Os prenúncios da condução coercitiva de Guido Mantega

Não morro de amores pelo ex-Ministro Guido Mantega. Fui um dos seus críticos mais acerbos. E ele me tratou de maneira como não fui tratado antes por nenhum outro Ministro da Fazenda, mesmo Pedro Malan, de quem sempre fui crítico: colocou-me na chamada lista negra vetando qualquer informação da Fazenda.

Ele é um dos grandes responsáveis pelos erros de política econômica, ao não se interpor ao voluntarismo de Dilma Rousseff.

No entanto – e aqui vai uma má notícia para o pessoal da Operação Zelotes – Guido é uma unanimidade, em termos de idoneidade. No velho PT, sua reputação ombreava-se com a de José Genoíno – o que foi condenado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) com pedido de desculpas de alguns ministros.

É possível que alguém tenha utilizado seu nome. É possível que alguma delação tenha atendido às pressões do inquisidor e envolvido Guido. Nesses tempos de turbulência, as arbitrariedades passam a ser tratadas como atos normais. Foi preciso a condução coercitiva de Lula para que a opinião pública soubesse das dezenas de operações similares que a antecederam.

Guido não é apenas um homem público acima de qualquer suspeita, como passa por dificuldades financeiras, com o tratamento pesado exigido para enfrentar a doença de sua esposa.

Sua condução coercitiva é apenas um ensaio da grande noite de São Bartolomeu que se prenuncia.

 

69 comentários

  1. O nome da operacao nao eh

    O nome da operacao nao eh Zelotes.  Eh operacao Fariseus.  Foi visivel desde o comeco que alguma coisa estava errada:  a operacao Zelotes original se referia a bilhoes -provavemente meio trilhao- em dinheiro de sonegacao e corrupcao depositados em contas no exterior.

    ISSO ai…  isso ai eu nao sei o que eh, exceto farisaismo.

  2. Muito bem, Nassif

    Eh revoltante ver o tratamento diametralmente oposto que o MPF e a PF reservam a ex-membros de governos petistas e a todos os outros.  Com o PT, qualquer depoimento vale para condução coercitiva e todo o circo que vai junto.

    O MPF, a PF e o Judiciario estão jogando no lixo e muito rapido toda a confiança que tiveram do povo brasileiro nos ultimos anos.

  3. Tudo dependerá …

    A noite, mais longa ou breve, dependerá da capacidade de reação de forças progressistas. Se nos aquietarmos, acovardarmos e acomodarmos, isso é sinal de que merecemos o retrocesso; se não, a depender de como venhamos a agir, poderemos reconstruir o país, que, até o momento, fracassa !

  4. Moro, O Juiz De 1ª Instância Mais Poderoso do Universo

    Bom dia.
    Condução coercitiva é um tucanismo, uma ressignificação para o popular “na marra”. Se alguém estava em dúvida se estamos ou não em pleno Estado de Direita, não há mais espaço para divagações. A proósito, no meu blogue, escrevi:

    Brasil, O Estado de Direita E A Escolha de Moro

    Lá explico, ou tento, como Moro, o juizeco mais poderoso, mesmo juizeco, tem uma difícil escolha, a qual poderá criar situações ingerenciáveis para a direita, qual seja a decisão que este fascista tome.
    Leiam, discutam e compartilhem se assim desejado.

    • Outro Juiz “Corajoso” Foi Linchado

      Alguém lembra do De Sanctis? Ele sim foi corajoso. Pegou o Dantas. Mas o supremo GM atropelou ele.

      Dois pesos e duas medidas.

  5. Que ironia o do governo Dilma

    Que ironia o do governo Dilma = um blog como o do Nassif, que criticava com base e não na base do escracho a condução econômica , sofre uma retaliação besta e , por outro lado, revistas como Veja, que só metem o malho com baixaria e análises rasas que fazem Adam Smith corar no túmulo, nunca ganharam tanto dinheiro com um governo que , no final das contas, elas ajudaram a derrubar. Vá lá se entender…

    E lembremos que o primeiro ato de selvageria foi feito contra Mantega quando uma ameba o xingou quando ele estava com sua esposa em pleno hospital. Aí já deu uma amostra do que viria e está vindo.

  6. Zelotes ?

    Zelotes me lembra da Zelia Cardozo de Mello , confiscou milhoes ou bilhoes vazou para familiares e amigos arruinou a vida de muitos , jamais foi incomodada pela justiça ! 

    Aonde estao dando esses seminarios sobre interpretaçao da constituiçao para petistas ?

  7. Eduardo Cunha, a antítese de um Magistrado

    Eduardo Cunha, na qualidade de Presidente da Câmara dos Deputados, ao receber a denúncia de impeachment, teria a seguinte condição, conforme o magistério de Paulo Brossard: “Ele exerce singular Magistratura”.

    Frente a necessidade premente de que se provoque a jurisdição do Ministro Teori Zavascki, a fim de que aprecie a atuação de Eduardo Cunha, o que poderia ser feito, smj, através de Medida Cautelar de Caráter Penal, Subsidiária a Pública (vinculada a AC 4070/DF) ou outra ação que alcance o resultado útil , tendo em vista o iminente perecimento do direito postulado, passo, em caráter precário pela urgência, a tecer este não tão breve, arrazoado.

    No caso, eventual validação, por parte do Supremo Tribunal Federal, da decisão de Eduardo Cunha que acatou a denúncia contra a Presidente Dilma, seria algo trágico, pois feriria de morte diversos princípios constitucionais consolidados, que se constituem nos pilares do Estado brasileiro.

    Restariam atingidos praticamente todos os fundamentos elencados no art. 1º, e o art. 2º, da CF/88, a saber: a soberania, a dignidade da pessoa humana, o pluralismo político, e a independência dos poderes.

    Sem qualquer um deles, deixa de existir estado de direito, deixa de existir estado democrático.

    Tal decisão, em outros termos significaria negar vigência a normas fundamentais,  algo tão imenso e brutal que faltariam argumentos para descrever tamanha tragédia, algo que nem mesmo os gregos ousaram supor e,  tão ignominioso, que certamente  faria Dante criar mais um círculo ao final de seu inferno, destinado aos operadores do direito,  que conscientemente  teriam condenado o país à morte.

    Seria ainda, a capitulação final, para toda uma geração que acreditou que o Ministério Público e um Judiciário forte,  poderiam ser os indutores para uma sociedade mais justa e igualitária e que, enfim, fariam valer a Constituição  a qual, juraram cumprir e defender.

    Tal gesto atingiria de forma direta o judiciário, em sua totalidade e essência, caso se quedem omissos neste momento fundamental, no qual se decidem os rumos de toda uma nação.

    E isso, por um singelo motivo, Eduardo Cunha, na condição de Presidente da Câmara dos Deputados, nos dizeres do eminente jurista Paulo Brossard, in verbis: “…exerce singular magistratura”, no caso, é o primeiro e fundamental Juiz do processo de impeachment, o que analisa, atesta e aceita sua validade (vide post http://jornalggn.com.br/noticia/cunha-o-falso-juiz-do-apocalipse-por-sergio-medeiros), portanto, sua condição de juiz só se perfectibiliza mediante o atestado de higidez de seus atos, o que teria o condão de validar sua postura e atuação jurisdicional, e que se estenderia a toda magistratura, visto que nela reside o fundamento de onde extrai sua legitimidade.

    Entretanto, acaso considerado viciado este ato inicial, caem por terra todos os movimentos subsequentes, por serem dele dependentes e decorrentes deste impulso primordial e, reconhecida a nulidade, voltamos a normalidade democrática e institucional.

    Pois bem, estes são os elementos, estes são os caminhos, restam as decisões a serem proferidas.

    Feitas estas considerações, analiso alguns pontos fundamentais para elucidação da questão posta, acerca da nulidade da decisão de Eduardo Cunha, por vício de origem, recentemente evidenciado pela decisão do Ministro Teori Zavascki, que determinou a suspensão de seu mandato de deputado.   

    Da possibilidade de interposição de Medida Cautelar de Caráter Penal, subsidiária da Pública, destinada a resguardar direitos sob pena de perecimento, consoante permissivo constitucional e processual penal. Nesse sentido:

    (…)Em si mesma, a titularidade privativa da ação penal pública, deferida pela Constituição ao Ministério Público, veda que o poder de iniciativa do processo de ação penal pública se configura a outrem, mas nada antecipa sobre a outorga ou não de outros direitos e poderes processuais a terceiros no desenvolvimento da consequente relação processual. Ao contrário, a legitimidade questionada para a apelação supletiva, nos quadros do Direito Processual vigente, se harmoniza, na Constituição, não apenas com a garantia da ação privada subsidiária, na hipótese de inércia do Ministério Público (CF, art. 5º, LIX), mas também, e principalmente, com a do contraditório e da ampla defesa e a do devido processo legal, dadas as repercussões que, uma vez proposta a ação penal pública, a sentença absolutória poderá acarretar, secundum eventum litis, para interesses próprios do ofendido ou de seus sucessores (CPP, arts. 65 e 66; CC, art. 160).” (HC 68.413, rel. min. Sepúlveda Pertence, julgamento em 22-5-1991, Plenário, DJ de 18-10-1991.)

    Consoante dicção do art. 5º, incisos XXXV e LIX, da CF/88:

    Art. 5º, caput: (…) incisos,  XXXV – a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito; e  LIX – será admitida ação privada nos crimes de ação pública, se esta não for intentada no prazo legal;(…)

    No caso, o prazo legal, prende-se ao perecimento do direito, ou consequências irreversíveis.

    A medida cautelar penal privada subsidiária da pública,  tem suporte nas disposições insertas no artigo 29 do Código de Processo Penal,  que outorga o direito ao ofendido, na hipótese de inércia do Ministério Público, de propor a ação penal nos crimes de ação pública, conforme dicção do artigo, ipsis litteris:

    Art. 29. Será admitida ação privada nos crimes de ação pública, se esta não for intentada no prazo legal, cabendo ao Ministério Público aditar a queixa, repudiá-la e oferecer denúncia substitutiva, intervir em todos os termos do processo, fornecer elementos de prova, interpor recurso e, a todo o tempo, no caso de negligência do querelante, retomar a ação como parte principal.

    No caso, somente é possível a propositura da ação penal privada subsidiária com a inércia do Ministério Público, ou seja, somente na hipótese em que o representante do Parquet, em posse dos documentos comprobatórios da materialidade e autoria de infração penal, quede-se inerte frente ao ajuizamento das medidas penais cabíveis.

    Reza o direito, em sua interpretação sistemática, que quem pode o mais pode o menos, no caso a medida cautelar penal, subsidiária a pública,  assecuratória de direitos,  seria um minus em relação a ação penal subsidiária em si.

    Prosseguindo.

    No caso, as condições afetas ao direito cautelar, o fumus boni iuris e o periculum in mora estão sobejamente demonstrados, consoante as considerações supra e os elementos a seguir delineados.

    Dos fatos e do direito.

    Da condição de Magistrado, ad hoc, excepcionalmente outorgada ao presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha.

    Informo, inicialmente que, no Mandado de Segurança, impetrado por deputados do Partido dos Trabalhadores,  MS 33921/DF – que apesar da desistência dos impetrantes, o Ministro Gilmar Mendes deu-se por competente para apreciar -, foi veiculado o pedido de nulidade da decisão de Eduardo Cunha que, na condição de Presidente da Câmara dos Deputados, acolheu a denúncia para fins de proceder ao impeachment da presidente Dilma Roussef.

    No mérito do referido mandado de segurança,  a questão central prende-se a natureza do ato praticado por Eduardo Cunha, ou seja –  qual a natureza do Ato do Presidente da Câmara dos Deputados ao analisar o pedido de impeachment -, se este seria meramente formal, ou se revestiria de uma análise mais exaustiva  (rigorosa) e teria conteúdo e validade materiais.

    Observo, neste ponto, que em outro processo, análogo a este, no Mandado de Segurança nº 30672,  impetrado CONTRA o Ministro Gilmar Mendes, onde era pedido o IMPEACHMENT dele Gilmar, foram, sem sombra de dúvidas, consolidados os seguintes entendimentos sobre a matéria.

    Todas as manifestações, sem exceção, enaltecem o Ato do Presidente da Câmara dos Deputados ao receber a denúncia de impeachment, como sendo um ato de extrema responsabilidade, a ser submetido a todos os filtros de direito e de politica existentes, sendo que, em face da gravidade de tal pedido – chegaram em suas manifestações a assumirem ares apocalípticos, o que pode ser apreciados nos fundamentos adotados para tal decisão.

    Por oportuno, vejam os entendimentos emitidos na ocasião:

    “(…)competência do Presidente desta para o exame liminar da idoneidade da denúncia popular, ‘que não se reduz à verificação das formalidades extrínsecas e da legitimidade de denunciantes e denunciados, mas se pode estender à rejeição imediata da acusação patentemente inepta ou despida de justa causa(…) Ministro Sepúlveda Pertence. STF. . MS 20.941-DF.”

    “Naquela assentada o relator, Min. Carlos Velloso, destacou do parecer proferido pelo Procurador-Geral da República diversos trechos, dos quais destaco o seguinte: ‘9. Dessa forma, tem-se que a denúncia apenas será lida no expediente da sessão seguinte e despachada a uma comissão especial eleita se recebida pelo Presidente da Câmara dos Deputados. Pela simples leitura das normas supramencionadas nota-se que não cabe ao Presidente da Casa submeter, de imediato, a denúncia ao Plenário, como quer fazer entender o impetrante. Irrefutável, portanto, que o processo por crime de responsabilidade contempla um juízo preambular acerca da admissibilidade da denúncia. Faz-se necessário reconhecer ao Presidente da Câmara dos Deputados o poder de rejeitar a denúncia quando, de logo, se evidencie, por exemplo, ser a acusação abusiva, leviana, inepta, formal ou substancialmente. Afinal, cuida-se de abrir um processo de imensa gravidade, um processo cuja simples abertura, por si só, significa uma crise. 10. (…)

    ’12. O eminente Ministro PAULO BROSSARD, seguindo a mesma linha de raciocínio, entendeu que ‘À semelhança do Juiz que pode rejeitar uma denúncia, ou uma inicial, o Presidente da Câmara também pode. O Presidente da Câmara não é um autômato. O Presidente da Câmara tem uma autoridade que é inerente à sua própria investidura, tem o dever de cumprir a Constituição, as leis em geral, e o Regimento, em particular que é lei específica. Se bem ou mal entendeu ele de determinar o arquivamento… (…) A questão, para mim, está em saber se a autoridade que indeferiu, ou determinou o arquivamento da petição, tinha poder para fazê-lo. Minha resposta é afirmativa. (…) Ele exerce singular magistratura.(…)

    Voto-vista Ministro marco Aurélio:

    “No julgamento do Mandado de Segurança nº 20.941/DF, o Ministro Sepúlveda Pertence fez ver: De outro lado, esse recebimento da denúncia, ato liminar do procedimento, não se reduz a uma tarefa material de protocolo: importa decisão, como o reconhecem os impetrantes, ainda que lhe pretendam reduzir o alcance à verificação dos requisitos puramente formais dos arts. 15 e 16 daquela mesma lei,(…)

    (…)A tal conclusão também chego em razão da gravidade do processo de impeachment. Uma vez instaurado, traz incerteza quanto à investidura de autoridade da República – fazendo pesar o risco iminente da perda do cargo –, normalmente em grave prejuízo à estabilidade necessária ao funcionamento regular das instituições democráticas.(…)

    (…)A tal conclusão também chego em razão da gravidade do processo de impeachment. Uma vez instaurado, traz incerteza quanto à investidura de autoridade da República – fazendo pesar o risco iminente da perda do cargo –, normalmente em grave prejuízo à estabilidade necessária ao funcionamento regular das instituições democráticas. Em obra sobre o tema, o Ministro Paulo Brossard veio a consignar: A natureza das infrações que o motivam, o relevo das personagens envolvidas na querela e o vulto dos interesses atingidos, fazem ver, a toda evidência, que o ‘impeachment’, desde que proposto, traz um formidável traumatismo que não seria de tão nocivas proporções se lograsse ser vencido em breves dias; mas, estendendo-se por meses, observados que sejam os trâmites legais, fácil é compreender que não há estrutura social capaz de suportar o cataclisma político que significa um processo desta natureza contra a autoridade que concentra em suas mãos a maior soma de poderes na República; de tais proporções que será o abalo e tais suas repercussões que chega a ser temerário o simples apelo à solução que a lei estabelece (O impeachment, 1965, pp. 192 e 193). Tão importante é o ato de recebimento do pedido de impeachment que o Supremo, interpretando o artigo 15 da Lei nº 1.079/50, chegou a proclamar, certo ou errado, que a renúncia da autoridade ou a cessação do mandato não fazem interromper o prosseguimento do processo – Mandado de Segurança nº 21.689/DF, da relatoria do Ministro Carlos Velloso(…)

    No ponto, deixo de analisar a decisão, em sede de apreciação liminar, do Ministro Gilmar Mendes, por tratar-se de questão incidental a ser novamente analisada nesta demanda (entretanto, se alguém se interessar pela questão, esta foi esmiuçada no post http://jornalggn.com.br/noticia/o-pedido-de-impeachment-do-ministro-gilmar-mendes-por-sergio-medeiros .

    Prossigo.

    Considerando que, como acima fundamentado, restou definida a questão acerca do ato ser de direito material, e que tal ato, por si só já causaria (e causou) imensos prejuízos, passo a apreciação das motivações do “magistrado” Eduardo Cunha.

    Ressalto, deste modo que, conforme entendimento consolidado, referido ato tem conteúdo material de grande importância, e mais, o praticante do ato agia como Juiz, portanto, toda a decisão ficaria comprometida e neste caso, a reprovação seria total e inapelável, se este agiu mediante motivações pessoais e, como veremos, de caráter ilícito.

    Desta forma, em atenção ao princípio da segurança jurídica, impende considerar o ato praticado por Eduardo Cunha em conformidade com eventuais motivações pessoais deste, que, neste caso, o invalidariam.

    Preliminarmente a uma das questões de fundo (prova do fato), teço as seguintes considerações.

    Delineada a solução acerca do direito a ser aplicado ao caso em tela, torna-se imperativo analisar a existência do chamado “desvio de finalidade”, ou mesmo ausência de imparcialidade do Presidente da Câmara, eis que, como citado, por Paulo Brosssard “Ele exerce singular magistratura”, e, portanto, devem-lhe ser impostos, tanto os poderes quanto os deveres inerentes a investidura.

    Por sintomático, para exemplificar a motivação da conduta de Eduardo Cunha, trago a colação, como representativo de milhares de manifestações, o que consta até mesmo entre veículos da grande mídia, como no editorial de O Globo, sob o título; “Legalidade e legitimidade do impeachment. Impossível negar o caráter de retaliação do ato de aceitação do pedido de impedimento por Eduardo Cunha, mas agora isto é passado”, ou mesmo a fala atribuída a Miguel Reale um dos signatários do pedido: “O Cunha acaba escrevendo certo por linhas tortas porque ele usou o impeachment o tempo todo como instrumento de barganha. No momento em que ele está no desespero, diante da inevitável derrota no Conselho de Ética, ele joga o impeachment como areia nos olhos da nação sobre a sua situação. Ele acabou aceitando o impeachment por razões não corretas..

    Da possibilidade de utilização de prova emprestada.

    É entendimento pacífico junto a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal  no sentido de que é válida a utilização, em processo administrativo, de provas emprestadas no Processo Penal (AG.REG. NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO 810.906 DISTRITO FEDERAL. RELATOR: MIN. ROBERTO BARROSO, DD:04.08.2015. Primeira Turma)

    Para dirimir eventuais dúvidas remanescentes, traz-se á colação a decisão proferida em sede de ação cautelar AC 4070/DF, utilizando-se os elementos nela contido na qualidade de prova emprestada, de modo a subsidiar as conclusões em eventual medida cautelar subsidiária.

    A tais considerações, acima delineadas,  por si só, irrefutáveis, temos agora, a agregar inafastável veracidade ao acima exposto, a decisão proferida pelo eminente Ministro Teori Zavascki, AC 4070DF, da qual transcrevo apenas parte da conclusão:

    Item 19. (…). O estado de suspeição que paira sobre a figura do atual ocupante da presidência da Casa Legislativa – formalmente acusado por infrações penais e disciplinares – contracena negativamente com todas essas responsabilidades, principalmente quando há, como há, ponderáveis elementos indiciários a indicar que ele articulou uma rede de obstrução contra as instâncias de apuração dos pretensos desvios de conduta que lhe são imputados.

    Item 20. Os elementos fáticos e jurídicos aqui considerados denunciam que a permanência do requerido, o Deputado Federal Eduardo Cunha, no livre exercício de seu mandato parlamentar e à frente da função de Presidente da Câmara dos Deputados, além de representar risco para as investigações penais sediadas neste Supremo Tribunal Federal, é um pejorativo que conspira contra a própria dignidade da instituição por ele liderada. Nada, absolutamente nada, se pode extrair da Constituição que possa, minimamente, justificar a sua permanência no exercício dessas elevadas funções públicas. Pelo contrário, o que se extrai de um contexto constitucional sistêmico, é que o exercício do cargo, nas circunstâncias indicadas, compromete a vontade da Constituição, sobretudo a que está manifestada nos princípios de probidade e moralidade que devem governar o comportamento dos agentes políticos.

    Poderes são politicamente livres para se administrarem, para se policiarem e se governarem, mas não para se abandonarem ao descaso para com a Constituição. Embora funcionem, esses Poderes, sob o impulso de suas respectivas lideranças, embora tenham autonomia para perseguir os louvores e os fracassos daqueles que temporariamente lhes imprimam comando, são todos eles geneticamente instituídos pela mesma Constituição, e por isso estarão sempre compromissados com o seu espírito. Os poderes da República são independentes entre si, mas jamais poderão ser independentes da Constituição.

    O mandato, seja ele outorgado pelo povo, para o exercício de sua representação, ou endossado pelos demais deputados, para a liderança de sua instituição, não é um título vazio, que autoriza expectativas de poder ilimitadas, irresponsáveis ou sem sentido. Todo representante instituído nessa República tem ao menos dois compromissos a respeitar: um deles é com os seus representados; o outro, não menos importante, é com o do projeto de país que ele se obriga a cumprir ao assumir sua função pública.

    A sublime atividade parlamentar só poderá ser exercida, com legitimidade, se for capaz de reverenciar essas duas balizas. Se os interesses populares vierem a se revelar contrários às garantias, às liberdades e ao projeto de justiça da Constituição, lá estará o Supremo Tribunal para declará-los nulos, pelo controle de constitucionalidade. Mas não são apenas os produtos legislativos que estão submetidos ao controle judicial. Também o veículo da vontade popular – o mandato – está sujeito a controle. A forma preferencial para que isso ocorra, não há dúvida, é pelas mãos dos próprios parlamentares. Mas, em situações de excepcionalidade, em que existam indícios concretos a demonstrar riscos de quebra da respeitabilidade das instituições, é papel do STF atuar para cessá-los, garantindo que tenhamos uma república para os comuns, e não uma comuna de intocáveis.

    Poderes, prerrogativas e competências são lemes a serviço do destino coletivo da nação. São foros que convidam os consensos à razão, e não cavidades afáveis aos desaforos. O seu manejo – mesmo na escuridão da mais desoladora das tormentas – jamais poderá entregar-se a empatias com o ilícito. Como registrou o Min. Eros Grau, “a interpretação do direito, e da Constituição, não se reduz a singelo exercício de leitura dos seus textos, compreendendo processo de contínua adaptação à realidade e seus conflitos. (…). A exceção é o caso que não cabe no âmbito de normalidade abrangido pela norma geral. Ela está no direito, ainda que não se encontre nos textos normativos de direito positivo. Ao Judiciário, sempre que necessário, incumbe decidir regulando também essas situações de exceção. Ao fazê-lo não se afasta do ordenamento.” (RE 597994, Relator(a): Min. ELLEN GRACIE, Relator(a) p/ Acórdão: Min. EROS GRAU, Tribunal Pleno, julgado em 04/06/2009).

    Assim, como pode ser observado, face o acima exposto, em princípio, os fatos e o  direito postulado estão expressos de forma gritante, no sentido de pertinência de uma eventual interposição de uma medida cautelar de caráter penal subsidiária a pública, uma vez configurado, de forma inegável, a ocorrência de desvio de finalidade praticado pelo então Presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, fato este que tem o condão de infirmar tais atos na seara penal e conduzi-los a plena e absoluta nulidade, o que revela a necessidade impostergável da concessão da medida cautelar que suste os efeitos deletérios da decisão que acolheu a denúncia contra a Presidente Dilma Roussef.  

     

     

  8. Acordei de madrugada e ouvi

    Acordei de madrugada e ouvi um pouco a CBN, pois é dela, mais que da tv, que se antecipam as notícias do golpe. Pois bem, numa entrevista, uma repórter dizia que hoje seria o dia de mais uma etapa da operação zelotes, e que com certeza Guido Mantega seria uma presa fácil. Adiante, que Dilma estará envolvida jntamente com seu ex-ministro. Na sequência, que se Dilma vai pra casa, porque não resta dúvida de que o processo de impeachment será bem-sucedido, ela perderá o foro privilegiado, etc.

    Vejamos que a prisão coercitiva de Guido Mantega é, em suma, para chegar-se a Dilma, de preferência hoje, para que os discursos dos políticos ao votarem a favor do golpe, tenham mais substância. Aí, vão somar Delsídio, o líder da Presidente, que estará hoje no Congresso para abertura do processod e sua cassação; com Dilma à beira da morte política, e mais Mantega, seu ex-ministro debaixo de fogo cruzado.

    Nada é feito por esses procuradores por mero acaso. Tá tudo no mesmo cesto.

    Vale dizer que a CBN é quem adianta a notícia sobre o golpe, com mais precisão.

  9.   Está ficando cada vez mais

      Está ficando cada vez mais dificil permanecer abraçado ao erro. Até a Andrade Guitarrez já reconheceu e pediu desculpas….

    • Bobão.
      Qual Andrade

      Bobão.

      Qual Andrade Gutierrez? A amiga do Psdb, partido para o qual doa dinheiro lavado enquanto para a Dilma é sujo,  e que vai sair trotando na frente das outras empreiteiras com Cunha, Temer, Moreira, Padilha, Serra, Gedel etc. Pagaremos 2 bilhões para que a empreiteira devolva o bilhão do Moro. E esse juiz desonesto e canalha sabe disso assim como a PF, o PGR, o STF e a grande imprensa brasileira.

  10. Está sendo um verdadeiro

    massacre contra os petistas.E só contra eles.

    Será que ninguém no Governo nunca percebeu o que eles estavam alimentando?

    Pelo jeito até sexta-feiranão vai sobrar nada nem ninguém para contar a história.

    E viva o republicanismo.

     

  11. Tenho dito que a saída para
    Tenho dito que a saída para Lula é o aeroporto. Vivemos tempos de exceção, o ex presidente e sua família não devem legitimar esse processo se submetendo aos simulacros de julgamentos. Lula deve solicitar asilo político e ser o líder da resistência fora do país. Preso não servirá para muito. A mídia e a repressão darão conta de manter o país sob “ordem”. Aos mais pobres a GLOBO alimentará com carne e sangue de petistas e aos movimentos políticos organizados o Gal. Etchegoyen dispensará o mais brutal aparelho repressivo. Os esquadrões da morte que hoje atuam muito azeitadamente contra ” os bandidos bons e mortos ” serão redirecionados ao combate das lideranças políticas. Tempos tenebrosos se delineiam num futuro que já nos bate à porta.

    • Lula sera mais forte se for

      Lula sera mais forte se for preso. se fugir vai deixar seus eleitores como idiotas e vai ratificar o enredo que a classe dominante esta tentando criar.

      Se preso vai haver romarias para o presidio, vai incomodar muito mais que ficar refugiado em outro pais

      • Silenciado não servirá muito.
        Silenciado não servirá muito. Tome-se como exemplo Nelson Mandela. A mídia mercantil ainda, infelizmente, tem o poder da palavra. Os governos de Lula e Dilma tem enorme responsabilidade por essa hipertrofia, nem tanto, pelos recursos dispensados, mais pela omissão. Ainda guardo na memória o aconselhamento da presidenta para substituir o embate político e as críticas pelo controle remoto. De maneira, que posso até esta equivocado, mas a prisão não é o melhor quadro. Os dias seguintes ao ato arbitrário serão de muita tensão, mas eles responderão com porradas e muito circo. Decerto, o pão faltará aqueles que sentem fome.

      • Fugir?

        Lula, como vítima de um estado de exceção, seria um refugiado político, e não um fugitivo. Faria muito mais estrago aos golpistas no exterior, do que preso numa jaula em Curitiba. Veja o Assange. Lula tem que procurar uma embaixada o quanto antes.

  12. O PT tem que acordar ,a realidade é caça ao PT, agora e sempre

    A Dilma afastada as coisas só tendem a piorar, se pensam que eles vão se contentar só com a cabeça do Lula!!! Marcatismo será ficinha perto dos planos de Janot e Moro (aliados de tucanos, fiesp, e capitaneados pela Globo e demais familias da mídia)

    Brasil o país do futuro de fascistas escroques e corruptos, ontem, hoje e sempre!!!

  13. A PARCIALIDADE das

    A PARCIALIDADE das instituções de policia e judiciaria no Brasil passou de todos os limites. Isso tem que tratado no nivel do CONGRESSO NACIOANAL. 

    Perderam o pudor. Só há condução coercitiva, prisão, condenação de gente do PT ou de algum ligado ao partido. 

    É uma (in)justiça de uma lado só.

  14. Somente Marilena Chaui fez

    Somente Marilena Chaui fez uma leitura correta sobre junho/2013. Segundo ela, jovens do MPL foram as ruas com suas justas reivindicações e bandeiras. No entanto foram expulsos a murros e pontapés por uma horda de fascistas que tomaram a conta das ruas e cujo ápice é o golpe que tem como alvo prender Lula, que virou inimigo de guerra, além da derrubada do governo, um golpe que funciona como um nada sincronizado, com várias Instituições e interesses internos e externos atuando

    • Eduardo Guimarães – do blog

      Eduardo Guimarães – do blog da cidadania – já fazia o alerta dos pergios da tomada dos fascistas nas “jornadas de junho” quanto todos os outros blogueiros progressistas ainda saudavam e louvavam o MPL e a “retomada das ruas”…

    • Jovens do MPL

      Não sei se foi jigemuidade ou não o movimento de 2013..A presidenta Dilma tinha no início do seu primeiro mandato um porcentual de aprovação de 60%. De repente, jovens saem a rua, contra praticamente tudo: saúde, educação, transporte, etc…Nada estava certo? Por que? A quem isto interessava? O grande erro da Dilma foi não responder aos jovens em cadeia nacional dizendo: a educação não está perfeita, correto, mas olhem o que foi aplicado na educação, e mostraria um gráfico.Como era e como estava. Idem com saúde, idem com transporte. Agora reclamer de tudo de um governo popular que estava dando prioridade aos mais pobres, eu acho estranho. Porque esses jovens eram universitários, todos vestidos, nenhum passando fome,a maioria vivendo com os pais, em suma pertenciam a classe média, não eram os mais necessitados, nem favelados.Então estavam reclamando de que?Em nome de quem? E aí isto abriu caminho para a classe média, ainda mais alta, começar a atacar o governo. Será que eles nãp previam que isto poderia acontecer?

    • A Marilena, então, equivocou-se…

      … em uma análise parcial.

      Do apartidarismo que foi se transformando num “fora partidos” por quem foi aderindo aos protestos. Partidos de direita não vão às ruas. Quando a m*rda aconteceu, o MPL tirou o time de campo, mas a semente já estava plantada.

      Como prova o MPL, que acha que “seja de direita, seja de esquerda, a gente toma porrada do mesmo jeito”.

      O MPL foi irresponsável, primário e sem visão política de longo prazo. E a Marilena afaga.

       

       

       

    • É ISSO

      Àquela época um mainardizinho aqui dos pampas asseverou: “tudo isto vai cair na conta de DILMA”.Bom futurista, péssimo profissional. Golpista. Seu veículo só podia ser RBS.

  15. Curioso é que essa operação

    Curioso é que essa operação só “anda”, apresenta alguma novidade, quando tem os suspeitos de sempre envolvidos, ou seja, o pessoal do PT.  Coincidência? 

    Mesmo sem conhecer absolutamente nada da vida pessoal do ex-ministro, endosso a perplexidade do Luiz Nassif. O ex-ministro me parece ser uma pessoa séria. Prevejo que sairá dessa como entrou: inocente. Pena que até lá seu bem mais precioso, a honra, já tenha sido vilipendiada pelos abutres de sempre. 

    Pergunta final: e a fina flor do empresariado nacional, como ficam? Todos inocentes? 

  16. zelo

    Descaramento desses caras da ZH ELOTES ao desviarem o foco:é Lulinha, é MP, agora é Guido.Nem dá pra dizer que tangenciam os sonegadores tri conhecidos; os ignoram pra salvá-los.Cinismo ao cubo. Uma tonelada de óleo de peroba pra cara deles.

  17. Na verdade…

    … mais um desdobramento do prenúncio da nossa grande Noite dos Cristais, né, Nassif?

    E pelo andar da carruagem (de golpeamento em golpeamento já sendo tramados), até está me passando pela cabeça que… nada de 2018, nem em 2018. Até lá, o campo progressista será devastado, a Constituição, desfigurada, e vamos ter que aguardar ainda vários anos para que uma nova Emenda Dante de Oliveira venha à tona e nos dê algum respiro. 

  18. Sei lá…..Acho que vou

    Sei lá…..Acho que vou providenciar meu passaporte para Sobral. Estou pensando até em apagar meus comentários aqui e no “feicebuque”. 

     

    • A essa altura não dá mais
      A essa altura não dá mais para apagar os rastros. Tua preocupação é bem racional. No futuro os assassinatos de lideranças políticas e críticos ao golpe será creditado na conta da “violência urbana”. Cotidiano! Veremos perseguição de toda ordem. Romperam-se os limites da legalidade.

    • Quem vai cudar de nós tem

      Lendo o artigo de ontem do Nassif dpa pra ver que vai cudar de nós dissidentes,,,trata-se de golpistas históricos, os quais tem mais do que simpatias pela Mossad, o serviço secreto israelense, aliás, será que alguém duvida de que a Lava Jato foi parida por esses serviços de informação…senão vejamos: quando acabou a Guerra Fria os EUA vieram com uma desculpa de combater o narcotráfico e ai instalaram bases nos paises fronteiriçoes do Brasil…depois veio a onda das primaveras árabes ou seja da ‘luta pela democracia”…após essas duas ondas veio a terceira onda que é a isca do “combate à corrupção”…três ondas mas apenas uma verdade: a agressiva apesar de sempre invisível mão de ferro do tio sam com sua geopolitica

      http://jornalggn.com.br/noticia/xadrez-do-governo-temer-e-o-fator-militar

       

    • Sei que é piada, mas…

      JB,

      Sei que é piada sua, mas venho dizer que essa de apagar meus comentários aqui, alí e alhures é uma possibilidade que nem passa pelo meu pensamento.

      Haverei de confirmar e justificar cada um deles

      • Exato. Tudo que escrevo,

        Exato. Tudo que escrevo, falo, assumo. Geralmente só apago comentários quando avalio ter extrapolado em críticas ou mesmo insultos a quem não merecia. 

    • Cara Cristiana, frente a

      Cara Cristiana, frente a decisão do Pres Maranhão (nulidade do processo de impeachment)… podes dar uma olhada no artigo – fora de pauta  – Eduardo Cunha, a antítese de um magistrado… é meio extenso… mas acho que pode conter uma alternativa viável… smj…

  19. A realidade imita a ficção?

     

    “Ordem 66

    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

    A Ordem 66 foi uma ordem militar expressa pelo Supremo Chanceler Palpatine marcando o fim das Guerras Clônicas e os primeiros dias da Ascensão do maléfico Império Galáctico, que provocaria o Grande Purga dos Jedi. O evento foi narrado no filme Episódio III da saga Star Wars.

    Texto da Ordem de Contingencia nº 66:

    “LXVI – Na circunstância dos oficiais Jedi agirem contra os interesses da República, e após receberem ordens verificadas e confirmadas vindas do Supremo Chanceler, todo soldado do Grande Exército da República deverá remover os oficiais Jedi utilizando-se de força letal, e o comando do Grande Exército da República será passado para o Supremo Chanceler, até que uma nova estrutura de comando seja estabelecida.”

    Todos os Jedi foram aniquilados pelo antigo exército de clones da República, os então Stormtrooper, liderados por Lord Darth Vader. Na época, registros indigam que a Ordem Jedi possuia 10.000 membros (mestres, cavaleiros e padawans). Alguns Jedi conseguiram sobreviver ao golpe, incluindo Mestre Yoda, que se exilou em Dagobah, e Obi-Wan Kenobi, que passou a residir em Tatooine sob o nome de Ben Kenobi. Mestra Shaak Ti e sua pupila Maris Brood esconderam-se em Felucia. Mestre Kazdan Paratus conseguiu sobreviver mas enlouqueceu, fugindo até o planeta lixão Raxus Prime e construindo um “Templo Jedi” feito de sucata. Mestre Rahm Kota sobreviveu pois que ele não tinha soldados clones (ele considerava clones algo muito incompetente), e tinha sua própria milica particular. Mestres: Shadday PotkinBultar SwanTsui ChoiRoblio DartéSia-Lan WezzMa’Kis’shaalasKoffi Arana e Jastus Farr conseguiram sobreviver à ordem 66, e se reuniram no planeta Kessel para debaterem como derrotariam o Imperador e Darth Vader. O que eles não sabiam é que o Serviço de Inteligência Clone conseguiu rastrea-los, e foram massacrados por Vader e pela 501ª Legião. Esse evento ficou conhecido como Massacre da Conclave de Kessel.”

    Lembro bem que Yoda escapa pois percebe as intenções dos soldados que a princípio “faziam a sua guarda” e “tranquilo e infalível como Bruce Lee” saca a sua espada de luz e neutraliza dos assassinos do Imperador.

    Lula é o Yoda que Temer, Moro e sues comparsas no MPF, PF e também no STFascista estão salivando para eliminar.

    Te cuida Mestre Yoda pois és com certeza o próximo alvo, talvez antes até da votação no nojento Senado da República.

  20. Parabéns, Nassif. pela

    Parabéns, Nassif. pela solidariedade ao Mantega. Defender principios de legalidade e se revoltar contra injustiças, deixando de lado problemas menores, revelam um caráter  íntegro.

  21. dd

    Condução do Mantega precede a votação no Senado. Até quarta deve vir outras ações por ai do MPF do Paraná e do Moro.

  22. Seletivo e autoritário

    Hoje, o nosso lerdo Judiciário deu mais uma demonstração evidente da atual conduta seletiva e autoritária ao fazer detenção coercitiva com o o ex-ministro Mantega. Ao que me consta, ele nunca foi condenado  em menhum julgamento. Como cidadão, tinha direito a um tratamento minimamente educado; bastava intimá-lo por carta. e-mail ou telefone. Mas a Justiça e a PF com o seu aparato preferem condução coercitiva. Mais uma humilhação desnecessária imposta a idosos que têm ligação com o governo de Dilma e Lula. Estou com sindrome de RD (Regona Duarte): tenho medo desse  comportamento seletivo e autoritário da nossa Justiça que envergonha o Brasil aqui e lá fora. O texto de Nassif é muito importante. Parabéns.

  23. Ação e reação

    Não será uma ditadura das Forças Armadas, pois acho inverossível que as Forças Armadas ENDOSSEM UM GOVERNO CORRUPTO MUNDIALMENTE RECONHECIDO, seria uma BURRICE SEM LIMITES!

    Ainda pior seria AGIR CONTRA O POVO – O POVO SERIA DUPLAMENTE VITIMADO!

    Qualquer medida repressiva deverá vir das policias militares e da Força Nacional – AS FORÇAS ARMADAS AMADURECERAM – SABEM QUE SEU PAPEL MAIS IMPORTANTE NÃO É PROTEGER GOVERNO MUNDIALMENTE  CONHECIDO POR SUA CORRUPÇÃO, MAS A INTEGRIDADE DO BRASIL!

    A ditadura de 64 caiu NÃO POR AÇÃO DE GRUPOS GUERRILHEIROS, qualquer ação armada vai trazer o militares para o centro das ações, pode ser uma coisa desejada pelo PMDB, não pelo PSDB neste momento, pois poderia causar uma mudança no cenário e significar quebra do acordo PMDB / PSDB para as próximas eleições!

    Como agiriam os golpistas: Não aumentar imposto, medida imposta pelo apoio da FIESP, com queda de arrecadação – de onde viriam recursos?

    Das reservas?

    Então é rezar para que não haja um ataque especulativo que poderia evaporar as reservas e nos jogar nos braços do FMI!

    O bom(?) é que o POVO TEM A CHAVE DO TEMPO DE DURAÇÃO DESTA DITADURA!

    A de 64 não tinha internet –  levou 20 anos para DESCONSTRUIR A CONFIANÇA DO GOLPISTAS JUNTO AO POVO!

    ESSE GOLPE COM PROVAS CONTRA ELE PIPOCANDO EM TODOS OS CANTOS E VINDOS DA INTELIGÊNCIA BRASILEIRA E RECONHECIDO POR INTELIGÊNCIAS ESTRANGEIRAS, COM AS PRIMEIRAS MEDIDAS JÁ SERÁ VISIVEL A PERDA DE APOIO!

    COM COMUNICAÇÃO CERTA JUNTO AO POVO, NÃO VENCERÃO ELEIÇÕES E NEM TERÃO SUPORTE PARA SUAS MEDIDAS AMARGAS PARA NÓS, ONDE HAVERÃO PARALISAÇÕES, GREVES QUE FARÃO OS EMPRESÁRIOS RETIRAREM O SUPORTE AOS GOLPISTAS – SERÁ PRECISO DOER NO BOLSO!

    Ai se imporá uma agenda de criar um tribunal para que o GOLPE SEJA ENQUADRADO  E ASSIM NUNCA MAIS AVENTUREIROS QUEIRAM AGIR NO BRASIL!

    SEM ESSA DE ANISTIA…

    BRASIL PARA BRASILEIROS!

  24. Acho que talvez o conceito de

    Acho que talvez o conceito de honestidade deste post tenha que ser ponderado.

    O código penal brasileiro, assim como no resto do mundo, não diferencia a corrupção que é feita em benefício próprio daquela que é feita em benefício de terceiros.

    De acordo com nosso código penal, um político que pratica corrupção pra aumentar sua conta corrente é tão desonesto quanto um que desvia ilicitamente recursos públicos para beneficiar um projeto de poder de um partido político.

    • Só que Mantega não fez nem uma coisa nem outra.

      Só que Mantega não fez nem uma coisa nem outra.

      Quem fala desse jeito é porque defende políticos que enriqueceram ilicitamente e como não conseguem explicar como o político a quem acusam de corrupção não enrriqueceu na política, passam essa MENTIRA de que houve roubo e favor do partido.

      Ora, caro Leandro Coxa, o PT também NÃO enriqueceu ilicitamente. O PT também NÃO enriqueceu. Vários partidos muito menores que o PT e sem militância, tais como PSDB, DEM, PP, PRB, PSD, etc, tem muito mais dinheiro que o PT.

      Então, onde é que pode ter havido corrupção em nome do partido e o partido continuar sem grana?

      E quem fala assim, os coxas como você, não explicam como os partidos que defendem (embora digam que não defendem, mas mesmo que não defendessem – e defendem – ainda sim, não os acusam de cooruptos) tem muito mais dinheiro.

      O projeto do PT não é um projeto de poder, é um projeto de justiça social e direitos trabalhistas, isso que vocês coxinhas não entendem, ou fingem que não entendem. Projeto de poder tem o PSDB e o PMDB que não querem saber de justiçasocial nem de direitos civis, liberdade nem coisa alguma, apenas de tomar o poder para roubar mais. É essa corja que você defende, tamra que faa parte dela, pois aí pelo menos haveria coerência porque se defende esses ladrões da direita e nem se aproveita dessa roubalheira, então é somente um trouxa mesmo.

  25. PHA já disse que  quinta

    PHA já disse que  quinta feira é o Lula que vai preso, pq casa civil já era!!! depois a Dilma qdo estiver afastada definitivamente!! Assim está esse País que vão ter saudades da democracia que reverberava o povo com, gestos  teatros  núsicas livros cinemas enfim, todas as manifestações de um País!!!!Ogolpe está dado, exceto se o povo  acabar com a farra dos golpistas!!!Pobre País governado pelo tampão  ficha suja!!!Pobre Blogs que o Serra chama de “sujos”  vão  em cima tb é só aguardar!!!!

  26. Ainda não é oficial… Mas já deu uma sacudida.
    Sessões de 15, 16 e 17 anuladas.

    Reagendadas para daqui a 05 sessões da Câmara.

    Vai ser uma guerra.

    O Presidente da Câmara pode tudo?  Este pôde…

    Atendendo a pedido da AGU que EC “esqueceu na gaveta”…  Os votos não poderiam ter sido “encaminhados” pelos partidos.

      • No dia da votação EC indicou
        No dia da votação EC indicou que não haveria encaminhamento de voto. Daí pra frente os líderes dos partidos, só contrário do que ele disse, fizeram o encaminhamento e ele fez de conta que não estava vendo…

        Nada garante que o próprio Cunha não esteja por trás desta decisão.

        Ver blog do Garotinho – o mood de EC: sentindo-se abandonado por Temer.

        Cunha parece conhecer mesmo. Mas só tem um lado: o próprio.

  27. OS COMENTARISTAS POLÍTICOS DEVERIAM MUDAR O FOCO. DEFENDA O POVO

    Caro Nassif, durante anos de comentários em seu blog defendi a posição pessoal do que iria acontecer ao Brasil, se você ler todos os meus comentários até os de indignação verificará que errei muito pouco ou quase nada. Agora com a sinceridade que irá se encerrar meus comentários via internet, não mais comento nada porque não resta mais nada além de uma grande derrota de quem queria ser derrotado e teve a irresponsabilidade de derrotar o povo na vagância de precisamente 54.501.118 votos, total legitimidade, total consagração por maioria absoluta. Agora já não é mais preciso falar em governo fraco, não é mais preciso falar dos sabotadores, da carta de quase amor ao FHC, que o governo começou a ruir a credibilidade junto com as paredes do PINHEIRINHO. nada mais é preciso dizer, nada. Porém a responsabilidade nos proporciona a defesa da democracia, talvez não a democracia mas a sua volta, a volta da justiça pelo menos honesta, a volta em crer que temos PF, MP e todas as nossas instituições agindo como descritas na constituição e suas emendas. Agora que alguém descreve que o Mantega está acima de qualquer suspeita, eis que a polícia federal encarregou de humilha-lo baseado nessa descrição de honestidade a toda prova, sempre alertei sobre o papel sombrio do silencio das POLICIAS POLITICAS e da JUSTIÇA PERSECUTÓRIA. A mais de dois anos pedia em meus comentários que pelo menos salvasse o povo simples da perseguição, nem isso nos ouviu, os ouvidos estão sempre atentos a bajulações ou “puxa sacos” que rodeiam todos que estão no poder. Se o cronograma do golpe seguir como foi planejado, não sobrará nada, a internet cuidou de catalogar todos os a favores e os contrários, os a favores o leite e o mel corrupto do golpe, os contrários as humilhações policiais e o armário da perseguição. Portanto Nassif,  já passou da hora da defesa, não existe mais colunas que se sustente diante da propaganda dos larápios sonegadores e revolucionários corvos da desgraça, o que há e que pode ser feito é defender o povo e pequenos empresários progressistas e que em suas cidades, não são pagos porque os golpistas querem suas cabeças e seus negócios. Muitas vezes eu repetia a figura do presidente seja quem for deve ser mais fraco do que o seu governo, o governo é que precisava ser forte, a DILMA não caiu, quem caiu foi o seu governo medíocre de mercadantes, moreiras, elizeus, temeres, bernardos, berzoines, levís, cardosos, e etc, todos sem nenhum valor a acrescentar, eram só amenizadores do caos que era plantado como se eles não fossem mudas estéreis que não brotavam nada de suas sementes, somente serviam para serem queimadas como incensos num perfume enjoativo e enebriante de mentiras e poder. Agora o povo exposto a todo tipo de covardia que uma justiça sórdida e uma polícia unanime em reprimir o povo podem fazer ao e levá-los ao calvário da perseguição. Vamos mudar o foco deixem esse governo estranho a realidade continuar a esperar PAPAI NOEL, peçam, denunciem e protejam o povo, já é normal chegarmos em nossas casas ou em nosso trabalho e pessoas alheias postas como se nos intimidassem, o medo já é convivência normal, mas o pior é não poder contar com a proteção para nossas famílias pois as polícias em boa parte trabalham firmes e armados para apogeu do golpe, ou seja, a perseguição. Mudem o contexto, pelo menos tentem proteger o povo progressista, o caça as bruxas chegou no andar de baixo com força. Acreditem, já ha casos pipocando ali e acolá de mortes e sumiços estranhos. 

  28. Cruvinel está levantando a
    Cruvinel está levantando a possibilidade de EC estar por trás da ação…

    Vamos incluir/anexar o processo de MT ?

    Lembrando relato de Garotinho sobre “mood” de EC, sentindo-se abandonado….

    • Ele já negou, dizendo ser

      Ele já negou, dizendo ser absurda essa possibilidade. Pode ser que tenha querido só dar um susto em temer. E infelizmente não acredito que essa paralisação dure até de noite. Ao que parece esqueceram de  combinar com o renan. Aguardemos!

  29. Noite de São Bartolomeu

    Desde a implantação da república do paraná vivemos uma interminável noite de São Bartolomeu, orquestrada por já not e descuidada pelas demais autoridades judiciárias brasileiras . Isto nos transforma numa nação lamentável , atingida pelo escárnio internacional. Valei-me São Jorge, salve o querido Brasil

  30. Nassif, consta que o Mantega

    Nassif, consta que o Mantega possuia uma rozoável (grande) herança deixada por seu pai.

    Essa dificuldade financeira será que procede mesmo  ?

     

  31. Mantega

    Nao vou discutir se o Mantega eh honesto ou nao, porem como a mulher de Cesar, nao basta ser, precisa parecer.

    Quem acompanha a vida da filha dele Marina, ve uma vida de luxo, com frequencia em Dubai, e outros parisos milionarios.

    Parece que nao falta dinheiro aos Mantega, pelo menos no que diz respeito ao estilo de vida da filha.

     

  32. Fenômenos Fenominais

    “E o povo como esta, tá com a corda no pescoço, é o dito popular, deixa a carne e roi o osso…” —  Bete Carvalho

    Nassif: você esta mergulhando desnecessariamente na História, ao reportar-se a noite de 23 para 24 de agosto de 1572 (São Bartolomeu). Temos data mais recente, representativa e expressiva, de 30 de junho a 1º de julho de 1934 (Nacht der langen Messer —para aquele ministro do STF dar a tradução que achar oportuna) para explicar o fenômeno, quando o governo foi “gentilmente” (como agora) ocupado. 

    Hoje, levaram coercitivamente Guido Mantega. Dizem que na quinta será a vez, pela manhã, do ex-presidente Lula depois, à tarde, da Presidenta Dilma.

    Na quinta, o novo governo assinará o empréstimo à Rede Globo e o socorro financeiro ao Grupo Abril. Uns trocados a mais será repartido pelo resto da grande mídia.

    Na sexta, Meirelles assinará ato, suspendendo todos os benefícios sociais e no sábado serão anunciados os planos “Minha Mansão Minha Vida” e o “Bolsa Caviar”, para atender as oligarquias e a galera da FIESP, sob os auspícios do Scaf.

    No domingo, Serra, já ministro plenopotenciário, anunciará a entrega do pré-sal à Chevron, o desvio do São Francisco para a aCantareira e o desligamento do Brasil do Grupo dos BRICs.

    Na segunda, o novo presidente, sem coragem de ir ao Planalto, despachará com Aloisio, FHC e Cunha, diretamente do Jaburu.

    Seja São Bartolomeu, seja Facas Longas, e o Povo? Ah! Isto não vem ao caso…

    • Fenômenos Fenominais

      jcordeiro: desculpe, mas sabemos que isso não vai acontecer. O que pode acontecer já é assustador o suficiente. Não carece do exagero.

  33. espero que os democratras

    espero que os democratras reajam a essa

    precipitação obscura dio esrtado de exceçãop…

    dasnoites coercitivas…

    anoiteço,

    espavoreço….

  34. Ainda teremos o povo adentrando …

    suas casas, conduzindo-os coercitvamente para a praça pública para que se expliquem frente ao povo!  Gostaria de ver a cara trêmula do parvo moro diante da turba.   Não foi isto o que fez a Revolução Francesa?  Não foi isto o que fez a Revolução dos Cravos?  

  35. Essa PF e justiça estão…

    Essa PF e a justiça que faz dupla são de causar asco por ações tão porcas como essa.

    Eles sabem a verdade sobre Mantega e também do momento sensível que está atravessando com a doença de sua mulher (sei muito bem porque já passei pelo mesmo), mas importa-lhes denegrir, humilhar e constranger os que elegeram para as experiências sádicas que saciam os seus egos.

  36. Salvador da Patria

    Sempre acreditei que o Mantega salvou o mandato do Lula substituindo  o Palocci de triste lembrança,tenho maior respeito por sua pessoa,é mais uma injustiça da PF usando delaçao premiada de corruptos da pior qualidade em beneficios politicos.A Justiça esta do avesso do avesso do avesso. Tudo isso pra chegar no Lula, mas faz 4 anos que eles não conseguem chegar…

  37. Carlos Alberto Freitas Lima
    Carlos Alberto Freitas Lima falou por mim. O monstro que vem é voraz: contra o povo, novamente.

  38. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome