Depois de Lula, cada um por si, por Wanderley Guilherme dos Santos

Foto: Instituto Lula

Por Wanderley Guilherme dos Santos

O fim, aparentemente, já foi

No Segunda Opinião

A candidatura Ciro Gomes conquistou lugar estratégico na antevéspera do desbaratamento provocado pela tragédia política de Luiz Inácio Lula da Silva. A fraternidade real das boas intenções dará lugar à virulência dos conflitos sectários. Provavelmente, a direita assistirá boquiaberta a delações gratuitas de um movimento popular contra outro, a um líder repelindo com veemência a quem, ainda ontem, era seu irmão em armas, e à transformação de amantes da humanidade em ciumentos leões de chácara de sua legenda exclusiva. Não será muito diferente o dia seguinte ao dia em que, Lula e PT, anunciarem que, enfim, chegaram ao fim da atual estratégia dilatadora e de frustrações sucessivas.

Nem Lula nem o PT têm esclarecido aos apoiadores de sua luta por justiça em que consiste esse “fim”. Mantendo as forças populares em ininterrupta ansiedade, a dura verdade é que, se mal sucedida, a estratégia petista e de seu líder se encaminha para épico naufrágio: après Lula, le déluge. Depois de Lula, cada um por si. Com o passar do tempo e a multiplicação das protocandidaturas, provavelmente decrescerá o potencial de votos transferíveis por Lula para alguém por ele indicado. A falta de uma estratégia flexível durante o atual processo inviabilizará a unidade depois do “fim”, seja este qual for.

Antes de tudo isso, a candidatura Ciro Gomes venceu a intimidação do grande totem, postou-se a seu lado, solidária mas individualizada, e deu ponto de referência preciso à centro-esquerda. Outros, possivelmente, surgirão. Mas uma esquerda acaso implodida pelo malogro final da estratégia petista não estará sem norte. Na difícil peregrinação das forças populares, talvez tenha sido a decisão democrática mais delicada, inevitavelmente exposta às precipitadas excomunhões disparadas a partir de seu ventre de origem.

Leia também:  Xadrez do efeito Bolívia sobre o jogo político brasileiro, por Luis Nassif

Essencial, contudo, é que se não se vislumbra claramente o que ocorrerá com o conjunto atual da esquerda, algo já é absolutamente certo: a direita continuará à beira do abismo.

Partidos populares não podem distribuir franquias à esquerda como as cliques mafiosas vendem proteção à direita. Solidariedade ou é voluntária ou é submissão – algema desterrada pelas multidões de assalariados. O mínimo a que um partido progressista está obrigado a oferecer a um ser humano vulnerável é a liberdade de escolher em quem votar. De outro modo, seria avassalamento. Os milhões de vulneráveis brasileiros são, desde Getulio Vargas, leais, mas não vassalos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

59 comentários

  1. Pelo visto alguns estão

    Pelo visto alguns estão firmes em dar um verniz para essa logro de candidatura,

     

    esse é nanico com ou sem Lula na disputa, sem noção, bate e assopra sem saber de qual lado sopra o vento, alguns, que se enganaram com o vampirão paulista e o mineirinho estão entrando com os dois pés na sua barca furada, e de quebra querem o sacrifício de Lula, pra infelicidade deles, não herda voto de Lula, ao contrário, desagrega, amigaço dos coronéis cearenses, os quais nunca renegou, vai vagar tal qual fantasma durante as eleições……..podem escrever mil artigos rebuscados esse, com minha linguagem de botequim, não engulo……. 

  2. Panfletagem pura

    O Ciro não chega nem perto de representar as causas populares.

    O PDT fez de tudo para derrubar Dilma no impeachment.

    Já é hora de irem pagando por isso. Se Ciro quiser ser candidato….então peça para entrar no PT.

    • Eleições(????)
      Endosso. Ciro nunca foi de centroesquerda. É cavalo de troia q as forças mandatárias vão usar agora pq n têm um candidato viável p legitimar o próximo governo.

  3. Máfia maçonaria tucana dos inférno! Tomaram os 3 poderes e tudo+

    Muito blá blá blá, o que nunca deixa de ser interessante pois disso tambem nascem grandes coisas, mas, estão deixando de pautar, não sabemos se estratégicamente, do retorno da legitimidade democrática, exatamente no ponto em que foi interrompido! É um marco histórico! Um marco histórico da vergonha nacional! Esse marco tem que ser desfeito restabelecendo as coisas exatamente como estavam em termos de governança!! Até gente da direita arrependida, não são poucos, já falam nisso, no entanto os maiores interessados sequer ventilam… 

      

     

  4. Finalmente o Guilherme disse
    Finalmente o Guilherme disse ao que veio: não passa de mais um frustado que fica a pensar: Por que não eu, por que não eu, eu, eu? E o sem universidade mostrou porque ele sim, era o cara.

  5. Ciro?

    Ciro Gomes? No máximo, e com boa vontade, é um candidato da centro-direita. Além disso, não tem apoio algum no congresso e não importa o que faça, se não jogar o jogo como a direita quer, é outro que estará fora em meses!!!

  6. Ciro vai vir …

    Ciro vai vir com seu messianismo e sua mania de vomitar números quebrados …

    Não sei se o povo o “compra”.

  7. As novas hienas atacam

    As novas hienas atacam

    As novas hienas – Ciro Gomes, seu novo eleitor Wanderley Guilherme dos Santos e tantas outras auto-declaradas herdeiras -, nem esperam a prisão e o assassinato político de Lula. Estão com pressa, e não querem participar de velório e funeral: “que siga direto para as masmorras e para a sepultura, não temos tempo a perder”. Pelo contrário, na sua função de hienas – “desculpem, é da nossa natureza”, dirão -, agem para acelerar o processo, espicaçam e lancetam o corpus já sem habeas, já quase sem vida, para garantir alguma carne de herança o mais rápido possível.

    Enganam-se. Os milhões de Lulas não são objetos de apropriação de canalhas, e têm vida própria e memória para lembrar muito bem dessas podres hienas.

    • Ao fim….

      Lula, politicamente, é um cadáver insepulto. Com seus aliados pretéritos da esquerda apenas não reconhecendo isso de público por querem ficar cada um com os milhões de viúvas e viúvos eleitores. É mesmo a temporada da hienas, mas tem-se que lembrar que as mesmas são especialistas em sobrevivência, que é a única coisa que buscam desesperadamente nesse momento. 

      • Nao costumo me dirigir a
        Nao costumo me dirigir a certos facinoras que empesteiam o Blog,nenhum merece resposta de um cidadao de bem.Voce deve achar Lula um cadaver insepulto muito provalvemente para honrar seu sobrenome,visto que,os ratos sao os primeiros a vazerem.Morrem afogados do mesmo jeito.Nao ha escapadoria,senao a dignidade inexistente em tempos sombrios,muito sombrios.Suas estrelas dizem tudo.Ao Rei tudo,menos a honra.

    • Perfeito!Hienas cujo
      Perfeito!

      Hienas cujo alcatéia, representada pelos partidos, aderiram em massa ao golpe contra Dilma e a democracia.

      Esquecem que serão cobrados pela história. Sabe quando terão meu voto ? Nunca!!!!

      Se Lula e o PT coligarem com partidos golpistas já no primeiro turno, numa total falta de coerência, não terão meu voto para o legislativo.

      Num segundo turno, nem a possibilidade de vitória de uma besta como Bolsonaro, me faria votar nestas hienas e abutres golpistas.

  8. Ou esquerda apoia Lula ou terá Bolsobaro
    Concordo com os comentários do “alexis” e o Francisco de Assis. Além de Lula, não há na esquerda ninguém capaz de vencer as eleições. Eu mesma não votaria em nenhum dos oportunistas que pretendem substitui-lo.
    Aqueles que são verdadeiramente de esquerda, apoiem Lula até o fim ou terão que conviver com a extrema direita no futuro próximo.

  9. “Nem Lula nem o PT têm esclarecido aos apoiadores de sua luta”

    Peço licença ao autor para utilizar de uma fase sua para título do meu post, por se tratar, entendendo, de questão muito importante. 

    A cada dia que passa fica cada vez mais clara que a estratégia petista é muito mais um plano de sobrevivência, enquanto legenda eleitoral no período pós Lula preso e impedido de candidatar-se, do que um plano de rompimento radical com o golpismo.

    Tanto é que em nenhum momento a direção do PT ou o próprio Lula propuseram algum enfrentamento mais contundente às forças da ordem golpista. Nada de greves longas, nada de ocupar os pontos nevrálgicos da cidade, nem a mais pálida campanha de desobediência civil, porque a esta altura provavelmente, a cúpula dirigente petista trabalhe muito mais com o legado imagético e político de Lula, o qual associado ao seu já enorme capital histórico-político, deve agigantar-se ainda mais  (na tolice delirante desta cúpula) com as novas tinturas de líder popular cruelmente perseguido, preso político, liderança exilada, entre outras possibilidades. Incrível a que ponto chegou a situação: a imolação de Lula no altar do golpismo passa a ser interessante ao seu prórpio partido, que mesmo sendo covardemente atacado, recusa-se a resistir de fato.

    A confirmar-se esta hipótese, certamente o modo petista de fazer política desenvolvido nos anos de poder, enterrando no processo, suas próprias origens radicalmente democráticas, terá se tornado aparentemente irreversível. Não surpreenderia, dado que lidar com a natureza diversa, instável, escaldante e volátil das ruas, dos movimentos populares, dos partidos e outras organizações políticas de esquerda, demanda muito mais trabalho do que trancar-se em refrigerados escritórios, bem fornidos de confortos de toda espécie, com os maganos dos “partidos de centro”, a quem a nova ortodoxia petista define como “única saída possível”  para avanços significativos no estágio atual do ssitema político brasileiro.

    À pluralidade das ruas só se convence com políticas e respostas claras, seguidas de muita luta, suor, sangue e muitas vezes da própria vida, como atestam as milhares de mortes de ativistas políticos de todo o Brasil. Às oligárquicas caciquias políticas se convence oferecendo cargos, ministérios de porteira “aberta”, financiamento eleitoral, horário político e até casquinhas com aquele grande marqueteiro da hora. 

    A grande missão política de Lula no momento não deveria se resumir a servir exclusivamente aos interesses políticos do seu partido, mas sim aos interesses de todo o povo brasileiro, articulando a partir de fóruns democráticos,o programa antigolpista e transferindo (enquanto ainda tem possibilidades e voz ativa) desde já o seu apoio a um nome que aceite defender  este programa. 

    Está em jogo não o futuro de tudo o que foi duramente alcançado até agora em termos de avanços sociais, políticos, econômicos e raciais, conquistados por dezenas de gerações de militantes ao longo da história brasileira (sim,as lutas populares brasileiras não surgiram com o PT, e não acabarão se a legenda vier a desaparecer).

    Seria a hora do grande líder nacional e não do meramente partidário. Seria o momento da humildade do PT reconhecer que é hora de recuar na hegemonia do campo da esquerda progressista e negociar o espaço com as forças que tenham mais possibilidades reais de enfrentar o golpismo. 

    Mas infelizmente, conforme se pode ler neste espaço de comentários, o PT se comporta assim:

    “Aliança com outras forças de esquerda ou centro-esquerda? Aceito sim, desde que se restrinja a apoiar a minha linha política. Que aliás, constitui-se de atarvessar nadando a Baía da Guanabara com uma pedra-Lula de 50 quilos amarrada ao pescoço”.

    Petistas mais rancorosos costumam responder que se trata da “esquerda sem voto” esperneando. Mas esquecem-se que foram estes votos que garantiram por exemplo, a vitória de Dilma na reta final das eleições, assim como foram estes militantes ou meros simpatizantes quem de fato se mobilizaram massivamente nas ruas para tentar barrar o golpe, à espera de um levante real, naturalmente comandado pelo PT, que nunca aconteceu, nem acontecerá. 

    Ainda dá tempo. Aliás um bom começo seria discutir fraternalmente posições políticas diferentes, que aliás me parece ser a finalidade deste espaço, ao invés de agressões infantis.

    • Tá bom. Um comentário enorme
      Tá bom.

      Um comentário enorme pra dizer que o PT deveria romper com o golpismo e ter uma atitude fraterna com o PDT, que é o que o autor do post gostaria, pois deve apoiar a candidatura de Ciro.

      Vai lá e conta os votos do PDT a favor do impeachment e depois vem aqui falar algo sobre atitude fraterna com PDT, que nem de centro esquerda é.

      Se vc tivesse falando de atitude fraterna com partidos que estavam com Dilma no golpe chamado de impeachment, como o PSOL e outros, ainda faria sentido.

      O título do post mais correto deveria ser “Depois da traição do impeachment, cada um por si”

  10. Apoiem Lula até o fim ou terão Bolsonaro
    Nenhum dos oportunistas que pretende ocupar o lugar de Lula tem cacife para tal empreitada. Eu mesma não votaria em nenhum deles, mesmo que venham a ser indicado por Lula.
    O que muitas vezes percebo na esquerda é algo irritante e preconceituoso, por exemplo, quando invoca a expressão “o povo”, como se também não fosse povo. De certa forma insinua que o “povo” é ingênuo e não tem pensamentos próprios. Ingênuo até pode ser, mas com certeza tem pensamentos próprios.
    Então, oportunistas de plantão,tirem o cavalinho da chuva, pois certamente que não herdarão os votos de Lula.
    Terão Bolsonaro, caso não apoiem Lula até o final.

  11. Não voto no ciro nem se o

    Não voto no ciro nem se o Lula pedir.

    Caso Lula não esteja na cédula ou urna eletrônica é muito pouco provável que eu saia de casa para votar.

    Os outros são todos iguais, ou seja, são um nada. E acho que é isto mesmo que os chefes do golpe querem: que o brasil seja uma nada governado por outro nada, assim poderão saquear o país a vontade.

  12. Wanderley quer justificar Ciro

    Wanderley quer mesmo é justificar a postura de  Ciro , que pelo andamento prefere um caminho sozinho à presidência. Assim já sai atacando todos os outros. E isto foi uma resposta a Boulos.  Wanderley quer dizer que Ciro fará isto porque os outros já estão fazendo. Wandelery é homem de pouca fé, mas  de muita fé em Ciro.  Eu prefiro esperar,  mas futurologos já sabem.

  13. A lição de Wanderley

    Um dos maiores cientistas políticos do país, Wanderley Guilherme dos Santos nos ensina que a possibilidade da centro-esquerda voltar ao poder teria sido, dado a impossibilidade real da candidatura Lula dinamitada pelo golpe, a construção de um programa em torno do candidato viável eleitoralmente, que é o caso de Ciro. Ao que parece, porém, o PT continua acreditando que o povo brasileiro dará vitória a um novo candidato-poste escolhido por Lula, como foi o caso de Dilma. Ressalte-se que, apesar da imensa capacidade política de Lula, ele cometeu um erro brutal em ter imposto a candidata Dilma ao partido e aos brasileiros, uma pessoa que se revelou incapaz, por diversos motivos, de exercer e defender adequadamente o mandato que lhe conferimos. Já ouvi de diversas pessoas do povo dizer que vota em Lula mas não simplesmente num candidato que ele mandar votar. Na medida em que a centro-esquerda, hegemonizada pelo PT na última década, mostra-se incapaz de construir uma frente viável eleitoralmente, ao que parece, o naufrágio anuncia-se como a única possibilidade. Com a direita em frente ao abismo eleitoral e a centro-esquerda encamihando-se para esse mesmo abismo, talvez resta viável eleitoralmente apenas a extrema-direita. Que as forças Cosmicas nos protejam, se isto for possível.

    • Brasil no poço
      A Ciro se aplica a sabedoria popular: a gente só conhece alguém qdo mora debaixo do mesmo teto (e n mt). O teto de Ciro é o Ceará, onde ele está p esse estado como Aécio p Minas Gerais.

      Pesquisem vídeos do debate da campanha p presidente de 1994 e tirem suas conclusões. A minha é q um “centroesquerdista” fortalece estatais e n adoça o ouvido do mercado com defesas de venda em campanha eleitoral.

    • “Candidato viável eleitoralmente”? Fala sério!

      Um cara que é um candidato crônico à presidência e não passa de 6% em todas as enquetes é o “candidato viável eleitoralmente”. Como?

  14. O desserviço de um mestre
    A verdade não precisa pedir licença. Por isso, sem meias palavras, DENUNCIO: o professor Wanderley está prestando um grande desserviço à Nação. Lamentável, muito lamentável!

  15. O desserviço de um mestre
    A verdade não precisa pedir licença. Por isso, sem meias palavras, DENUNCIO: o professor Wanderley está prestando um grande desserviço à Nação. Lamentável, muito lamentável!

  16. O desserviço de um mestre
    A verdade não precisa pedir licença. Por isso, sem meias palavras, DENUNCIO: o professor Wanderley está prestando um grande desserviço à Nação. Lamentável, muito lamentável!

  17. divisão

    A esquerda tem tudo para ganhar as próximas eleições que tiver um minimo de competencia.

    Não tenho visto isso acontecer.

    A esquerda precisaria apresentar um candidato comprometido com as causas populares, com boa comunicação, boa formação e historico de realizações, um pouco de carisma que possa aglutinar as demais forças populares.

    Que dê animo para o povo votar.

    Não estou pensando no Ciro, ele não preenche os requesitos minimos e andou pisando na bola.

    Quem seria? Talvez o Requião.

    Só depende do Pt e Lula conversarem e pedir para ele (Requião) ir para o sacrificio.

    A falta de entendimento da situação ( fora honrosas excepções)por parte da esquerda me dá calafrios, 

    Será que ele pessoal não le historia?

    A situação social e economica é tão desastrosa que a eleição seria resolvida no primeiro turno.

     

  18. O Duro Fim das Ilusões

    O Partido dos Trabalhadores, hoje, mostra a todos o seu lado mais sombrio. O PT parece trabalhar com as teses pseudo-históricas de que o trabalhismo brasileiro nasceu em 1980, ano de fundação do partido, e de que Lula é o maior líder político da história do Brasil. Maior líder popular, sem dúvida. Mas político, vai depender dos próximos movimentos.

    Neste momento tão grave da vida nacional, é necessário dar um passo atrás para um momento de séria reflexão.

    Em 1917, o trabalhismo brasileiro começa a tomar forma com as greves gerais em São Paulo, quando o sindicalismo brasileiro começa de fato a se articular. Em 1954, Getúlio Vargas tira a própria vida em gesto político, para preservar o seu legado. Em 1961, Leonel Brizola reage à tentativa de golpe desencadeada pela renúncia de Jânio Quadros, convocando a população a pegar em armas e transmitindo palavras de ordem através das rádios gaúchas de dentro de seu gabinete no palácio Piratini.

    Observando o comportamento do Partido dos Trabalhadores à luz desses três fatos, é impossível não chegar a algumas conclusões mui incômodas.

    1. O PT descambou para um culto de personalidade, abandonando o papel de formulador estratégico da esquerda. Lula é o rei do PT, e o PT só pensa em si mesmo nesse momento.

    2. Lula não vai tirar a própria vida para preservar seu legado, e nem cavar trincheiras para enfrentar o golpe. Sob a régua da história trabalhista, Lula se apequena se não der consequência à realidade constatada: nunca mais presidirá o Brasil. Vive de seu grande legado, da erradicação da fome no Brasil, do aumento real do salário mínimo, do investimento na indústria nacional; mas se mostra absolutamente incapaz, até o momento, dos grandes gestos transcendentes. Lula é prisioneiro da institucionalidade e de sua doutrina de conciliação. Não conclamará o povo a resistir em armas, como outros fizeram (com sucesso) no passado. Em suma, não combaterá o golpe com o vigor necessário, para além da retórica. O PT não organizará greves gerais, não ocupará o lugar de liderança de um processo político litigioso, beirando a guerra. O PT se amesquinha, se limitando a recorrer a tribunais de exceção, que já provaram ter lado. A única saída com possibilidade de vitória é Lula organizar a sua sucessão histórica.

    3. O PT prefere um sindicalismo domesticado e limitado a um sindicalismo combativo e autônomo – combativo não só no sentido de luta por condições salariais e trabalhistas, mas para expandir sua prórpia influência autônoma (a taxa de sindicalização no Brasil é perigosamente baixa).

    4. A esquerda tem uma decisão histórica a fazer: ou tomar um trago amargo de realismo e enxergar que muito terá que ser deixado no caminho para avançar historicamente, ou levar as ilusões às últimas consequências e se aniquilar em autofagia fratricida. O poder central sucumbiu a um golpe de Estado, e a esquerda age como se tivesse perdido as eleições, se organizando numa perspectiva eleitoral. A situação é muito mais grave que isso, as respostas estão muito aquém do desafio.

    5. A esquerda combate a Rede Globo, com uma audiência de uma centena de milhão, mas parece não perceber que o Facebook tem dois bilhões de usuários, isto é, é um monopólio informacional grotescamente mais perigoso. Em conjunto temos o Google, que virtualmente controla toda a internet ocidental, e não só – o sistema operacional da maioria dos smartphones é da Google. Isso muda tudo na teoria da ação política comunicativa. E a esquerda ainda não se deu conta disso.

    Por essas e outras, temo que a esquerda trabalhe com conceitos equivocados diante do quadro crítico que enfrenta, e isso é muito mais perigoso que táticas ou estratégias equivocadas, porque significa que uma parte fundamental da problemática sequer é percebida.

    • Muito pertinente

      Caro André: comentário absolutamente pertinente. Se não é preciso concordar com todos os argumentos, necessário é discuti-los. Em especial, o item 5 é fundamental, hegemonia cultural em estado puro. Abraço.

  19. Postura do PT

    O problema Vanderley, é que Lula é  inocente. Quem é inocente tem que lutar até o fim. 9

  20. Geraldo, procure a capa da

    Geraldo, procure a capa da revista Capital de 2002, quando lula foi eleito presidente e você verá quem fez alianças com a direita mais escrota do planeta. Nada mais que Olavo Setubal, presidente do banco Itau tecendo elogios à genialidade de lula. depois você pesquise os lucros do Itau na gestão Lula. Ciro Gomes deixa bem claro qual o seu lugar, não é um poilitico de esquerda, é um nacionalista, sensivel às desigualdades sociais. Ele não é oportunista como lula que faz dicurso de acordo com seus interesses particulares. Lula é um populista , vaidoso, bajulador da elite brasileira. CIRO GOMES 2018.

  21. É a Glória!!!
    Os caras nem

    É a Glória!!!

    Os caras nem esperam pelo cadáver e já se postam com seus garfos e facas às mãos na perspectiva de dentes de ouro e bolsos cheios de valores.

    E Wanderley ainda exige solidariedade de Lula e do PT.

    Para quem? Para Ciro.

    Olha Wanderley, para Ciro se aprumar ele vai precisar de muita Rede Globo e de muito dinheiro, pois gente ele não tem. E dinheiro e Rede Globo não é com o PT. E o dinheiro do Lula, Moro levou. Lula e PT têm gente e não gado que se põe canga, como é o costume de coronéis, como Ciro.

    Seria de envergonhar tamanha frieza e oportunismo, suficientes para deixar uma UDN e Lacerda ruborizados.

    • PT e a máfia de Temer

      Engraçado – ou trágico – é que Temer só é presidente porque foi o vice-presidente do governo do PT. Ao que parece o PT pode se aliar com uma quadrilha altamente periculosa –  a máfia de Temer, Padilha, Moreira Angorá, Geddel, etc – que foi alimentada no Palácio do Planalto pelo PT e do Palácio articulou o golpe, mas o PT não pode se aliar com Ciro – e assim vamos nós ao próximo matadouro

      • Chapa Haddad ciro
        Ciro de vice pois o pt tem mais votos, tempo de tv, etc..
        Aceitariam?
        O que vcs querem é de mão beijada o espólio do PT
        Saiam e construam um partido.
        Como o lula fez junto com milhares de pessoas.
        E o Ciro? Pulou de galho em galho.
        Agora quer um partido pronto lhe prestando vassalagem.
        Jamais!!!!!!!!

        • Não é confiável nem pra vice

          Se Haddad fosse o presidente e este oportunista o vice, Haddad não teria um minuto de sossego pois este picareta do Ceará (nascido em SP) começaria a conspirar pelo impedimento do presidente antes mesmo da posse, com Globo, com “çupremo”, com militares, com tudo. Ele seria o vice mais inconfiável de todos.

  22. O Prof Santos comprou a
    O Prof Santos comprou a candidatura de Ciro Gomes(Nassif só nao embarcou ainda por que sonha tenuamente com Haddad),utilizando-se da estratégia de que a direita corre rumo ao despenhadeiro.Em se tratando de um Cientista Político do calibre dele,essa é uma das pegadinhas mais tolas desses últimos tempos.Ate Nêumanne Pinto matou.

  23. O Prof Santos comprou a
    O Prof Santos comprou a candidatura de Ciro Gomes(Nassif só nao embarcou ainda por que sonha tenuamente com Haddad),utilizando-se da estratégia de que a direita corre rumo ao despenhadeiro.Em se tratando de um Cientista Político do calibre dele,essa é uma das pegadinhas mais tolas desses últimos tempos.Ate Nêumanne Pinto matou.

  24. O Prof Santos comprou a
    O Prof Santos comprou a candidatura de Ciro Gomes(Nassif só nao embarcou ainda por que sonha tenuamente com Haddad),utilizando-se da estratégia de que a direita corre rumo ao despenhadeiro.Em se tratando de um Cientista Político do calibre dele,essa é uma das pegadinhas mais tolas desses últimos tempos.Ate Nêumanne Pinto matou.

  25. Último parágrafo é de vomitar
    O Wanderley demonstra, no encerramento, que certas magoas não são privilégios de ex petistas tais como Cristóvão.
    Dizer que um partido progressista deve permitir o eleitor votar em outros.
    O PCdoB lança candidato, o pdt TB. O psol sempre.
    O pt ta contra?
    Na realidade o que querem é que o pt saia e pronto, caminho livre para o candidato que que cada um quer mas que não cresce.
    Vergonhoso que o Ciro, e seus apoiadores, façam isso.
    É por essa e outras que Ciro não voto, bem em segundo turno com Bolsonaro.
    Campanha neste nível, inclusive atacando um partido numa época em que todas as forças institucionais e midiáticas se juntam para destruir esse partido… Sabe, dá nojo.

  26. Lembram-se de Cristovam
    Lembram-se de Cristovam Buarque? Nós de Brasília fomos obrigados a votar nele devido a coligação. Para não deixar o Fraga da Bala ser eleito também. Valeu a pena? Cristovam passou todos estes anos debochando de nós. Ciro será igual. Suas posturas atuais não negam. No

  27. O sociologo Wanderlei vem com

    O sociologo Wanderlei vem com a receita pronta do Ciro Gomes. Então tá. O Ciro vai governar com quem,  se em toda entrevista ataca o PT? O PT atacado e desprezado pelo Ciro Gomes (e seus apoiadores) e sem candidato a presidente some como partido político porque não terá identidade nas eleições gerais. 

    O recado do Ciro e de quem o apoia esta dado para a Rede Globo e a grande imprensa: vai governar com o Psdb do amigo Jereissati e com o centrão do Temer. Garantia absoluta da aprovação de taxação das grandes fortunas e da reversão da entrega do pré sal e da destruição das políticas sociais com que tentam enganar os eleitores á esquerda. Pausa pra rir.

    E pelo jeito nas considerações do professor não existe o capítulo que afirma que a democracia se faz com partidos fortes. O PT, principal força política de esquerda do país será reduzido a nada sem candidatura própria. E o compromisso do PT em defesa da democracia, da soberania nacional, de políticas de inclusão social e de proteção das minorias é sempre questão fechada e a história do partido no Congresso e no Executivo confirma essa espinha dorsal de combate político do partido. Ao contrário, o PDT, partido de Ciro Gomes, tem a musculatura e o compromisso com a democracia, com a soberania nacional e com as questões sociais que demonstraram no impeachment. 

    Então não, o PT tem que ter o seu candidato e continuar com uma bancada representativa no Congresso Nacional. A luta não é pelo imediato. É uma luta estrutural pela manutenção de um partido forte de esquerda. Não de uma eleição, que se houver,   vem sendo fraudada a partir de um golpe midiático e judicial.

    Não se trata de vencer uma eleição, se trata de resistir e  o  jornalista Luiz Carlos Azenha foi preciso ao analizar a situação atual do Brasil no post abaixo:

    Teoria de Conspiração. A Lava Jato é Guerra de Quarta Geração?

    Houve um dia em que os americanos levavam militares de seu quintal para treinar na Escola das Américas, primeiro no Panamá, depois na Geórgia.

    Mas, se deram mal quando as ditaduras que estes militares ajudaram a implantar na América Latina assumiram tom nacionalista e/ou deixaram de obedecer fielmente ao Grande Irmão do norte.

    Uma delas explodiu uma bomba em Washington!

    Jimmy Carter só se preocupou com os direitos humanos no Brasil depois que a ditadura local fez acordo para receber tecnologia nuclear da Alemanha.

    Esqueçam, pois, os militares. 

    Fica mais fácil treinar juízes e promotores e enredá-los numa “cooperação internacional” entre desiguais, ou seja, um país que tem a Abin ‘coopera’ com um país que tem a National Security Agency.

    Combater o terrorismo é apenas o cover da NSA e seu orçamento de bilhões de dólares (U$ 70 bi desde 2011).

    Caso contrário, a NSA não teria espionado a Merkel, a Dilma e outros supostos aliados, como o fez.

    A NSA espionava a Petrobras atrás de algum terrorista? Por óbvio, ela faz arapongagem industrial e comercial no atacado.

    E compartilha aquilo que descobre com outras agencias do governo americano, que por sua vez compartilham com outros governos de acordo com os interesses… dos Estados Unidos.

    A Abin, ou a Polícia Federal ou o MPF tem tanta capacidade de investigar, vamos dizer, a Microsoft, quanto a NSA tem de gravar conversas, futucar e-mails e saber absolutamente tudo sobre a Odebrecht, em qualquer parte do mundo?

    Ou eles estão só comendo donuts lá em Maryland?

    Aquela cooperação off the books entre procuradores norte-americanos e brasileiros, admitida pela partes como algo corriqueiro, é justamente para isso.

    O cara do FBI dá a letra sobre tudo o que levantou sobre a Brasil Foods nos EUA e o delegado da PF conta tudo o que investigou sobre a Boeing…

    Pausa para rir.

    Guerra de quarta geração: derrotar o inimigo sem um tiro sequer, para evitar o trauma do Vietnã e do Iraque.

    Tem uma divisão inteira do Pentágono só estudando isso. E, obviamente, colocando em prática.

    Pré-sal, indústria do petróleo e gás, indústria naval, engenharia de ponta, processamento de alimentos e, em breve, engenharia aeronáutica e aeroespacial.

    Com o desmanche, que resulta de uma crise econômica amplificada pela Lava Jato, o Brasil se tornou mais do que nunca um mero estacionamento do dinheiro gordo, seja chinês ou estadunidense.

    Logo nossa mão-de-obra empobrecida vai montar as bugigangas para acompanhar a ascensão social da classe média chinesa, agora que a massa salarial per capita da China ultrapassou a dos brasileiros.

    Já os americanos, fazem mais valia no Brasil vendendo até chicletes e jornais nos aeroportos (Hudson News, eu te conheci criança, em Nova York).

    Dono da maior reserva de petróleo descoberta nos últimos 50 anos, o Brasil tornou-se exportador de óleo cru e importador de derivados do petróleo, operando suas refinarias abaixo da capacidade de produção.

    Ah, guerra de quarta geração, você não passa de uma teoria de conspiração!

  28. Ratos e Urubus, Larguem Lula!

    Tem ditado político que recomenda não ir-se muito apressado, para não acharem que está fugindo, ou muito devagar, para não acharem que está provocando.

    ‘Wanderley do Ciro’ anda escrevendo apressado, sem intervalo, textos para lá de devagar na arte de provocarem repulsa aos que pretende cooptar, convencendo.

    Tiro no pé: Não convence pelo açodamento e atrita pela provocação. 

    Por incrível que pareça:

    Se não bastasse, à direita, o desespero golpista para evitar que Lula permaneça candidato e a personagem principal na eleição, que pretendiam vencer ‘com um pé nas costas’, para legalizarem o golpe, estabilizarem o governo e manterem-se no poder.

    Agora temos, à ‘esquerda’, o desespero do entorno da candidatura Ciro Gomes para decretar na marra que Lula não irá permanecer candidato e sendo a personagem principal na eleição, para assim sairem na frente recolhendo os desejados despojos da vítima principal do golpe, convenientemente tornada impecilho eleitoral, por quem deveria estar defendendo-a como forma de garantir-se a eleição.

    Que triste! E mais não precisa ser escrito.

    PS: De ‘Wanderley’ a ‘Josias’, cada um por si, que decadência…  

  29. Ciro não lidera nem os congressistas do PDT?

    Como é que o candidato de um partido que votou majoritariamente a favor do impedimento ilegal da Presidenta eleita constitucionalmente tem a cara de pau de pedir votos da esquerda nas próximas eleições? E não foi só isso, votou em bloco a favor da intervenção militar no Rio, e ainda pretende pedir o voto dos cariocas? O PDT tem votado sistematicamente com os projetos de lei da direita no Congresso e agora, de repente, se tornou um partido de esquerda? O que Ciro Gomes tem a dizer sobre esses votos? Ele não sabia? Ou ele acha que somos idiotas?

    A minha opinião é que o PDT tem votado sempre à direita por orientação de Ciro Gomes que pra depois cobrar o apoio da Globo.

    E quanto à intenção que ele manifestou há uns anos de retirar sua eterna candidatura presidencial em favor do ladrão e homicida Mineirinho? Ele acha que isso não será cobrado nos debates? Não contará com meu voto nem a pedido do ex-Presidente Lula, que, com certeza, jamais pediria apoio em favor deste oportunista.

  30. Wanderley desde que vc pediu intervenção militar, como se não

    soubesse que os milicos estão com os golpistas, eu não dou atenção a nada do que diz.

    O candidato do PT e o meu candidto é Lula! Conforme-se! 

  31. Estratégia de Lula
    A estratégia é fazer o estado brasileiro sujar as mãos de sangue, sangue da democracia. Lula preso é um preso político.
    Os golpistas precisam urgentemente a legitimação do golpe e para tal a eleição seria o melhor canal. Sem Lula a eleição é fraude e sem eleição eles terão que se virar nos 30 para convencer que ainda estamos numa democracia.

  32. Esquerda e PT tudo frouxo

    Enquanto a direita foi às ruas em massa com a presença dos seus maiores repesentantes e tirou Dilma, o PT e as esquerdas acovardam-se atrás dos microfones e blogs, empurrando os movimentos sociais como bucha de canhão. Vejam o caso da votação do senado sobre o espaço aéreo brasileiro. Se Requião e Lindbergh estivessem realmente preocupados com o futuro do Brasil aquele senadorzinho golpista do Maranhão jamais teria colocado em pauta a matéria. Os dois afrouxaram, amarelaram.

  33. Lula, um lugar de honra na história

    A candidatura Lula é apenas um sonho impossível, os golpistas de ontem e de hoje jamais permitirão que ela se efetive nem que para isso tenham de matá-lo. É o judiciário com alguns membros ativos no processo de criminalizá-lo e outros acovardados, escondendo-se atrás de suas togas e limpando a bunda com as páginas da constituição, são as forças armadas que conspiram nas casernas mas que sabem que nos dias de hoje não cabem mais quarteladas, os empresários, estes ávidos pelo lucro, querem por fim a todas conquistas sociais dos trabalhadores e fazer retornar um Brasil dos anos 20 e também aqueles que são transnacionais e fazem desse país o gargalo de seus lucros e os despejam em paraísos fiscais e a classe média, sim, a classe média que saiu às ruas pedindo o fim de um governo legítimo e hoje se cala diante do caos a que o país foi levado e aplaude os articulistas dos jornalões e da espúria Rede Globo. O desanimador é tomar consciência e isso temos como exemplos os comentários acima, que para alguns é Lula ou nada, entregue-se o país aos golpistas e vamos viver 20 anos ou mais anos de trevas. Por isso, o próprio Lula, que merece um lugar de honra na história desse país e da humanidade, deveria vir a público, ele que como ninguém sabe o seu destino lhe reserva e propor um pacto com as esquerdas. É seu dever, Lula, em nome de todos os que o seguiram.

  34. Centro de Gravidade da Contra-Hegemonia Ibero-Americana

    Para a OTAN/NATO (frança et alii) e sua cavalaria (estados unidos), o Presidente Lula encarna o centro de gravidade política da contra-hegemonia ibero-americana, assim como o Coronel Kadafi encarnava o da contrahegemonia africana. O root kit da OTAN no kernel da institucionalidade brasileira.

    * Uma pacífica apresentação do novo quartel general da OTAN na Bélgica: https://youtu.be/2GzFBKLatL0

    Os Estados Unidos em vão elegeram um cobrador na tentativa de sensibilizar venerados colonizadores, veteranos imperiais:

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=lN-2tu7UH-A%5D

     

    No vídeo a seguir, aos 5:20 min: “We speak with Horace Campbell, who is currently spending a year in West Africa as the Kwame Nkrumah chair at the Institute of African Studies at the University of Ghana. Campbell is a peace and justice scholar and professor of African American studies and political science at Syracuse University.” As informações do professor são relevantes.

    [video:https://youtu.be/X2VudqVAhdc%5D

     

    A abertura da Guerra à Líbia foi declarada pelos Estados Unidos a partir do Brasil. Quanto mais apoio o Presidente Lula galvaniza, mais avulta seu valor estratégico como alvo:

    [video:https://youtu.be/vtRFUVLx9Jc%5D

  35. Sinuca de bico histórica

    Engraçada senão fosse trágica a sinuca de bico em que se encontram o PT e sua cúpula burocrática dirigente.

    Fala-se de uma suposta resistência do partido à prisão e neutralização política de Lula, mas a única ação neste sentido é a da equipe de advogados que tem levado uma surra dos tribunais golpistas que atuam na base da “ordem unida”. Nenhuma ação radical com greves duradouras, ocupação de espaços vitais nas grandes cidades, campanhas mínimas de desobediência civil. Nada. Resta óbvio que esta cúpula já trabalha com o “cadáver” político de Lula como única tábua de salvação enquanto legenda eleitoral no futuro pós Lula.

    O “ir até o fim” com Lula que a cúpula prega, não nos enganemos, não significa dar a vida na rua para impedir a prisão de Lula e dar início à luta pela ruptura de fato com os golpistas. Esse “ir até o fim” é apenas defender a candidatura Lula até a última derrota nos tribunais. Até lá querem que fiquemos esperando o útimo prego no caixão, quando poderíamos desde já,aproveitar o capital político de Lula que ainda resta, para construir em fóruns democráticos, um programa anti-golpista, a ser defendido por um candidato viável eleitoralmente e de comum acordo entre as forças de esquerda e centro-esquerda. 

    Daí temos o seguinte quadro: a maioria das pessoas que se dispõem a um enfrentamento radical pertencem sobretudo  aos grupos políticos que a cúpula petista e alguns “militantes” (pálidos  arremedos dos velhos stalinistas), adoram depreciar como “esquerda sem voto”. E estas pessoas “sem voto” esperam em vão, um chamamento ao levante que jamais virá do PT. Fica difícil defender até as últimas consequências uma pessoa (Lula) e um partido  (PT) que se recusam a partir para o enfrentamento real do golpe. Não ficarão obviamente, até o fim do velório e tratam de pensar num futuro político que vai muito mais além do que a mera sobrevivência de uma legenda política, o PT, cujo último capital político reside na figura histórica de um único líder.

    Do outro lado um significativo contingente de pessoas, incluídos aí os eleitores de Lula e grande parte dos reais e verdadeiramente militantes petistas (felizmente ainda os há), confiam ingenuamente que ainda resta esperança no STF e que a candidatura sobreviverá. Estes ficarão desmobilizados até o último segundo, certamente desiludidos com as falsas esperanças defendidas pela cúpula dirigente. Como se comportarão após a ficha cair é uma incógnita. Que pode ser desde retomar o partido das mãos da casta burocrata que o domina, até a simples desilusão e abandono da militância política, com todas as possiblidades existentes entre um extremo e outro.

    Ainda dá tempo de unir estes dois enormes contingentes de pessoas.

    Em torno de um programa político ao mesmo tempo, continuador e aprofundador das políticas públicas dos anos de poder petista e profundamente antigolpista.

    Defendida por uma ampla coalizão de esquerda e centro-esquerda.

    Representado por uma candidatura viva e capaz de representar eleitoralmente a este programa.

    Mas para isto é preciso abandonar a candidatura de Lula.Que hoje é equivalente a querer atravessar a Baía da Guanabara com uma pedra de 50 quilos amarrada ao pescoço.

    Abandoná-la, não significa abandoná-lo. Pelo contrário, o seu papel na participação da edificação desta frente, na construção deste programa e na formação do futuro governo, vai se agigantar.

    Insistir nela é certeza de incerteza para amplos contigentes que a apoiam, afinal o que fazer depois da prisão concretizada?

    Assaltar a bastilha em que estiver preso para liberta-lo triunfalmente ? Todos sabemos que isso não acontecerá.

    Denunciar o regime de exceção depois de ter se submetido ovelhisticamente a todos as suas instâncias golpistas, do impedimento de uma presidenta legitimamente eleita até a prisão de seu líder maior?  Será tarde demais para romper.

    É difícil acreditar que os 34% de eleitores das pesquisas eleitorais vão se insurgir diante de um novo governo, somente porque o seu candidato foi impedido de concorrer.

    Conhecendo o  Brasil como conhecemos é muito mais provável que o barco siga, enquanto o PT se debaterá em águas bravias para sobreviver, agarrando-se à mística lulista.

    Se houver um gesto de racionalidade política aguçada, Lula recua um pouco na arena da candidatura, e transfere seu capital político a outro candidato. Com isso preserva sua força e pode preparar a sua volta, ainda mais forte. Até o PT pode se beneficiar disto, desde que entenda que as lutas populares não começaram em 1980, nem terminarão caso um dia essa legenda deixe de existir. Parece pouco provável.

    Seja como for,independente do futuro político do país e da esquerda, é preciso ficar bem claro: quem aposta na “morte” política imediata de Lula, caminhando mansa e bovinamente ao cadafalso final do STF, sem qualquer nesga de enfrentamento real nas ruas, é a direção deste partido. 

  36. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome