Responsabilidade democrática, por Erly Ricci

Como presidente do PSDB e candidato ao mais alto cargo da república obtendo mais de 50 milhões de votos, Aécio Neves tem o dever de se manifestar à Nação. Deve dizer que não compactua com nenhum golpe, que tanto ele quanto o partido repudiam qualquer manifestação pela intervenção militar, e se colocar radicalmente contra toda forma de preconceito (racial, de classe, etc.)  e afirmar categóricamente que o ódio cega, não permite a troca de idéias, impede o debate. Pior: pode levar a uma ruptura insuperável da instituição democrática.

De acordo com o jornal Zero Hora e o que vemos nas redes sociais e nas agitações das ruas é que grupos de extrema direita, entre eles células neonazistas, reacionários de toda espécie, turbinaram as insatisfações dos partidários de Aécio Neves na derrota na eleição presidencial para Dilma Rousseff com mensagens de ódio, em especial contra nordestinos e pobres. Segundo a ONG SaferNet Brasil, houve um aumento de 342,03% nas denúncias de racismo e crimes semelhantes na internet no domingo, 26 de outubro, na comparação com o primeiro turno. Neste domingo, as denúncias contra essa onda de ataques envolveram 305 novas páginas (sites, blogs, Twitter ou Facebook), enquanto no dia 5 de outubro, foram 69 ocorrências denunciadas.

A partir do resultado da votação, irrompeu uma onda de acusações contra o Nordeste por Dilma ter vencido em todos os Estados daquela região. Em comparação com o mesmo 26 de outubro, em 2013 — um dia normal, sem eleição —, o crescimento das denúncias é ainda maior: 662,5%.

Leia também:  Apocalipse já: a destruição do estado de bem estar social, por Sonia Fleury

A SaferNet Brasil foi fundada em 2005 por um grupo de cientistas da computação, professores, pesquisadores e bacharéis em Direito para combater a pornografia infantil na internet brasileira, mas que se propagou para outros campos. Em pouco tempo, se tornou referência nacional de defesa dos direitos humanos na rede. O presidente da entidade, o advogado e professor de direito da informática Thiago Tavares Nunes de Oliveira, diz que os rastros das mansagens de racismo foram seguidos e se chegou nas suas origens. Boa parte partiu de perfis falsos ou robôs a serviço de grupos de ultradireita, 95% deles no Facebook e no Twitter.

— Foi um reflexo imediato do resultado das eleições presidenciais. Alguns eleitores do Aécio, inconformados, passaram a atuar como correio de transmissão de mensagens de ódio e discriminação contra nordestinos. Nossa preocupação é que esses eleitores propaguem e legitimem pautas e demandas que são defendidas por grupos aos quais esses eleitores certamente não pertencem — afirma Tavares.

Por tudo isso, como representante de um partido democrático, líder num processo eleitoral em que foi favorecido pela imprensa em todos os sentidos, Aécio Neves tem o dever, a obrigação institucional de se manifestar contra o ódio e dizer com todas as letras que qualquer ataque contra a democracia não tem apoio seu e de seu partido, que o Brasil é um único e imenso país que deve sair fortalecido dessas eleições. Se ele e o seu partido não fizerem isso estará não só compactuando contra a democracia mas também atuando como liderança nesse processo. 

33 comentários

  1. Concordo que a solução é

    Concordo que a solução é mesmo a intervenção.

    Sabe quando se reune a família para convencer um drogado a se internar? Pois é. Esse pessoal precisa desse tipo de intervenção. Precisam largar a droga (Veja) e se desintoxicar.

    • Também não acredito, mas

      Também não acredito, mas temos o dever de cobrar responsabilidade. Aldo Fornazieri, num post aqui mesmo no blog, está dizendo praticamente a mesma coisa: “O PSDB é politicamente responsável por essas manifestações e deve ser cobrado por isso. Convém lembrar que quando setores do PT propuseram a campanha do “Fora FHC”, o Congresso Nacional do partido, realizado em novembro de 1999, aprovou uma resolução rejeitando a iniciativa. Os tucanos precisam manifestar-se, tanto sobre as proposta de golpe, quanto sobre a palavra de ordem do impeachment de Dilma se não quiserem continuar dando vazão a este tipo de manifestações. O PSDB e os demais partidos que têm uma história de luta contra o autoritarismo e em defesa da democracia, incluindo o PT, não podem permitir que elementos oportunistas e carreiristas, vindos de outras bandas, contaminem e destruam a cultura democrática que os formaram”.

      • respondendo

        Prezado Erly Ricci

        O PSDB já realizou seu apelo por meio do deputado Alberto Goldman. Talvez Aécio devesse fazê-lo pessoalmente.

        Contudo há um sentimento nas ruas de “você não me representa” que foi dito ad nauseum em junho/julho do ano passado. E isso não passa pelos partidos. O PT, e as esquerdas, conseguiram polarizar uma grande parte da população contra si mesmos.  São aqueles que impediram que bandeiras do PT e aliados fossem à frente nas manifestações (Não aos partidos políticos! gritavam) e chegaram às vias de fato agredindo militantes esquerdistas. Há quanto tempo não se via isso? Desde a década de 1930? Chamá-los de “direitistas” é simplificar a questão. O fato é que o atual quadro de representação política não reflete um percentual gigantesco da população. Observe a quantidade de votos nulos, brancos e principalmente abstenções. “Você não me representa” é o que mais se ouvirá.

        E veja que nem PT ou PSDB usaram imagens de junho/julho em sua propaganda eleitoral…sintomático, não?

        Prezado Erly Ricci, esse tipo de manifestação não passa pelo PSDB, um partido de centro esquerda tal como a ala lulista do PT, aquela de seu primeiro mandato. Esse tipo de manifestação não passa por nenhum partido de oposição. O tipo de manifestação que vimos dia 1 de novembro de 2014 está ao largo dos partidos, quem conseguir decifrar seu segredo…

        • Acho que a fala do Alberto

          Acho que a fala do Alberto Goldman foi muito tímida, e muitos não o conhece como símbolo do PSDB.

          É necessário um politico mais conhecido do público em geral, que diga claramente que o partido não apoia essas atitudes preconceituosas e destemperadas que estão ocorrendo.

          Senão fizer isso, o PSDB corre o risco de ficar com a imagem ligada à extrema direita.

          E com certeza perderá votos.

          Em momento de campanha, os partidos da base do governo podem usar essas imagens contra o PSDB.

          • Usar essas imagens contra o

            Usar essas imagens contra o PSDB é o de menos. O que não pode ficar é esse clima caótico com nazifacistas e reacionários de toda espécie sendo comandados e manipulados por uma direita raivosa e pelas tais “forças ocultas” que bem sabemos quais são. 

        • Caro Oliveira2, o presidente

          Caro Oliveira2, o presidente do PSDB não é Alberto Goldman e nem foi ele o candidato à presidência e teve, aliás, uma fala muito tímida sobre este assunto em tela. Mas as pessoas que se viu na manifestação retratada pela foto do post são exatamente as mesmas que fizeram manifestação pró Aécio no mesmo lugar no sábado, véspera da eleição. Portanto, é obrigação dele e do partido que preside, enquanto líder do mesmo, de vir ao público e manifestar repúdio contra esse tipo de manifestação criminosa e muito perigosa para a saúde da democracia brasileira.

  2. E como fica a responsabilidade do “tucano mór”?

    Primeiro, FHC desqualifica os eleitores de Dilma. E agora, menospresa o diálogo com o governo democraticamente eleito. Sem contar o fato de seu partido ter questionado a lisura do processo eleitoral.

    Lamentável…

  3. O último parágrafo responde

    O último parágrafo responde tudo: se ele não dissociar o seu nome e o nome do partido de tudo isso vai ficar configurado que é líder na luta contra a democracia brasileira. 

  4. Defensor do golpe militar 64 é secretário particular de Alckmin

    O PSDB está mais próximo da extrema-direita do que muitos imaginam.

     

    “Ao nomear como secretário particular o advogado Ricardo Salles, um dos fundadores do Endireita Brasil, Geraldo Alckmin coloca dentro do Palácio dos Bandeirantes um movimento que vai muito além da defesa dos princípios liberais e dos valores conservadores; a organização criada por Salles exalta o regime militar de 64 e espalha mentiras pela internet.”

    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/95058/Ultradireita-de-Alckmin-é-mais-grave-do-que-parece.htm

  5. Vovô Tancredo Neves. Muro que

    Vovô Tancredo Neves. Muro que não cai.

    Se ele segue fielmente a cartilha do Vovô, ele herdou o muro. Vai deixar do jeito que está para ver como é que fica.

  6. Não acredito que o Aécio ou o

    Não acredito que o Aécio ou o PSDB faça isso. Na verdade esse movimento está sendo articulado e financiado por algo externocmuito maior que eles e eles não vão se indispor com o patrão.

  7. o psdb perde e perderá mais

    o psdb perde e perderá mais uma vez,

    mesmo que avance nesse terrorismo ancorado na grande mídia.

    pelo que ouvi mesmo dos que criticam dilma e votaram no aécio,

    quem será beneficiado será o temer.

    o povão mesmo aeciano não é burro.

    nesse andar da carruagem é capaz do psdb chegar

    em 2018 com menos de vinte milhõe   de votos.

    donde se conclui que o psdb tá dando mais um tiro no pé,

    num post o cientista político almeida fez uma comparação

    do nosso com o regime argentino, o peronismo.

    diz ele numa sacada genial que aqui temos o pmbd.

    mesmo que os  tucanos queiram o pior,

    pode ficar pior, mas só que com o pmdb…

    bem feito pros tucanos   – como diria minha avó..

  8. Volume morto

    Acho que a água do volume morto deve conter alguma substância alucinógena que está fazendo que pessoas que furam o sinal civilizadamente e que sonegam seus impostos em dia percam totalmente a noção do razoável.

    • Eu tive a mesma idéia

      Oi Valmir, sabe que pensei quase a mesma coisa! Será que o Paulista tá ficando maluco? Seria essa “apocalíptica” falta dágua que estão deixando as pessoas sem dicernimento? É tudo muito estranho!!!! A impressão que tenho que as pessoas perderam a noção da nossa história… é sabido que quando as populações passam por alguma tragédia elas ficam mudadas, protestam mas ao mesmo tempo vão ficar religiosas etc e tal. São Paulo precisa de um divã.

  9. E pensar que são muitos.

    Vendo essa e outras centenas de fotos eu repito : a ignorância não é um privilégio, é um dom.

  10. Primeiro foram as

    Primeiro foram as “marchadeiras”; agora são seus netos; pobres meninos que serão reprovados nas questões de história do ENEM.

  11. Vã esperança

    Não esperem grandeza, defesa da democracia ou responsabilidade desta gente. A forma truculenta e arrogante como tratam o assunto, o ódio demonstrado após o inconformismo com a derrota, até dando sinais de aceitar um golpe,  já dá uma pista de sua “formação” moral. Execrável.

  12. Comentário.

    Esse é um dos resultados das “marchas de junho”, cujas análises, em sua maioria, entenderam como “avanço democrático e por mudanças”.

    Precisamos de uma “Frente Ampla pela Governabilidade”, suprapartidária, pelas garantias democráticas.

  13. É exatamente isso que os tuCANALHAS

    querem. Será que a Dilma não vai fazer nada? Será que ela ainda acredita no controle remoto?

     

  14. So’ o Aecio

    Concordo em genero, numero e grau que Aecio tem que se manifestar em forma de apoio a democracia, ainda que como oposicao ao governo.

    Mas e a Dilma? Um discurso no dia da eleicao e’ suficiente? Cade a presidenta, trazendo a discussao politica de forma madura e objetiva? Nao se trata de dar valor exagerado a meia duzia de malucos de extrema direita, mas porque nao comecar o “dialogo” que ela prometeu imediatamente?

    E o Lula? Lula mal participou da campanha, apesar de no segundo turno ter-se movimentado mais e sido importante na onda final de apoio a Dilma. Mas e’ so’ isso? Jogou uns baloes de ensaio para dizer que quer participar mais do segundo mandato e e’ so’?

    E os aliados? Temer e compania podem ficar alijados do processo, so’ porque sabem que sempre vao ser procurados pelo governo de plantao? Nao e’ hora de fazerem algo de valor para a Nacao, considerando ainda serem o aliado mais importante, o maior partido e o partido do vice-presidente?

    Enfim, e’ facil cobrar do Aecio – e justo e correto, mas o nosso lado tambem nao esta fazendo sua parte…

  15. Lei de Segurança Nacional !!!

    Que tal enquadrar este pessoal TODO na LSN ???

    É só enquadrar os que querem/propõem dividir o país em norte e sul, o pessoal que quer a volta da ditadura militar, a galera que incendeia onibus, etc…

    Tá tudo a disposição : facebook, tweeter, fotos das manifestações, o que estão esperando pra começar a TRABALHAR ???

    Para os que não conhecem, aqui está a dita LSN : http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7170.htm

    Neste país de BANANAS, o que tá faltando é que as instituições democráticas, policiais e judiciárias FUNCIONEM.

    Temos leis que chegam e a “tchurma” que tem que zelar pela NAÇÃO está acovardada, omissa e quando não participando do GOLPE.

    Chega de PALHAÇADA !!!

  16. Que bando de coxinhas

    Que bando de coxinhas deprimente… Só vi um negro…

     

    “O BRASIL PARA TODOS não passa na REDE GLOBO DE SONEGAÇÂO – O que passa na REDE GLOBO DE SONEGAÇÂO é um braZil-Zil-Zil para TOLOS”

  17. Aécio quer, no mínimo, o impeachment

    O post veicula um pedido que não terá reverberação junto aos tucanos. Não porque eles apoiem um golpe militar, exatamente, mas sim porque eles pensam num outro tipo de golpe, um que seja maquiado como legítimo e dentro da legalidade.

    Eles trabalham com um cenário em que Dilma é afastada por meio de um processo de impeachment e o PSDB, com o restante da oposição, se apropria do governo ilegitimamente, inclusive via acordo com o PMDB de Temer, afastando o PT do poder a partir do afastamento de Dilma. Foi justamente o que aconteceu na época do processo de impeachment de Collor, que acabou renunciando para escapar do impeachment, o que não impediu a pena de cassação dos direitos políticos.

    Esse é o cenário com o qual trabalham os tucanos, inclusive Aécio Neves. Intervenção militar não é o problema. O post erra o principal foco do momento político.

    • Registro

      O impeachment não é o problema, porque o PSDB sabe que não vai conseguir. O que eles querem é enfraquecer o governo do PT e estão orquestrando esses movimentos, para – quem sabe – lá na frente, articular algum golpe.  A intenção do post é só cobrar responsabilidade – sendo, inclusive, democraticamente solidário ao partido, no sentido de que alerta-o para os perigos que representa a associação do mesmo com a direita socialmente desorganizada e facista –  e registrar essa cobrança na internet. 

    • Fora de foco?

      Postei este texto no sábado, mas só hoje Nassif subiu pro blog. Está tão fora de foco, Argolo, que agora mesmo Alckmin e logo em seguida Xico Graziano vem a público, o primeiro, para repudiar as manifestações, e o segundo para desvincular do PSDB a esquerda reacionária e facista por trás delas. Postei o texto, Argolo, porque considero extremamente necessário que a sociedade organizada se defenda desse tipo de coisas. 

      • PSDB quer derrubar o governo Dilma

        Isso me parece certo. Se Alckmin e Xico Graziano repudiaram os pedidos de intervenção militar que surgiram no fim de semana numa manifestação na avenida paulista, isso não significa que eles apoiem a permanência de Dilma e do PT no poder. Como disse, a intenção deles é afastar Dilma do poder mediante um processo de impeachment. Quanto ao Aécio, ele deixou claro sua posição durante a campanha. Para ele, o PT é o principal responsável pela corrupção. Quem pensa dessa forma não quer diálogo democrático nenhum. Aécio falava em “libertar o país do PT” e, logo depois da divulgação do resultado do 2º turno, deu declarações dizendo que iria “vigiar” o governo Dilma, como se o governo dela fosse fora da lei.

        Substancialmente, minha opinião se mantém. O PSDB não apoia uma intervenção militar pelo singelo fato de que eles querem pessoalmente comandar o país, além do fato dessa medida ser muito drástica, inclusive para padrões tucanos. Não é golpe militar o que eles querem. Eles querem um golpe que superficialmente esteja amparado pela lei. Para tanto, as denúncias de corrupção na Petrobras são perfeitas.

  18. Noticia da Isto é

    Noticia da Isto é Independente de 2009:

    “O paulista Ricardo Barollo, 34 anos, coordenador de projetos especiais da empreiteira Camargo Corrêa, foi apontado como mandante do crime que tirou a vida do estudante de arquitetura mineiro Bernardo Dayrell, 24, e sua namorada, a estudante Renata Waechter, 21, na madrugada de 21 de abril em Campina Grande do Sul, no Paraná, devido a uma disputa de poder. O crime descortinou uma rede organizada de nazistas no País, com ramificações em vários Estados e conexões com outros países.”

    Foi apurado que Ricardo Barollo, o assassino e lider de um grupo neonazista era filiado ao PSDB de São PAulo. A informação foi apurada pela jornalista Débora Iankilevich do Jornale Parana e ratificada pelos pais da vítima.

  19. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome