Congresso e STF podres, a jornalista só queria era dar o furo, por Armando Coelho Neto

A mídia capital sabia que negar a política e a democracia abriria caminho para o fascismo e a derrocada da democracia. Não à toa, os Bozos chamam o povo para a briga para justificar sua ânsia de fechamento do regime.

Congresso e STF podres, a jornalista só queria era dar o furo

por Armando Rodrigues Coelho Neto

Ela, uma competente e bela jornalista. Ele, um cafuçu qualquer encontrável nos bares vagabundos, nos quais em muitas noites fecham as portas depois de arruaças, quebra de garrafas, tacos de sinuca, e não raro com desfecho policial. Sei que estou no limite do politicamente correto. De há muito deixei de lado o texto factual limpo e objetivo, para mergulhar em adjetivações e metáforas. Mas, cabe repetir: de um lado, uma bela moça, excelente profissional que não confundo com a empresa a que serve. De outro lado, um cafuçu de quinta categoria.

Bozo X Imprensa. Eis uma briga na qual torço por um empate na qual os dois percam. Quero, sim, que a bela donzela desse conto de fadas saia ilesa. Mas, como esquecer o papel porco do jornal Folha de S. Paulo no golpe de 2016? Como esquecer que a Folha soltava seus pesquisadores nas ruas sempre depois de um episódio ruim, para aferir quantos pontos Dilma Rousseff caía em popularidade? Como esquecer que a mentira do Jornal Nacional (Globo) era manchete garrafal da Folha no dia seguinte? Como esquecer a Folha como algoz de Lula e do povo?

Quer saber? O único “honesto” dessa trapalhada é o Bozo. Não necessariamente por honesto, com ou sem aspas, pois não creio em ilhas de honestidade cercada de corruptos por todos lados. O que é ser honesto ao lado de juiz corrupto, cúmplice de uma fraude processual, eleitoral? É o mesmo raciocínio que aplico a Bozo, Moro, Heleno, o general moribundo e o mundé que circunda o Planalto Central. Honesto, não, autêntico, sim! Bozo sempre confessou seu despreparo: não entende de economia, saúde, gestão pública… Não gosta de mulher, de negros, homossexuais, índios, ambientalistas, arte… Bozo é apenas um primata egresso da caverna que precariamente se expressa em língua portuguesa.

Bozo sabe que o mercado é uma prostituta que só gosta de dinheiro. Basta estar tornando os ricos mais ricos. Pobre não passa de um dedo indicador apertando a tecla de uma urna eletrônica. Pobre, inclusive de espírito, é sua claque ordinária aplaudindo suas aleivosias no cercadinho onde ele carcareja. Ele é “feliz” no praticável do curralito, onde, ao lado de seu eunuco de estimação e do General Heleno, agride jornalistas, destila gotas diárias de ódio, aumenta o abismo entre ricos e pobres, entre pobres de direita e pobres que não sabem o que é isso. De lá, distancia famílias, amigos, insulta governos de outros países.

Leia também:  Coronavírus: Decisão de Bolsonaro revolta governadores

A Democracia é ultrajada todo dia, a imprensa é atacada, enquanto jornalistas são assassinados Brasil afora (é o quarto no mundo). Enquanto o País afunda, dólar alto vira coisa boa, investidores fogem, donos de empresas de informação mandam jornalistas para serem atacados e reproduzem insultos aos Três Poderes e contra o povo.

Quero, sim, que essa briga dê empate e os dois percam. Patrícias à parte, o empenho da Folha de S. Paulo para detonar Lula/Dilma/PT são inesquecíveis. Até no engajamento de campanha. Na impossibilidade de negar os feitos positivos do governo Lula, a Folha de S. Paulo desenterrou um velho comercial no qual exaltava os feitos positivos de Hitler. Num cenário granulado (reticulado) a Folha enaltecia os progressos da Alemanha de Hitler até que, finalmente, as retículas formavam o rosto do nazista. No fechamento, uma voz dizia: “existem muitas formas de mentir, uma delas é dizendo só verdades”. Antes ou depois, entrava o programa eleitoral de Lula.

O jornal que sempre manipulou, fingia não entender que o povo estava sendo manipulado. Enquanto empresa, esse jornal, a exemplo de O Estado de S. Paulo, Organizações Globo et caterva, fingiam não serem empresas. Portavam-se como entidades pretensamente isentas defensoras de interesses sociais maiores. No fundo, defendiam seus próprios interesses. Pouco importa que o Brasil tenha saído de um projeto de inclusão social, de um pretenso capitalismo humanizado (se é que isso existe), para mergulhar no “sevirol’ do Chupim Paulo Guedes. Todos eles fingindo isenção, com pequenos reparos em notas de canto de páginas. Todas empresas defendendo seus próprios interesses.

Leia também:  Aprovado em sabatina, Kassio se alinha a Bolsonaro contra o aborto

Bozo é o ódio real, tão produto de mídia quanto o ódio gratuito contra Lula. Bozo é o ódio que com o apoio da mídia se instalou no Planalto. De lá, ele só sai debaixo de vara, pois a grande mídia não perde a oportunidade de demonizar Lula, nem quando ele está em audiência com o Papa Francisco, nem quando está recebendo título de Cidadão de Paris. Folha et caterva sempre souberam que estavam empurrando o país para um golpe e flertou com Temer, que abriria caminho para Bozo. Um político que dormitou por 25 anos na política, fez dos filhos políticos e continua a negar a política. Folha, Globo, Veja et caterva sabiam.

Na outra ponta, Folha et caterva iluminava o comitê eleitoral aberto dentro da Justiça Federal de Curitiba, onde também se negava a política, com a judicialização da política, que mais tarde, quando não mais produziria efeito algum, viria a noticiar. Não mediu esforço para demonizar Lula, enquanto chocava o ovo da serpente do capitão do mato do golpe, preposto de Trump no Brasil, homiziado em Curitiba. O tiranete, aliás, tornou-se político negando a política e hoje desfila em tanque. Se o tal Cid sobe numa escavadeira, por que o tiranete não subir num tanque?

A mídia capital sabia que negar a política e a democracia abriria caminho para o fascismo e a derrocada da democracia. Não à toa, os Bozos chamam o povo para a briga para justificar sua ânsia de fechamento do regime. Cerca-se de milicos não patriotas, faz vistas grossas para policiais amotinados com auxílio de milícias, enquanto prepara a próxima piada.

Leia também:  A fome voltou e é preciso combatê-la, por Gustavo Conde

A mídia sabia que o fascismo é fascinante e deixa gente ignorante fascinada. Sabia do fascismo emergente, sabia quem pagava, sabia que Steve Bannon cobra em dólar, mas, mesmo assim ajudou a vender a imagem de que a campanha eleitoral mais cara era a mais barata. Quando tentou denunciar, pintou o cafuçu na área. Para chantagear terceiros, o cafuçu quis “o furo” da jornalista, em troca do furo jornalístico, e de quebra ainda chantagearia terceiros.

Foi aí que Bozo e seus filhos lacraram: ela só queria dar o furo. Aliás, na real (na Bolsolândia), só fica o que os Bozos lacram: jornalista e ambientalistas são veados, as feministas precisam raspar o sovaco, o Brasil está uma m… É por culpa dessa petralhada bandida que quebrou o Brasil e precisa ser metralhada.

Bozo não é “agro” mas é pop. Quase Jesus, segundo vídeo que ele ajudou a divulgar, ataca o Congresso e se reafirma como o antissistema, que quer fazer o melhor apesar do Congresso e do STF, aterroriza o campo progressista, e ainda sai de vítima, convencendo a muitos de uma força que ele ainda não tem, ainda que esteja mais perto de ter. Como diz um amigo, não pelo crescimento do seu campo fanático, mas pela desmoralização da racionalidade e da República.

Enquanto isso… Congresso e STF podres, a gente debate a jornalista que só queria era dar um furo.

Armando Rodrigues Coelho Neto – jornalista, delegado aposentado da Polícia Federal, ex-integrante da Interpol em São Paulo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Amontoa esses Milicianos em frente a uma retroescavadeira pilotada pelo Cid Gomes e o problema estará resolvido. Bota junto aos Milicianos os Clãs Midiáticos.

    Bandido bom é bandido retroescavado.

  2. Não, meu povo, essa faxina cívica, tem que ser responsabilidade constitucional do povo, organizado, responsável e determinado a fazer valer o seu direito e sua justiça,como está escrito: “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27).
    É lamentável, que tudo isso esteja acontecendo co o Brasil e, que nós brasileiros, como povo pobre de um país rico como é o Brasil, apesar de nossa Constituição Federal em seu Artigo Primeiro e Parágrafo Único afirmar: “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”, tenhamos que assistir e tolerar, dirigentes dos Poderes constituídos e de suas Instituições, continuarem tratando como amadores e desrespeito, o povo e a nação brasileira e, fazerem uso da CF, não para propugnarem pelo bem-estar e paz social da nação e sim, para explorarem a boa fé e confiança do povo e para oprimi-lo.
    Com esse procedimento, concorrem para devolverem o país ao atraso, ao desprezarem e desrespeitarem a CF; o estado de direito; a democracia; a justiça imparcial para todos; a fraternidade nacional; o fortalecimento da economia, amparado num mercado interno forte e capitais produtivos; Salário Mínimo justo, como nos 15 países com maiores PIBs; o combate à desigualdade; o bem comum de todos os cidadãos, etc,.
    E também, o seu Artigo Segundo dizer que: ”São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário”.
    O termo INDEPENDENTES, na minha compreensão como leigo no assunto, quer dizer que, para o bem do povo e do país, cada PODER, de acordo com o que determina a CF, deve CUMPRIR BEM E CORRETA A SUA PARTE, respeitando e sem interferir no outro PODER.
    Da mesma forma, o termo HAMÔNICOS ENTRE SI, quer dizer que para o bem do povo e do país, esses PODERES, de acordo com a CF, no cumprimento de suas competências institucionais, são ao mesmo tempo interdependentes e complementares das ações de Políticas Públicas em execução para o bem da nação, um do outro.
    Veja, isso é grave, partindo de um Presidente do Brasil, uma vez que, mesmo não sendo jurista, pelo que vimos acima, conforme a CF e pelos transtornos institucionais, indução à instabilidade institucional que não interessam ao povo e ao país, isso é gravíssimo e cabe que o Congresso Nacional e STF, se antecipem e responsavelmente, acionem de forma preventiva e proativa, as medidas jurídicas pertinentes, para dar satisfação ao povo e, instruir quanto a legalidade ou não do ato, para apaziguar a nação, antes que seja tarde. Nossa contribuição legislativa, abaixo
    LEI Nº 1.079, DE 10 DE ABRIL DE 1950
    Fonte: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L1079.htm
    CAPÍTULO II DOS CRIMES CONTRA O LIVRE EXERCÍCIO DOS PODERES CONSTITUCIONAIS
    Só para ajudar na compreensão do crime cometido pela autoridade, segue abaixo o Artigo 6º da Lei 1079, citada acima: (isso é nosso )
    Art. 6º São crimes de responsabilidade contra o livre exercício dos poderes legislativo e judiciário e dos poderes constitucionais dos Estados:
    1 – tentar dissolver o Congresso Nacional, impedir a reunião ou tentar impedir por qualquer modo o funcionamento de qualquer de suas Câmaras;
    2 – usar de violência ou ameaça contra algum representante da Nação para afastá-lo da Câmara a que pertença ou para coagí-lo no modo de exercer o seu mandato bem como conseguir ou tentar conseguir o mesmo objetivo mediante suborno ou outras formas de corrupção;
    3 – violar as imunidades asseguradas aos membros do Congresso Nacional, das Assembléias Legislativas dos Estados, da Câmara dos Vereadores do Distrito Federal e das Câmaras Municipais.
    Não há dúvidas de que todos nós queremos um governo que atenda de forma plena, os anseios da população e fortalecimento pleno, do Brasil, implementando no mínimo, o que o Artigo 3º da CF, manda. O contrário disso, nos faz entender que, essa convocação https://exame.abril.com.br/brasil/oposicao-reage-a-video-em-que-bolsonaro-convoca-para-ato/ seja um balão de ensaio e uma senha aos às mesmas forças contrárias a diminuição da desigualdade no Brasil, de cerca de 54 anos atrás, para um futuro golpe pleno se houver oportunidade, ao contrário do que aconteceu com Jango em 1964 (https://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/FatosImagens/Golpe1964 ).
    Esse, foi a uma manifestação pública no RJ, para apresentar à população o seu Plano de Governo, as Reformas de Base, de interesse do povo e do país da época, o que nos sugere, que como cidadãos, conheçamos a história de nosso país (http://www.portaldeaquario.com.br/textos/OLegadodeGetulioVargas.htm ), para constatando fatos verdadeiros, tomemos uma atitude justa e responsável, do interesse de todos, desmistificando a mentira. ( https://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/artigos/NaPresidenciaRepublica/As_reformas_de_base ).
    São essas, as nossas observações e contribuições ao assunto, como cidadão brasileiro, nos termos do Parágrafo Único do Artigo 1º da CF, que diz: ”Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”.
    Sebastião Farias
    Um brasileiro nordestinamazônia

  3. Parabéns Armando, VC está cada vez melhor, deixando o politicamente correto, faltando apenas mandar todos os FASCISTAS ‘VTNC’.

    Faço esse recorte do texto do Armando para justificar o meu comentário acima:

    …”Na outra ponta, Folha et caterva iluminava o comitê eleitoral aberto dentro da Justiça Federal de Curitiba, onde também se negava a política, com a judicialização da política, que mais tarde, quando não mais produziria efeito algum, viria a noticiar. Não mediu esforço para demonizar Lula, enquanto chocava o ovo da serpente do capitão do mato do golpe, preposto de Trump no Brasil, homiziado em Curitiba. O tiranete, aliás, tornou-se político negando a política e hoje desfila em tanque. Se o tal Cid sobe numa escavadeira, por que o tiranete não subir num tanque?”…

  4. Oi amigo, até que enfim minha ignorância com a mídia foi vencida. Não é que eu não sabia que poderia comentar aqui seus textos? Sempre devolvo os mesmos através do watts App. Agora serão por aqui! Continue! Adoro seu modo de expressar! Vamos adiante!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome