A promessa está se concretizando, por Fernando Horta

A promessa está se concretizando, por Fernando Horta

Talvez alguém possa não ter se dado conta, mas, em dez dias (apenas), o fascismo dissolveu todo o centro político do Brasil. Os liberais e neoliberais foram destruídos, Alckmin agoniza em lugar semelhante ao de Aécio e Marina simplesmente deixou de existir enquanto liderança política. Ainda que o desaparecimento destas figuras do cenário de representatividade política possa parecer à esquerda um motivo de comemoração, não o é. A democracia já está sendo dissolvida, e começa pelas partes menos democráticas, mas avançará a todos nós.

Pelo Brasil inteiro, há relatos, já, um dia antes do primeiro turno, de agressões, grupos em carros ameaçando a execução e efetivamente empregando violência contra quem eles creem necessário. Há carros circulando com forcas à vista, e gangues já constituídas, uniformizadas (usando a camiseta preta com o rosto da besta), agredindo mulheres, negros e pessoas com identidade de gênero diferente.

Tenho escrito, há algum tempo, que o fascismo é uma promessa de partilha da legitimidade do uso da violência. Este é o grande “plano de governo” que recebe tantos votos. “Dar armas”, “organizar a população”, “acabar com o grupo A ou B”, e tudo mais é apenas a forma de fazer esta promessa acontecer. Os grupos escolhidos pelo fascismo (e que o suportam) serão autorizados a exercerem a violência legitimada primeiro pela ideia de “luta contra a corrupção”, mas, em seguida, vão transformar estes grupos em milícias, formais ou não, e o processo repetirá tudo – exatamente tudo – o que ocorreu na Alemanha, Itália e em todos os lugares que esta chaga fascista se instala.

Isto significa que o fascismo também já derreteu nosso judiciário. Nossos juízes falharam. A única coisa que um juiz precisa oferecer à sociedade é o manejo legal e racional do uso da força. A teoria diz que isto só é possível, dada a falibilidade do ser humano, através da defesa intransigente dos direitos individuais. Nossos juízes constituíram-se em juvenis personagens de capa e espada, a lutar contra seus próprios moinhos. A própria ameaça do fascismo não seria nada sem os juízes. Bolsonaro seria o dejeto fedorento que sempre foi se Lula estivesse concorrendo. O Brasil não estaria em perigo. Se está, foi entregue pelo judiciário ao fascismo.

Leia também:  Não, não é "normal" a promiscuidade entre juiz e parte. Não é, mesmo!, por Lenio Luiz Streck

Generalizo, sem desconhecer as muitas e brilhantes vozes dentro do judiciário que lutam contra o absurdo. Mas alguns poucos juízes não fazem uma instituição. O judiciário precisa ser tomado coletivamente, e, assim, está destruído. Foi calado pelo próprio corporativismo e pela politicagem dos que não compreenderam que o poder simbólico, quando destruído, não se recompõe sem uma imensa dose de violência.

De onde estamos, de onde as instituições nos deixaram chegar, não é possível um retorno à normalidade sem o uso da violência. As eleições de 2018 servem apenas para legitimar quem vai usar a violência contra quem. E é exatamente por isto a polarização que, a bem da verdade, foi sempre a característica da sociedade brasileira. Quando não era vista, é porque os mais pobres não tinham voz ou o país não tinha democracia. O que, no frigir dos ovos, acaba tendo efeito semelhante.

Há que se decidir quais grupos serão violentados. Se os fascistas terão sua liberdade de ofender, agredir, ameaçar, destruir, coagir, prender e soltar ao arrepio da lei, ou se todos nós seremos privados da liberdade de pensamento, das liberdades políticas básicas e – os mais à margem da nossa monstruosa construção social – serão até mesmo mortos ou mutilados. Sem meias palavras, é isto que se decide na eleição de 2018.

Por isto opositores históricos da esquerda, incluindo ex-presidentes, estão se ombreando contra o fascismo. Não é mais uma questão de “alianças com golpistas” como dizem infantilmente alguns personagens do nosso cenário político. Trata-se, agora, do mais puro sentimento de sobrevivência política e física. E é por isto que as instituições brasileiras falharam e o judiciário é o grande culpado pelo que estamos passando. Juiz não é super-herói, não é justiceiro e não pode ser carrasco. Juiz serve para uma ,e apenas uma, função na sociedade: garantir a todos o exercício máximo das suas liberdades. Se esta for a noção-guia do judiciário, a política se encarrega de mitigar as diferenças de opinião sublimando-as num jogo bruto e duro, mas ideológico e retórico.

Leia também:  Idosos são vítimas de violências dentro e fora de casa

Ao contrário do que os fascistas dizem, a ideologia e a retórica são muito melhores de que o exercício físico da violência. Dentro do jogo político não está posto a destruição física do opositor. No fascismo, contudo, isto é regra. Eis a principal diferença entre os dois projetos em disputa. E, diante disto, todas as idiotices ditas recentemente sobre “radicalização”, tomadas como “idênticas” entre o 13 e o 17, são barbaridades expressas sem reflexão e que apenas fortalecem o fascismo. Aliás, esta tem sido a demonstração exata dos números nas pesquisas. Quanto mais tentam igualar retoricamente os dois projetos em disputa, mas o fascismo se fortalece.

A bem da verdade, #eleNão deveria ter sido expulso da câmara de deputados há muito tempo, por quebra de decoro. Decoro não é o uso de palavras erradas, mas a ameaça à integridade física de opositores, sejam parlamentares ou qualquer parte do povo. Privado do dinheiro público que aflui para sua família há anos, e sem os espaços de visibilidade do parlamento, teria sido muito mais difícil para o fascista chegar onde chegou. Depois, deveria ter sido cassado por crime de rascismo, machismo, violência de gênero e tudo mais. São coisas que não deveriam mais ser admitidas sequer em proteção à alegada “liberdade de expressão”. Depois, não deveria ter encontrado partido que o permitisse concorrer. E, em última instância, deveria ter sido barrado pelo judiciário, pelas mesmas razões acima citadas.

Nada disto foi feito. Ainda assim, a democracia teria gerado “anticorpos” contra o fascismo. Bastava que o impeachment fraudulento não tivesse sido aceito pela Justiça ou que Lula, inocente como é, não tivesse sido encarcerado por um juiz e um promotor claramente fascistas. Ainda, mesmo processado, se os direitos de Lula – como a ONU exigiu – tivessem sido respeitados, Bolsonaro seria o Cabo Dalciolo. Diante de estadistas de verdade e com história e respeitabilidade, estas excrescências somem. Houve uma imensa força do judiciário para nos entregar ao inferno. E a democracia, ainda assim, mantém-se lutando.

Leia também:  De operação policial a Ser Supremo Nacional, uma radiografia da Lava Jato, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Vamos ao segundo turno. Espero racionalidade e maturidade do campo da esquerda, que, neste momento, começa na centro-direita liberal e vai até os revolucionários sociais. É preciso uma aliança imensa contra o fascismo, e para isto é preciso fazer qualquer coisa. Desde que se garanta o endurecimento das instituições em torno do respeito inalienável das liberdades individuais e a restrição do poder despótico do judiciário político que temos. O foco é a pessoa, o indivíduo e o cidadão e não o “mercado”.

O capital ganhará, é óbvio. O fascismo vai exigir que abortemos discussões sobre diminuição das desigualdades sociais, reformas e tudo mais. É sim um retrocesso. Retrocesso que já estava escrito quando em 2013 defendia-se “protestos sem bandeiras”. É preciso calar (pela lei) o “guarda da esquina”, o fascista agressor em qualquer lugar e os juízes que se acham heróis. Entregar as pantufas aos generais de pijamas e, se ainda assim se recusarem a ir dormir, usar da lei para assim fazer. É preciso controlar os monopólios de poder, sejam eles da mídia, da justiça, das armas ou das emendas. São pequenas, mas importantes mudanças, que só serão feitas mediante um grande acordo nacional. E temos tudo para entender que este acordo DEVE ser feito neste momento.

O que está em jogo não é mais a “república”, o “pacto federativo”, o “projeto” do partido A ou B. O que está em jogo é a sobrevivência física de 50% da população brasileira. É a manutenção das liberdades conquistadas ainda na Revolução Francesa, no século XVIII.

O que está em jogo, é a destruição completa e irrestrita do projeto fascista. Não é “polarização”. Diante o que temos, esta palavra é um eufemismo. O que está em jogo é a sobrevivência do Brasil, mesmo imperfeito como o temos hoje.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

47 comentários

  1. Reflita e decida racionalmente

    Em consonância com o que você escreveu, o JB em editorial defende que nós devemos eleger Ciro Gomes.

    Não só pelas qualidades acumuladas em 38 anos de vida política, mas também porque Ciro tem o perfil necessário para enfrentar as milícias fascistas (que já iniciaram suas ações).

    Penso que escolher o honrado Haddad pra enfrentar o fascista é contribuir pra legitimar o fascismo. Todas as pesquisas indicam isso e todas as pesquisas de hoje váo ratificar essa evidência que o PT teima em não reconhecer.

    • E se essas pesquisas de hoje

      E se essas pesquisas de hoje não ratificarem esse seu desejo, terá Ciro e seus eleitores a dignidade e a humildade de apoiar a candidatura petista no combate ao fascismo? Ou lavarão as suas mãos, tirando o corpo fora do combate, depois de terem alimentado também o discurso antipetista comprado da mídia?

    • para o caso de perderem…

      fúria será a mesma contra Ciro ou contra Haddad

      diferença é que Haddad poderá contar com a proteção dos que partem pra luta de verdade, povão

      porque esse negócio de ser valente só aqui na rede, nunca resolveu nada em lugar algum

  2. Nazismo “com o STF com tudo”.
    Nazismo “com o STF com tudo”. Presunção de culpa, delação obtida mediante confinamento ilegal, prisão antes do trânsito em julgado da sentença condenatória, censura da imprensa e assassinato político que não resulta em denúncia. Marielle Franco não será a única vítima.

  3. O comentarista Marcos Videira

    O comentarista Marcos Videira afirma que escolher o honrado Haddad é contribuir para legitimar o fascismo. Que é isso, qual é a lógica desse raciocínio?  Respeito sua opinião, mas sua lógica acaba por legitimar o fascismo. O primeiro objetivo dos fascistas é eliminar o PT, excluído este fica mais fácil eliminar os demais inimigos.

    • Detalhando o que penso

      WG: Eu não sou antipetista, mas também não sou petista de carteirinha. Votei em Haddad pra prefeito de SP. Penso que na política deve-se agir com fria inteligência. O calor da paixão embaça nossa percepção.

      O combustível do fascismo é o ódio. E foi alimentado por uns 10 anos o antipetismo (políticas como Bolsa Família, etc) e a partir do mensalão e a seguir com a LavaJato o foco foi a corrupção. Portanto, eu reconheço que hoje há um forte antipetismo entre os brasileiros (inclusive os de mais baixa renda). Não importa discutir se esse ódio tem fundamento real ou não. Eu penso que o ódio é um fato social identificado (gostemos ou não – é real, existe). É esse ódio antipetista que serve de combustível para o crescimento do fascismo ( o fascismo se nutre de ódio, precisa do ódio como precisamos de ar).

      Políticos experientes (Jaques Wagner, Flavio Dino, etc), conhecendo a dimensão do antipetismo e a fraqueza do PT (Dilma golpeada, Lula preso) defenderam a necessidade de formar uma frente democrática com um candidato fora do PT. Os dirigentes do PT rechaçaram essa posição porque o prioritário seria a “hegemonia” (tá na entrevista com o Nassif).

      O PT elaborou uma estratégia que tinha duas premissas: Lula iria transferir quase todos os seus votos para o ungido e Bolsonaro seria cevado (é problema do Alckmin, lembra ?) porque seria o candidato mais fácil de ser derrotado. Como disse alguém, fomos levados a dançar na beira do abismo fascista. Essas duas premissas falharam: nem Lula transferiu os votos na avalanche desejada e nem o fascista é um adversário fácil de ser derrotado.

      O processo político mostrou que os políicos experientes estavam certos  lá no início. Todas as pesquisas mostram que o PT tem um elevado índice de Rejeição. O ódio antipetisma é tão grande que eleitores preferem eleger um fascista ignorante.

      Quem derrota o fascista ? Todas as pesquisas apontam há tempos que Ciro derrota o fascista e Haddad é derrotado.

      Portanto, votar no honrado Haddad  é ensejar a vitória do fascista.

       

       

       

      • Cirista

        Lá vem o cirista de novo afirmar que a estratégia do PT estava errada, que não deu certo, blá,blá,blá. Meu caro cirista, a estratégia do PT foi um sucesso, Haddad transferiu a quantidade de votos de Lula que eram previstos, calculados, desde o início, ou seja, foi um sucesso, e Haddad está no segundo turno, apesar de todas as tentativas bem sucedidas de o judiciário calar o Lula. Ciro e o PDT foram convidados a compor a chapa com PT, assumindo a posição de vice, mas não aceitaram, exigiam a cabeça de chapa. Vc acha que seria viável o Ciro encabeçar a chapa com uma aliança com o PT, logo o Ciro, que nunca se firmou em partido algum? E mesmo que o PT e o Haddad aceitassem a posição de vice, não haveria polarização? Quanto ao crescimento do Bolso, este se deve principalmente ao episódio da facada, e num segundo momento recente, ao crescimento do apoio dos evangélicos em favor do Bolso, em franca reação e manipulação das bandeiras do movimento #elenão, fatores imponderáveis, que jamais poderiam ter sido previstos.Faz parte. Mesmo assim, segundo o Vox Populi, haverá segundo turno; e segundo o Ibope, haverá segundo turno; e segundo o Datafolha, haverá segundo turno! E no segundo turno, as simulações de Bolso com Haddad ou Ciro são particulamente idênticas, então, não faz o menor sentido a sua ponderação sobre o antipetismo e a favor de Ciro.

        • Números e bom senso

          JOÃO: os números do DataFolha pro segundo turno são os seguintes:

          Ciro 47% – Bolsonaro 43%

          Haddad 41% – Bolsonaro 45%

          As rejeições são: Bolsonaro 44% – Haddad 41% – Ciro 21%

          São esses números que fundamentam minha opção pelo Ciro. Não quero o fascismo.

          • Empate

            No primeiro turno, segundo Datafolha, votos válidos, Haddad 25%, Ciro 15%.

            Segundo turno, Haddad e Ciro praticamente empatados na simulação com o Bolso, pois ambos possuem apenas 4% de diferença em relação ao candidato do PSL, oscilando apenas dois pontos acima da margem de erro. Quanto a rejeição, Haddad tem 25% contra 41% do Bolso, segundo o Ibope. Além disso, a menor rejeição ao Ciro se dá porque ele é menos conhecido e não está coligado com o PT. Se estivesse, sua rejeição seria igual ou maior do que a de Haddad. Então, a estratégia do PT foi deveras acertada.

  4. Nem …
    Nem toda direita é fascista.
    O ultra-libaral econômico The Economist alertou para Bolsonaro a esquerda decidiu colocar toda a direita no mesmo balaio e empurrou o “mercado” ou boa parte dele para Bolsonaro.
    Eles cometem um erro mas foi o que restou.
    PSDB nunca foi liberal em economia sempre defendeu um capitalismo de cumpadres.
    Espero ainda um segundo turno para que alguma reflexão seja feita.

  5. o fascismo e as baratas

    Prezado Fernando Horta, a quem respeito e admiro, creio que “a destruição completa e irrestrita do fascismo”, infelizmente, é tão improvavél quanto a destruição completa e irrestrita das baratas. Estes insetos, que povoam a Terra desde o Carboníferos, ie, a mais de 300 milhões de anos, se disseminam por todo planeta e são encontradas mesmo no Ártico.  O fascismo vem recrudescendo a olhos vistos, a calamidade da última eleição sueca nos mostrou que, por detrás do selo de direita conservadora, o fascismo fermenta.

    Assim como não conseguimos erradicar as baratas, provavelmente tampouco se erradicará o fascismo. Ambos de grande resiliência. Entendo que, tal como essa praga resistente aos diversos tipos de inseticidas, o fascismo é uma forma de vida que pode sim ser controlada, mas dificilmente erradicada. E talvez seu controle, tal qual aquele das baratas, exija, antes de tudo, medidas sanitárias. Creio que controlar o fascismo requer uma grande operação de limpeza, no nosso caso brasileiro, a começar pelo judiciário em conjunção com o enfraquecimento do domīnio da mídia  controlada por meia dúzia de famílias.

    • justamente o que faz o fascismo progredir…

      e no Brasil temos quase tudo isso, a começar pela impunidade

       

      sem esta limpeza que você mencionou, seguiremos como um bando de otimistas à beira do túmulo, porque a única salvação que existe no fascismo é a individual ou a de quem tem grana de sobra, ou justamente estes do judiciário e da mídia que semearam o campo para fascistas

      • em todos os aspectos da salvação individual…

        modéstia a parte, sei muito bem do que estou falando……………………………………

        não por ter lido ou ouvido falar, por ter convivido com alguns que se salvaram do nazismo, e dos dois lados, tanto no dos algozes como no das vítimas

  6. Se a horda de milicianos e
    Se a horda de milicianos e esse candidato foi o que restou da autofagia golpista isso não ocorreu em contra do establishment mas para salvá-lo. E se contrataram o “modo MBL/Empiricus” foi porque desde 2002 a Grande Imprensa e os cardeais tucanos foram incapazes de fazer seus candidatos vencer uma única eleição presidencial que seja. Era preciso destruir o pouco que restava das maltrapilhas instituições. Ou alguém imagina que dessa política de terra devastada se podia sacar alguma colheita diferente. Eles sabem o que fazem. Nós também precisamos a fazer o que tem que ser feito para salvar o que resta das instituições democráticas. Pendemos por um fio.

  7. com Haddad pode haver equilíbrio…

    acredito que ficará mais fácil para direcionar as estratégias contra o fascismo no segundo turno, contando com a colaboração de Ciro e até dos tucanos, lógico

    sem isso já era, porque perderemos outra vez o momento mais oportuno

    desenhando: votar em Ciro agora é dificultar ou impedir este equilíbrio.

    Ideal seria que os índices de Ciro e de Haddad estivessem mais próximos, levando em consideração que quem votará em Bolsonaro agora, provavelmente votou em Aécio. Aí seria vitória certa com qualquer um dos dois, com Haddad ou com Ciro

     

  8. Não diga!

    O acadêmico (só podia, não é?) Fernando Horta sugere que fizessem com o Bolsa o mesmo que a direita, mídia e judiciário fizeram com Lula. Essa cópia sim, ele aplaudiria! Mas, claro, é uma completa bobagem comparar o pensamento dos lados opostos. Não poderia faltar, também, uma ideia para a destruição completa do fascismo. Mas essa é para vocês pensarem como exercício de “homework”. A criatividade anda rara nas universidades brasileiras!

  9. conteúdo bloqueado no face?

    Não consigo compartilhar no face. aparece a mensagem que alguém considerou o conteúdo imróprio ou coisa assim. Alguém pode esclarecer se é isto mesmo? tm váriso artigos do GGn que estão sendo bloqueados…

     

    • Acabei de compartilhar. Copia

      Acabei de compartilhar. Copia o link e cola no Face. Eu tb copio todo o texto.

  10. conteúdo bloqueado no face?

    Não consigo compartilhar no face. aparece a mensagem que alguém considerou o conteúdo imróprio ou coisa assim. Alguém pode esclarecer se é isto mesmo? tm váriso artigos do GGn que estão sendo bloqueados…

     

    • CONTEÚDO BLOQUEADO NA FACE

      TODOS OS MEIOS ESTÃO SENDO USADOS PARA QUE A VERDADE NÃO SEJA DITA.

      TENHO CONTORNADO ESSE PROBLEMA SALVANDO A IMAGEM PARA MEU COMPUTADOR.  DEPOIS INCLUO A IMAGEM NA MINHA PÁGINA DO FACEBOOK E COLO O CONTEÚDO DA REPORAGEM QUE COPIEI DO GGN.  JEITINHO  BRASILEIRO QUE DÁ CERTO.  

  11. Hei de ver milhões milhões de

    Hei de ver milhões de alienados se revoltarem ao constatarem que a votação no Capitão Facínora não diminuiu as frustrações em suas ridículas vidas.

      • Ei, O Quê Você Tem Contra Fascismo Trigueiro?

        Imaginem estes dois na Alemanha em 1942.

        Não sei não, mas como não são loiros e arianos estariam aonde? É um desconhecimento da história absoluto.

        Ei, deixa os meninos sonharem com ser líder (ou Führer, cet à dire). Cada um lidera como pode (ou sonha) e “Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é se tornar opressor” (Paulo Freire).

  12. Não foram dez dias, foram bem mais

    Talvez alguém possa não ter se dado conta, mas, em dez dias (apenas), o fascismo dissolveu todo o centro político do Brasil.

    Não foram apenas em dez dias. O centro político já vinha se dissolvendo desde que José Serra invocou os demônios dos subterrâneos na eleição de 2010. Acelerou quando serviu de fiador para o golpe parlamentar de abril de 2016.

    O que o fascismo fez, e fez mesmo, foi jogar a pá de cal no centro político. O centro está morto e enterrado. Só resta o fascismo, a esquerda e a picaretagem do baixo-clero, que vai pra onde con$eguir mai$ vantagen$.

  13. O horror

    Prezados e Prezadas, boa tarde

    Quero dar os parabéns ao Fernando pelo texto. O momento que atravessamos é muito grave e o momento atual vem sendo preparado desde 2013, mas se acelerou com a derrota do PSDB em 2014, com a não aceitação da derrota por esse partido podre e decadente.

    Diferentemente dos fascismos europeus, o nosso carece de qualquer aparato teórico e se sustenta tão somente na ameaça, na mentira e na violência. E Fernado tem toda a razão. Haverá o desencadeamento de uma violência inédita contra os de sempre se o pior acontecer. Um dos mais abjetos políticos desse triste país, Dória, já prometeu que a PM terá “carta branca” para matar, a partir de sua posse. Observem que, ao contrário do ocorreu às vésperas do golpe de 64, hoje a violência já vem ocorrendo (vide o assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes) e anunciada sem qualquer tipo de pudor. Pior, é apoiada por um enorme contingente da população, notadamente na classe média.

    Do texto do Fernando gostaria de ressaltar o papel do poder judiciário, formado por pessoas da classe média, preconceituosas e que se consideram acima do bem e do mal. Esse poder irá — que ninguém duvide — coonestar o fim das liberdades individuais, dos direitos constitucionais sem nenhuma hesitação. Os juízes e membros do MP verdadeiramente democratas serão calados à força, se necessário. 

    Não podemos esmorecer pois o jogo é jogado e ainda não acabou.

    Um abraço a todos e vamos à luta.

  14. Se alguém tem alguma dúvida sobre possíveis fraudes nas eleições

    Se alguém tem alguma dúvida sobre possíveis fraudes nas eleições, leia

    URNAELETRÔNICA

    https://urnaeletronica.info/

    O STE colocou uma série de restrições para as equipes que testaram as urnas, restrições de tempo e de equipamento, e segundo um vídeo de um dos elementos que participou do teste, se alguém tiver acesso de dois dias a uma urna, com equipamento e uma boa equipe é muito fácil.

  15. mdb e psdb não

    se pt for pro segundo turno e se aliar a mdb e psdb não vai ganhar mesmo!!!

     

    era so o que faltava.

  16. Éh…

    Derrubaram a Dilma pensando que em 3 meses fariam o Brasil dar um salto, mantendo a tranquilidade dos governos do PT!

    Se um semi analfabeto conseguiu governar este país e sair com 85% e de quebrar eleger um poste, por que nós não?

    Pensaram eles…

    Agora querem eleger uma figura que é o anti-PT!

    Parece que lição anterior não foi bem assimilada…

  17. A promessa está se concretizando

    quem semeia despolitização, colhe Bolsonaro.

    quem por duas vezes elegeu o poste Dilma e agora pretende eleger o poste Haddad, nada fica a dever aos eleitores de um “coiso”.

    para quem declara com orgulho “votar em quem Lula indicar”, não se justifica tanto espanto e indignação com aqueles que julgam fazer opção própria ao votarem em Bolsonaro.

    qual a diferença entre a bolha dos atuais apoiadores de Bolsonaro e a bolha do Lulismo?

    ao serem confrontados com dados e fatos demolindo o mito dos festejados milagres dos programas sociais do Lulismo, qual a reação de seus apoiadores? exatamente a mesma dos atuais apoiadores de Bolsonaro: mentira, fake-news, agente infiltrado da CIA, esteja repreendido e não empreste tua boca para Satanás!

    o fanatismo se exarcebou a tal ponto, que Lula, segundo seus seguidores, estará presente no domingo de eleição através de sua imensa espiritualidade política. glória;

    – qualquer que seja o resultado, um dos mais nocivos efeitos colaterais das Eleições de 2018 se dá no massacre psico-somático a que estamos todos sendo submetidos: tensão, angústia, depressão, desespero, pavor, desesperança;

    – para quem se indagar qual o perfil e a estratégia do fascismo contemporâneo, ele já está entre nós há algum tempo: a sociedade em rede é um onipresente e onisciente panóptico distribuído, interconectando o concreto e o virtual, o digital e o analógico;

    – sob a promessa de aproximar pessoas, nunca foram tantas as separações. nichos e guetos se proliferam. mesmo que os campos de concentração deste admirável mundo novo sejam percebidos como reconfortantes grupos de afinidades nas redes sociais.

    .

    • O bom da democracia, ainda um

      O bom da democracia, ainda um pouco remanescente, é que se pode sem ao menos pensar ou se utilizando do bom senso, dizer quaisquer asneiras.

      Aproveite rapaz do tempo que ainda nos resta.

    • Indicação

      A indicação se dá no plano da consciência política de quem indica, e passa pela avaliação dos eleitores quanto ao acerto da pessoa indicada, e das circunstâncias políticas da sua indicação. E não se trata apenas da indicação de um indivíduo, mas também de um projeto ideológico de um partido político.

  18. Revisão
    Nos últimos meses pudemos rever os erros cometidos ao longo dos anos, que espero humildemente pontuar:
    1) Não seria Dilma em 2010, mas sim o Ciro Gomes; já havia passado pelas urnas, e não tinha o peso da indicação do Lula.
    2) Não seria o Hadad em 2018, mas sim o Ciro Gomes numa coalizão da esquerda, o que desnortearia o centro, anulando o Alkimin e Marina.
    Conclusão – culpar essa onda fascista pelas nossas más escolhas é deixar de aprender com a história.

  19. “em dez dias (apenas), o
    “em dez dias (apenas), o fascismo dissolveu todo o centro político do Brasil. Os liberais e neoliberais foram destruídos”

    Como assim foram destruídos se o fascismo é justamente a mão peluda do liberalismo em sua versão menos palatável? Se todas as pautas que realmente importam para os liberais serão colocadas pelos fascistas?

    Espero que o PT não caia no erro de formar uma “grande frente contra o fascismo” com seus inimigos, os liberais golpistas responsáveis pelo fascismo. Fascista, acima de tudo, é movimento que busca brecar pela truculência ou ameaça explícita as lutas de classes criadas pelo capitalismo.

    A tal frente apartidária é tudo o que o fascismo precisa, uma vez que tal maluquice apenas confundirá os oprimidos, base eleitoral histórica das esquerdas. Sherazades, FHCs… ao lado de Lula, isso é suicídio político.

    Frente só se for com as forças de esquerda que os liberais querem ver aniquiladas, desde sempre, ainda mais agora que o capitalismo financeiro impagável já deixou para trás o tempo de sua pregação “democrática” empulhadora e se desnudam como os verdadeiros exploradores dos mais fracos como nunca deixaram de ser.

    Não cometamos mais esse erro histórico sob pena da completa sucumbência do PT face ao eleitorado desnorteado, a exemplo do que acontece no resto do mundo, onde o que se dissolve e é destruído são os partidos de esquerda, transformados matreiramente pelo liberalismo em meros administradores das cada vez mais agudas e repetitivas crises capitalistas fim de linha das quais os liberais “democratas” são os verdadeiros responsáveis.

    A única coisa que detém o fascismo é a força coercitivo superior de seus adversários de esquerda, jamais os liberais que lhe dão de comer. As esquerdas têm que mobilizar é o povo politicamente, partidarizando-o a favor de seus interesses políticos de classe, não o conto da carochinha de seus traidores. Podem chamar de populismo ou o que mais, mas a governabilidade de um eventual governo petista só poderá vir das ruas (plebiscitos, referendos e demais instrumentos de democracia participativa direta).

    • A promessa está se concretizando

      -> A única coisa que detém o fascismo é a força coercitivo superior de seus adversários de esquerda, jamais os liberais que lhe dão de comer.

      existe uma grande parte da Esquerda que recusa-se a sair de sua bolha, exatamente como muitos dos apoiadores de BolsoNazi. nada vai conseguir romper esta couraça. não é uma questão de opção política geral mas sim de modo de viver.

      pessoas como vc, e eu, que se negam a negar a realidade atroz na qual continuamos a afundar, deveriam é planejar e organizar a sobrevivência. com ou sem #EleNão, nosso futuro imediato será o mais perigoso em que todos nós já vivemos, inclusive aqueles que passaram pela Ditadura Civil-Militar.

      NO SEGUNDO TURNO, HADDAD VAI EXIBIR SUA RELAÇÃO COM A FAMÍLIA E A RELIGIOSIDADE

      “Haddad deu uma amostra grátis dessa persona nas considerações finais do debate da Globo. Enalteceu seu casamento de três décadas e citou o pai como uma de suas inspirações”.

      .

      • planejar e organizar a sobrevivência

        Creio que, ao longo de todo um eventual governo fascista, o passatempo predileto dessa gente, com o apoio do judiciário e da mídia oligárquica, será uma exacerbada execração e perseguição das esquerdas, como não poderia deixar de ser, já que esse é o modus operandi mais destacado do fascismo tupiniquim.

        O circo está armado: as esquerdas e os esquerdistas serão cada vez mais os “cristãos” do novo coliseu tupinambá,  ofertados à sanha das bestas fascistas.

        Portanto, será mesmo necessário “planejar e organizar a sobrevivência”. Antes de mais nada, isso vai demandar muita calma e sangue frio em face do encolhimento dos tênues espaços democráticos ainda disponíveis.

        Com certeza, não serão tempos de paz e amor.

  20. Bloqueio no Facebook

    Tentei repassar esta página através do Facebook, mas o conteúdo foi bloqueado por ter sido denunciado como abusivo – abusivo é o bloqueio! O texto está excelente.

    • Caro Ingo, desista, Facebook nunca foi um instrumento ……

      Caro Ingo, desista, Facebook nunca foi um instrumento democrático. Ele tem um dono que se chama Mark Zuckerberg. Um dos maiores capitalistas do Império do Norte. Sua empresa tem ligações umbilicais com todo o esquema de segurança norte-americano.

      Por que ele vai dar platéia para qualquer coisa que pareça ser contra ele?

  21. E Se Os Tucanos Perderem A Cidadela Paulista
    … O que, aparentemente está a ocorrer, eles desvanecem por completo.
    Quando o autor diz “… Isto significa que o fascismo também já derreteu nosso judiciário. Nossos juízes falharam…”.
    Discordo. Eles não falharam. Falhamos todos. A gente brincou de Judiciário desde Olga Brenário. Nunca se tentou, sequer, fazer uma reforma desse antro de má sônicas criaturas. Não derreteram. Desobnubilaram-se.

  22. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome