Paulo Flores lança ‘Movimento Sem Tela’

Músico, compositor, instrumentista, educador e artista plástico cria projeto que ‘invade’ virtualmente grandes museus para expor suas obras e incentivar discussões sobre o acesso à cultura e a produção artística brasileira

Jornal GGN – “Se a arte não transgride, não é arte, é decoração!”. Com essa frase, o músico, compositor, instrumentista e artista plástico Paulo Flores, resume a ideia do Movimento Sem Tela, projeto criado para expor suas obras dentro de grandes museus pelo mundo, virtualmente. Mas a proposta não é simplesmente a exposição, e sim, de provocar um debate profundo sobre a cultura brasileira.

Próximo ao centenário da Semana de Arte Moderna, a Semana de 22, algumas discussões se tornam fundamentais nas artes, como a definição de cultura sob o ponto de vista sociológico, as influências externas que o Brasil ainda sofre nas artes, a valorização dos artistas e da música brasileira, a inexistência de uma política cultural, o acesso restrito à cultura, entre muitos outros. Ao quebrar regras e invadir espaços tão sagrados onde a arte acontece pelo mundo, Paulo estimula e convida para essa conversa.

As ilustrações do Movimento sem Tela foram criadas por Paulo Flores para o encarte de Benê, O Flautista, projeto criado em 2004 em homenagem ao compositor, flautista e maestro Benedito Lacerda. Em 2007, o conteúdo desse projeto cresceu e se tornou uma exposição com 60 telas, desenhos e caricaturas de parceiros, compositores, referências ou intérpretes de Benedito Lacerda, em grafite e lápis de cor sobre sulfite. São artistas como Carmen Miranda, Aracy de Almeida, Canhoto, entre tantos outros.

Em 2020, Paulo foi contemplado pelo Proac Exposições Online, e então, reuniu as obras para compor uma mostra digital, e decidiu por espalhar sua arte virtualmente em museus mundo afora, como um manifesto. Outras interferências acontecem no site como pichações de mensagens de protesto sobre as artes. Também na íntegra, o público poderá ler e ouvir o Manifesto Movimento Sem Tela.

Os desenhos são expostos virtualmente em salas de museus famosos do mundo todo, sobre as telas clássicas existentes nesses espaços. No site, ao clicar nas telas, os visitantes terão informações sobre cada um dos artistas representados nas ilustrações, e também poderão ouvir trechos das gravações originais que fazem parte do projeto Benê, O Flautista. O design do site é assinado por Gustavo Garcia, que semanalmente, incluirá novas ilustrações e salas para serem percorridas.

Para conhecer, basta acessar gratuitamente o site www.movimentosemtela.art.br, os boxes com os cds e o livreto de Benê, o Flautista, estão sendo doados e poderão ser enviadas pelos Correios aos interessados, mediante apenas o pagamento do frete.

Sobre Paulo Flores

Flautista, compositor, arranjador, pesquisador, cronista, poeta, ilustrador e produtor musical, Paulo Flores criou trilhas, jingles e vinhetas para rádio, TV, vídeo e cinema. Transita em suas composições por várias formações do popular ao erudito tendo sido com elas premiado em vários festivais. Em 1981, levado pelas mãos do maestro João Carlos Martins, começou a lecionar flauta no Conservatório de Tatuí. Em 1984, criou a Orquestra de Câmera do Conservatório a qual regeu até 1986. Também neste período teve a satisfação de trabalhar ao lado de Koelreutter na realização de uma nova pedagogia musical para o país. Em 1989, foi um dos criadores do Curso de MPB e Jazz, do qual foi coordenador de 1993 a 2008, curso pioneiro na estruturação pedagógica da MPB.

Para conhecer, acesse: www.movimentosemtela.art.br

Manifesto: http://movimentosemtela.pauloeflores.com/manifesto/

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador