As desventuras de um suposto Carlos Magno brasileiro, por Fabio de Oliveira Ribeiro

por Fábio de Oliveira Ribeiro

Há alguns meses apontei as diferenças entre Michel Temer e seu ídolo Carlos Magno.

Volto ao assunto por causa do escândalo envolvendo Michel Temer e dois de seus Ministros. Um deles (Geddel Vieira) usou o cargo para fins privados. O outro (Calero) gravou o usurpador por cautela. Aparentemente ele não queria ser apanhado na teia de ilegalidades tecida por seu colega de ministério.

A má-fé de Calero, Geddel e Temer é evidente. O primeiro se diz ético, mas aceitou fazer parte de um governo que, além de ter chegado ao poder através de um golpe de estado, é integrado por vários corruptos perseguidos pela Justiça. Calero gravou ilegalmente o presidente. O segundo não parece não fazer qualquer distinção entre público e privado. Geddel usou o cargo para obter vantagem pessoal. Temer não o demitiu imediatamente o subalterno. Ele tentou conservar Geddel no cargo apesar de ter tomado conhecimento das ilegalidades que ele estava cometendo.

Carlos Magno era mais criterioso ao selecionar seus assessores. Ele até os fazia proferir o seguinte juramento:

“O juramento ao imperador era exigido de todos que tivessem formalmente jurado aliança a Karl com rei, assim como todos que fossem maior de 12 anos que ainda não o tivessem feito. O juramento era prestado a Karl como ‘césar’ na presença das relíquidas sagradas. Uma versão é a que se segue:

O juramento através do qual, prometo, de hoje em diante, ser fiel a meu senhor, o mais pio imperador Karl, filho do rei Pepino e da rainha Bertrada; que tenho a mente pura, sem desejos maus ou fraudulentos da minha parte para com ele, pela honra de seu reino, de maneira que pela lei de um homem deve estar a serviço de seu senhor. Que Deus e as relíquias destes sagrados patronos me ajudem, aqui neste lugar que irei, portanto, assistir e consentir através de minha vontade própria e com os sentidos que Deus me deu, por todos os dias de minha vida.” (Tornando-se Carlos Magno, Jeff Sypeck, Editora Record, 1ª edição, São Paulo, 2012, p. 162/163)

Geddel parece ter aceitado o cargo para agir fraudulentamente de maneira a realizar seus próprios desejos de lucro pessoa. Calero não se aproximou de Temer de mente pura, tanto que gravou ilegalmente aquele que o nomeou. Temer, por outro lado, não foi capaz de nomear ministros suficientemente honrados.

Leia também:  A imagem vencendo a palavra no conflito político das mídias digitais, por Álvaro Miranda

O fracasso de Temer é completo. Em momento algum ele conseguiu se igualar a Carlos Magno. O usurpador brasileiro está perdido no labirinto que ele mesmo construiu. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. Voltei ao assunto…

    Quem é o presidente do Brasil, mas de VERDADE!

    O cara que manda, por que estes ai são marionetes…

    O Temer não é, pois não teve acedência sobre o gedel e na entrevista disse que com seu jeito, ele não demite as pessoas, leva as pessoas a se demitirem…

    O presidente da câmera tomou uma decisão sem consulta sua base, que agora esta um pouco irritada, vai querem mimos…

    Idem para o senado.

    Lógico que tem muita coisa em jogo, mas aquele que manda não se preocupa por exemplo com os deputados que serão alcançados por delações.

    Ele vê como importante a imagem da luta contra a corrupção, ainda que saibamos que agora ele ficará muito mais forte, mas muito mais oculta.

    Será que acordos espúrios já foram ou estão sendo tratados?

    Seria interessante saber de quem é a mão que dá socos nas mesas do Temer, do renan e do maia…

  2. “Calero gravou ilegalmente o

    “Calero gravou ilegalmente o presidente”:

    NAO.  MIL VEZES NAO, FABIO!!!!

    GRAVACAO DEFENSIVA EH LIBERADA EM QUALQUER PAIS DO MUNDO.

    E evidentemente uma vez que a gravacao esteja feita voce tem que a documentar “estatalmente”, isso eh, se eh defensiva e voce foi circunstacialmente forcado a a fazer, voce tem obrigacao de a registrar com alguma entidade que seja.

    Que o filho da puta nao a registrou com “alguma entidade que fosse” que nao era o Youtube eh um desaforo, isso sim.  A gravacao ja comecou a “desaparecer” da gravacao ainda em fase de POLICIA…  nem chegou ao judiciario ainda, que a vai acobertar ainda mais!

  3. o fim do golpe

    O golpe não acabou. só isto. A ocasião faz o ladrão e o ladrão ainda não conseguiiu o seu desejo. Quem é o ladrão? FHC.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome