Bolsonaro e as praias do nordeste: Uma metáfora criada pelo desastre, por Albertino Ribeiro

O petróleo bruto que invadiu as lindas praias cantadas por Dorival Caymmi transformou-se em um imenso desastre ambiental. O interessante é que ninguém sabe como ele chegou lá; tudo, até agora, é um mistério.

Bolsonaro e as praias do nordeste: Uma metáfora criada pelo desastre

por Albertino Ribeiro

Parece que a vida imita a política da mesma forma que gosta de imitar a arte. O vazamento de óleo, que atinge as praias nordestinas criou uma metáfora da atual política brasileira, pois o óleo está para as águas do nordeste assim como Bolsonaro está para a democracia e para o nordeste também, região que ele chama de uma grande Paraíba.

O petróleo bruto que invadiu as lindas praias cantadas por Dorival Caymmi transformou-se em um imenso desastre ambiental. O interessante é que ninguém sabe como ele chegou lá; tudo, até agora, é um mistério.

Da mesma forma, muitas pessoas tem se perguntado como foi que alguém com ideias e comportamento tão autoritários conseguiu chegar à liderança de uma democracia? São paralelos que, contrariando a ciência matemática – aliás o que este governo mais sabe fazer é contrariar a ciência -, se encontram em algum lugar na consciências cheias de bile de gente reacionária.

Este é o governo dos oxímeros introduzidos no início do ano pela ministra dos direitos humanos. Em tom de euforia, Damares disse que era “terrivelmente cristã”. Contudo, é fato que a ministra vem se mostrando mais terrível do que cristã, negando direitos e falando tolices, quando deveria ser mais econômica com as palavras.

E o que não dizer de um ministro do meio ambiente contrário a preservação da amazônia e a favor de garimpeiros e madeireiros? Ou um ministro da educação mal educado e analfabeto funcional?

Leia também:  Programa Verde-Amarelo é interpretado como uma segunda reforma trabalhista

Nada neste governo combina, a começar pelo partido que defende ideias ultraliberais, mas tem em sua sigla o S de social. É tudo como óleo em água.

O Brasil está cercado por um desastre político de grandes proporções e, nesse momento, precisamos de coerência e bom senso. Estas palavras combinam com o Brasil que precisamos e com urgência.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora