A República das Margaridas, por Marcelo Manzano

Marcelo Manzano | Brasil Debate

Depois de tocar o fundo do poço, a presidenta Dilma parece que resistirá no cargo. Subitamente, num espaço de poucos dias, os líderes da conspiração golpista se deram conta do estrago que provocariam no país caso se efetivasse o golpe.

Aos 45 do segundo tempo perceberam que a queda de Dilma esgarçaria de vez o tecido institucional do país e a convulsão social jogaria a nação numa crise econômica disruptiva que, em última instância, lhes alcançaria os bolsos.

E quem foi que pôs o guizo no gato?

Por certo, não foi por zelo democrático, espírito republicano ou lustro ético que os donos do poder resolveram retroceder no golpismo. O que lhes impediu de cruzar a linha de giz foi a percepção de que os movimentos sociais tomariam as ruas e não aceitariam a ascensão de um governo golpista a esta quadra de nossa história.

Seria, portanto, equivocado e injusto atribuir a figuras como Renan, Temer e muito menos aos irmãos Marinho o mérito de terem colocado o pé na porta e evitado o conluio que já ocupava a antessala do gabinete da presidenta. Menos tolos do que os do PSDB, eles apenas reagiram a tempo de evitar o pior e quem sabe ainda garantir uma posição melhor no tabuleiro quando o jogo recomeçar.

Diante do que assistimos nos últimos dias, mais do que nunca fica demonstrado o quão importante é a força e a densidade dos movimentos sociais na cena política brasileira.

São eles, mais do que os partidos ou as instituições do poder formal, que hoje servem de lastro concreto à manutenção da cidadania e dos valores democráticos que foram inscritos na Constituição de 1988.

Leia também:  Estadão é o jornal que dá menos espaço à "Vaza Jato", aponta Manchetômetro

A muitos de nós foi assustador assistir o judiciário, o legislativo e o executivo se dissolverem na correnteza mal cheirosa da campanha de desestabilização política que foi posta em prática nos últimos meses. Nada parecia parar em pé.

Até que as Margaridas, com indelével legitimidade, vieram nos redimir.

Num país com o abismo social como o Brasil, a legitimidade dos movimentos sociais compostos por mulheres e homens batalhadores decorre, entre outras coisas, do fato de que, em última instância, são eles que têm a vida esfacelada quando os habitantes da casa grande se dão ao luxo de atropelar as regras que não mais lhes convém.

Na condição de economia periférica, com elites historicamente subordinadas a interesses externos, estamos sempre triscando o enredo de “república bananeira”. E, se pelo menos desta feita o desfecho bananeiro foi evitado, foi pela presença das Margaridas e tantos outros movimentos similares que permaneceram na retaguarda.

Contamos com movimentos sociais fortes. Este é, precisamente, um diferencial importante do Brasil em relação à enorme maioria dos países.

A “trégua”, ofertada a Dilma pelos carcarás de sempre, não deveria, contudo, levar a presidenta a conceder ainda mais em seu governo. Dilma, que já estava em dívida com aqueles que votaram nela em outubro de 2014, agora é duplamente devedora dessa pequena, porém, valorosa parcela de seus eleitores que se organizam em meio às dificuldades e agruras da vida e ainda encontram forças para enfrentar de peito aberto os charlatães do andar de cima.

Leia também:  Sociedade sem lei, por Leonardo Isaac Yarochewsky

 

Foto: Lula Marques.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

15 comentários

  1. Penso exatamente assim. 
    Quem

    Penso exatamente assim. 

    Quem deu e dá sustentação aos governos de Lula e Dilma foram e serão estes movimentos. Tá na cara da presidenta Dilma e ela só não ver se não quiser. Digo mais, somente o Lula e Dilma tem legitimidade, ainda, com estes movimentos. Tanto é verdade que Lula estava no meio das margaridas em Brasília. O golpista de plantão jamais teria acesso as margaridas.

  2. Margaridas X Horrores da Paulista

    Caro Nassif,

     

    às vezes mediante tamanha imobilidade do governo, que deixou deteriorar em questão de poucos meses um resultado histórico conseguido a duras penas na última eleição, bate um desanimo “federal”. Ocorre que assistir ao mais que show de horrores não somente da paulista mas do Rio, BH, etc…, somos chamados, por uma responsabilidade inerente de todos aqueles preocupados com o destino de seu país a retomar forças e lutar para que o mesmo não seja novamente entregue àqueles que representariam os que protestavam nesse dia 16 de agosto.

    É motivo de uma análise crítica por parte desse governo, ver o tamanho da desinformação que sustentam essa turba. O Sr Edinho tem obrigação de ver todos os vídeos registrados na internet com entrevistas desses desmiolados, que protestam como diretio na democracia, mas não sabem explicar os mínimos motivos que os levam a sair às ruas senão como manadas, e pior, aqueles que se aventuram a dar uma explicação aos microfones o fazem com argumentos e justificativas totalmente desvinculadas da realidade.

    A comunicação é chave, e esse governo, repito, tem de ver e rever todos os vídeos e fazer uma autocrítica muito grande, que sai do governo Dilma e vai lá atrás ao de Lula e colocando as mãos nos rostos se questionar: como deixamos chegar a um grau desses de desinformação e manipulação?  Realmente temos muita culpa nisso que  está acontecendo.

    Edinho, Dilma, Lula e demais ministros ver um casal jovem dizer que a Presidenta deve sofrer o impeachment pois entregou nosso petroleo para os americanos é de lascar o cano, como se diz em Minas. Me desculpem mas PQP.

  3. A grande disputa

    Mestre é Mestre! Muitos até desfizeram do movimento das margaridas e colocaram movimento sociais como adereço… Iludidos disfarçados de especialistas e não sabem que estamos numa sociedade em disputa e certamente os movimentos sociais estão sendo valorosos, porque é bem mais fácil ser um mero colaborador da banca financista.

  4. eles imaginaram que a gente ia ficar batendo palma

    estes golpistas de meia tigela acha que a população é idiota…

    um golpe pra se manter tem que usar a força, a repressão, e a gente sabe muito bem onde isto vai chegar…

    não existe golpe na democracia, apos o golpe é bye bye democracia.

    por isto mesmo não interessa a ninguem com um pingo de juizo este golpe.

    no dia seguinte ao golpe. a gente não vai aplaudir não,  a população vai comecar a se opor, vai revidar, até derrubar os golpistas, igual fizemos no regime militar…

    o golpe não resolve crise nehuma, muito pelo contrario, é só o comecinho, a bronca mesmo virá depois do golpe.

     

    e digo mais, o proximo presidente teria que fazer uma limpa nos golpistas atuais, incluindo o PIG, para nao correr o risco de viver sendo chantageado e ameaçado de ser derrubado ao sabor dos ventos…

    acho que foi isso que a Globo pressentiu…

    Dilma tá sendo boazinha, mas a limpa não, a limpa seria profunda…muito profunda….

    teria que fazer o que o PT não fez, e aí amiguinhos, a Dilma seria considerada uma santa.

     

     

     

     

     

     

     

  5. Não existe movimentos sociais

    Não existe movimentos sociais existe movimento da mordadela. Sem ela o governo perde apoio.

    O que seria do PT se não fosse a mortadela.

    • Uai gaucho

      Aqui em Minas o que sabemos é que o MENSALÃO TUCANO é que foi para debaixo do tapete. A roubalheira do Metro de SP virou cartel e nenhumpolítico tucano foi sequer indiciado. Tu é bobo ou só se faz?

      • Ulisses, isso  não cola, o PT

        Ulisses, isso  não cola, o PT é governo já faz 13 anos.

        Ele é governo, senão investigou ate agora , o que você quer que eu faça, continuar acreditanto na culpa do PSDB sem o devido processo e condenação.

        Eu não confio no PSDB mas sem a devida investigação fica só a retórica partidária.

        Podiam para o bem deste país achar algo de concreto contra o PSDB e viramos a página, ficar com acusações do tipo aeroporto de Cláudio, privataria tucana, helicoca é atraso de vida.

        • Aliança, tombou um caminhão

          Aliança, tombou um caminhão de catupiri ali na esquina da tua casa. Vai buscar o recheio e deixa nóis em paz!!!!

          corre que acaba rápido…

           

  6. Uma coisa não exclui a outra.

    Uma coisa não exclui a outra. Boa parte dos donos do capital não teriam sido tão claros de que não querem a ruptura insitucional, se achassem que seria mole. Tira-se a Dilma, empossa-se o Temer e pronto, faz-se um ajuste ainda mais arrochado.

    Sabem que existem as Margaridas e demais flores nesse jardim. As pessoas confundem o afastamento do PT dos movimentos sociais com a inexistência ou debilidade deles. Esses trabalhadores podem cravar que o governo é rium na pesquisa da Datafolha. Podem também não reagir de imediato ao golpe.

    Mas ao perceber que o governo golpista não vai apenas fazer ajuste, mas desmontar todos os ganhos dos governos petistas, aí não vão ficar parados achando graça. O empresariado esclarecido sabe disso.

    Até 2018 os movimentos sociais, sindicatos, mobilizam suas bases para retomar o caminho começado por Lula. E quem será a grande referência? Ele mesmo, Lula. E não adianta prender, porque aí vira mártir. Ainda mais com “provas” fajutas. A consequências de um cenário desses é imprevisível. O Trabuco e a Fiesp não querem apostar tão alto, para que? Acabar com o “comunismo búlgaro”, o que só existe na cabeça de jerico dos paneleiros? 

  7. Eu ando muito desatento ou

    Eu ando muito desatento ou nem mesmo os blogs chamados progressistas divulgaram imagens da Marcha das Margaridas?

    Li em algum lugar da imprensa decadente que o número de pessoas foi muito grande, mas a primeira foto que eu vejo é esta da postagem do blog.

  8. As Margaridas e a incapacidade de diferenciar fato de opinião

    Outro dia, um comentarista não cadastrado aqui no blog desqualificou a Marcha das Margaridas, taxando-a de “protesto chapa-branca”, por ter sido (supostamente) financiada pelo BNDES. Li a mesma acusação em outros locais da web.

    Numa rápida busca, chega-se à origem: um artigo da Veja On Line, curto, não assinado, provavelmente, bastante acessado devido sua posição nas buscas do Google.

    No tal artigo não há uma única informação que sustente a acusação, apenas suposições e a expressão “protesto chapa-branca” copiada pelo comentarista. Suponho que na apuração da matéria (generosidade minha) o autor se deparou com publicidade estatal no site das Margaridas.

    A Marcha, até onde se sabe é uma iniciativa do movimento sindical, suficientemente rico para bancar o movimento, sem depender de publicidade de site.

    Que Veja faça o que se espera dela é normal. Que multidões aceitem ficção como verdade, “tomando a nuvem por Juno”, como se dizia, denota falha grave de escolarização, na fase infantil.

    A habilidade de diferenciar fato de opinião é algo que se aprende nos anos iniciais do Ensino Fundamental (MEC, p.7 – http://goo.gl/eRgu26). Ver a elite pouco escolarizada repetindo asneiras como se fossem verdades envergonha o país.

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome