O frio na barriga podia ser evitado se houvesse Lei de Meios

Por Lalo Leal, na Rede Brasil Atual

A angústia que tomou conta dos eleitores de Dilma Rousseff ao final da tarde de domingo 26 de outubro poderia ter sido evitada. A margem tão estreita de votos obtida pela presidenta diante de um candidato fraco, dono de um currículo de realizações paupérrimo e com propostas voltadas para o retrocesso, só foi possível graças ao trabalho intenso desenvolvido pelos meios comunicação. Sem essa interferência, a disputa poderia ter sido decidida no primeiro turno. A escalada intensificou- -se às vésperas do segundo, e ganhou ares de guerra nos três dias que antecederam a eleição final, chegando ao ápice entre a noite de sábado e o domingo, depois da divulgação das últimas pesquisas. Assim se explica o estreitamento da margem de votos entre os dois candidatos verificado nas urnas em relação ao que anunciavam os institutos de pesquisa. Os quatro ou seis pontos previstos foram reduzidos ao final para 3,2.

Dois fatos alardeados pela mídia no sábado à noite e durante todo o domingo contribuíram para essa alteração. Uma manifestação diante do prédio da Editora Abril foi o álibi usado pelo Jornal Nacional para ampliar a denúncia de corrupção feita no dia anterior pela revista Veja, sem qualquer respaldo nos fatos. No domingo, ainda com um grande número de eleitores indecisos, rádios, TVs e internet não se cansavam de especular a respeito do doleiro delator que teria sido “envenenado” pelo PT. Chegava-se ao auge da irresponsabilidade.

Leia também:  Por que 'Utopia' é a série mais azarada do ano?, por Wilson Ferreira

Nada disso é novo na história do Brasil, variando apenas o seu grau de intensidade. Assumido como partido de oposição, o conjunto dos meios de comunicação nunca poupou os governos populares de duros e constantes ataques, ao longo de todos os mandatos. Com a aproximação dos períodos eleitorais a prática se intensifica e a verdade, quase sempre, é deixada de lado. Em 2014, no entanto, a mídia se superou. A campanha foi crescendo ao longo do ano, tendo como tema a corrupção, sempre apresentada de forma seletiva e dirigida a desgastar apenas o nível federal de governo, e apenas um partido.

Em qualquer democracia, propostas e mensagens partidárias chegam à população pelos meios de comunicação. Aqui dá-se o contrário: é a mídia que oferece à oposição os seus motes de campanha. Dão o tema e os partidos correm atrás. Exemplo maior foi o candidato do PSDB responder a uma pergunta sobre a corrupção, no último debate televisivo, dizendo que o problema se resolveria tirando o PT do poder. Um dos principais déficits de democracia existente hoje no Brasil é de diversidade de opiniões e visões de mundo circulando pelos meios de comunicação. Sem superá-lo não chegaremos à democracia plena e seguiremos sujeitos a eleições em que a mídia interfere abertamente na decisão do eleitor.

Em 2007, o documento final do 3º Congresso Nacional do PT propunha “a imediata revisão dos mecanismos de outorga de canais de rádio e TV, concessões públicas que vêm sendo historicamente tratadas como propriedade absoluta por parte das emissoras de radiodifusão. Essa atualização passa pelo cumprimento da lei, haja vista a flagrante ilegalidade em diversas emissoras, por maior transparência e agilidade nos processos e pela criação de critérios e mecanismos para que a população possa avaliar e debater não somente a concessão, mas também a renovação de outorgas. (…) O PT deve se juntar à luta da sociedade organizada para concretizar os preceitos da Constituição de 1988 que estabelecem a proibição do monopólio na mídia e definem como finalidade do conteúdo veicular a educação, a cultura e a arte nacionais”.

Leia também:  Eu já escuto teus sinais..., por Eliara Santana

A resposta dada pela presidenta Dilma Rousseff às inverdades publicadas pela revista Veja foi um alento. Alimenta a esperança de que, em seu segundo mandato, a Lei de Meios seja posta em discussão com a sociedade e que o governo venha a se empenhar para transformá-la em realidade.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

46 comentários

  1. É VERO  –  E O GOVERNO

    É VERO  –  E O GOVERNO  precisa  intender de uma  vez  que  51 milhoes  de votos  que  o  candidato da oposiçao ganhou  nao significam  que  sejam  todos da elite.  o que  se pode  creditar a ela  por  cima  seriam  uns  5  milhoes   de votos , os  46  milhoes  restantes  sao de pessoas  com a  cabeça lavada rtealmente pela   imprtensa  golpista, porque  sentir  irsso na pele  quando conversava  com pessoas  classe media. 

    Cabe  sim  a  DILMAR cortar   esse mal pela  raiz  anrtes  que  seja  tarde.  so cortar  as publicidadces do  governo  na veja  nao vale  a pena ,  tem cortar  mais,  rever  esse  tal de  bonus  de volume   tirar   das maos  de quem  o  distribui,que no  caso é  a globo  e que  atraves  dele   chantageia  os  outros  veiculos  de  comunicaçao.  cassar  se  for preciso concessoes  irregulares.  reuduzir ao maximo  as  verbas  que  sao destinadas  a  midia em geral.  Para que  ficar alimentando  uma imprensa  corrupta que usa  os recursos   dados pelo govertno  para   combate-lo  com calunias, infamias, infundadas, porque  se fosse   verdadeiras ainda va  la. mais  inventar,  criar   dossies  para  incriminar,  fazer o que fizertam no  caso do mensalao  isso nao é liberade de expressao  e tem que  ser   coibido  

  2. “FAZER O DIABO”, JÁ ……………….

    Muito se tem dito sobre a regulação  dos meios de comunicação no PAÍS. É regulação prá cá; controle econômico prá lá; extinção de propriedade cruzada; monopólio; oligopólio, enfim, o que não faltam são adjetivos.

    No frigir dos ovos, o que falta realmente é disposição politica. Vontade politica, pois sabemos muito bem que o Congresso com a maioria dos seus integrantes com o rabo preso à mídia, e fazendo parte do lloby das comunicações, jamais tomarão alguma atitude por conta própria. Além do mais, grande parte dos mesmos são proprietários de radios e canais de TVs, quando não, afiliadas da emissora-mor!

    Há que se fazer uma enorme pressão popular, principalmente dos movimentos sociais, internet, etc.

    Há que se dialogar, transigir, negociar no balcão das almas, ” FAZER O DIABO” e tudo que for possível para aprovar esta regulação, pois do contrário, a manipulação criminosa continuará !!!!!!!!!!!!

    Já se tem um projeto; já foram discutidos à exaustão os capítulos de projeto sobre comunicações, e  quando era Ministro das Comunicações Franklin Martins, no governo Lula, esperava-se que houvesse algum avanço, e o que aconteceu ? Nada !!!!!!!!!!!!!

    Nada do que foi aprovado nas várias edições das  Confecoms, se tornaram realidade, e agora, no segundo turno das eleições, como bem mostra o artigo, teve-se este susto, provocado nada menos por esta mídia golpista e criminosa, que não mede esforços para manipular os  incautos!

    Alguns internautas já disseram que, usando de extremismo, se não for aprovado alguma regulação da mídia neste governo, irão desistir de votarem no PT, e eu, também estou inclinado a tomar esta atitude!

    CHEGA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!  BASTA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Não merecemos passar novamente  pelo que passamos na ultima eleição  !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  3. Eu aceitaria um texto assim

    Eu aceitaria um texto assim como bem intecionado se essa fosse a questao.

    mas a realidade é que na média 95% dos que assinam embaixo desse tipo de texto só posta denuncias contra mida parcial que lhe seja contraditoria.

    Não há mençao a coisas vergonhasas como sites do tipo O Vermelho que tem a ousadia de ser solidario com um regime absolutamente canalha a assassino como a monarquia comunista norte coreana.

    Gente assim que nao denuncia meios de midia como esse nao tem absolutamente nenhuma condição moral para falar em nome de isenção na mídia.

    na verdade o que querem mas nao assumem é uma midia sob total controle do governante de plantao…

    • Vai perder novamente!
       

      Não queremos uma mídia controlando a informação. 

      Não queremos a Veja mentindo

      Não queremos a Folha colocando gravação em Hotel de Brasília

      Não queremos o JN fazendo politica da direita, ate ter posição aceito, mais informação.

      Não queremos uma mentira na veja, reetiquetada no Estadão e saindo no JN.

      Não queremos a mídia como oposição.

      Nao queremos complicidade da informacao com o crime organizado e o senado.

      Queremos uma mídia sadia e com erros e acertos. Honesta e imparcial com as informações, não levando o mercado ou materias mentirosas aos meios internacionais.

      PQ não somos vira latas!

      Este ato da Veja e JN foi o fim!

      perdeu meu irmãos!

       

      • entao cara, eu tambem nao

        entao cara, eu tambem nao gosto de parcialismos rs

        só coloca na sua relaçao as midias parciais que falam aquilo que voce talvez goste de ouvir que tal?

        não ví na sua relação o site do qual falei.

        E se acha que estou inventado vá la conferir, parece material de propaganda eleitoral todas as noticias , absoutamente todas elas são moldadas pela ideologia do tal site

        e isso voce vê em varios veiculos , esse blog apesar de abertamente ser simpatizante do governo é um dos raros espaços onde o contraditorio existe.

        Logo por gentileza seja adepto do que voce pede à midia e exerça a honestidade para dizer se voce é a favor da isençao no trato com a noticia ou voce só nao gosta que fale mal daqueles para os quais reserva sua simpatia.

        Do contrario esta fazendo aquilo que diz condenar ou seja defendendo doutrinaçao a titulo de querer isençao…rs 

         

        Nota: Na extrema direita ( midia s/ mascara e afins ) dizem que a grande midia é aliada de vcs para implatar a ditadura socialista ou gayzista. 

        voces ( extremistas da esquerda e direita ) tem um fetiche enorme com a midia…

        • meu irmao
           

          comparar o vermelho que eh o que diz e nem na Google aparece com a midia que citei ta de brincadeira. rs

          O vermelho eh vermelho! Vai quem quer!

          Não estas mascaras da mídia. Não creio que seja fetiche não, eh uma realidade ou não a Veja com a manchete de Capa com Lula e Dilma?

          Tem horas que penso que vc não entende o papel da mídia. Não eh esta que vc coloca.

          O editorial de uma mídia qquer pode se declarar partidário, não o jornal como meio.

          Ser legal e seguir a lei das informações. Critica não tem problema, mentira e queima ou morte física, de reputação não.

          Tem que estar baseado na informação e não em mentiras.

          Soh olhar quantas criticas tenho feito a Dilma e o PT. LN faz e concordo.

          Criticas sao criticas, com bases e fatos.

          Comparar o vermelho com a globo.  que brincadeira!

           

          • A questao é conceitual
            A

            A questao é conceitual

            A comparaçao vale a partir do momento que as pessoas ( a imensa maioria delas ao menos ) que pedem algo assim simpatizam com o tal O vermelho, logo nao podem falar nada quando o assunto seja pedir isençao 

            se o vermelho nao é um jornal, uma emissora é coisa que pode ate ser mudada e ele vir a ser, mas sendo seria igual ou pior que a Globo

            Obvio qeu  por hora nao da para comparar a escala de um com o outro, e nem é esse o proposito da minha argumentaçao …rs 

          • A QUESTÃO É CONCEITUAL?

            CARO LEÔNIDAS,

            PRIMEIRAMENTE DESCULPE AS LETRAS MAIÚSCULA, MAS MEU TECLADO ESTÁ MUITO RUIM…..

            O QUE OCORRE É QUE HOUVE CRIME ELEITORAL.

            OUTRO PROBLEMA É QUE  ESSES MEIOS DE COMUNICAÇÃO QUE VOCÊ DEFENDE SE DIZEM IMPARCIAIS… COMO PODEM SER IMPARCIAIS SE ANUNCIAM  CORRUPÇÕES DE APENAS UM LADO? VOCÊ, POR ACASO, VIU ALGUMA INVESTIGAÇÃO MAIS SÉRIA SOBRE O AEROPORTO CONSTRUIDO NAS TERRAS DE PARENTES DO AÉCIO, PELOS REPORTERES DESSES MEIOS DE COMUNICAÇÃO? VIU ALGUÉM SE INTERESSAR? NATURALMENTE QUE NÃO. NO MÁXIMO O BONNER PERGUNTOU POLIDAMENTE AO CANDIDATO, MAS NADA DE INVESTIGAÇÃO E NENHUMA PROPAGANDA SOBRE. JÁ A PETROBRAS, O TEMPO TODO FOI NOTICIA EM TODAS AS EMISSORAS CONTROLADAS PELO CONGLOMERADO DA GLOBO (CBN, GLOBO NEWS E ETC). E TAMBÉM OS MAIORES PERIÓDICOS ESTADUAIS. VOCÊ ACHA ISSO NORMAL? ALÉM DISSO ASSISTIMOS ATÔNITOS À MAIOR FRAUDE EM UM PROCESSO JUDICIAL  QUE SE DEU CONTRA OS REUS DO SUPOSTO MENSALÃO. A IMPRENSA NÃO FEZ ABSOLUTAMENTE NADA… NÃO INVESTIGOU, NÃO RELATOU AS FRAUDES NO JULGAMENTO, NADA… A MAIORIA ACHA QUE O JULGAMENTO FOI NORMAL. SEGUIU O CURSO QUE DEVIA…. CONTUDO, QUALQUER ADVOGADO DE ESQUINA SABE DOS HORRORES QUE FORAM COMETIDOS…VOCÊ POR ACASO SABE? ALGUÉM TE FALOU SOBRE ISSO? ALGUMA EMISSORA PODEROSA OUSOU QUESTIONAR O JULGAMENTO? POIS É… SE FOSSE ALGUÉM DO PSDB, PODE ESTAR CERTO DE QUE TUDO SERIA DETALHADO E AS INJUSTIÇAS SERIAM EXPOSTAS…

             

            QUANTO AOS BLOGS E JORNAIS DECLARADAMENTE PARTIDÁRIOS, SÓ ACESSA OU COMPRA QUEM DESEJA.

            SE A GLOBO, A FOLHA E OUTROS  MEIOS DE COMUNICAÇÃO, COLOCAREM SUA VERDADEIRA POSIÇÃO- ASSIM COMO E ESTADO DE SP O FAZ,  DEIXAM DE SER PERIGOSOS. NATURALMENTE  NÃO PODERIAM DETER JORNAIS, TELEVISÕES E  RÁDIOS COMO O FAZEM… ISSO É INCONSTITUCIONAL. MAS ISSO ESTOU CERTA DE QUE VOCÊ SABE.

          • Na verdade eu nao defendo

            Na verdade eu nao defendo meios de comunicaçao, defendo que o debate seja feito de forma honesta.

            Porque na relaçao custoxbeneficioi o monopolio de uma midia parcial privda é imensamente menos danoso ao pais do que uma midia majoritariamente chapa branca…

          • “A comparaçao vale a partir

            “A comparaçao vale a partir do momento que as pessoas ( a imensa maioria delas ao menos ) que pedem algo assim simpatizam com o tal O vermelho,”

            Olha, a sua argumentação é um jogo de amálgamas.

            Segundo vc, as pessoas que querem regulamentar a mídia, em sua imensa maioria, “simpatizam” com O Vermelho.

            Segundo vc, O Vermelho é “solidário” com o regimen norte-coreano.

            O que quer dizer “simpatizam”? O que quer dizer “solidário”?

            A maioria das pessoas que querem a regulamentação da mídia simpatizam com o PT. Algumas – uma minoria expressiva, mas uma minoria – prefere o PCdoB. Se não fosse assim, o presidente da república seria do PCdoB, não do PT.

            Quem simpatiza com o PT simpatiza com O Vermelho? Em termos, é possível. Provavelmente defendem o direito de O Vermelho existir e ter sua linha editorial. Provavelmente concordam com algumas ideias expostas ali – e discordam de outras. Isso é “simpatizar”?

            Muitas pessoas são críticas da ditadura norte-coreana, mas não acham uma boa ideia bombardear o país, matando civis, inclusive crianças, para “libertá-lo” da tirania. Isso é ser “solidário” com a ditadura?

            Em resumo, são amálgamas, e amálgamas encadeados. “Alguns” vira “imensa maioria”, e “imensa maioria” vira “todos” quando a consequência é duvidar que alguém que critica a Folha criticaria O Vermelho. Distorção de fatos vira “opinião”, e “opinião”, quando divergente, vira “mentira”. Defesa do direito à existência vira cumplicidade; crítica da agressão insensata por terceiros vira “solidariedade”.

            E você quer se passar por democrata?

            “logo nao podem falar nada quando o assunto seja pedir isençao”

            E por que não? Desde quando é preciso ser perfeito e isento de contradições para ter direito à opinião?

            Concordar com as bobagens de O Vermelho não me obrigaria a ficar quieto quando a Folha chama um criminoso qualquer que por acaso é funcionário público concursado e presta serviços à Câmara de Vereadores de “engenheiro da gestão Haddad”. Não mais do que dirigir em excesso de velocidade me obrigaria a ficar calado quando o Zé Dirceu distribuía mesada a políticos chantagistas.

            Ninguém tem que ser santo para ser cidadão.

            “Obvio qeu  por hora nao da para comparar a escala de um com o outro, e nem é esse o proposito da minha argumentaçao”

            A questão não é o tamanho. A questão, como você diz, é conceitual.

            O Vermelho é um órgão de partido, e não esconde isso. O Globo pretende não ser um jornal de partido, mas é um partido em forma de jornal. Esse é o problema.

          • Sim colega
            A maioria que pede

            Sim colega

            A maioria que pede ” democratizaçao da midia ” são na verdade totalitarios que nao tem compromisso algum com isençao de nada e de ninguem quando o assunto seja do lado do qual discordem.

            A simpatia pela Coreia do Norte nao deve existir, o que deve existir isso postado de forma CLARA é solidariadade ao S-O-F-R-I-M-E-N-T-O imposto ao povo daquele pais por CANALHAS, ASSASSINOS, DESPUDORADOS

            Gente da pior especie possivel e imaginavel , e sim a simpatia demonstrada pelo portal O Vermelho nao é coisa nenhuma  relativa ao aspecto humanitario, até pq ninguem falou nada sobre jogar bombas por lá.

            A Coreia esta na sombra da China e por isso é tao ousada, nao existe a menor chance da mesma ser bombardeada pelos EUA mas existe dela fazer isso contra o Sul…. 

    • “coisas vergonhasas como

      “coisas vergonhasas como sites do tipo O Vermelho que tem a ousadia de ser solidario com um regime absolutamente canalha a assassino como a monarquia comunista norte coreana”:

      Documente as com links deles entao.

      Nao vai ser na sua palavra que eu vou acreditar sem pagamento aa vista.

      Links, agora e ja.

    • Ah, e tambem documente com

      Ah, e tambem documente com links uma outra coisa:

      “Gente assim que nao denuncia meios de midia como esse nao tem absolutamente nenhuma condição moral para falar em nome de isenção na mídia”:

      Documente com links UMA unica postagem sua contras as documentadas mentiras do PIG.

      So um link, vai.  Nao ta dificil, ta?

    • O Vermelho é um jornal de

      O Vermelho é um jornal de partido político. Não tem nenhum compromisso com a imparcialidade. Quem compra O Vermelho sabe o que está comprando: a opinião do PCdoB. Não está comprando informação, e não está sendo iludido quanto a isso. Se a Folha quiser se assumir como órgão de opinião, que o faça. Mas deixe de se vender como veículo de informação.

      Não tenho procuração para defender o PC do B, partido ao qual não pertenço e ao qual tenho muitas críticas. Motivo, aliás, pelo qual não leio O Vermelho (e esse é um bom motivo para eu não criticar O Vermelho: não vou criticar o que não li). Mas dizer que o PCdoB é “solidário” com a ditadura norte-coreana me parece um pouco demais. Você tem alguma prova disso?

      Por outro lado, não vejo muito bem o que você quer dizer com “denunciar” O Vermelho: se você quer que eu diga que eles estão errados em “ser solidários” com a ditadura norte-coreana, bom, eu acho que eles estão errados nisso – se é que a informação é correta, o que não me parece. Se você quer que eu diga que a linha editorial de O Vermelho é equivocada, bom, eu acho que é; ela é a linha do PCdoB, com a qual eu não concordo. Se você quer que eu diga que O Vermelho não tem direito a publicar essa linha editorial, eu discordo – e discordaria mesmo se de fato eles fossem “solidários” com a ditadura norte-coreana. Se você quer que eu diga que O Vermelho não deveria existir por causa disso, de novo discordo. Se você quer que eu diga que O Vermelho engana seus leitores, apresentando-se como um órgão imparcial de disseminação de informação quando na verdade é um órgão de propaganda política, de novo tenho de discordar: eles podem ter muitos defeitos, mas esse não é um. Está lá na primeira página que é o órgão do PCdoB.

      Quando, e se, eu quiser saber a opinião do PCdoB, eu compro e leio O Vermelho. Quando eu quero saber o que está acontecendo no mundo, eu não compro O Vermelho. E nem a Folha de São Paulo, O Globo, Veja, Época, O Estado de São Paulo, Correio Braziliense, etc. A única diferença é que no primeiro caso eu não estou comprando gato por gato, e no segundo eu não estou comprando gato por lebre.

  4. Concordo com o Leonidas e vou além

    É por causa de textos assim, cujos problemas começam logo com o título, que permite a interpretação de que o que ele chama, de forma estranha e atípica para o português falado no Brasil, de “Lei dos Médios”, na verdade concretiza a intenção de fazer um controle da imprensa que seja favorável ao PT, entendimento extraído quando afirma categoricamente que se não fosse a imprensa, Dilma não teria tido tantos problemas para se reeleger, que a oposição vincula essa proposta à censura e a uma tentativa de cerceamento da liberdade de imprensa.

    Quer dizer, o próprio texto vincula o que chama, de forma estranha ao português falado no Brasil, de “Lei dos Médios” a um cenário político que favoreça ao PT.  A ideia subjacente é que não se pode ser contra o PT. Esse é o recado que é passado. Talvez se a grande imprensa favorecesse ao PT ou não fosse tão contra o partido, não se estivesse falando de uma tal de “Lei dos Médios” (sic).

  5. .

    Enquanto a grande mídia for dependente da bolsa-imprensa nada mudará em sua essência. Isso é ruim para todos os partidos, fique claro. Deveria ser interesse tanto de quem governa, como de quem faz oposição, encontrar um caminho para evitar o disparate nas relações da comunicação no Brasil.

    • sua ideia parte do ponto de

      sua ideia parte do ponto de vista que o dinheiro publico deve estar a serviço do interesse da classe politica brasileira rs

      é impressionante a naturalidade com que alguem possa defender algo assim.

      na opinião do colega o dinheiro publico deve ser usado para moldar a midia de modo a conseguir dela apenas o que a classe politica brasileira ( que todos sabem ser extrammente bem intencionada…rs ) aprove.

      do contrario a verba publicitaria fica direcionada para os “amigos del rey”

      Impressinante que alguem assim se ache em condiçoes de afirmar ser um democrata… 

      • Está invertendo a corrupção?

        Agora corromper a imprensa seria tirando dinheiro público dela e não dando escancaradamente como o PSDB de SP e MG fazem? Já escreveu tolice mas esta você superou caro risadinha.

  6. Lei de Meios não passa
    Com este Congresso que aí está, dificilmente passaria uma Lei de Meios que efetivamente expurgasse todos os vicios contidos neste sistema. O que não impede a Presidente de determinar um corte de pelo menos 50% no orcamento de propaganda da administração direta e indireta para domesticar os donos destes veículos, que vivem às custas do dinheiro dos contribuintes mas não aceitam os governantes por eles eleitos.

  7. Este texto é REPULSIVO,

    Este texto é REPULSIVO, parece escrito na Coreia do Norte, pior é a palhaçada de usar LEI DE MEIOS, que não faz NENHUM SENTIDO na lingua portuguesa, ridiculos, merecem como castigo morar em Cuba.

    • SÓ UM NÉSCIO DIZ QUE “MEIOS” NÃO É DA LINGUA PORTUGUESA.

      SÓ UM NÉSCIO DIZ QUE “MEIOS”(DE COMUNICAÇÃO) NÃO É DA LINGUA PORTUGUESA. O texto não disse medios e sim meios o que perfetamente compatível com nossa língua. E que escreveu esta réplica merece o castigo de ir morar na Colômbia com o Poécio. Huasqquasqhuasqhuahuahua

      • A expressão é estranha ao

        A expressão é estranha ao genio da lingua, ao espirito da lingua, a construção não é conhecida no idioma vernaculo, CITE um unico livro de bom autor onde essa expressão foi usada alguma vez, é uma invencionice MAL COPIADA do dialeto

        portenho, nem espanhol castiço é, é giria da guangue peronista.

        • F…se reaça-mor

          O conteúdo que interessa e vc tentou desviar do assunto. Hipocritamente, como SEMPRE, vc condiciona liberdade de imprensa somente ao transmissor da notícia e esquece o Direito à Voz (não de resposta, via judicial) que todo citado (fisíco/jurídico) numa matéria tem que eticamente ter. 

          Censurar seria eu te chamar de velho vagabundo, safado, mentiroso, anti-ético, calhorda, vil, nojento, nefasto, podre, fétido, asqueroso, num jornal ao qual tenho acesso e não te dar o Direito à Voz (de responder imediatamente sem ordem judicial) .

          Apenas citei como exemplo, não  é minha opinião sobre sua pessoa, entendeu, Senhor Motta Araújo ?

      • Quando eu postei inicialmente, estava escrito “Lei dos Médios”

        Tenho certeza disso. Só li essa expressão na imprensa estrangeira. Creio que em Portugal se use a expressão ou nos países que falam o castelhano. Nunca no Brasil. O Brasil tinha uma lei de imprensa que era assim conhecida. Lei dos Médios é deturpação do português falado no Brasil.

        E “Lei dos Meios”, assim, dessa forma, vai na mesma linha. Não faz sentido nenhum. “Lei dos Meios” pode se referir a qualquer coisa. É uma expressão vazia de sentido e não corrente no Brasil.

        • Mas Argolo, seja que nome

          Mas Argolo, seja que nome for, parece que o importante é acabar com o tal  friozinho na barriga. Mais fácil o congresso aprovar a distribuição de sacos de água quente.

           

        • meios de comunicacao, qdo eu era pequenino!

          meios de comunicacao!

          Significado de Mídia:

          Significa os meios de comunicação de massa (imprensa, televisão, rádio,internet, telefone, teatro, cinema, dança etc.). Curiosamente, trata-se da adoção, no Brasil, da pronúncia inglesa para a palavra latina “media” (sem aceito, plural de “medius”, que quer dizer “meio”), retirada da expressão “mass media” que, à sua vez, os ingleses extrairam da locução latina “media communicationis” (meios de comunicação). Em suma, os ingleses escrevem “media” e pronunciam “mídia”. Já os porgugueses não se deixaram contaminar pela língua inglesa e escrevem média, tal como a pronunciam. “Multimídia” (ou multimédia, em Portugal) emprega-se para referência a dois ou mais daqueles meios de comunicação de massa.http://www.dicionarioinformal.com.br/

          Os meios de comunicação são ferramentas que permitem aos seres humanos transmitirem e receberem informações entre locais distantes no espaço e no tempo: Meios de comunicação individual – Meios de comunicação em massa

           

        • Em castelhano é “medios”, sem

          Em castelhano é “medios”, sem acento. E se pronuncia “mêdios”, com um “d” não palatalizado, diferente do nosso ‘médjios’.

          Enfim, ou é Lei de Meios, ou Lei de Mídia, ou Lei de Imprensa. A última está queimada por ser a expressão usada durante a ditadura, a segunda é tão estrangeira como Ley de Medios, e a primeira é inusual, mas bem adequada. Qual o problema?

      • É mesmo, não dá para

        É mesmo, não dá para entender. Cuba tem um povo espetacular, e as praias são fenomenais.Sem falar que a língua é muito mais acessível do que o mandarim.

  8. Ética!

    O que está em jogo não é a censura da mídia. O que está em jogo é o cumprimento da Constituição Federal (até hoje não regulamentada no que toca aos meios de comunicação). E a Éica, que sumiu dos meios de comunicação. Ou alguém em sã consciência acredita que não houve grande manipulação da mídia nos últimos dias que antecederam as eleições? E a favor do candidato do PSDB. Por que não explicitar o apoio e adotar uma conduta digna, sem mentir e distorcer? Até a crise da água em São Paulo foi escamoteada. Ora, facam-me o favor! Não confundam liberdade com libertinagem.

    • O que está em jogo é

      O que está em jogo é exatamente a CENSURA Á IMPRENSA , deixe de floreios ou vc acha que a Cristina “”Laboutin”” Kirchner que melhorar a qualidade da imprensa argentina?

      • Ela tem tentado, é certo, mas

        Ela tem tentado, é certo, mas nem sempre é possível. Chamar Clarin, Globo, Estadão, Estado de Minas, Veja, de imprensa é desqualificar os poucos que fazem ou fizeram de fato imprensa, no Brasil ou no mundo. Seus textos são peças de ficção de péssima qualidade. Não há apuração efetiva do que é publicado. Não há uma dupla verificação de fatos, Não há a dúvida nos seus textos. Não há separação entre os interesses comerciais do dono e a redação. Não há liberdade de expressão nas próprias empresas, bastando citar o caso Xico Sá na FSP como paradigma do que ocorre.  A distância entre essas empresas e uma verdadeira imprensa é quase tão grande quanto a cara de pau de Aécio falando em ética na política, ou delas próprias falando do mesmo. 

  9. JÁ HÁ A LEI DOS MEIOS. NÃO PRECISA ELABORAR UMA

    JÁ HÁ A LEI DOS MEIOS. NÃO PRECISA ELABORAR UMA. E só o congresso regulamentar os artigos 220,221,222,223,224,e 225 que trata exclusiviamentes dos meios de comunicação e das outorgas do espaço eletro magnético. Nossa constituição ficou manca. O PSDB achava que iria conseguir no Brasil o parlamentarismo, e toda as questões importantes ficaram para serem regulamentas. Eles que não concordam com a maioria delas, tinham a espoeranças de mofificá-las.

  10. Esqueçam a Lei dos Merios

    pois metade do congresso detém os meios de comunicação desse país e por conseguinte essa lei não vai ser aprovada. Só resta à Dilma cortar as propagandas do Governo Federal nos tentáculos do PIG. O resto é conversa mole. Eu espero que depois dessas eleições o PT deixe de ser um partido de frouxos e parta para cima do PIG. Caso contrário o golpe, que já está em curso, será concluído muito mais rápido do que pensamos.

     

  11. Enquanto isso na Inglaterra…

    esses ingleses, supreenderam…

    LONDRES – Depois de países como Equador e Venezuela lançarem este ano medidas de controle da imprensa, foi a vez de o Reino Unido unir-se à polêmica. Dois dias após o premier David Cameron ameaçar censurar o “Guardian” pela publicação de documentos sigilosos sobre a espionagem no país, a rainha Elizabeth II sancionou nesta quarta-feira um sistema de regulação da mídia, que foi amplamente criticado por jornalistas locais. A iniciativa, apoiada pelos três principais partidos políticos britânicos, vem na esteira do escândalo de escutas telefônicas por jornalistas, e depois de os meios de comunicação verem seus esforços contra o controle rejeitados na Justiça.

    A novidade deve sujeitar revistas e jornais britânicos a um órgão de fiscalização do governo com a função de coibir os abusos descobertos com o escândalo dos grampos – que revelou que repórteres do jornal “News of the World”, do magnata Rupert Murdoch, e de outros meios de comunicação, tiveram acesso ilegal a ligações telefônicas de celebridades, políticos e vítimas de crimes. Também torna mais fácil para as pessoas que se sintam atacadas pela imprensa terem suas queixas ouvidas, além de permitir ao órgão federal cobrar multas aos meios de comunicação.

    “(A medida) vai proteger a liberdade de imprensa ao oferecer reparação quando erros forem cometidos”, defendeu o Ministério da Cultura, em comunicado.

    Jornalistas locais argumentam que o órgão federal poderia ser usado por políticos para punir publicações das quais não gostam. Eles também reclamam que propostas sugeridas por eles foram ignoradas.

    Ex-editores supervisionariam grampo

    A guerra, porém, ainda não acabou. Várias publicações já ameaçaram boicotar o novo órgão. Outras consideram levar o tema ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos. Os meios de comunicação não são obrigados a se inscrever no novo marco regulatório, mas não está claro, até agora, como o impasse será resolvido.

    – As chances de nos unirmos à interferência estatal é nula – disse Tony Gallagher, editor do jornal “Daily Telegraph”.

    Já o grupo “Hacked Off”, que reúne pessoas que se sentiram atacadas pela mídia, elogiou a medida. “A imprensa deveria aproveitar para mostrar que não teme ser submetida a padrões éticos decentes, e que tem orgulho de agir com responsabilidade com as pessoas para quem e sobre quem escrevem”, disse num comunicado.

    No mesmo dia, dois jornalistas foram acusados em Londres de supervisionar grampos telefônicos. Segundo a promotoria, Rebekah Brooks, ex-braço direito de Murdoch, e Andy Coulson, ex-chefe de imprensa do premier britânico, teriam supervisionado um sistema de escutas e de pagamentos ilegais a funcionários públicos quando eram chefes do “News of the World”. Ambos negam as acusações.

    Ainda ontem, outros três jornalistas do extinto tabloide declararam-se culpados das denúncias relacionadas às escutas, nas primeiras confissões desde o início da investigação, em 2011.

    Read more: http://oglobo.globo.com/mundo/reino-unido-aprova-regulacao-da-midia-10611363#ixzz3IcW6TbPB

     

  12. mídia

    O que o PT e as esquerda tem que entender que tem fazer uma mídia a direita quando esteve no poder distribuiu Radios e TVs para os amigos então deixar de ser virgen fazer a mesma coisa o vento que venta ca venta lá na minha cicade tem um deputado fed.que tem 3 radios no nome de larajão agora adivinha que foi eleito porque com as 3 radios ele faz o seu curral eleitoral [ tamos a 12 anos no poder é só acordar deixar de sr tonto].

  13. aótimo post. a constituição é

    aótimo post. a constituição é de 88.

    o ex-ministro franklin martins

    defende apenas o cumprimento da constituição

    mas a grande mídia não aceita.

    quer atuar acima da lei.

     

    um absurdo.

    o golpe eleitoral foi evidente.

    estranho é a justiça não ter emitido nenhum sinal

    de que os crimnosos possam ser punidos.

    a veja solta capa, as tvs e jornais repercutem

    citando dilma e lula como envolvidos.

    a rádio cbn fica o dia inteiro no dia da eleição

    repetindo a cada cinco minutos a mesma coisa.

    achar que isso não influenciou na votação a menor para dilma

    é de uma ingenuidade ou de uma canalhice fenomenal.

  14. Pelos comentários…

    dos reaças, entenderam qual é o maior temor deles ? Perderem teu maior patrimônio, o direito de manipular ao bel prazer às massas. Como massas entenda-se não apenas os de pouco informação, e sim quase a totalidade da população.

    Informação é qualidade, e não quantidade, e quem nesse país, e no mundo, te m informação de qualidade ?

  15. Legitimidade do mandato de Dilma Rousseff

    Parabéns NASSIF pela belíssima análise e inspirado na foto tomo a liberdade de postar texto que tenho repercutido nas redes sociais, com links complementares.

    LULA PRESSIONA PELO SISTEMA FINANCEIRO INTERNACIONAL

    Não há outra leitura senão a do título para entender essas pressões do ex-presidente Lula para que a presidente reeleita, Dilma Rousseff, nomeie Henrique Meirelles como ministro da Fazenda. Em outras postagens falei a respeito (ilustração) e as impressões são reforçadas agora pela reportagem da Folha de S. Paulo intitulada “Lula quer indicar a Dilma pelo menos três ministros” (Educação, Cidades e Fazenda). “Interlocutores da presidente, no entanto, ponderam que nenhuma escolha de Lula passará sem consentimento de Dilma. Ainda não há acordo, por exemplo, sobre o novo ministro da Fazenda”, informa a repórter Marina Dias.

    “No seu primeiro mandato, Dilma se incomodou muitas vezes com as interferências de Lua; A presidente queria deixar uma marca de independência em relação ao antecessor e evitava tomar decisões sob sua tutela”, lembra a reportagem da Folha. Pelo visto, dois mandatos diretos mais um indireto não foram suficientes para o apetite de poder do ex-presidente: “Ele avalia que as pastas serão fundamentais para alavancar programas importantes para seu projeto político em 2018”, diz a matéria. Não há dúvida, a escolha do ministro da Fazenda será emblemática para o próximo governo: Dilma rejeita Meirelles ou terá perdido o mais importante round correndo risco de continuar com a pecha de poste do antecessor.

    Afinal, é ou não o capitalismo estrangeiro agindo nos bastidores da República? Reforço as evidências com duas passagens interessantes: 1. O centro da crise que levou ao rompimento entre Leonel Brizola e Lula foi precisamente a entrega do Banco Central para Meirelles (antes da posse, ainda em 2002); 2. Eleita em 2010, antes de assumir, Dilma também enfrentou pressões contra a remoção de Meirelles do BC mas foi firme e nomeou outro, baixando juros.

    AINDA EM TEMPO quanto à pasta educacional, é oportuno lembrar que quando presidente Lula demitiu por telefone o então ministro Cristovam Buarque que se encontrava em Portugal e semanas antes havia sustentado a necessidade do Brasil adotar o sistema de escolas integrais no modelo defendido pelo PDT – Partido Democrático Trabalhista de Leonel Brizola.

    FONTE COMENTADA: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/11/1545226-lula-quer-indicar-a-dilma-pelo-menos-tres-ministros.shtml

    TEXTO COMPLEMENTAR: Brizolismo no PODER por linhas TRANSVERSAS https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1548716375344628&set=a.1382649428617991.1073741827.100006188403089&type=1&theater

     

  16. E então …………………

    O que dacho engraçado, senão tragi-cômico, são alguns comentários do tilpo – ” o que lquerem é controlar, censurar a midia, como se estivessem postando para otários !!!

    Estão, e qsuase tenho certeza, a soldo dos donos da midia, e recebendo algum dividendo para postarem o que postam!

    Ninguém qsuer o controle de conteúdo da mídia, e isto já está mais que claro.

    O que queremos é que se cummpra o que determina a CF em seu artigo 220 e parágrafos, nada mais.

    Quanto a ficarem repetindo que nem papagaios o que a midia golpista publica, uma sugestão:

    – Porque ao invés de falarem sobre o Bolsa Família, não citam o Bolsa Mídia ? 

    Os milhões de reais, que estes monopólios/oligopólios faturam por ano, deveria também ser motivo para discussão, ou não ?

    Sejamos racionais !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  17. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome