Artista reflete em luz ultravioleta o Brasil dividido social e politicamente, no Rio

Jornal GGN – A artista brasileira radicada em Nova York, Sabrina Barrios, lança no país a terceira exposição de suas obras tridimensionais, que brilham sob a luz ultravioleta, em uma trilogia de três instalações, no próximo 22 de setembro, às 16h, na Casa Amarela, no Rio de Janeiro. 

Os trabalhos da artista, que já percorreram a Bélgica, Espanha, Dinamarca e Estados Unidos, desta vez, refletem os dois lados do Brasil dividido socialmente e politicamente. Como parte do processo da construção, a artista decidiu morar em duas realidades diferentes, entre a zona sul carioca e a comunidade da Providência (favela mais antiga da cidade), buscando compreender o cenário de pessoas cujas vozes são raramente ouvidas.

O objetivo é, através da arte, criar um espaço para reflexão ilustrando as consequências dessas visões extremas que dividem o país. Para isso, a primeira exposição, chamada “Plano de fuga”, foi construída em um bunker subterrâneo no jardim da casa onde hoje funciona a galeria de arte Marquês456.

Na década de 60, o local era a residência de um diplomata e o bunker foi construído para que ele escapasse de tortura durante a ditadura militar. Em sua narrativa, que mistura simbologia e física quântica com teorias da conspiração, a artista criou um buraco de minhoca que conecta esses dois períodos importantes da nossa história: os 21 anos de ditadura e o golpe de 2016; para ressaltar que um país que não conhece sua própria história está fadado a repetí-la.

A segunda instalação da trilogia “Partidos” foi criada no Espaço Despina e ilustra a história de segregação política e social através da geometria. Dois triângulos podem ser vistos, cada um contendo parte da bandeira brasileira. Conforme o observador transita pela obra, esses desenhos no espaço ganham forma. Quando visualmente sobrepostos, eles formam a bandeira do Brasil completa.

Leia também:  A morte de Bunitinho e as piadas racistas, por Urariano Mota

E a terceira instalação, que está sendo construída neste mês de setembro, denominada “Feixe”, encerra a trilogia com uma mensagem de consciência individual e esperança, como um feixe de luz. Será criada com as crianças e adolescentes da Providência, e por estar localizada no topo do morro, poderá ser vista de diversos pontos da cidade, principalmente durante a noite, quando estará iluminada.

Para a curadora Daniela Mattos, a pesquisa artística da Sabrina compreende muitas intensidades, que cabem “a nós abrir nossa potência vibrátil à alquimia das formas, linhas e planos, decidindo como entraremos pelos portais que estes trabalhos geram e escolhendo nossas próprias cartografias e planos de fuga”.

Além da terceira exposição na Casa Amarela, as três instalações estarão abertas a visitação durante o Art Rio de 27 a 30 de setembro.

Para mais informações, entre em contato com a Casa Amarela.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome