, mas senti uma forçação de barra, realmente.

      Também vou aguardar um intérprete, quem sabe com o passar de mais um pouco de tempo….rs

  4. A sucessão falou mais alto

    Esse texto complementa aos textos de Urariano Mota e Jânio de Freitas sobre o horror que foi tudo isso. Com mais distância dos acontecimentos – apesar de logo perceber a jogada do uso eleitoral da morte da EC para Marina pela imprensa – vê-se nitidamente o palanque em que transformaram o velorio. Os filhos e a viuva, em psicologia, vão precisar ainda “enterrar” novamente o pai para processarem que ele de fato esta morto.  

  5. Bem assim….

    este é um texto que nos remete a algo além disso que chamamos de passagem terrena, EXCELENTE, parabéns !

  6. 12 dias…

    “Como terá sido a alegria de Eduardo Campos diante do nascimento de cada um dos seus cinco filhos?”  … o sorriso de Eduardo Campos permanece nos lábios de cada um.

  7. O artigo todo me parece ter

    O artigo todo me parece ter sido feito de encomenda, o que o torna asquerosamente igual a situação que o autor procura descrever. A pergunta a ser feita, é se o autor esteve lá, in loco, e presenciou o que sua ficção vergonhosamente partidária tentou forçar.

    • ele não quis ser precipitado como você…

      …como ele diisse, foram 12 dias de reflexão. Mas é perceptível como este artigo deve ter incomodado, haja visto que o seu “raciocínio vergonhosamente partidário” ficou explícito também !!

  8. de quem era o Avião?

    De quem era o Avião, segundo ví uma noticia de um jornal de Santos, não acharam ainda o dono do Avião. Disseram os noticiários um ou dois empresários  do Recife que estavam desaparecidos. E a indenização das familias que tiveram suas casas destruídas?  A comoção é legítima mas tudo indica que o Eduardo Campos/ PSB comprou a aerenova com dois laranjas e fundo de campanha ilícitos.

    • “segundo ví uma noticia de um

      “segundo ví uma noticia de um jornal de Santos, não acharam ainda o dono do Avião”:

      Eh que no Brasil leva 5 meses pra saber quem eh dono de um aviao, sabe como eh…

      3 vezes mais rapido que Minas leva pra saber quem eh dono de um aeroporto.

      • Em Minas, quando o avião do

        Em Minas, quando o avião do presidente da Assembléia, atual governador,  foi pego transportando drogas(hê Minas!) eles “inventaram” um novo dono em 24 horas.  No caso atual, a Marina vai pedir que retomem as buscas no local do acidente para ver se encontra, entre os escombros, a explicação para o uso da aeronave abandonada. 

    • As linhas de interesses chocarão o PSB com a família das vítimas

      Em algum momento, quando ficha cair e algum parente racionalizar, vai perceber que seus interesses estão em rota de colisão com o PSB.

      Vão abdicar das indenizações milionárias?

      O Partido já adiantou-se: não temos nada haver com o avião do acidente.

  9. É mais fácil transformar a

    É mais fácil transformar a morte em algo útil, com propósito, dar um sentido a algo que não faz sentido algum, todos nós fazemos isso, ou tentamos fazer, para minimizar a dor. Mas, mais do que isso, acredito que a família de Eduardo transformou a sua morte em uma missão, porque foi isso que Eduardo fez com sua vida. Talvez para eles seja mais fácil de entender/viver esse comportamento, do que para nós, que não vivemos a política no dia a dia. Eles estão acostumados a chorar porta a dentro e sorrir porta a fora, é assim que figuras públicas fazem. A dor, o choro e a comoção dessa família ficou para eles, pra intimidade deles, e não me incomoda nem um pouco que eu não tenha presenciado essa dor, e tenha presenciado a outra manifestação de perda, a pública, que o autor do texto chamou de velóriomício. Eu acredito que temos sim é que parabenizar os filhos de Eduardo, por terem reverenciado a morte do pai que conheceram e admiravam, o pai político, porque ao contrário do que supõe o autor do texto, para eles o pai e o político são um só. Não entendo porque para nós, brasileiros, é tão difícil assim entender esse comportamento que eu chamaria de amor à pátria, ao país, ao outro. Ao vestir a camisa “não vamos desistir do Brasil” eles mostraram ao pai, no momento de maior reverência, que aprenderam o que a vida significa para ele, e vão levar isso como legado. Quanto aos OUTROS que estavam lá, e de que forma eles se utilizaram dessa relação da família de Eduardo com a vida, me abstenho, é muita mesquinharia, não vale a pena!

  10. Não nos esqueçamos que além

    Não nos esqueçamos que além de perderem o pai, aqueles filhos perderam a grande oportunidade de serem filhos de alguém em nível nacional. Essa perda, dói.

    • NÍVEL NACIONAL???

      mas se o pai não é de nível nacional somos infelizes????

      ser filho de uma pessoa conhecida nos faz mais felizes???

      filhos de pessoas comuns ficam deprimidos???

  11. só espero que a mídia não queira aproveitar melhor…

    analisando friamente, este  “não desistimos do Brasil” pode ser distorcido facilmente pela mídia entre o não ter tido a chance de fazer o que pretendia, o não ter podido fazer e ainda o ter sido impedido de fazer

    justifico minha preocupação: tratando-se do pior que pode acontecer, a mídia sempre aproveitou em favor de alguém

  12. confesso

    Confesso que não vi.

    Escutei algo como uma batida de carro. O chão tremeu um pouco.

    Na ora do almoço minha mulher me disse que tinha caido um helicóptero aqui perto.

    O helicóptero era o avião do candidato.

    Nem assim liguei a tv. Não assisto pig. Faz bem para a sanidade.

    Na internet vi pela primeira vez a foto da agora viúva e essa outra dos filhos acima.

    Não  acreditei no pouco que na internet vi e li.

    Ao bradar que não desistiriam do Brasil, desistiram do marido e do pai.

     

  13. Bizarro

    Achei bizarro um funeral em que as pessoas e familiares se lançam na corrida eleitoral e ” esquecem” completamente  que estão sepultando um ente  querido. Eu não quero julgar, ninguém, cada um sabe  a dor que esta sentindo. Mas fiquei chocada que a campanha de Marina  tenha sido lançada durante o enterro. Alguns ainda duvidaram e procuraram  traços de contrição e tristeza. Mas não havia nenhum. A própria se posicionou em coma do carro de bombeiros acenando para multidão, como se tivesse conduzindo um troféu … Muito bizarro. 

  14. Foi realmente estarrecedor o

    Foi realmente estarrecedor o que fizeram com o velório e, sobretudo, com a esposa e filhos de Eduardo Campos.

    Eles não puderam despedir-se do marido e pai de família.

    Igualmente estarrecedor foi ver as ações de Marina, em um mal contido disfarce da satisfação com a candidatura ter caído em seu colo, e o oportunismo do irmão de Eduardo Campos.

    Ficou escancrado o quanto a mídia e demais integrantes da oposição ao governo federal são sórdidos.

  15. Fui ao enterro pra ver de
    Fui ao enterro pra ver de perto td q estava acontecendo. Conclui o seguinte: A morte é uma festa. E tem um livro com esse título e é de João José Reis.

  16. Entendo que certas pessoas

    tenha atitudes paradoxais diante de tragédias.. Não vou falar da família e nem de certos políticos… Mas o comportamento da mídia é completamente reprovável nesse episódio.

    me impus alguns dias de meditação após essa tragédia.. Não vi nada no PIG e procurei evitar qualquer comentário aqui no blog em respeito ao luto e ao meu estado de perplexidade e pesar. Campos foi nosso aliado por longos anos.. Achei que ele se precipitou, achei que não era a hora… Imaginei um 2018 com o PT saindo da frente para se reciclar e deixar Campos e os irmãos Gomes na continuidade das reformas.. Esse era o sonho de muitos petistas…

    Talvez não fosse o sonho de Campos…

    Enfim, ele errou na estratégia de campanha, deveria ter desde cedo atacado Aécio Neves – o representante do conservadorismo.. O pacto de não agressão firmado com Aécio não beneficiava Campos e poderá ser o que decrete a derrota de Osmarina. Campos era um novato querendo bater asas.. Isso não é uma crítica, é uma constatação.. lula também cometeu muitos erros até acertar seu discurso e tal…

    Se acho inadequado o uso eleitoral de uma tragédia também não usarei a o comportamento paradoxal da vice no velório contra sua candidatura. Foi escolhida e referendada como vice.. e vice é pra isso mesmo, substituir o presidente em caso de ausência ou morte…

    Não é pela falta de lágrimas e sorrisos inoportunos que não voto em Marina..

    Não voto em Marina porque temos o PT de Dilma! Não há melhor motivo!

     

     

  17. “crianças de 17, 18, 20 anos”?

    Me desculpe o articulista, mas acho que está subestimando os órfãos.

    Jovens de 17 a 20 anos, classe média alta, bem articulados e (dizem) muito educados, na qualidade de vida e formação que certamente tinham, não podem ser vistos como pessoas frágeis e manipuláveis. Muito menos a viúva. 

    Se optaram por este tipo de “homenagem”, que colham suas consequências e exerçam o legítimo direito de chorar suas lágrimas como quiserem, se é que o querem, mas colocá-los como explorados pela imprensa ou pelos políticos me parece um tremendo equívoco.

    • Jane Conceição

      Aproveito o texto em que expressa sua opinião para acrescentar a minha. Quisera eu, aos meus 17, 18 e 20, ter a percepção que tenho hoje da vida… Nessa idade, somos cheios de força e de arrogância, típica de quem possui muitos anos pela frente.

      Mas o tempo passa e percebemos que quando abundava jovialidade, faltava sabedoria. Daí a importância de quem já está há muito na nossa frente na caminha da vida. Eles servem de alerta do que está por vir. Quando homens e mulheres maduros não conseguem impedir espetáculos como aquele, realmente estamos falidos como raça. Se a voz dos mais experientes não for escutada, qual será o fim?

      Só que o espetaculo não começo ali. Mal o corpo de Eduardo Campos foi recolhido dos destroços da queda do avião, já se falava sobre Marina sucedê-lo. Nesse sentido, concordo com o articulista: os filhos de Eduardo Campos foram sim usados por lobos vestidos de cordeiro. Todos mais preocupados em ocupar o lugar que hoje é do PT do que respeitar o luto e a tragédia dessa morte.

      Ah se pertencer as classes altas, estudar em boas escolas ou ter boa vida garantisse sabedoria diante da vida… Isso é só um meio. O elemento humano é que determnará o resultado disso tudo. E se o elemento humano estiver contaminado pela pura falta de bom senso, o resultado será o que vimos nesse velório.

      Infelizmente, o velório de Eduardo Campos mostra a que ponto chegamos. Será que dá para voltar?

    • Concordância
      Concordo plenamente! Jovens ricos e muito bem instruídos, apenas se uniram à mãe, que com o pai os criou para, a exemplo dele, morto prematuramente, desincumbirem-se satisfatoriamente, de mais uma herança política do clã, oligarcas da política! Nenhum deles estava alí, inocentemente, no papel de filhos e esposa, mas de herdeiros!!!

  18. Realmente foi verdade
    Estive no velório de Dudu, e o que vi foi um monte de urubus se aproveitando de uma tragédia, agora o povo de verdade que estava ali representava os 83% de eleitores que votaram nele no seu segundo mandato, e sentiu uma dor desgraçada nessa tragédia.

  19. Eu chorei ao ver a notícia da

    Eu chorei ao ver a notícia da more de Eduardo Campos, morrendo d epena dos filhos, e de toda a família, calculando que logo mais as reportagens seriam de muitos lamentos, de um sofrimento incontido. Acho que isso aconteceu com todos da família, visto que outros, que nem conheciam o jovem homem se sentiam arrazados. Porém, ficou difícil entender tanto do que foi relatado no post. Aí, pensei comigo mesma que cada um tem o seu jeito de sofrer, e de expor a sua dor. Sou capaz de compreender isso. Por outro lado, o que me marcou mais desse velório, pra muitos que dele fizeram parte, foi o aproveitamento da hora para se auto-promoverem, como se deu com Marina Silva. Ela subiu no carro do corpo de bombeiros, o mesmo em que os filhos aparecem erguendo as mãos, porém de costas para o caixão, fazendo o V da vitória enquanto passava pelo povo. Foi o que mais me chocou. Depois, ao aparecer na propaganda eleitoral, disse que ficaria com a lembrança de E.C. do último encontro com ele, e chorou, ou fingiu, porque não caiu uma lágrima. Muito ridículo o comportamento dessa mulher. Tudo isso, sem falar que Marina tirou selfies com pessoas, sempre sorrindo pra ficar bem nas fotos. Sinceramente!

  20. Crianças?

    Amigo gostei do seu texto, mais chamar jovens de crianças, foi infeliz sua colocação. Eles tem educação e outro nível de comportamento diferente dos jovens de baixa renda. Pra mim crianças são até 12 anos, portanto não ache que eles são inocentes e muito menos estão desamparados.

    • Pensei a mesma coisa, não
      Pensei a mesma coisa, não existe essa de crianças de 17, 18 e 20 anos. Tem muito pai e mãe de família com essas idades por aí. São jovens adultos já com consciência do que estão fazendo.

  21. Morte de Eduardo Campos

    Concordo com voce, principalmente em relação a exploração da mídia e dos políticos do momento de dor da família, realmente foi uma falta de respeito. A maioria estava presente para prestar a última homenagem a Eduardo Campos mas uma boa parte apenas para se promover as custas da tragédia alheia.

  22. Bota escárnio nisso. Ainda

    Bota escárnio nisso. Ainda bem, como diria Cazuza, que “não me convidaram pra essa festa pobre”! É isso mesmo. O que fizeram ali foi sim uma lamentável festa, diante de tamanho infortúnio. 

  23. ?

    Ninguém parou pra pensar que talvez essas homenagens prestadas poderiam ser algo da vontade do próprio Eduardo? Que os filhos deles quiseram fazer isso de livre e espontânea vontade? E que talvez, pra eles, essa foi o melhor jeito de homenagear o pai? Sim, o pai. Muita gente tava ali não pelo político, mas sim pela pessoa que ele foi.  

    É muito fácil julgar, criticar, sem ouvir a própria família, que concordou com a homenagem que Eduardo recebeu.

    oportunistas tem em todo lugar. Infelizmente. E todos já fomos, um dia.

    Não ia votar em Eduardo Campos. Mas durante toda a minha vida, nunca vi uma homenagem tao grande como essa. Achei bonito, achei certo. Queria eu, enterrar meu pai como um herói, como os filhos de Eduardo fizeram. 

  24. Discordo da parte de Ana

    Discordo da parte de Ana Arraes.

    fez sim, do velório do filho comício , quando apresentava com as mãos o número 40, fazendo referência ao candidato ao governo do estado.

    Outra, igual aos outros

  25. Acredito que cada um

    Acredito que cada um homenageia seus mortos na altura do que ele foi em vida. E essa família respirava força e política, e os filhos admiravam seu pai por esse prisma. Essa é a forma de dizerem ao mundo que o pai era seu herói! Acredito que esse foi para eles o tudo que poderiam dar a ele, uma resposta de amor ao seu empenho em vida. Não encontrei em nenhum momento nos rostos deles desconforto, hipocresia ou fingimento,mas, verdade! Então não cabe a nós julgarmos a verdade de suas intenções, elas me pareciam uma verdadeira resposta de amor a um pai que sempre foi para eles vida, força e povo. E assim queriam que fosse sua homenagem, pois, homenagiamos com o olhar, a dimensão e o prismo do homenagiado. Homenagem é uma resposta de amor e de gratidão e damos o que recebemos nessa hora. Porém, a mídia e os demais cumpriram seu papel como sempre o fazem e da forma que fazem.

  26. LAMENTAVEL!!!

    EDUARDO CAMPOS, significa saudades de uma pessoa maravilhosa e como politico a unica esperança pro BRASIL MELHOR, lamentavemente, foi como qualquer um de nós vamos um dia, as lembraças boas ficam dentro de nós.

  27. Show de Horrores

    Realmente Luis, foi um show de horrores…. a família não teve um momento sozinha para refletir sobre o ocorrido, mesmo que os filhos de Eduardo Campos não sejam crianças eles também não são politicos, embora vivessem cercados pela politica,  quem partia naquele momento era um pai, morto de forma trágica, certamente o luto só veio após o circo… o circo da imprensa e das pessoas também que fizeram do seu velório um lugar para se estar e compartlhar nas redes sociais, parecia um evento social e não um velório.

  28. Relexo de nossa Alma.

    A imprensa No Geral usa esses artifícios, que os chamados “urubus” usaram no velório de Eduardo Campos. Até mesmo quem escreveu esse texto, muito bem escrito, me arrepiei varias vezes. Porém cada um vive olhando para seu umbigo e olhando seus interesses. Se seu interesse for maior do que a dor dos outros, “problema deles”. A imprensa é isso, porque a sociedade é isso, Ela só faz aquilo que a sociedade acha interessante. Se as pessoas se atentassem para outras coisas, outros fatos, Essa imprensa seria diferente. 

  29. Querem regular até a forma

    Querem regular até a forma que cada um vive seu luto?

    sinceramente vocês precisam se tocar, né?

  30. Querem regular até a forma

    Querem regular até a forma que cada um vive seu luto?

    sinceramente vocês precisam se tocar, né?

  31. Atenção às críticas

    Não vejo nada de circo até então, vale lembrar que a data de morte de Eduardo Campos foi no dia 13/08, ou seja, quarta feira, é tempo para a família sentir a dor. O cortejo, foi uma homenagem ao pai, e reflexão aos seus seguidores, do que é a união e força de uma família. Lá eles se mostraram fortes e firmes, puxando e mostrando que o ideal, a luta e a força do pai não morreram.

    Muita atenção nas críticas…

  32. Sentimento, pra que?

    Tudo bem que cada um sente de uma maneira diferente, antigamente se mostrava o luto, se sentia a morte de maneira diferente, hj em dia a morte é tratada como uma coisa cotidiana, me deu asco de ver a foto de 2 dos filhos pousando pra fotos sorrindo em um jogo do Sport. E no dia seguinte ao sepultamento a Renata com sorriso largo em uma reunião partidária… Enfim, sentimento pra que né?

    • eu sei o que é isso

      Eu sei o que foi viver a perda de um  marido e pai dos meus filhos. Dias depois do enterro, a primeira vez que saí para resolver assuntos de ordem prática , fui acompanhada de dois filhos e ao descer do carro percebi que o meu corpo parecia o de uma pessoa que fora acometida por uma longa doença, tal o estado em que estava e fisicamente falando. Por isso fico chocada em pensar numa viúva, por mais que tentem justificar sua forma de agir,  tirando selfies diante do caixão e no dia seguinte conseguir ir a uma reunião e sorrir e  ter cabeça fria pra participar de reuniões políticas. Sei do seu envolvimento pois ela mesma já tivera algum cargo. Entretanto, perder uma pessoa, um marido, é algo que muda totalmente a nossa visão da vida, pelo menos naqueles momentos  porque a morte faz isso, ela nos tira o foco, nos deixa sem chão e sem chão não consigo imaginar alguém fazendo planos.

  33. Para aqueles que discordam da

    Para aqueles que discordam da análise quase perfeita do texto, faltou a informação que durante o cortejo fúnebre do caixão do aeroporto até o velório no Palácio Campo das Princezas era tocado o jingle de campanha do candidato imposto por Eduardo Campos para o governo de Pernambuco, ali mesmo naquela hora dos punhos cerrados dos filhos sobre o carro dos bombeiros.

  34. O personagem foi enterrado SIM

    Quando Ayrton Senna morreu, ninguem esqueceu que ele era piloto.

    EM seu velorio estava la, o capacete, o casaco, os colegasde profissão.

    Mesmo sendo essa profissão o culpado pela sua morte.

    Eduardo foi dignamente homenageado pelos filhos e pelo povo, como o grande politico que foi. E politico vive assim mesmo. Com comicio. Mas so os melhores comovem como Eduardo.

     

  35. herói???

    Eduardo Campos herói????………………peraí…………….herói de que????

    menos……………bem menos…………………

  36. Disse o que eu queria ter dito

    Lamento muito pela morte do HOMEM Eduardo Campos. Jovem sonhador, lutador, pai, esposo, filho.

    Nunca lamentei pelo político. 

    A primeira cena que vi dos seus filhos no carro dos bombeiros pelas ruas das cidade, me chocou. Parecia uma carreata política. Passou dos limites.

     

  37. 12 dias poupados de tanta besteira

    Teria sido melhor se tivesse demorado um pouquinho mais e nos poupado de tantas verdades absolutas, ou melhor, perfeito seria se não tivesse escrito nada, tivesse se recolhido a sua desemportancia.     Cheio de mágoas … e recalque. eles fiseram o que acharam que deveriam ter feito. 

     

    Agora concordo com você, se fosse você,   a morte teria sido um recolhimento dada a sua falta de importancia no cenário local, regional ou nacional.     

     

     

        

  38. Muito blá, blá, blá…

    Não tem o que fazer, o que escrever, ai vai cutucar a ferida dos outros pra ter IBOPE.

    12 dias depois vai comentar a respeito pra não se deixar levar por deduções e blá blá blá, oportunista é quem não respeita a forma da família lidar com isso, se eles sorriram é porque tiveram motivos, se eles decidiram encarar o que aconteceu sem esmorecer isso é problema deles. O filho no jogo do time do coração, se divertindo, sorrindo, percebi que isso incomodou muita gente, pessoas amargas que gostam de sofrer e não suporta ver a felicidade dos outros.

    Vão procurar uma lavagem de roupa que ganham mais!

  39. Discordo completamente.
    Caro amigo, essa é a sua opinião e talvez de alguns outros, mas nada importa o que voce escreveu, a massa está com Marina, se voce não está do lado dela, e isso pode-se ver pelas suas críticas, então é melhor guardar sua opinião para os seus, aqueles que voce apoia, do lado da massa que está com Eduardo, que está com Marina, sua opinião não conta, portanto guarde suas críticas para descasca-las com sua cúpula, os brasileiros não aceitam mais essas opiniões com segundas intenções.

  40. Soh pra deixar claro: GOOD
    Soh pra deixar claro: GOOD NEWS IS NO NEWS Significa “Noticia boa eh nao ter noticia” e nao “Noticia boa nao eh noticia.”… grande diferenca na interpretacao.

  41. Ressuscitando mortos

    Só você, Nassif, pra ressuscitar o Ronaldo de Souza. O cara espera 12 dias para escrever essas bobagens. Se ele fosse Jesus a páscoa seria comemorada em maio.

  42. Mais respeito à dor do outro

    Não consigo entender o que leva as pessoas a qualificar e quantificar a dor dos outros. Cada um sente, vive e externaliza a sua dor à sua maneira. Se a família do Eduardo Campos entendeu que tratar de assuntos práticos como a questão política era uma forma de lidar melhor com a perda, quem sou eu ou você para questionar ou criticar? Seria mais confortavel vê-los se rasgando ou prostrados na dor? Criticaram os filhos, a esposa, a mãe, Marina…porque sorriram! Se colocar por um minuto no lugar do outro ninguem pensou, não é mesmo?

    E isso agora é muito engraçado! Para vitimizar os filhos de EC de 17, 18 e 20 anos, você os tratou como crianças. Em outro contexto, com certeza, eles seriam adultos. Vai entender!!!

  43. realmente um circo

    Concordo com você totalmente e ao ver marina tão sorridente e feliz há tão poucos dias do trágico falecimento do companheiro de chapa tem-se realmente a certeza que nesse mundo político amor, amizade, companheirismos verdadeiros são muito raros. No PSB realmente não ocorreu, exceto talvez  naqueles que se retiraram da campanha.

  44. PALMAS!

    Falou tudo… Pelo título sabia que não iria perder meu precioso tempo lendo seu texto. Penso exatamente igual a você. PARABÉNS PELA MATÉRIA!

  45. Vai arrumar uma lavagem de
    Vai arrumar uma lavagem de roupa Senhor Ronaldo. Perdi tempo lendo uma mer@## dessas

  46. A espetacularização do velório de Eduardo Campos
    Gostei desse texto, pois faz uma análise do que foi a espetacularização do velório de Eduardo Campos, preservando a imagem de sua família, que foi meio que levada, e talvez usada por tantos políticos e celebridades presentes, tanto da situação quanto da oposição, que mais pareciam se preocupar em capitalizar com a morte de Eduardo Campos… 

  47. Eduardo Campos
    Sua notícia é podre de verdades, em nenhum momento o irmão de Eduardo Campos se insinuou ser candidato a vice. Você não conhece a força e luta da família campos pelo povo. Por favor
    você calado é mais que poeta.

  48. Você nunca conheceu família
    Você nunca conheceu família de Eduardo Campos não brinque com a dor e a luta da família sua egoísta. .

  49. Oportunistas…..
    A mídia é
    Oportunistas…..
    A mídia é oportunista mas os familiares tbm… tanto que no velório o filho já lançou sua candidatura nas próximas eleições…. cada um sente sua dor de uma forma particular…. mas quem sabe o que é perder um ente querido e de suma importância como um pai ou uma mãe não se comportaria assim com sorrisos e política mesmo com um mês…. a mídia aproveitou sim da situação…. mas ninguém foi obrigado a fazer campanha política lá…. isso n é homenagem, na minha opinião é oportunismo

  50. As aparências enganam…

    Gostaria de discordar do autor do texto em um ponto crucial: as aparências podem enganar… Não concordo que a Marina estivesse querendo se aproveitar da situação… Acho que ela estava tão envolvida com a perda de seu amigo e parceiro de chapa, quanto a família… É preciso saber separar o joio do trigo numa hora dessas…

  51. Por Ronaldo Souza

    A Imprensa faz o que quer. Fez mesmo Brasil chorar pela morte de Airton Sena. Um piloto de corrida, esporte de elite e todos os níveis sociais estavam na rua chorando vendo o cortejo passar. A maioria daqueles brasileiros nunca acompanhou uma corrida de Airton na TV, imagina ao vivo. Além de capacete tinham outros acessórios do esporte dele enfeitando o caixão e tocava o tempo todo a musiquinha que representava Airton. É natural se homenagear os mortos com o que eles mais amavam em vida. Será se quando Lula morrer vão colocar a bandeira do PT em cima do caixão dele? E as ex de Airton, inclusive Xuxa, que aproveitaram para se promover. Não se pode esquecer a irmã de Airton Sena. Ficou rica as custas da memória do irmão,  com a Fundação Airton Sena.  A Imprensa faz o que quer. Fez mesmo Brasil chorar pela morte de Airton Sena. Um piloto de corrida, esporte de elite e todos os níveis sociais estavam na rua chorando vendo o cortejo passar. A maioria daqueles brasileiros nunca acompanhou uma corrida de Airton na TV, imagina ao vivo. Além de capacete tinham outros acessórios do esporte dele enfeitando o caixão e tocava o tempo todo a musiquinha que representava Airton. É natural se homenagear os mortos com o que eles mais amavam em vida. Será se quando Lula morrer vão colocar a bandeira do PT em cima do caixão dele? E as ex de Airton, inclusive Xuxa, que aproveitaram para se promover. Não se pode esquecer a irmã de Airton Sena. Ficou rica as custas da memória do irmão,  com a Fundação Airton Sena.  

  52. A imprensa faz o que quer

    A Imprensa faz o que quer. Fez mesmo Brasil chorar pela morte de Airton Sena. Um piloto de corrida, esporte de elite e todos os níveis sociais estavam na rua chorando vendo o cortejo passar. A maioria daqueles brasileiros nunca acompanhou uma corrida de Airton na TV, imagina ao vivo. Além de capacete tinham outros acessórios do esporte dele enfeitando o caixão e tocava o tempo todo a musiquinha que representava Airton. É natural se homenagear os mortos com o que eles mais amavam em vida. Será se quando Lula morrer vão colocar a bandeira do PT em cima do caixão dele? E as ex de Airton, inclusive Xuxa, que aproveitaram para se promover. Não se pode esquecer a irmã de Airton Sena. Ficou rica as custas da memória do irmão,  com a Fundação Airton Sena.  

  53. Discordo tanto. Em quase

    Discordo tanto. Em quase tudo.  Não vou entrar pela vertente jornalística. Foi sórdida, mas sim, quando falamos de tragédias, a mídia sempre o é. Mas falar e julgar a forma como a família, em especial os filhos, sentiram e se fizeram mostrar, éum bocado de arrogância à mais. Punhos cerrados, gritos de guerra, camisetas. Tudo isto pode ser para muitos uma forma de espetáculo, mas eu, enquanto filha e mãe, vejo uma forma de luto vestido em homenagem. Homenagem a tudo aquilo que Eduardo foi, não apenas enquanto homem público, mas enquanto gente. Eduardo era pai, filho, marido e amigo. Mas era um político por natureza. Um homem que sonhou um grande sonho, e que ganhou muitas batalhas. Não se pode achar capaz de separar as condições, se delas nunca fizemos parte. Não se julga a forma como alguém se despede de quem ama. Há muita história por dentro, que nem a mídia e nem nós podemos ser capazes de alcançar. Para mim, aquela despedida não foi apenas adeus. Foi o gritar para todos, o orgulho daqueles meninos no pai que se foi, em campanha, sonhando e lutando. Achei verdadeiro, comovente, e acima de tudo…vi ali uma fortaleza. Que grandes filhos aquele homem criou! 

  54. Humm. Eduardo Campos era seu
    Humm. Eduardo Campos era seu pai? Se não, quanta prepotência no apoderamento do sentimento de perda dessa família. Achei que os filhos de Eduardo Campos não poderiam agir de outra forma se o que pretendiam era homenagear o pai que tanto conheciam na mais profunda intimidade.

    • Concordo com seu

      Concordo com seu comentário…. até pq ele não era um simples pai comum, ele foi o pai de uma estado a esperança de muitos e o orgulho de seus filhos a mostrar para o mundo foi lindo de se vê.

  55. Eu hein

    Engraçado, se a família se mantém firme é porque ela é fria, se chorar ao extremo… é porque são fracos….ah ,meu senhor me poupe !!!

  56. Lamentável seu texto Ronaldo
    Gostei mesmo dos comentários logo abaixo desse texto ridículo, de um desconhecido, que acha que pode julgar o comportamento e reação dos outros diante de uma tragédia. A família reagiu com bravura e com certeza correspondendo a tudo que vivenciaram com o Pai/marido. Com certeza, depois de toda aquela homenagem, enfim, tiveram seu momento de reflexão e sofrimento. É complicado julgar a família de um homem público e tão querido. Eles simplesmente compartilharam sua dor com o povo e foram muito humildes em seus lamentos.

  57. Eduardo Campos – Velorio

    Senhor jornalista , com que autoridade o senhor vem criticar uma familia , criticar os filhos de Eduardo Campos , sobre a forma que fizeram a despedida de seu pai . É uma familia que respirava politica desde seu avô Miguel Arraes e se aquilo não lhe agardou e a seu partido , problema seu ….Ridiculo artigo 

    • Foi uma vergonha o

      Foi uma vergonha o comportamento da família sim… um horror ver a mãe do candidato pedindo votos e dando adeusinhos ao povo, como se estivesse num carro alegórico. Decoro nenhum, foi uma festa.

  58. O circo dos horrores…

    Concordo com voce quando afirma que a imprensa diz o que quer. Camarada o pior é que blogueiros do seu tipo escrevem a merda que querem. Quem não conheceu a história de luta política de Miguel Arraes, Ana Arraes e Eduardo Campos, se passa a escrever asneiras como voce. Eduardo foi educado e educou seus filhos juntamente com Renata para a vida, e vida não só mundana, mas católico praticante que era, crente na ressurreição em Cristo, para a vida junto ao Pai Celestial.  Além disso, aqueles garotos, assim como qualquer pessoa de boa fé nesse país jamais aceitará a morte de  Eduardo e sua equipe como acidente. Portanto punhos cerrados e gritos de “Eduardo Guerreiro do povo brasileiro” , não foram um comício como voce afirma e sim um desabafo daqueles que não aceitam a corrupçao imposta a nossa nação, nem tampouco se contentam em apenas se expor em frente a um computador e não conhece a sensibilidade das massas.  Um outro detalhe que voce parece desconhecer é que Dona Ana é  Ministra do TCU e, mesmo diante de tanta dor e revolta se manteve em choque e ao mesmo tempo pasmada, como se não acreditasse naquilo que estava diante dos seus olhos. Assim, recomendo uma boa lavagem de roupa para ocupar seu tempo em lugar de tomar o de centenas de brasileiros com seus comentários vazios.  

  59. Eduardo Campos

    Não gostei do texto. E discordei com a maioria das coisas.

     

    primeiro q a tradução de good News is no News, não e essa que vc deu…noticia boa nao e noticia… O que essa expressão quer dizer e:

     

    noticia bia, e não ter nenhuma notícia. Ou seja, as vezes e melhor não ter nenhuma notícia, para não vir problemas.

     

    tb sofre os filhos, acho q vc tb se equivocou. Não acredito q tenha sido os jornalistas que forçaram alguma coisa. E sim o próprio meio no qual eles viviam. Todos políticos. Eles vindo na terceira geração de políticos. E se valeram disso para homenagea-lo

     

    enfim, essa e somente a minha opinião.

     

     

    • Você infelizmente está

      Você infelizmente está confundido o termo com “no news is good news”, que é inclusive uma música do “new found glory”. O termo a que você se refere é “bad news is good news”, que fala que notícia boa é notícia ruim e que também deu origem a esta outra frase que o autor cita, que “good news is no news”, que notícia boa não é notícia. São termos que surgiram na Inglaterra devido mídia sensacionalista, que afirma que quer apenas notícia ruim pois esta “dá notícia”. O autor relata de forma correta pois está se referindo ao sensacionalismo feito sobre a tragédia Campos. Só um detalhe é que sou jornalista e este é um termo comumente utilizado e não uma música como você e muitos aqui confundem!!

  60. Concordo plenamente com o seu

    Concordo plenamente com o seu texto. Sei, que cada um sofre da forma que lhes convém,mas, estavam ali para se despedirem de um pai,filho,esposo,irmão amigo. Não houve perdas políticas e sim de um ser humano que não volta mais daqui a 4 anos. Infelizmente vivemos em um país onde VIVER OU MORRER tem o mesmo significado, onde pessoas buscam de forma insana continuar no PODER. O sonho de Eduardo, com certeza não era o mesmo da esposa,filha(o),mãe, candidata, e sim dele Eduardo. Foi uma lástimável perda política para o país,mas, nossos sonhos são dirigidos e realizados por DEUS, e o mesmo chamou Eduardo, então o seu SONHO era só SONHO…Oportunismo sim! é o que retrata toda aquela festa, e não velório. Mas, pode ter certeza, que o nó na garganta, que foi dado por o grito de perda que não teve, ainda virÁ. A ficha vai cair, e infelizmente será doloroso, pois os POLÍTICOS seguiram as suas vidas, as suas buscas insessantes pelo PODER, e logo mais falaram de Eduardo como falam de Arraes, ou seja, quase nada,ou nada. Que esses filhos, esposa,mãe, chorem a perda do seu ente querido. Pois daqui a alguns dias,meses,anos a dor ainda será sentida por eles que são FAMÍLIA, e já não terá tantos “AMIGOS” para partilhar,amenizar, e sim uns aos outros. Que Eduardo encontre a LUZ e finalmente chegue a casa do PAI, pois muitos são os que tentam segurá-lo aqui. Tenho dó do seu espírito que com certeza,por causa dos OUTROS ainda não conseguiu ir em frente, está apegado a MATERIA. Talvez sua DOR se estenda até as ELEIÇÕES…

  61. Cada um sabe a sua dor

    Discordo em parte deste texto, existiu sim grande sensaciolalismo por parte de  alguns em cima desta tragedia, mas de maneira nenhuma pode-se julgar os filhos e a mulher pela maneira que demos traram seu luto e sua tristeza, sensacionalismo maior serio voce exigir que estes passassem todo o tempo em que eram expostos na midia, chorando em desespero e aos gritos chamando seu pai, ora amigo cada um tem uma forma de demosnstrar seu luto, essa familia toda é politica, mas com certeza alem de tentarem domonstrar que nao estavam desesperados eles snetiam sim aquela dor, choravam sim, mas nao precisavam provar isso, precisavam sim mostrar para o pai, que apesar daquele momento, eles seguriam fortes e levariam seu legado adiante, isso sim foi uma verdadeira homenagem, no mais nao expresse o que vc sente como sendo o que os outros sentem.

  62. Perdi tempo lendo tantas mentiras

    Estive no velório e cortejo de Eduardo campos e posso afirmar que não houve material de campanha sendo destribuido,

    Ana arraes a ma~e de Eduardo esteve o tempo todo junto com os filhos e Renata Campos ao lado do caixão.

    Em momento algum Marina nem nínguem se aproveitou pra fazer comício.

    O que houve foi uma justa homenagem da família e do povo pernambucano a um político amado que representava uma esperança de mudança na politica suja deste pais. Com que direito alguém pode criticar a forma como cada qual homenageia seus mortos. Acho muita prepotencia falar da dor do outro, cada um sabe de si. Não cabe a você nem a ninguem julgar.

     

    Melhor seria se tivesse se mantido calado sobre esse assunto Sr. Ronaldo, teria me poupado.

    • Sujeira

      Mudança na política suja deste país, utilizando para tal um jatinho comprado por empresas fantasmas e sacramentando, assim, a esperança de mudança de nada para coisa alguma.

      Deixe seu bairrismo de lado e aceite que, se o dito cujo virou santo, o é do pau oco.

    • Eduardo Campos

      Desculpa mas devo discordar. Nao cheguei a me aproximar muito da area do velorio mas participei do cortejo e recebi varios folhetos de campanha politico pelo caminho sim. Mas isso nao faz muita diferenca, a questao e’ que tambem acho que houveram excessos no que se tornou um evento politico. Nao critico a familia, pois acho que pela imaturidade dos filhos eles nao tiveram muita escolha e foram arrastados pela correnteza da grandeza do acontecimento.  Um dia, quando alcancem certa maturidade, provavelmente irao perceber que a maquina politica, da qual eles estavam imersos naquele momento, tirou proveito da situacao e nao lhes tratou como criancas que acabavam de perder uma das pessoas mais importante da vida deles.

    • Eu vi por meio de fotos como

      Eu vi por meio de fotos como foi respeitoso o velório do Eduardo Campos. A Marina debruçada em cima do caixão do Eduardo fazendo pose e rindo e outras personalidades tirando fotos sorrindo o tempo todo. O luto, no meu ponto de vista, é para ser vivenciado. Não adianta fugir da dor – pois se mascaramos esse sentimento – ele virá em forma de doenças mais diversas, sejam físicas como mentais. Eu sei o que é perder de uma hora para outra alguém jovem, brilhante, cheio de vida. Quando ocorre essas perdas os diretamente intigidos por ela, que são as famílias, estas ficam tão vuneráveis que fácil, fácil são manipuladas.

      Ah! Apesar do Eduardo ter falecido – e eu jamais tenha desejado isso para ele, ou para quem quer que seja – suas propostas como presidenciável foram de trairagem com os exemplos deixados por seu avô Miguel Arraes e com Lula – que tanto o ajudou com recursos ao Estado do Pernambuco que fortaleceram de tal maneira a economia dos seus municípios que lhe propiciaram alcançar índices altos de aprovação em seu governo.

  63. Eduardo Campos

    O Brasil e um Pais de OTARIOS desculpe a franquesa…. esse Eduardo Campos vem de Familia de Politicos,

    nem pontuava nas Pesquisas, se juntou com Marina Silva ( ela tambem não e salvadora da Patria) com intenção

    de fazer seu nome ser conhecido no Brasil. Vem de familia de Politicos: sempre mamaram nas TETAS no nosso

    dinheiro… igual a familia Sarney no maranhão….. O Brasil não precisa de familia assim na Politica, e a imprensa não

    enxerga isso. Ja estavam cogitando colocar a mulher do CARA pra ser vice…. pode isso ????  analizam toda a historia

    e vejam como ainda existe espertalhões no Brasil.

                                                                                                                       Juventino

    • nn julgue para não ser

      nn julgue para não ser julgado, vc fala isso por que não conhece a vida potica dele!

    • nn julgue para não ser

      nn julgue para não ser julgado, vc fala isso por que não conhece a vida potica dele!

  64. Eduardo Campos
    Não vejo as coisas assim. Acompanhei pela TV todo o funeral e interpretei a reação dos filhos amantes e tão amados como uma forma de se protegerem da tamanha dor que os abatia, gritando ao mundo o seu verdadeiro herói, em todos os sentidos

  65. Afinal quem quer aparecer aqui?
    Concordo com você a imprensa é sordida e pelo que vejo, você faz parte dela, começando pelo seu texto quem é você para criticar quem, quando ou como se deve ficar de luto. Eu vejo. Ali uma família que vivia da política e é uma família tradicional da política nada mas justo para eles lutar para que os ideais do seu enti querido sejam alcançados, pois ele se foi mas ficou a vontade daquela família em manter o ideal, e caso venham a conseguir seus objetivos vai haver alegria pois conseguiram chegar onde tanto lutou seu familiar. Fica a dica quer fazer uma imprensa diferente deixe de textos hipócritas e que cada pessoa chore seus mortos da forma que entenderem que seja melhor para elas e não para o mundo.

  66. Não vejo por esse lado. Na

    Não vejo por esse lado. Na verdade, acredito que tal reação se deu pelo fato dos filhos e da própria esposa saberem a importância dessa candidatura para Eduardo. Só eles sabiam o tanto que Eduardo lutava e sonhava com essa eleição, e, simplesmente, eles se dedicaram a esse sonho também. Acho que é uma forma deles darem continuidade com tais ideais. Cada um sabe a melhor forma de viver e sentir essa dor. Ninguém pode julgar, e se achar no direito de achar certo ou errado. Niguém sabe o que eles viveram.

  67. Você é o único equivoco
    Não entendo, como alguém que esta fora de tofo processo, se julga a vontade pra externar tal ponto de vista (esse sim sórdido). Uma família, unida, que acompanhava Eduardo em todo processo, uma família, equilibrada e serena, a tal ponto, de ter a coerência de ganhar as ruas e se despedir com o povo o político. A despedida do pai, essa não há, por que não temos o hábito de nos despedir de quem amamos. Ao guerreiro, a luta e força, punhos cerrados, muitas camisetas e palavras de ordem.
    Eduardo, guerreiro do povo brasileiro!

    • Tenho orgulho de fazer parte dessa história
      Sou brasileira, pernambucana, socialista, e tenho orgulho de fazer parte dessa história gloriosa. Sinto pena, de certas posturas de antigos companheiros de caminhada, e de pessoas que se julgam, no direito de querer interferir negativamente, neste processo de luta e de amor.

  68. O Brasil é um hospídico, e

    O Brasil é um hospídico, e como já foi dito não é um país sério, querer transformar em heroi um camarada somente porque ele morreu tragicamente é digno de piada!

    • não somente pelo fato de sua

      não somente pelo fato de sua morte trágica, mas, tambem pelo seu exemplo de politico, afirmo isso por que sou pernambucano e acompanhei de perto todo o crescimento de nosso estado atraves dele não é atoa que o mesmo foi reeleito com 85% dos votos. dando sequencia  eduardo tambem foi exemplo de pai de familia.

      diferente dos outros eduardo realmente se preocupava com o povo, era um homem alegre, gostava de estar com o povo(nn só em tempo de politica) e tinha um profundo desejo de mudar o brasil. muitas qualidades poderiam ser citadas nete comentario, mas, axo que já dá pra se ter uma noção.

      a…. já ia esquecendo axo que tambem a casa branca tambem é um hospicio pelo fato da mema dar um pronunciamento acerca do mesmo.

      não foi um heroi mas pensava como um, pois queria tirar os brasileiros das garras dos vilões.

      • Com certeza!!! e estava tão

        Com certeza!!! e estava tão decidido a lutar contra os bandidos e proteger os pobres e oprimidos que, do alto de sua imensa fortuna, usou um jatinho adquirido por empresas fantasmas e laranjas…. Mui nobre, o santo em questão…

  69. A espetacularização da tragédia

    Prezado Nassif, também estive no velório de nosso exgovernador, sou pernambucana e estava tão sofrida como tantos pernambucanos pela perda não só de um jovem pai, mas de um jovem lider , com futuro promissor, promessa esperançosa de tanta gente humide por mais oportunidades de emprego de qualidade de vida, escola,saúde… Também fiquei chocada com tudo desde o dia do desastre. No entanto,  passavam-se aqueles dias difíceis para os pernambucanos e o horror só aumentava, não bastasse a dor da tragédia, assistimos a um espetáculo funesto de notícias , interpretações, fotos alteradas explorando corpos desfigurados, choros e discursos, todos embalados pelo espetáculo da Mídia. No dia do Velório o asco era meu sentimento… não posso colocar esse asco na conta dos jovens filhos e da esposa, mulher forte e corajosa, tal como a creconhecemos por aqui, porque estavam todos vitimados por uma dor desmenssurada, desgastados pelas notícias , pelo assédio, pelos apelos da cena política, eram presas fáceis. Concordo totalmente com seu desabafo e me incluo nele, esse também é o sentimento de muitos pernambucanos, desrespeitados pelo assédio imoral da imprensa e de uma corja de políticos delétérios, com exceção de alguns raros e exaemplaes homens públicos, num momento de dor  e lastimável perda

    ,

  70. Só quero chamar a atenção

    Só quero chamar a atenção para um pequeno pormenor. “Good news is no news” não significa exatamente o que foi dito acima de que boa notícia não é notícia. Sutilmente diferente significa que a boa notícia é não ter notícias novas, vez que a maioria destas é má notícia. Acredito que esta pequena sutileza faça uma inteira diferença entre o verdadeiro significado e o acima exposto

     

    • Cara, com todo respeito mas

      Cara, com todo respeito mas de fato o verdadeiro “Cabral de Melo Neto” deve estar a se revirar na cova. O Termo good News is no news é dado como refereência ao jargão “bad news is good news”, que é “notícia boa é notícia ruim” e dá também margem para um segundo jargão: “good news is no news”, que significa nada mais que “boa notícia não é considerada notícia. Ou seja isso é a forma como a mídia, principalmente os jornais usam para se aproveitar das coisas. Mas você ainda para piorar, coloca o termo “no news is good news” você está se referindo a uma música do “new found glory”. Eu sou jornalista e sei bem o termo que é e como são utilizados então por favor, não critique se não souber o que fala!! 

      • Hombre!
        Este comentário foi
        Hombre!
        Este comentário foi Punk pra cacete! E com direito a New Found Glory.

        Jargões são de conhecimento dos que vivem a realidade de onde surgiram. Fora do meio jornalístico, a tradução pode ser qualquer coisa. Mas mesmo assim, estão apelando pra qualquer variação de “news” “good” e “no”.
        A confusão que fazem faz entender porque se identificam com o discurso prolixo (ou pro lixo) da Blablarina…

  71. Resposta

    O que mais me assusta é que a maioria dos comentários apoia a série de tolices escrita pelo autor, a começar pela tradução errada de uma expressão inglesa. Acredito que o inglês dele deve ter sido decorrente do aprendizado em escolas públicas patrocinadas pelo PT, que não primam pelo conhecimento e compreensão de tetxos.

    •   O outro Cabral de Melo Neto

        O outro Cabral de Melo Neto deve estar virando no túmulo.

        Caso você não saiba, eu te ensino: escolas públicas são competência DOS ESTADOS.

        Se você for paulista, a responsabilidade É DO GERALDO ALCKMIN, DO PSDB.

      • Outro cabral de melo neto

        Compreender entender um texto no salvelindo atinge menos de 5% da populaçao.A internet vai formar a geraçao maisinteligente do planeta,por enquanto resuscitamos a letra KKKKKK; O texto do autor encontra-se perfeito.o sentimento de perda foi confundido como perda politica e nao emocional pai filho familia.Enfiaram em nossas veias o espetaculo e o dramalhao de choros lagrimas e nenhum sentimento.Comoçao que rima com limao e votos a torto e a direito de quem nao abre mao do Brasil.Culpa da religiao crista-judaica que pratica usura luxuria acumulaçao ostentaçao ganancia inveja tudo em nome do Senhor e todos os pecados debitam ao pt e ao Lula e a Dilma ainda leva o troco.

  72. Pra mim.
     
    Alguém.
     
    Que

    Pra mim.

     

    Alguém.

     

    Que escreve.

     

    Assim.

     

    Já perde.

     

    Toda.

     

    A credibilidade.

  73. “Deplorável.”
    “A morte é dor. Doída, insuportável.” Também é momento de união, reconhecimento e aprendizagem. Além disso, com que propriedade você diz que eles não estão sofrendo a morte do pai?Termino esse comentário com parte do seu texto que, na minha opinião, você se insere: “E os demais?Abutres.É o que todos eles são.Vão usar essa morte por algum tempo.Um tempo com validade definida.”

  74. resposta

    Meu ilustre escritor,

     

    Vejo na família de Eduardo Campos a vontade de mudança, que era a vontade do pai. Família unida, com divulgações de homenagens de toda a família ao pai. Um político com um futuro promissor como se via em Eduardo Campos. Não devemos usar dos seus termos, degladiando a familia Campos.

    Por fim, a morte deve, sim, ser comemorada como uma passagem para outra vida e com muita alegria. Deve ser lembrada a vontade que Eduardo Campos tinha de “Não desistir do Brasil nunca”.

    Ao ler suas sórdidas palavras, vejo em você a vontade de que Dilma Roussef continue a imperar o nosso país, como se fosse uma medalha pra você. Talvez possa perder alguma regalia que supostamente faz jus ao usar tal noticia para denegrir a imagem da família Campos.

    Eu tenho pena de você e daqueles que festejam A ESTUPIDEZ HUMANA (Renato Russo).

  75. EDU CAMPOS

    O bom escritor/jornalista, antes de elaborar um artigo, deve aprofundar-se acerca dos fatos. Uma opinião, Querido autor do texto acima: antes de publicar o texto voce não tentou acesso à família Campos?, porque não entresvistou os membros da família para ter conhecimento sobre os reais sentimentos durante e após o velório? Não seria mais viável escrever sobre a realidade dos fatos? #ficaadica#

    • Pra me o circo não foi feito

      Pra me o circo não foi feito pela imprensa, que estava fazendo seu trabalho, mas da própria família que se utilizaram da morte de Eduardo para transforma-lo em um MITO, e porta para futuro político dos filhos, que nada mais fizeram que já se lançarem na política em pleno velório do Pai. Como a imprensa não deixou sofre a dor da morte, se dias depois de enterrar o pai, estavam em pleno jogo do Sport, vamos deixar de hiprocresia, meu amigo.

  76. meus sentimentos pela sua familia

    infeslimente a fixa de sua morte para sua familia ainda vai cair. estam como vc realmente comentou,sao realmente uns aproveitadores de pessoas maravilhosas como a familia campus esses garotos perderam nao so um grande pulitico mais um enorme pai que deus abençoe vcs e de conforto 

     

  77. E o que dizer dos
    E o que dizer dos comentários?

    Muitos foram os “porcos”
    que jogaram verdadeiras “pérolas”.

  78. Fato real
    Concordo totalmente com o autor desse texto
    tudo que fpo falado expressaram também a minha opinião sobre o horror que foi esse velório e sepultamento,o autor só esqueceu de frisar que todo esse circo teve início com o próprio Eduardo Campos desde o nascimento do seu quinto filho,a necessidade especial que o mesmo possui e por ai vai…

    • fato real

      O doidinho de sao Joao del rey,ficava a porta da igreja a espreita de um velorio qualquer,mas ficava puto da vida quando era de celebridades.Tinha uma neura de colocar a mao na alça do caixao por minimo que seja,uma celebridade de porte dificultava seus planos.Enpurrava daqui,era empurrado dali. Quando quase se aproximava de uma alça,alguem chegava primeiro e assim foi sua labuta  até a beira da cova.num esforço supremo levou a mão mesmo sendo pisoteado e quase ,se nao fosse um brutamontes segurança que o afastou.Voltou a carga,insistiu e nada. indignado,encheu os pulmoes e gritou pra meio mundo ouvir: Enfiem esse defunto no C…

  79. “Não derramem lágrimas por

    “Não derramem lágrimas por mim. Eu vou onde Jesus está. Em meu funeral não quero gente que chore, mas que cante forte”. 
    – Beata Chiara Luce 

     

    Eu acho que o funeral de nossos parentes  fazemos como nós queremos e bem entendemos… Uns preferem o luto, outros preferem transferir a dor sentida recebendo gestos de gratidão e soltando a voz para falar a importância da pessoa que faleceu…

     

  80. Manual de orientação sobre como sentir a morte

    Confesso que quando vi seu texto na minha time line fiquei curiosa para saber a sua reflexão sobre como foi realizado o velório e enterro de Eduardo Campos, concordo sem duvidas com sua crítica a imprensa e a alguns abutres que nitidamente aproveitaram-se e aproveitam-se da situação. Quanto ao sentimento que a família deveria ter tido, uma ideia de luto familiar e fechado como sendo um ritual correto perante a morte tenho que discordar, a morte, assim como a vida, ou qualquer sentimento tem necessariamente um ritual imposto, cada pessoa sente de uma maneira, e muito mais que isso, cada grupo quando olhamos a organização das sociedades, tem demosntrações diversas quanto as adversidades, percas e ganhos da vida, não para normatizar isso, para mim sua crítica parece partir da hipótese da generalização das reações perante a morte, o que é facilmente derrubado. Enfim respeito muito os filhos de Eduardo Campos que apesar de toda a fragilidade exposta em seus rostos enterraram e sentiram a morte de seu pai da maneira como ele talvez tenha lhes ensinado a sentir a vida: fazendo política, de braços em punho, e afirmando que não vão desistir desse país…foi um momento lindo, e não um circo de horrores como você coloca, se fossem meus filhos teria muito orgulhos de sua coragem e ousadia sim. Só para constar não ia votar no Eduardo Campos, justamente por sua alinça com Marina, e agora nem pensar mesmo, quero esclarecer isso para que não entenda minha reflexão como uma defesa partidária, e sim como uma outra visão, não tão padronizada de mundo e de maneiras de se sentir o mundo, a vida, a morte….

    • Desculpe discordar. Eu estive

      Desculpe discordar. Eu estive no velório e a família estava se comportando como se estivesse em uma festa.

      • Morte de Campos

        Acredito que a ficha ainda não tivesse caído para a família e que todos foram no embalo do clima político excitado que estavam vivendo… o tempo torna as coisas mais claras e mostra isso às pessoas, bastando um pouco de reflexão.

  81. Disse tudo! Muito sábio na

    Disse tudo! Muito sábio na escolha das palavras e, com certeza, expressa muito bem o que eu e muitas outras pessoas que acompanharam o caso pensam. Parabéns!

  82. Concordo!
    Concordo com você, até os dias de hoje políticos se aproveitam da situação, em suas campanhas políticas mencionam o nome do eterno, Eduardo Campos, infelizmente!

  83. “Good news is no news”

    “Good news is no news” significa… “Nenhuma notícia é boa notícia…” Ou… “Boa notícia é nenhuma notícia”…

    • sério?

      na boa? tu vais levar à LITERALIDADE na tradução? sério mesmo? a semântica usada pelo autor foi diferente da sua? por favor…

  84. Análise da dor do outro… ou conotação política???

    Não sou especialista no assunto, mas creio que esse texto não tem como objetivo principal, fazer uma análise “da dor” dos familiares de Eduardo Campos, diante dessa tragédia, até porque, dor e tristeza estiveram presentes em todos os momentos, no olhar… no abraço… em cada expressão… em cada gesto… dessa família.O fato da sua mãe ter escolhido chorar a sua dor de forma mais reservada, não anula a dor dos que assim não o fizeram. O Fato da família ter se unido nesse momento em torno “do ideal de vida do pai”, no caso, ideal político, foi uma forma de reverenciar… de prestar tributo… ao pai e marido tão amado. Quanto a atitude da imprensa, partidos políticos e aliados… é outra história… lamentável, sim, muito, mas fizeram o que sempre fazem !!!???

    ESSE TEXTO TEM MAIS UMA CONOTAÇÃO POLÍTICA, DO QUE HUMANA… E ISSO É LAMENTÁVEL TAMBÉM.

  85. Acho que falta de amor ao

    Acho que falta de amor ao próximo maior foi a propria população que de repente iam votar nele e quando o mesmo fazia suas caminhadas estava com 7% de intenções os próprios Pernambucanos não davam ibope , se ocorreu falta de principios acredito que todos mídia, partidos, amigos e população .

  86. Repudio a esta publicação

    Não terminei nem de ler eles vem nisto o sonho do pai, acredito que eles desejam realizar o sonho dele e parou de falsas demagogias de repórteres medíocres que só sabem criticar, que arrumam seus trechinho de estórias em botequins. Eu perde um pai der repente e sei como é isso, e ele antes de morrer sempre me perguntava quais eram meus sonhos e os filhos de Eduardo se agarram e este sonho do pai fazendo com que ele viva. Agora quando acabar esta política é outros 500 a ficha pode cair é fácil criticar muito fácil.

  87. texto acima

    Retrógrado, limitado, repressivo e raso, Quem o autor pensa ser para julgar o luto alheio? Por favor pense na sua responsabilidade e habilidades antes de publicar artigos. Antes de tomar conclusões reflita se esta contribuindo para alguma coisa…

  88. texto acima

    Retrógrado, limitado, repressivo e raso, Quem o autor pensa ser para julgar o luto alheio? Por favor pense na sua responsabilidade e habilidades antes de publicar artigos. Antes de tomar conclusões reflita se esta contribuindo para alguma coisa…

  89. só encontro semelhantes aos
    só encontro semelhantes aos fariseus…. Deixe os filhos do falecido em paz … Já não basta a perda você agora cem falar de ética moral em um luto. Me poupe “raça de víboras”

  90. Eduardo Campos

    Meus pêsames a familia de Eduardo Campos, mas se ele estivesse vivo não significaria que ele iria mudar esse espetáculo de horrores que virou a política brasileira, fiquem com Deus, tanto a família, como quem está lendo. 

  91. Hipocrisia Ronaldo Souza!

    Há muitas culturas que celebram a morte como o nascimento, como o Brasil e intercultural CF/88, não tipifica crime de ordem alguma. Fico admirado o porquê do autor não tratar os verdadeiros circos dos horrores gritantes que há no Brasil, os quais verdadeiramente constitui crime contra CF/88, ética, moral,… Como circos dos horrores na saúde, circos dos horrores na economia, circos dos horrores na educação, circos dos horrores da corrupção, circos dos horrores da injustiça de toda ordem,… São tanto que impacta na vida dos brasileiros, porem ele veio tratar a postura da família de Campo, que não cometeu crime de nenhuma ordem. Infelizmente mais um hipócrita (Ronaldo Souza)!

  92. Correção***
    O autor do texto ” O circo dos horrores na morte de Campos” escreveu o significado da expressão em Inglês ” Good news is no news” como sendo ” Notícia boa não é noticia”. Isso representa uma falha na interpretação. Trata-se na verdade de uma interpretação cultural do dia a dia das sociedades inglesas em geral. A verdade é essa expressão popular significa ” A ausência de noticias quer dizer boas notícias”. Analisando com calma essa expressão chamada de “Idioms” chegamos à conclusão que quando a notícia é ruim, ela logo chega.

    • Correção******

      A expressão indicada “A ausência de noticias quer dizer boas noticias” é a tradução do popular inglês “No news is good news”. ( veja também http://idioms.thefreedictionary.com/Good+news+is+no+news )

      A expressão indicada pelo autor não faz parte das dicas populares mas é usada no ambiente jornalistico com o sentido mesmo que uma boa noticia não faz noticia.

       

  93. Não consegui esperar 12 dias….

    Eu não consegui esperar 12 dias(DEPOIS DESSE TEXTO) para dizer que o texto é muito fraco… já o autor não posso falar muita coisa, não o conheço…e se for para ter como referência esse texto, então….parabéns pelo seu texto…foi o pior que eu já li sobre o caso da queda do avião! Nesse quesito, se destacou muito! basta ver a enxurrada de textos criticando-o… se acha o dono da razão… Quis fazer um texto diferente dos demais e não teve o efeito desejado.

    …tenta colocar-se acima das vontades da família do falecido e acima da forma dos familiares em expressar homenagem.

    O “Good news is no news” para o autor deve ser imperpretado como “Boas noticias já são boas quando não se produz lixo…” sempre será muito melhor “no news” a ler um texto ruim como esse.

     

     

  94. DESRESPEITO

    Esse deveria ter sido o título dessa resenha ridícula que você fez Ronaldo. Quem é você para dizer se Eduardo Campos deixou de fazer o papel de pai para ser político?! O povo de Pernambuco admirava o trabalho de Eduardo, não só pelas obras, e todas as mudanças que ele fez no estado, mas também pela sua humildade, humanidade (coisas que pessoas como você não deve saber o significado, só não procura no mesmo dicionário/tradutor que você traduziu o trecho em inglês: “Good news is no news” porque ta mais do que na cara que está errado :), e pelo exemplo de  pai de família que era. Mas caso a sua intenção era apenas de chamar a atenção das pessoas para ficar conhecido, saiba que você conseguiu. Conhecido como um colunista franco, tanto em vocabulário como em argumento, além do minimo que se tem que fazer        antes de falar de uma pessoa publica é pesquisar sobre a vida dela (#ficaadica) para não falar besteira como você fez aqui. Na casa de Eduardo se respirava política os filhos foram criados nesse meio, eles fizeram uma homenagem linda e mais do que merecida ao pai que com certeza de onde ele estiver, ele vai estar orgulhoso da criação que deu a eles.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome