O Xadrez da volta da doutrina da segurança nacional

Em um Xadrez passado alertamos para a tendência do governo interino de intensificar as ações de segurança nacional, como uma ameaça concreta à democracia.

O decreto no. 8.793, de 29 de junho passado, que fixa a Política Nacional de Inteligência é o passo mais ousado nessa direção (http://migre.me/ufH0w).

Assinado pelo interino Michel Temer e pelo Chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) Sergio Westphalen Etchegoyen, o decreto visa criar uma política para armar o país contra ameaças trazidas por esses tempos cibernéticos e de terrorismo.

Contempla a proteção de forças de conhecimento nacional, medidas contraespionagem cibernética, contraterrorismo etc. Mas confere poderes e atribuições que podem facilmente resvalar para o autoritarismo e para o desrespeito aos direitos humanos. E isso, em uma etapa da vida nacional de radicalização e de instrumentalização política dos instrumentos de investigação.

Confere ao GSI e à Política Nacional de Inteligência o poder de monitorar movimentos, manifestações, cooptar funcionários públicos para a função de segurança e até monitorar cientistas brasileiros no exterior.

 O decreto define assim as atividades de inteligência e contrainteligência:

I – Inteligência: atividade que objetiva produzir e difundir conhecimentos às autoridades competentes, relativos a fatos e situações que ocorram dentro e fora do território nacional, de imediata ou potencial influência sobre o processo decisório, a ação governamental e a salvaguarda da sociedade e do Estado;  

II – Contrainteligência: atividade que objetiva prevenir, detectar, obstruir e neutralizar a Inteligência adversa e as ações que constituam ameaça à salvaguarda de dados, conhecimentos, pessoas, áreas e instalações de interesse da sociedade e do Estado. 

Movimentos populares podem ser facilmente enquadrados nessas categorias. Hoje em dia, procuradores açodados montam ações até para impedir manifestações políticas em universidades. Mas suas decisões são submetidas ao Judiciário. No caso das ações de inteligência, não há instância capaz de monitorar e contar os abusos.

O parágrafo seguinte é significativo:

Cumpre à Inteligência acompanhar e avaliar as conjunturas interna e externa, buscando identificar fatos ou situações que possam resultar em ameaças ou riscos aos interesses da sociedade e do Estado. O trabalho da Inteligência deve permitir que o Estado, de forma antecipada, mobilize os esforços necessários para fazer frente às adversidades futuras e para identificar oportunidades à ação governamental.  

E tudo isso protegido pelo manto do silêncio.

A atividade de Inteligência exige o emprego de meios sigilosos, como forma de preservar sua ação, seus métodos e processos, seus profissionais e suas fontes. Desenvolve ações de caráter sigiloso destinadas à obtenção de dados indispensáveis ao processo decisório, indisponíveis para coleta ordinária em razão do acesso negado por seus detentores. Nesses casos, a atividade de Inteligência executa operações de Inteligência – realizadas sob estrito amparo legal -, que buscam, por meio do emprego de técnicas especializadas, a obtenção do dado negado. 

Mais que isso, o decreto define que “capacidades individuais e coletivas, disponíveis nas universidades, centros de pesquisa e demais instituições e organizações públicas ou privadas, colaborem com a Inteligência”.

Como ameaças ao Estado nacional, o decreto define “a espionagem, propaganda adversa, desinformação, a sabotagem e a cooptação”. Propaganda adversa era o termo utilizado pelos militares para coibir qualquer crítica ao regime.

O decreto estipula também “ações preventivas concertadas entre os organismos de Inteligência de diferentes países, e desses com suas estruturas internas”, visando impedir a “deflagração de crises em áreas de interesse estratégico do Estado”.

Quem define o interesse estratégico, obviamente, é o GSI.

Há algumas ameaças óbvias, como “criminalidade organizada; narcotráfico; terrorismo e seu financiamento; armas de destruição em massa; e atividades ilegais envolvendo comércio de bens de uso dual e de tecnologias sensíveis”.

Mas o decreto inclui um vasto campo de possibilidades que permitem o subjetivismo na análise dos riscos. Como, por exemplo, quando menciona “interferência externa no processo decisório ou que autoridades brasileiras sejam levadas a atuar contra os interesses nacionais e em favor de objetivos externos antagônicos. A interferência externa é uma ameaça frontal ao princípio constitucional da soberania”.

Leia também:  O enfrentamento do fascismo cultural, por Ion de Andrade

O que seria “interferência externa”? Um movimento popular pode ser enquadrado como interferência externo de um bolivarianismo, castrismo ou outro ismo qualquer? 

“Deve constituir também motivo de constante atenção e preocupação a eventual presença militar extrarregional na América do Sul, podendo ser caracterizada como ameaça à estabilidade regional”.

O capítulo 6 define as “Ações Contrárias ao Estado Democrático de Direito”.

“São aquelas que atentam contra o pacto federativo; os direitos e garantias fundamentais; a dignidade da pessoa humana; o bem-estar e a saúde da população; o pluralismo político; o meio ambiente e as infraestruturas críticas do País, além de outros atos ou atividades que representem ou possam representar risco aos preceitos constitucionais relacionados à integridade do Estado.  

Identificar essas ações e informar às autoridades governamentais competentes é tarefa primordial da atividade de Inteligência, que assim estará proporcionando aos governantes o subsídio adequado e necessário ao processo de tomada de decisão”.

Mais uma vez, caberá ao GSI definir quem se enquadra nessas ações.

Não ficará nisso. Monitorará também os cientistas brasileiros que forem trabalhar no exterior.

Paralelamente, a cooperação técnico-científica mundial demanda a presença de especialistas brasileiros em vários pontos dos cinco continentes. 

Nesse cenário, torna-se imprescindível para a Inteligência conhecer as principais ameaças e vulnerabilidades a que estão sujeitas as posições e os interesses nacionais no exterior, como forma de bem assessorar o chefe de Estado e os órgãos responsáveis pela consecução dos objetivos no exterior. 

Assim como no período militar, o decreto prevê “treinamento de servidores públicos encarregados de temas e missões sensíveis e pela implementação efetiva de contramedidas de segurança corporativa indispensáveis à segurança e ao desenvolvimento da atividade de Inteligência”. 

No final, há um capítulo relativo à proteção das infraestruturas críticas nacionais.

“Ameaças como terrorismo, organizações criminosas transnacionais e grupos de diferentes origens e com distintos interesses ligados a atos de sabotagem devem ser monitoradas, como forma de minimizar as possibilidades de sucesso das ações que visem a interromper ou mesmo comprometer o funcionamento das infraestruturas críticas nacionais.  

Nesse cenário, a Inteligência deve participar do processo de avaliação de riscos e vulnerabilidades relativos a alvos potenciais daquelas ameaças, visando a concorrer para a proteção das infraestruturas críticas nacionais”. 

33 comentários

  1. Os militares estão unidos e

    Os militares estão unidos e coesos? Todos apoiam estas coisas e a volta da interferência na política e da linha dura? Lembrei do episódio Geisel X Ednardo.

  2. Mas o decreto inclui um vasto

    Mas o decreto inclui um vasto campo de possibilidades que permitem o subjetivismo na análise dos riscos. Como, por exemplo, quando menciona “interferência externa no processo decisório ou que autoridades brasileiras sejam levadas a atuar contra os interesses nacionais e em favor de objetivos externos antagônicos. A interferência externa é uma ameaça frontal ao princípio constitucional da soberania”.

     

    É certo que nas próximas horas ou dias José Serra, Aloisio Nunes, Sergio Moro e Rodrigo Janot serão presos por alta traição, caso contrário é melhor usar o papel que contem tal lei para limpar o rabo.

  3. Não se deve esquecer da burrada do Nicolae Ceauşescu!

    Esse ditador romeno, foi condenado à morte por fuzilamento, com base numa lei de excessão que o próprio tinha decretado poucas horas antes para tentar conter uma rebelião que começou bem pequena na cidade de Timissoara. 

    Tentando mostrar que ainda mandava no pedaço, promoveu um discurso perante seu palácio megalomaníaco, porém durante este discurso ele não conseguiu entender o que se passava na multidão. Daí, decretou estado de emergência, e, ao perceber uma invasão do palácio, deu fora. Algumas horas depois foi apanhado, levado num quartel, julgado, condenado e fuzilado. 

    Ou seja, não se deve cuspir contra o vento. OU melhor, esse decreto pode ser facilmente utilizado contra pessoas que estejam ocupando cargos após a saída de governos eleitos.

  4. Novo SNI

    Será que se já existisse o PIN ele teria:

    -Prevenido a presidente Dilma do planejamento do Golpe por forças internas e externas – embaixadas conhecidas?

    -Teriam alertado para o interesse de venda da Petrobras por senador de partido da antiga oposição, hoje Ministro?

    -Teriam alertado sobre as ameaças ao nosso programa nuclear (nossa ultracentrífugas cujo processo de funcionamento já deve estar nas mãos dos americanos) e o desenvolvimento do programa de construção de submarinos, inclusive nuclear?

    – E os ataques a índios e lideranças de trabalhadores rurais e as bombas , vandalismos e incêndios as instalações de Partidos do Trabalhadores seriam evitados?

    -Teriam alertado para os financiamentos de campanhas através de aumentos nas concorrências?

    -Teriam alertado para a compra de fábricas de armamentos e desenvolvimento de tecnologias militares e outras sensíveis por israelenses/americanos?

    Certamente não. Isto tudo faz parte assuntos apoiados, mesmo indiretamente, pelo atual goverrno provisório.

    Custo a crer que os militares, tão prestigiados no gov. do Pres. Lula e Dilma se submetam a um desmonte nacional deste tipo, totalmente contra os interesses deles e do país tudo em nome de ideologia anticomunista, que já está superada.

    É por isto que precisamos eleições diretas para presidente, câmara e senado, com urgência.

  5. Vou parar de ver.
    Já vi esse

    Vou parar de ver.

    Já vi esse filme nos meus vinte e poucos anos de idade; nunca vou me esquecer dele, porque sei que a traição é a coisa mais odiosa do Mundo, mas a traição ao seu próprio povo é ainda mais nojenta!, As ações são tomadas para beneficiar e dar salvo conduto aos mesmos grupos de sempre.

    Para saber que quadrilhas são as que dependem de que traiam ao nosso povo; pra quem os traidores vão trabalhar, consultem os documentos decentes da nossa História recente.

    Esse filme é trágico e não tem uma só cena nova pra mim.

  6. Os governos de Lula e Dilma

    Os governos de Lula e Dilma abriram mão das informações do setor de inteligência. Infelizmente.

    Corrigiram o salário dos integrantes do GSI e tinham os quadros em suas mãos, mas não utilizaram a estrutura da inteligência e da informação para prever e previnir as ações dos golpistas.

    Falharam ao não mostrar para a população quem são verdadeiramente aquelas lideranças dos movimentos que se diziam apartidários, como os golpistas do MBL, Revoltados on Line, Vem pra Rua, entre outros. Todos eles financiados com recursos do empresariado e dos partidos políticos, ou seja, dinheiro público do fundo partidário.

    Com informações claras sobre estas lideranças e seus patrocinadores, ficaria fácil desmascará-los.

  7. Caxias está se revirando no

    Caxias está se revirando no túmulo…com essas e outras: a ética apregoada …passa longe…”Os éticos”… deveriam se debruçar sobre o que o elpais publicou..e gerar uma demanda satisfatória…

    Brasil no Conselho de Segurança da ONU: não temos cacife para entrar nesse clube

    Se somos incompetentes para enfrentar mosquitos, como conseguiremos discutir um assento no Conselho de Segurança onde se debatem assuntos mais complexos?

    (http://brasil.elpais.com/brasil/2016/02/28/opinion/1456696518_187650.html)

     

  8. A lei de segurança nacional é

    A lei de segurança nacional é de suma importancia ao País e deveria ser utilizada contra os funcionários públicos brasileiros que foram aos EUA passar informações contar a nossa maior empresa, ajudando aos EUA a processá-la, um berdadeiro absurdo.

  9. se ao menos aplicassem retroativamente…

    O capítulo 6 define as “Ações Contrárias ao Estado Democrático de Direito”.

    “São aquelas que atentam contra o pacto federativo; os direitos e garantias fundamentais; a dignidade da pessoa humana; o bem-estar e a saúde da população; o pluralismo político; o meio ambiente e as infraestruturas críticas do País, além de outros atos ou atividades que representem ou possam representar risco aos preceitos constitucionais relacionados à integridade do Estado.  

    pelo que está aí acima, poderiam já deter o Michel Temeroso e sua gang. Fizeram de tudo o que é citado um muito.

  10. Falta de Atividade Importante para Fazer

    Os militares latino-americanos procuram o que fazer. Trata-se de uma profissão nobre e qualificada que, sem uma ação diária e importante, em beneficio do país, deve deixar uma sensação incompleta, como a de um engenheiro que aposenta sem tem feito um único cálculo ou dirigido uma obra qualquer.

    Existe o lado ruim destas “atividades” quando se procuram “inimigos” para combater ao invés de ações positivas que conjugam o verbo fazer.

    No lado negativo, melhor nem lembrar o que aconteceu quando as FFAA começam a achar inimigos dentro de compatriotas que apenas pensam em forma diferente. A ameaça que Nassif alerta traz novamente esta sensação de procurar inimigos internos, com base, paradoxalmente, de tendências externas de “inteligência”, notadamente dos EUA. Esta atitude anda na mesma direção dos atentados que ocorreram na sede do PT, ou seja, levanta-se briga gratuitamente, entre parcelas da sociedade, apenas por exaltação de mídia e ações impensadas da justiça.

    Ou seja, de tanto posar de inteligentes e começar persecuções, despertaremos aqui no Brasil a ação de terroristas, que hoje observam o Brasil como território de paz. Como dito, haverá mais sujeitos como aquele que foi com uma picota até a sede do PT.

    Mas, vale destacar, num balanço muito favorável às FFAA, as ações de desenvolvimento, mesmo em plena época de ditadura, a defesa das nossas fronteiras e, recentemente, a extraordinária participação do Exército na construção de algumas obras do PAC, notadamente o trecho que lhe couve no projeto da transposição do Rio São Francisco. Neste período de empreiteiras corruptas, o papel da FFAA nas obras diversas de infraestrutura pode ser fundamental. O papel das FFAA no Haiti é uma demonstração de ação cívica que enaltece o Brasil.

    Serviço militar profissionalizante, para tirar do “ócio” milhares de jovens e retorna-los à sociedade com alguma profissão técnica, pode ser uma coisa boa para o Brasil. Sem ações cívicas, as FFAA latino-americanas poderão morrer de tédio e cair na tentação de despertar monstros onde não há, para despertar um inimigo apenas para chamar de seu.

    Tenho medo da ação e reação. Temo que o Brasil, por dar uma de inteligente, entre sem ser convidado a uma disputa milenar, que ocorre a milhares de quilômetros daqui, tudo por conta de ter alguma coisa que pareça interessante de fazer, antes de se aposentar. Os EUA são atacados por conta da sua ação militar no oriente médio. Europa é atacada por apoiar aos EUA. Brasil é respeitado por ambas as partes em conflito por conta da sua vocação pacífica e justa.

    Gosto da disciplina, do amor ao Brasil, da organização e muitas virtudes das nossas FFAA, mas em favor do desenvolvimento da nação, em apoio e até em compensação à falta que a maior parte dos civis possui nos quesitos levantados ao começo deste parágrafo.

  11. inteligência militar?

    minha piada favorita da época da ditadura dizia que o governo não usaria mais QI como medida de inteligência dos indivíduos. Usariam o TAR.

    os muito inteligentes, com níveis na casa do milhão de TAR, seriam a classe dos Megatares;

    os  inteligentes, níveis de milhares de TAR, classe dos Kilotares;

    os burros, unidades de TAR, classe dos Unitares;

    e os muito burros, níveis de milésimos de TAR, seria a classe dos Militares.

     

    Vai daí que quanto mais inteligente, mais perigoso para eles.

  12. GSI, não. O SNI e a operação Condor foram reinstituídos.

    Caro Nassif,

    Agardeço-lhe por abordar esse assunto crítico. Pena que você o destaque apenas após esse decreto. Os jornalistas e blogs independentes deveriam ter agido de forma preventiva, chamando a atenção para o perigo que esse general Etchegoyen representa para a democracia, para os movimentos sociais, para e liberdade de manifestação, para os direitos individuais, antes que ele forçasse o traidor-golpista-usurpador a baixar decretos como este. 

    O que os chefes miliatres, dentre eles o general chefe do recriado SNI, deveriam estar discutindo é a implantação de duas bases militares dos EUA em teritório aregentino, junto à tríplice fronteira. O que Etchegoyen e outros das FAs estão fazendo  em relação a isso? E o que os chefes militares estão fazendo, para impedir que o programa nuclear seja desmantelado?

     

     

  13. Dobradinha para garantir o golpe

    Foi pouco divulgado entre os blogs antigolpistas este encontro de ontem entre gilmar, que está com a lava jato nas mãos, Renan, Jucá e Ferraço. Os dois primeiros encrencados com a lava jato e o último é um dos maiores entusiastas do golpe. Acho que tem uma dobradinha de gilmar com os senadores mais fragilizados pelas denúncias para que a lava jato acabe (como ele já insinuou) em troca da garantia da aprovação do golpe no Senado. Lembram-se que foi graças a um vazamento egresso do stf sobre o pedido de prisão de janot para os delatados por Sérgio Machado (adivinhem quem vazou?) que impediu a execução das prisões e agora gilmar está cobrando a fatura dos senadores desde que lhe entreguem a garantia de aprovação do golpe no Senado.

    http://www.vermelho.org.br/noticia/283044-1

  14. sempre assim…

    governos são trocados até que apareça alguém da confiança deles para logo em seguida distorcerem o significado da palavra democracia em nome da segurança nacional

    golpe, temer, democracia, inteligência militar, queres mais contradição do que isso?

    só espero que não aconteça como lá, com tudo acontecendo para justificar o uso

    • uma vez plotei com segurança pública…

      picos do passe livre, dos mascarados, quebradeiras em diferentes locais com partipação mais desordeira e agressiva de atores que nem eram do local e que nem precisavam do que estavam reclamando e destruindo, praticamente todos em territórios tucanos, enfim, concluí ser o começo, uma justificativa para o querem implantar agora

      e olha que aquilo era coisa de anjos, comparado ao que eles tiveram por lá

  15. Desde 2013 comento neste
    Desde 2013 comento neste sentido do post, tentando alertar para o endurecimento dos instrumentos de repressão para os conflitos em latência e esperados pelos observadores das cenas nacionais e internacionais.

    Essas leis draconianas que estão sendo criadas ferem de morte as democracias.

    Os governantes já não mais escondem, ou procuraram disfarçar, que estão a serviço de grupos restritos, e de costas para as populações, e que se estas se manifestarem contra o que está posto haverá reação violenta do Estado. O mundo não poderá mais questionar o que está posto, não há mais alternativas fora do que nos foi dito. Para isso servem as leis duras e a repressão cavalar.

    Em certo momento, fomos nos mesmos quem pedimos essas ações, por medo da insegurança que nos foi massificada pela mídia. Mas, não nos demos conta que estávamos armando o estado contra nós mesmos.

    Quando as Constituições Federais estabelecem, logo nos seus primeiros artigos, que entre as principais funções da democracia está a proteção dos direitos humanos fundamentais, como as liberdades de expressão, de religião, a proteção legal, e as oportunidades de participação na vida política, econômica, e cultural da sociedade, está claramente expressando como se deve realizar a forma de relacionamento entre seus entes, sejam indivíduos, pessoas jurídicas, e entre eles.

    Em qualquer democracia aos cidadãos está assegurada a possibilidade de participar ativamente do processo político, proteger seus direitos e sua liberdade. Trata de um regime de governo em que todas as importantes decisões políticas estão com o povo.

    Desta forma, o ato de protestar e expressar o seu inconformismo com os processos decisórios se tornam atos essenciais para a realização plena do desenvolvimento democrático.

    As manifestações públicas, greves e outras formas de protesto dos cidadãos estão presentes em todas as formas de governos, sejam ditatoriais ou democráticos.

    E o que os diferenciam é exatamente a reação dos entes públicos na forma em que se relacionam com a população.

    É conhecido que em qualquer protesto público alguns cidadãos pratiquem algum tipo de abuso, e este sim tem que ser coibido, de forma isolada.

    O uso da força de forma indiscriminada contra todos os que se manifestam em sua cidadania em reações as situações estabelecidas caracteriza exatamente os regimes não democráticos.

    Os históricos pelo mundo confirmam que qualquer tentativa de calar a cidadania só ampliam as perturbações naturais do protesto e quanto mais violenta for a repressão mais apoio popular os manifestantes terão.

  16. No tempo. Comentários de 2013
    25/11/2013 – 07:37
    Assis Ribeiro
    Alerta sobre a repressão desmedida
    Venho alertando aqui no blog a cultura que está se formando com base na sociedade do medo e no consequente Estado repressor.

    A aprovação recente de leis draconianas como a Lei contra o terrorismo, esta ainda em trâmite no congresso, colocará a população emparedada, acuada, e com sérias restrições quando às liberdades fundamentais.

    A lei do cão começa a imperar em todos os lugares e no mundo, e isso é fruto de uma política intencional para submeter pessoas e povos.

    Trata-se de uma cultura e por isso sua formação vem sendo construida ao longo de longos anos.

    Se essa metodologia, nos países periféricos como o Brasil, já atingia aos mais pobres agora ela passa a tocar as classes média.

    A ampliação da abrangência da violência repressiva ocorre no momento em que o sistema não tendo mais de onde tirar as suas vantagens passa a direcionar as suas baterias contra direitos adquiridos que beneficiaram sobretudo a classe média e, como o próprio sistema já esperava, a reação vem através de manifestações, dai a criação dessas novas leis que causariam inveja a qualquer ditadura.

    14/11/2013 – 09:12
    Assis Ribeiro
    Surge o “novo” Estado de repressão
    Chicana não, ministro; chiqueiro. Controle da ordem não, ministro; repressão fascista.

    No judiciário, no legislativo, e no executivo, o mundo observa julgamentos, criação de leis, e ações de estado que causam espanto a um mundo que optou pelo liberalismo e democracia.

    O judiciário brasileiro foi transformado pelos seus próprios ministros em pocilga principalmente neste julgamento chamado de mensalão, e rinha de exaltados galos de briga, quando com a clava na mão em cada sessão o senhor presidente do STF tenta intimidar os seus colegas.

    Na academia já se considera o que está acontecendo como o “julgamento exemplar” sobre o que não deve fazer um juiz ao apreciar as provas, flexibilizar a interpretação de leis, doutrina e decisões usuais, e adequar a fixação da pena ao clamor popular.

    Apenas onze juízes conseguiram transformar o julgamento em balaio de gatos, onde não conseguem se entender sequer sobre conceitos primários, e alguns ainda pretendem dar ao STF um ar de rinha de galos de briga.

  17. General

    Esse general é o tipico paga-pau e beija- mão de gringo. Medíocre, encontrou um meio pra sair do anonimato. O Exército é bem maior que esse cretino.

  18. 16 anos

     Esta tralha da PNI ficou parada por 16 anos, passou pelas mãos de FHC, Lula e Dilma, e agora Michelzinho e seus “cães de guarda ” ( Sérgio alemão e o Mussolini das Arcadas ), em menos de 60 dias a publicam e sem os anexos explicativos da “Doutrina de Inteligência de Defesa ” de 2005, quem quiser saber a origem da PNI, leia em:

     www.defesa.gov.br/arquivos/legilacao/emcfa/publicacoes/inteligencia/md52_n_01.pdf

  19. estado repressor, velha lei

    estado repressor, velha lei de segurança nacional dos

    militares da dditadura civil-militar de 64…

    estado de exceção….

    mordaças e péadelos

    -lembrei das músicas de paulo cesar pinjheiro -,

    além das  perseguições recorrentes aos segmentos

    popularfes. como agora e na ditadura…..

    lembrei tb do disco banquete dos mendiggos, onde os mais importantes

    músicos da época – chico, milton, gal, gil, jards, mautner, paulinho da viola,

    entre outros, apresentaram um show em 72, me parece,

    com os trinta artigos da declaração dos direitos humanos, por ivan junqueira….

    em 72, o lp de jards macalé, wally sailormoon antológico,  um dos mais importantes

    albuns da mpb de todos os tempos,movimento dos barcos, com caopinam, entre outras geniais,

    torquato neto, etc….

    tem no you tube, jards macalé  72….

  20. se isso fosse “sério”, quem seria o alvo:

    Interesses externos: MBL e assemelhados;

    Atentam contra a dignidade da pessoa humana: PMs de todo o Brasil;

    ações que visam comprometer a infraestrutura critica nacional: as politicas neoliberais de ajuste do governo Temer.

    Alguém acha que os citados vão ser objetos das ações de ‘inteligencia e contrainteligencia’?

  21. PT e movimentos sociais como MST, CUT e outros

    tem que abrir os olhos, o que vai acontecer no senado é só cumprimento de agenda golpista, não existe a menor chance do senado barrar o golpe, menos chance ainda no STF! Essa manobra só mostra que uma vez que o Temer pegue o osso não haverá eleição em 2018!!! E o Brasil será entregue,  e nós brasileiros ainda vamos pagar para que ele seja entregue aos estrangeiros americanos e sionistas! Não sobrará nada do nosso patrimonio.

    É óbvio que isso é para fortalecer e fazer sair das sombras os milicos que apoiam a volta da ditadura!!!!Eles vão aproveitar toda essa ilegalidade para jogar nas sombras os movimentos sociais e os partido de esquerda! Podem escrever!!!

  22. Quero mais que essas FAs se

    Quero mais que essas FAs se danem por apoiarem esses golpistas.

    Que sejam lambe botas e forças auxiliares dos americanos, comandados por um gal gringo

    Orgulho nacional é o cacete !

  23. O primeiro que terão que prender é o Serra

    O primeiro que terão que prender é o Serra, o político mais antinacional do Brasil. Falam tanto em segurança nacional e querem entregar o nosso pré-sal para os gringos, vender terras livremente para estrangeiros, entregar os planos do submarino nuclear para a GE…vou parar por aqui senão vou escrever 10 linhas com os planos dos golpistas para entrega do Brasil.

  24. Ontem num debate no OcupaMinc

    Ontem num debate no OcupaMinc no Rio, o Franklin afirmou que esse governo ilegitimo só se sustenta com ditadura. Eles sabem disso, e estão armando uma dissimulada, versão canhestra da ditabranda da Falha.

    PS: “Interferência externa que prejudica os interesses nacionais”? A lava a jato se enquadra nisso aí. Primeiro a ser preso pela neorepressão a la Temer não pode ser outro que não o Moro

  25. A leviana imprensa brasileira

    O que chama atenção é o ‘desinteresse’ dos tais grandes jornais, revistas e televisões de levar ao cidadão informações corretas sobre decretos de leis polêmicos, como esses, em um governo que até o fim de processo de impeachment ( a esta altura tecnicamente totalmente desmoralizado no Senado) é provisorio; transitorio; interino; temporario; passageiro.

    Subjacente à tudo isso, tem uma questão que aparece: Temer, sua banda e os grupos de Comunicação que apoiaram e sustentam esse golpe institucional, especialmente o Grupo Globo, ja dão como favas contadas o “impeachment” de Dilma Rousseff ou esperam que se não ganharem ‘legalmente’ no senado, ganharão no tapetão ? Eh para isso que servira, decretos travestidos de segurança nacional, os quais Temer vai passando rapidamente, sobre o nariz dos brasileiros ? Para isso e pelo que vira pela frente….

  26. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome