A caminho do terror econômico, por Paulo Moreira Leite

Por Paulo Moreira Leite

De seu blog

Multa de R$ 4,47 bilhões contra empreiteiras da Lava Jato extrapola qualquer medida jurídica para atingir objetivos políticos, prejudicando o nível do emprego e do crescimento

Determinados acontecimentos históricos tem uma reconhecida capacidade de iludir seus contemporâneos.

O mais recente envolve a multa de R$ 4,47 bilhões que o Ministério Público pretende aplicar contra seis empresas envolvidas na Operação Lava Jato. O MP também pretende impedir que participem de licitações, que recebam benefícios fiscais e juros subsidiados em seus investimentos.

Diante da estatura dessas empresas, entre as maiores do país, estamos falando de propostas que extrapolam o universo jurídico.
São medidas que, se forem aceitas pela Justiça, envolvem um caso de terrorismo, que consiste em manipular fatos econômicos para se obter objetivos políticos, gerando efeitos que vão muito além dos cidadãos acusados, prejudicando os trabalhadores e suas famílias, afetando ainda o nível de emprego e o desenvolvimento do país.
O absurdo reside aqui. Não bastassem as delações premiadas, as prisões prolongadas para forçar confissões, o cerco criminal ao ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, agora se tenta atingir o pão e a tranquilidade dos brasileiros.

Não é só. Na sexta-feira, o Ministério Público entrou com uma ação cautelar junto ao Tribunal de Contas da União que pretende impedir a celebração de acordos de leniência entre o governo e as empreiteiras. A preocupação é simples: sem prejudicar as investigações, os acordos de leniência — instrumento jurídico empregado nas democracias mais saudáveis do planeta — tem como finalidade impedir que a atividade econômica de empresas sob suspeita seja inviabilizada pelo trabalho de apuração. O Ministério Público quer prosseguir sua atividade que, mesmo quem imagina que é embalada pelas melhores intenções, sabe que terá um impacto destrutivo sobre o país.

Surpresa? Nem tanto.
Principal estudiosa da construção de regimes totalitários no século XX, Hanna Arendt nunca deixou de homenagear o estudioso Franz Borkenau, para quem “o mal, em nosso tempo, exerce uma atração mórbida.”

Quem não esqueceu que a operação Mãos Limpas italiana é o roteiro de trabalho da Lava Jato, como o juiz Sérgio Moro admitiu em artigo escrito em 2004, só precisa ter clareza sobre um aspecto. Além de procurar, assumidamente, a “deslegitimação” do sistema político — o que também se busca no Brasil — a Mãos Limpas inaugurou um período de empobrecimento e recessão na economia.

Leia também:  Bacurau neles!, por Rita Almeida

Foi assim que destruiu um sistema que garantiu o mais prolongado regime democrático da Italia ao longo de sua história republicana, colocando em seu lugar um condomínio de partidos e lideranças frágeis e dóceis, ideais para serem alvo das maiores economias da União Européia e dos Estados Unidos.

O saldo econômico da Mãos Limpas é uma tragédia. Como informa a Economist na edição de 31 de janeiro de 2015, o desempenho da Italia nos anos posteriores à Mãos Limpas foi pior até que o da Grécia, aquela que enfrentou uma recessão de 25% em cinco anos, no mesmo período: “em valores constantes, a economia italiana afundou nos primeiros 14 anos do século (mesmo o PIB da Grécia é maior hoje do que era em 1999). ”

No Brasil de 2015, a multa de R$ 4,47 bilhões pode abrir processo destrutivo de longa duração e consequências nocivas para o conjunto do país.
Parece difícil enxergar isso agora mas esse tipo de adormecimento das consciências é mais frequente do que se imagina.

Deposto em 1 de abril de 1964, João Goulart deixou o país convencido de que logo voltaria à presidência. Já uma parcela respeitável de seus adversários, na base social do golpe militar, tinha certeza de que a ditadura estava programada para durar um ano. Foram vinte anos.

A leitura de outros relatos históricos mostra que esta dificuldade está longe de ser uma peculiaridade brasileira.

Na maior parte da Segunda Guerra Mundial, o Partido Comunista Frances desempenhou um papel reconhecido na resistência ao nazismo. Nem sempre foi assim, porém.
Lembrando os primeiros anos de ocupação da França pelas tropas nazistas, quando Stalin e Hitler tinham assinado um pacto de não agressão, o dirigente comunista Adam Rayski registra uma constrangedora convivência do PCF com os nazistas.
Em “Nos ilusions perdues”, Rayski recorda documentos que pregavam: “Abaixo o capitalismo ariano e judeu”. No jornal do partido, então publicado com outro nome, também se pedia pela expropriação “de grandes capitalistas judeus”, num comportamento que leva Rayksi a se perguntar se essa visão era simples expressão da visão de mundo de determinados jornalistas do partido ou se traduzia um esforço “de acomodação entre comunistas e nazistas.”

Leia também:  Brincando com fogo, Bolsonaro só conseguirá se queimar, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Você já sabe que nas ultimas semanas, no Rio Grande do Sul, 7 000 empregos ligados a Petrobras já foram eliminados, em empresas que acusam um rombo de R$ 5 bilhões nos pagamentos a receber. Este é o sinal de alerta para a judicialização da economia.

Do total cobrado pelo Ministério Público, a maior parcela — R$ 3,1 bilhões — encontra-se na categoria sempre subjetiva dos “danos morais,” envolvendo dez vezes o valor estimado das propinas, o que não é comum.

Repetindo um mantra que os brasileiros ouviram até enjoar durante a AP 470, os procuradores da Lava Jato falam em “punição exemplar”. Exemplo de que mesmo?
Pedindo auxílio a metáforas da medicina, que envolvem uma realidade que nada tem a ver com o funcionamento da Justiça e muito menos com a política, fala-se ainda em “câncer”, em “metástase.”

O que se busca é esconder medidas jurídicas que colocam em risco o emprego dos brasileiros, seu salário, o futuro de suas famílias.

Para começar, falta provar que todas as denúncias contra essas empresas são verdadeiras e podem ser demonstradas a partir de provas robustas. Quem sabe? Na página 36 da denuncia contra a OAS, por exemplo, chamada a pagar uma multa de R$ 988 milhões pelo pagamento de propinas, admite-se singelamente que “as transações bancárias até o momento não identificaram o montante de 1% nos contratos firmados entre a construtora e a Petrobras.” Na página 8, cita-se uma delação premiada, produto das circunstâncias que todos conhecemos, que afirma que “todos sabiam” do pagamento de um “porcentual” ao Partido dos Trabalhadores. Em outro cúmulo se precisão, se diz: “o que se rezava dentro da companhia é que esse valor seria integral para o PT.”

A questão política e jurídica, na verdade, é outra. Consiste em perguntar quem deve pagar a conta.

Teve razão a presidente Dilma Rousseff ao lembrar, ontem, que o país estaria muito melhor se as denuncias que envolvem a Petrobras tivessem sido investigadas há quase 20 anos, quando o gerente Pedro Barusco começou a montar um esquema na empresa.
Errou Fernando Henrique Cardoso, quando, horas depois, deu uma resposta torta: “como alguém serio pode responsabilizar meu governo pela conduta imprópria individual de um funcionário se nenhuma denúncia foi feita na época?”

Há exatamente 18 anos, durante primeiro mandato de FHC, o Brasil inteiro tomou conhecimento de uma denúncia do jornalista Paulo Francis de que havia um esquema de propina na Petrobras, pela qual diversos diretores mantinham contas de 50 e 60 milhões de dólares em contas secretas na Suiça. Francis repetiu a denúncia mais de uma vez, pela TV.
Inconformada, a diretoria da Petrobras decidiu acionar Francis na Justiça, numa ação por danos morais no valor de US$ 100 milhões. Estimulado por José Serra, o presidente tentou convencer os executivos da empresa a desistir da ação. Protegeu um amigo do governo mas não demonstrou a mesma atenção pela Petrobras.
Se tivesse mandado investigar o caso, como era dever de um presidente, poderia — eu disse poderia — ter descoberto um universo paralelo que seria denunciado quase duas décadas depois.
Meu palpite — mas é só um palpite — é que não se pretendia fazer nenhum movimento que gerasse ruído em torno de um projeto maior, de privatizar a maior empresa brasileira. Um ano depois da denuncia de Francis, FHC assinou decreto que permitia que a Petrobras fosse dispensada de licitações para definir seus investimentos. Curioso, não?

Leia também:  Um trilhão para o Guedes, por Paulo Kliass

Em 1996, quando Paulo Francis fez a denuncia, Ministério Público já havia conquistado a autonomia de investigação garantida pela Constituição de 1988. Fez alguma coisa? E a Polícia Federal?

Aprende-se, mais uma vez, uma boa e velha lição: a primeira medida para se impor medidas que prejudicam o conjunto da população e comprometem o destino do país é apagar sua memória. Deu para entender, certo?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

25 comentários

  1. Funcionária da Petrobras responde ao terrorismo de O Globo

    A respeito de matéria enganosa publicada em O Globo (foto abaixo), vejam a carta de uma funcionária da Petrobras (mais abaixo).

     

     

    Michelle Daher Vieira

    19 de fevereiro · Editado ·

     

     

    Carta aberta à Leticia Fernandes e ao jornal O Globo

    Antes de tudo, gostaria de deixar bem claro que não estou falando em nome da Petrobras, nem em nome dos organizadores do movimento “Sou Petrobras”, nem em nome de ninguém que aparece nas fotos da matéria. Falo, exclusivamente, em meu nome e escrevo esta carta porque apareço em uma das fotos que ilustram a reportagem publicada no jornal O Globo do dia 15 de fevereiro, intitulada “Nova Rotina de Medo e Tensão”.

    Fico imaginando como a dita jornalista sabe tão detalhadamente a respeito do nosso cotidiano de trabalho para escrever com tanta propriedade, como se tudo fosse a mais pura verdade, e afirmar com tamanha certeza de que vivemos uma rotina de medo, assombrados por boatos de demissões, que passamos o dia em silêncio na ponta das cadeiras atualizando os e-mails apreensivos a cada clique, que trabalhamos tensos com medo de receber e-mails com represálias, assim criando uma ideia, para quem lê, a respeito de como é o clima no dia a dia de trabalho dentro da Petrobras como se a mesma o estivesse vivendo.

    Acho que tanta criatividade só pode ser baseada na própria realidade de trabalho da Letícia, que em sua rotina passa por todas estas experiências de terror e a utiliza para descrever a nossa como se vivêssemos a mesma experiência. Ameaças de demissão assombram o jornal em que ela trabalha, já tendo vários colegas sendo demitidos[1], a rotina de e-mails com represálias e determinando que tipo de informação deve ser publicada ou escondida devem ser rotina em seu trabalho[2], sempre na intenção de desinformar a população e transmitir só o que interessa, mantendo a população refém de informações mentirosas e distorcidas.

    Fico impressionada com o conteúdo da matéria e não posso deixar de pensar como a Letícia não tem vergonha de a ter escrito e assinado. Com tantas coisas sérias acontecendo em nosso país ela está preocupada com o andar onde fica localizada a máquina que faz o café que nós tomamos e com a marca do papel higiênico que usamos. Mas dá para entender o porque disto, fica claro para quem lê o seu texto com um mínimo de senso crítico: o conteúdo é o que menos importa, o negócio do jornal é falar mal, é dar uma conotação negativa, denegrir a empresa na sua jornada diária de linchamento público da Petrobras. Não é de hoje que as Organizações Globo tem objetivo muito bem definido[3] em relação à Petrobras: entregar um patrimônio que pertence à população brasileira à interesses privados internacionais. É a este propósito que a Leticia Fernandes serve quando escreve sua matéria.

    Leticia, não te vejo, nem você nem O Globo, se escandalizado com outros casos tão ou mais graves quanto o da Petrobras. O único escândalo que me lembro ter ganho as mesma proporção histérica nas páginas deste jornal foi o da AP 470, por que? Por que não revelam as provas escondidas no Inquérito 2474[4] e não foi falado nisto? Por que não leio nas páginas do jornal, onde você trabalha, sobre o escândalo do HSBC[5]? Quem são os protegidos? Por que o silêncio sobre a dívida da sonegação[6] da Globo que é tanto dinheiro, ou mais, do que os partidos “receberam” da corrupção na Petrobras? Por que não é divulgado que as investigações em torno do helicoca[7] foram paralisadas, abafadas e arquivadas, afinal o transporte de quase 500 quilos de cocaína deveria ser um escândalo, não? E o dinheiro usado para construção de certos aeroportos em fazendas privadas em Minas Gerais [8]? Afinal este dinheiro também veio dos cofres públicos e desviados do povo. Já está tudo esclarecido sobre isto? Por que não se fala mais nada? E o caso Alstom[9], por que as delações não valem? Por que não há um estardalhaço em torno deste assunto uma vez que foi surrupiado dos cofres públicos vultosas quantias em dinheiro? Por que você e seu jornal não se escandalizam com a prescrição e impunidade dos envolvidos no caso do Banestado[10] e a participação do famoso doleiro neste caso? Onde estão as manchetes sobre o desgoverno no Estado do Paraná[11]? Deixo estas perguntas como sugestão e matérias para você escrever já que anda tão sem assunto que precisou dar destaque sobre o cafezinho e o papel higiênico dos funcionários da Petrobras.

    A você, Leticia, te escrevo para dizer que tenho muito orgulho de trabalhar na Petrobras, que farei o que estiver ao meu alcance para que uma empresa suja e golpista como a que você trabalha não atinja seu objetivo. Já você não deve ter tanto orgulho de trabalhar onde trabalha, que além de cercear o trabalho de seus jornalistas determinando “as verdades” que devem publicar, apoiou a Ditadura no Brasil[12], cresceu e chegou onde está graças a este apoio. Ao contrário da Petrobras, a empresa que você se esforça para denegrir a imagem, que chegou ao seu gigantismo graças a muito trabalho, pesquisa, desenvolvimento de tecnologia própria e trazendo desenvolvimento para todo o Brasil.

    Quanto às demissões que estão ocorrendo, é muito triste que tantas pessoas percam seu trabalho, mas são funcionários de empresas prestadoras de serviço e não da Petrobras. Você não pode culpar a Petrobras por todas as mazelas do país, e nem esperar que ela sustente o Brasil, ou você não sabe que não existe estabilidade no trabalho no mundo dos negócios? Não sabe que todo negócio tem seu risco? Você culpa a Petrobras por tanta gente ter aberto negócios próximos onde haveria empreendimentos da empresa, mas a culpa disto é do mal planejamento de quem investiu. Todo planejamento para se abrir um negócio deveria conter os riscos envolvidos bem detalhados, sendo que o maior deles era não ficar pronta a unidade da Petrobras, que só pode ser culpada de ter planejado mal o seu próprio negócio, não o de terceiros. Imputar à Petrobras o fracasso de terceiros é de uma enorme desonestidade intelectual.

    Quando fui posar para a foto, que aparece na reportagem, minha intenção não era apenas defender os empregados da injustiça e hostilidades que vem sofrendo sendo questionados sobre sua honestidade, porque quem faz isto só me dá pena pela demonstração de ignorância. Minha intenção era mostrar que a Petrobras é um patrimônio brasileiro, maior que tudo isto que está acontecendo, que não pode ser destruída por bandidos confessos que posam neste jornal como heróis, por juízes que agem por vaidade e estrelismos apoiados pelo estardalhaço e holofotes que vocês dão a eles, pelo mercado que só quer lucrar com especulação e nunca constrói nada de concreto e por um jornal repulsivo como O Globo que não tem compromisso com a verdade nem com o Brasil.

    Por fim, digo que cada vez fica ainda mais evidente a necessidade de uma democratização da mídia, que proporcionará acesso a uma diversidade de informação maior à população que atualmente é refém de uma mídia que não tem respeito com o seu leitor e manipula a notícia em prol de seus interesses, no qual tudo que publica praticamente não é contestado por não haver outros veículos que o possa contradizer devido à concentração que hoje existe. Para não perder um poder deste tamanho vocês urram contra a reforma, que se faz cada vez mais urgente, dizendo ser censura ou contra a liberdade de imprensa, mas não é nada além de aplicar o que já está escrito na Constituição Federal[12], sendo a concentração de poder que algumas famílias, como a Marinho detém, totalmente inconstitucional.

    Sendo assim, deixo registrado a minha repugnância em relação à matéria por você escrita, utilizando para ilustrá-la uma foto na qual eu estou presente com uma intenção radicalmente oposta a que ela foi utilizada por você.

    Fontes:
    [1] Demissões nas Organizações Globo:
    http://www.conexaojornalismo.com.br/colunas/cultura/novasmidias/demissoes-do-globo-estao-relacionadas-a-processo-milionario-na-justica-67-36921
    http://radiodeverdade.com/tag/demissoes-na-radio-globo/
    http://www.parana-online.com.br/editoria/almanaque/news/836519/?noticia=DEMISSOES+DENTRO+DA+REDE+GLOBO+PREOCUPAM+FUNCIONARIOS
    http://www.portalimprensa.com.br/noticias/brasil/70198/o+globo+faz+cortes+na+redacao+demite+artur+xexeo+e+outros+jornalistas
    http://blogs.odia.ig.com.br/leodias/2015/01/29/globo-inicia-demissoes-no-jornalismo/

    [2] Exemplos de o que deve e não deve ser publicado
    http://www.brasildefato.com.br/node/31315
    http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/02/globo-ordena-que-nome-de-fhc-nao-seja-relacionado-lava-jato.html
    http://www.conversaafiada.com.br/pig/2013/08/29/globo-censura-reporter-que-elogia-medicina-de-cuba/

    [3] Objetivos
    http://www.municipiosbaianos.com.br/noticia01.asp?tp=1&nID=15270
    http://www.aepet.org.br/site/colunas/pagina/507/Prezado-a-companheiro-a-da-Petrobrs
    http://www.viomundo.com.br/denuncias/sordida-campanha-dos-marinho-contra-graca-foster-e-petrobras.html
    https://petroleiroanistiado.wordpress.com/2015/01/21/petrobras-sob-ataque-das-forcas-de-sempre/
    https://fichacorrida.wordpress.com/category/rede-globo-de-corrupcao/

    [4] Inquérito 2474
    http://www.cartacapital.com.br/politica/em-sigilo-ha-7-anos-inquerito-da-pf-sobre-mensalao-e-liberado-9314.html
    http://www.ocafezinho.com/2014/01/23/inquerito-2474-ja-esta-na-internet/
    http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/coluna/345927_ERRO+HISTORICO+NA+AP+470+
    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/127938/Nassif-STF-vai-abrir-segredo-de-Joaquim-Barbosa.htm

    [5] Escândalo do HSBC
    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-assombroso-silencio-no-brasil-em-torno-do-escandalo-hsbc/
    http://economia.ig.com.br/2015-02-16/reino-unido-investiga-hsbc-por-fraude-financeira-franca-pode-abrir-julgamento.html
    http://economia.estadao.com.br/blogs/descomplicador/hsbc-entenda-o-escandalo-de-lavagem-de-dinheiro-e-sonegacao/
    http://economia.ig.com.br/2015-02-14/receita-esta-de-olho-em-correntistas-brasileiros-do-hsbc-na-suica.html
    http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/170281/Sonegação-no-HSBC-é-dez-vezes-maior-que-a-Lava-Jato.htm

    [6] Sonegação Globo
    http://www.correiodopovo.com.br/blogs/juremirmachado/?p=4664
    http://www.ocafezinho.com/2014/07/16/os-documentos-da-fraude-da-globo/
    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/injusto-e-pagar-imposto-no-brasil-a-1a-reportagem-da-serie-do-dcm-sobre-a-sonegacao-da-globo/
    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/como-o-processo-de-sonegacao-da-globo-sumiu-da-receita-e-sobreviveu-no-submundo-do-crime/

    [7] Helicoca
    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-dcm-apresenta-nosso-novo-documentario-helicoca-o-helicoptero-de-50-milhoes-de-reais/
    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-papel-cada-vez-mais-estranho-da-policia-federal-no-caso-helicoca/
    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/categorias/helicoca/

    [8] Aeroportos Mineiros
    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/por-que-a-midia-nao-procura-o-primo-de-aecio/
    http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2014/07/1493571-aecio-neves-a-verdade-sobre-o-aeroporto.shtml
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/07/1488587-governo-de-minas-fez-aeroporto-em-terreno-de-tio-de-aecio.shtml
    http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/08/trafico-de-cocaina-e-o-aeroporto-de-claudio-mg.html
    http://www.plantaobrasil.com.br/news.asp?nID=82339
    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/aecio-nomeou-desembargador-que-recebeu-propina-para-liberar-traficantes/

    [9] Alstom
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/05/1281123-brasil-e-unico-que-nao-puniu-envolvidos-no-caso-alstom.shtml
    http://tijolaco.com.br/blog/?p=24684

    [10] Banestado
    http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/blog-na-rede/2014/11/o-caso-banestado-a-petrobras-e-o-feitico-do-tempo-9212.html
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/04/1267100-justica-anula-punicao-a-reus-do-escandalo-do-banestado.shtml
    http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2015-01-19/lentidao-da-justica-livrou-reus-no-caso-banestado-vinculado-a-lava-jato.html

    [11] Beto Richa e o Paraná
    http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/02/beto-richa-quebrou-o-parana.html
    http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/blog-na-rede/2015/02/curitiba-a-pauta-da-rebeliao-de-professores-que-o-noticiario-preferiu-ignorar-2274.html

    [12] Globo e a Ditadura
    http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/03/editorial-globo-celebra-golpe-militar-de-1964.html
    http://www.brasildefato.com.br/node/25869
    http://altamiroborges.blogspot.com.br/2014/01/as-diretas-ja-e-o-crime-da-tv-globo.html
    http://www.viomundo.com.br/denuncias/faz-30-anos-bom-jornalismo-da-globo-apresentou-comicio-das-diretas-como-festa-de-aniversario-de-sao-paulo.html
    http://www.viomundo.com.br/denuncias/fabio-venturini-no-golpe-dos-empresarios-se-uma-empresa-foi-beneficiada-a-mais-beneficiada-foi-a-globo.html
    http://www.viomundo.com.br/humor/exclusivo-as-entrevistas-ferozes-de-o-globo-com-seus-camaradas.html
    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/abrir-empresa-em-paraiso-fiscal-faz-parte-de-um-velho-modus-operandi-da-globo/

    [12] CF/88
    Diz o artigo 220 da Carta, no inciso II do parágrafo 3°:
    II – estabelecer os meios legais que garantam à pessoa e à família a possibilidade de se defenderem de programas ou programações de rádio e televisão que contrariem o disposto no art. 221, bem como da propaganda de produtos, práticas e serviços que possam ser nocivos à saúde e ao meio ambiente.
    Já o parágrafo 5° diz:
    Os meios de comunicação social não podem, direta ou indiretamente, ser objeto de monopólio ou oligopólio.
    E o artigo 221. por sua vez, prescreve:
    Art. 221. A produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos seguintes princípios:
    I – preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas;
    II – promoção da cultura nacional e regional e estímulo à produção independente que objetive sua divulgação;
    III – regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei;
    IV – respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família.

     

     

  2. Gostaria de saber qual a

    Gostaria de saber qual a dívida das empreiteiras com os bancos. Porque se o endividamento for alto os bancos vão pelo ralo também. E se a dívida for grande junto aos bancos públicos vai ficar na medida para a privatização a preço de FHC.

    A Dilma tem que se assumir como estadista e liderar uma onda de encontro ao que esses moleques querem fazer com o Brasil.

    • Sinto muito

      Vera, sinto muitissimo, Dilma não é estadista. É apenas a presidente/a do Brasil, sangrando, enquanto a oposição entreguista diz ao que veio: reverter a situação á 1969, quando segurança era AI-5 e conselho bom era proviniente do Hemisfério Norte.

      Criminalizaram a atuação política no Brasil. Política boa é no ver deles a o do Country Club, e se este estiver em Miami, melhor.

      Estão perto de privatizar a água no Brasil, e a Petrobras é uma pedra no sapato desde que criada nos anos Vargas. Caso o desemprego aumente vão sorrir de orelha a orelha, trabalhador desempregado é trabalhador desmobilizado, acuado, uma presa fácil ao vilipêndio de seus direitos. É as concessionarias dos serviços (!) de telecomunicação continuam por ai exterminando reputações, bem como os outros meios de comunicação, onde não existe direito de resposta.

      Tenho inveja dos argentinos. Neste ponto Cristina K. bate de frente, chuta as canelas e diz com todas as letras para que ela esta lá. A tentativa de golpe lá é mais insidiosa, mas ela não se cala!

       

    • Dividas e dividas

        É até dificil saber exatamente a exposição dos bancos, que é grande, mas disseminada em varios tipos de empréstimos, financiamentos, debentures, commercial papers, mas é certo que o BNDES e seus prioritários agentes financeiros ( Banco do Brasil e CEF ), respondem por boa parte das “dividas”, outros grandes bancos tb. tem uma parte, tipo BBD, Itaú, Santander..  

         Vão quebrar ?  Não, algumas linhas de crédito oferecidas para empreitieiras foram securitizadas, portanto o problema principal será a “seca” de crédito para as demais empresas, o efeito “dominó” que poderá, por exemplo, chegar até outras carteiras, tipo empréstimo pessoal, cheque especial, automoveis, finame etc..

         Outro problema grave para o Brasil e seus bancos, é que bilhões de dolares em financiamentos, debentures conversiveis, comercial papers, funding loans, captados externamente em outros mercados por estas empresas, de liquidação longa, mas com pagamento de juros e premios ( mensais, bimestrais, semestrais ou anuais, dependendo do papel/contratos) ao longo da operação, em caso de não pagamento, podem ser exigidos de imediato ( 45 – 60 dd, dependendo do “convenant” préviamente estabelecido. Exemplo: Ontem estourou o primeiro “convenant” da OAS, referente a um lançamento de debentures cujo pagamento mensal de juros não foi efetuado, portanto o consórcio de bancos portugueses detentor dos titulos, ajuizou uma liquidação antecipada de toda a operação ( US$ 51 milhões ).

    • Há risco ao sistema bancário

      Há risco ao sistema bancário porque a carteira de crédito dos bancos tem um volume alto de recursos emprestados a essas e a insolvência é fator real.Sei que o crédito é na cifra dos bilões de reais.

  3. Aleijar o país e sua economia para (re)tomar o poder

    Mais do que despreocupação com os efeitos nefastos ao país à economia e a sociedade, há seguida ações e decisões que buscam exatamente estes efeitos.

    Desnecessariamente, sabemos, pois tudo isso pode ser feito de forma mais eficaz e menos danosa.

    Isto só pode ser feito por pessoas e grupos que não correm riscos com tais efeitos, ainda que explodam o resto do país.

    Como por exemplo a banca que chega a lucrar individualmente 15 bilhões num semestre, com toda esta “crise” (e que continuará assim, apesar de qualquer c”rise”, principalmente nas mais “austeras”).

    Ou a banca euro-alemã que mantém a sua economia  “na boa”, enquanto populações de outros países à patrocinam com suas austeridades.

    Será que o pais se livrará destas saúvas?

     

     

  4. “Na sexta-feira, o Ministério

    “Na sexta-feira, o Ministério Público entrou com uma ação cautelar junto ao Tribunal de Contas da União que pretende impedir a celebração de acordos de leniência entre o governo e as empreiteiras”:

    Verdade.  Quem merece acordo de leniencia apos acordo de leniencia do judiciario brasileiro eh Youseff.

  5. Houve pagamento de propina e

    Houve pagamento de propina e o montante, até o governo concorda, é nesse valor.

    Surrupiaram 4,5 bi, repassaram aos corruptos e é terrorismo econômico pedir de volta?

    Se  as empreiteiras não pagarem quem paga? A Petrobrás?

    E o saldo do superfaturamento? Fica tudo como está?

    Além de tudo, juros subsidiados por nós para quem nos rouba?

    O que estão querendo é proteger os destinatários finais da grana! Os partidos e seus dirigentes.

    Montadora são multi mas os empregos são locais, idem para quem quiser se instalar aqui, inclusive…. Empreiteiras

     É caso de vergonha alheia usar trabalhador para defender canalhas depois de fazerem o FGTS virar pó.

    Só burro ou malandro prá se defender de maneira tão estúpida.

     

    • Não leu em lugar algum que os

      Não leu em lugar algum que os maiores valores informados pelo MPF são de multa (mais de 900 milhões) e de indenização por danos morais coletivos (em torno de 3,7 bilhões)?

      As informações estão em destaque neste espaço.  

      • Ele não leu a matéria, Jaíde.

        Ele não leu a matéria, Jaíde. É troll contratado do Psdb e troll só trola.

        Ou quem sabe leu, mas não entendeu o que estava escrito. Ou não entende de números, só de “política”.

      • Otário ou mal caráter?

        Ambas as hipóteses são validas, Ulisses.

        Não acho justo que tentem usar os trabalhadores como escudo nessa roubalheira que praticaram.

        Existem muitas maneiras de proteger os trabalhadores sem deixar  esses ladrões impunes e fazer de conta que nada aconteceu. Insistem em proteger o trabalhador, mas na verdade querem ficar livres de punição e continuarem nesse esquema que prejudica todo o país.

        Todo castigo é pouco, basta de impunidade neste país!

    • Amigo, procure se informar

      Amigo, procure se informar melhor. A corrupção contabilizada é de 450 milhões, mas cobram 970 milhões de multa e mais de 3 bilhões de danos morais. Além disso, mas não menos grave, o descredenciamento das empresas de novas obras com o governo. Nesta última, a punição se estende ainda ao governo e à sociedade brasileira.

      Não faz sentido cobrar de alguém o que não se pode pagar, e ainda retirando do condenado as condições de pagamento. A bravata é tão absurda por parte daqueles que deveriam zelar pela justiça que pessoas de bom senso terminarão concluindo que vivíamos melhor quando se roubava em paz.

       

  6. a farmacopeia jurisputricial

    a farmacopeia jurisputricial é cada vez mais venenosa contra os interesses do país…

    ora, a multa deve ser sobre os ganhos de cada um dos condenados e não sobre a empresa…

    é simples assim…

    se houver, os corruptos serão membros da petrobrás. e não toda a petrobrás…..

    questão de lógica…

    mas quando a política do retrocesso toma conta da discussão,

    vira esse maniqeismo sórdido e estreito, obcecado – (que cega)!!!!!

  7. O MP é subordinado ao

    O MP é subordinado ao executivo? Se for, é só dissolvê-lo. Até o criador já o chamou de monstro.

  8. O que assusta

      Vamos encarar a realidade, dar murro em ponta de faca, bater a cabeça na parede, ficar discutindo o sexo dos anjos, ou a completa inatividade da “gerentona” e seus inuteis puxa sacos ( ministros ), é inutil, o tempo para uma reação já passou, as empreiteiras e toda a cadeia produtiva de Oleo/Gás/Naval + Petrobrás + Usinas Hidroelétricas + Transposição + Industria de Defesa + Linhas de crédito subsidiadas, vão sangrar, algumas até a morte.

       Estes processos, estas multas, vão durar no minimo uma contenda judicial de 05 anos,, empresas, independente de seu tamanho, capacidade tecnológica, capital de giro e facilidades de alavancagem, dificilmente resistem a periodos tão largos de ataques, os custos judiciais são altos, as linhas de crédito se fecham, mesmo reduzindo suas frentes ( cancelando obras, saindo de contratos, demitindo aos borbotões ), serão em futuro próximo, apenas uma sombra do que algum dia foram, inclue-se neste quesito a Petrobrás e suas subsidiarias. Me desculpem os “puros”, vou na expressão de mercado: ” Só entrou a cabeça, sem Ky, falta o resto, que é grande e vai demorar “.

        E as “abobrinhas”, tem  ótimas  – ” Contrate-se outras empreiteiras nacionais, médias e pequenas ” ou  ” Contrate-se empreteiras estrangeiras, chinesas, russas, americanas, européias, em associação ou consórcios” ou ” Cooperative-se os funcionários e toque-se as obras ” ou ” Estatize-se o setor “. Tudo besteira de quem não conhece porra nenhuma do mercado, ou sobre como funcionam obras pesadas, pois – rapidinho:

         Básico: NÃO existe dinheiro ( capital, linhas de crédito disponiveis ), para novos contratos, estão nos atuais e congelados na justiça, e podem ser demandados pelos que se sentirem prejudicados – estão parados até o final dos processos. Financiamentos externos: Com estes rolos da PBR e empreiteiras pululando no mercado, combinados ao “protagonismo judiciario” + legislação de licitações ultrapassada + default externo de empresas; a taxa de juros, spreads, taxa de risco, para qualquer empresa nacional ou estrangeira que queira operar no Brasil, estão nas alturas, inviaveis.

           Médias e pequenas: Não possuem expertise para tocar as obras – algum espirito de porco vai dizer : “Que contratem os que tem e foram demitidos das grandes ” – com que dinheiro, elas não tem nem capital de giro para participar de uma licitação, quanto mais para contratar , e tem mais, saibam meus queridos, estas médias e pequenas, em sua maioria, são terceirizadas e/ou quarterizadas das grandes, podem até quebrar primeiro que elas.

            Espero que o governo da “gerentona”, me espante, e já esteja com um plano formatado para debelar a crise futura, pois o imobilismo até agora demonstrado pela “gerentona” e seus puxa – sacos, é incompativel com a imagem por ela vendida

  9. Indenização

    Que a União seja indenizada recebendo uma fatia do controle acionário das empreeiteiras na mesmo proporção do prejuízo a ela causado pelos desmandos de seus executivos e acionistas.

    Preserva-se assim a capacidade financeira das companhias, o emprego e o papel estratégico das mesmas na economia do país.

  10. Multa com característica de confisco

    Em recente decisão o Supremo determinou que a maior  multa fiscal seria de 100% do valor do tributo.

    Trata-se do mesmo princípio de preservação da atividade econômica. Lança o limite de multas com efeito de confisco.

    Na contra-mão de toda essa lógica o MP e o judiciário adotam decisões de inviabilizar algumas das maiores empresas do Brasil. Essa atitude não ajudará a preservar a economia de futuros problemas semelhantes. As empresas fecham, causando enorme prejuízo ao país, enquanto que em breve os autores devem estar livres para continuarem com sua prática. Vide o Youssef.

  11. Velha história quer se repete

     O negócio é destruir para governar! Destruir a Petrobrás, mesmo que isso custe o retrocesso econômico! E que se dane a massa de desempregados, o importante mesmo é o poder a qualquer custo!

    -Destruindo-se a Petrobrás, quem irá negar que uma empresa assim deva ser privatizada?

    Lembro da “folia” da privatização no Paraná, o Banestado. Até hoje os paranaenses pagam os juros e amortizações, cerca de 1 bilhão de reais por ano. 

    Privatizando-se a Petrobrás, será mesmo de se acreditar que todos nós, brasileiros, ficaremos imunes quanto ao assalto aos nossos bolsos??

    IMPITIMAM É MEUZOVO!!!!

     

     

     

  12. O mundo de ponta-cabeça…

    Bom, agora temos de verdade o mundo de ponta-cabeça…

    As pessoas que se acham de esquerda defendendo a impunidade de porcos capitalistas corruptores, criminosos que lesaram o Estado, que se articularam em quadrilha para lesar o Estado – e usando o discurso medíocre da “geração de empregos”… como se o que “gerasse” a atividade econômico fosse o fato de meia-dúzia de ladrões sentarem-se em cima dos meios de produção e negarem o acesso a eles à população trabalhadora, exceto em troca de exploração escorchante do trabalho humano.

    Esta empresas tem de ser desmanteladas, elas são um câncer na economia do país, e formaram uma organização de chantagistas que suga dinheiro público ao mesmo tempo que financia conspirações contra o Estado.

    Evidentemente, essa dívida têm de ser paga em patrimônio, como diz o Tom: converte-se o montante devido em participação acionária e a União assume o controle gerencial das companhias até, pelo menos, que elas cumpram os contratos já firmados. Depois, se não houver interesse da União, reprivatizam-se as companhias, com lances mínimos que ressarçam a Petrobrás do carnaval de crimes contra ela cometidos.

    Mas livrar a cara desses bandidos, para amanhã eles estarem de novo financiando as atividades subversivas da imprensa venal e mentirosa? Era só o que faltava…

  13. essa galerinha que mal saiu

    essa galerinha que mal saiu das saias da mãe e estão destruindo a petrobrás e a economia do país devem aprender um simples e sábiio ditado, não adianta fazer o certo tm que fazer o certo da forma certa.

  14. [   O saldo econômico da Mãos

    [   O saldo econômico da Mãos Limpas é uma tragédia. Como informa a Economist na edição de 31 de janeiro de 2015, o desempenho da Italia nos anos posteriores à Mãos Limpas foi pior até que o da Grécia,   ]    De fato, essa é um prova definitiva que países corruptos são mais próperos do que quaquer outro e, portanto, toda investigação de corrupçãoé uma forma  de desgraçar o país. è grnade o sonho do autor que neste país já se tivesse mandado para cadeia era quem se recusasse ser corrupto deslavado

  15. Incêndio de Roma

    Moro e mpf pretendem passar a posteridade , mais famosos que Nero. Nero incendiou Roma para isto . Moro e mpf fazem muito mais, destruiir a nação brasileira .

  16. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome