Exclusivo! no Fantástico, por Jorge Alberto Benitz

Domingo no Fantástico (18/08/2019) é atirada no ar uma chamada bombástica “Exclusivo! Fugitivo da Lava Jato vivendo do bom e do melhor em Miami.

Exclusivo! no Fantástico

por Jorge Alberto Benitz

Eis uma mostra de como se manipula sem parecer que se está manipulando em apoio velado a Operação Lava Jato e a Moro e Dallagnol, claro. Como não cai bem apoiar explicitamente a esta gente depois dos vazamentos feitos por Glenn Greenwald, tem que se fazer isso de modo indireto e subliminar.

Domingo no Fantástico (18/08/2019) é atirada no ar uma chamada bombástica “Exclusivo! Fugitivo da Lava Jato vivendo do bom e do melhor em Miami.

Depois com a reportagem é revelado que a matéria trata do empresário “Rei Arthur” que fugiu para lá e vive numa boa, usufruindo de seus mal havidos rendimentos colhidos, principalmente, durante a gestão de Sérgio Cabral como governador do Estado do Rio de Janeiro. Na reportagem o repórter global mostra valentia ao defrontar o fugitivo da justiça com denúncias duras. Cá entre nós, uma valentia de fachada. Sabendo que o sujeito não vai dar nenhuma prova para incrimina-lo ainda mais, o repórter avança e posa de destemido a defrontar o antes poderoso “Dono do Rio” reduzido a um fugitivo que se vê flagrado e encurralado diante das câmeras de TV. Aqui se percebe o uso de um estilo típico das reportagens policialescas de programas como o de Datena, tão ao gosto de um público avido por notícias bombásticas sensacionalistas. Nada contra a reportagem que, tirante este detalhe, traz uma faceta da corrupção que deve ser denunciada. Tudo contra esta mesma empresa de comunicação que faz combate seletivo contra a corrupção. Combate a corrupção dos adversários e inimigos políticos ou dos que já caíram em desgraça com o Sérgio Cabral e acoberta os malfeitos de seus aliados como Moro que não teve interesse  nos celulares de Eduardo Cunha, beneficiário de multimilionárias contas na Suíça, ao passo que levou mais de um ano para ordenar a devolução do Ipad do neto de Lula e como Dallagnol que sabia que o Onix Lorenzoni, hoje ministro da Casa Civil e colega de Moro no governo, estava na lista de doações da Odebrecht por meio de caixa, como mostra Glen Greenwald, via Intercept, na segunda feira, 12/08/19.

Se a Globo fizesse um jornalismo investigativo digno deste nome não teria problemas nenhum em fazer, também, uma reportagem com a mesma chamada só que com personagens outros. No caso, como sugestão, a reportagem poderia ter este viés “Exclusivo! Corruptores da Lava Jato vivendo do bom e do melhor, depois de virarem delatores. Vivendo nababescamente em suas mansões, algumas delas com vista para o mar. ”

Leia também:  Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

Repetindo, com outras palavras, o macaco Simão “Com sofá, Netflix, delivery de pizza, até eu quero prisão domiciliar”. E eles tem mais, muito mais do que estes “privilégios”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome