Gigante Pepe Mujica: “O único vício saudável é o amor”, por Ricardo Mezavila

Mesmo que Pepe saia da política, a política não sairá dele. Suas críticas ao capitalismo e à burguesia estão eternizadas

Gigante Pepe Mujica: “O único vício saudável é o amor”

por Ricardo Mezavila

José Pepe Mujica anunciou que renunciará ao mandato de senador por conta de doença imunológica crônica que o impede de circular na pandemia, já que não poderá receber a vacina contra a Covid-19 quando estiver disponível. “A política obriga a ter relações sociais e tenho que me cuidar, não posso ir de um lado para outro por causa da pandemia e isso seria algo ruim para um senador”

Uma coisa é renunciar a um cargo político, outra é sair da política. Pepe Mujica não é um político tradicional, como ficou estabelecido pelas práticas que conhecemos. Eu amo a política e não queria ir, mas amo ainda mais a vida. Preciso administrar bem os minutos que me restam”. Inimaginável um parlamentar brasileiro tendo essa grandeza e dignidade.

Mujica leva uma vida simples, seu carro é um fusca, doa parte de seu salário, desde da época em que era presidente, para o Partido Frente Ampla e para um Fundo de construção de moradias. Mora em uma chácara na região rural de Montevidéu, cultiva flores e hortaliças ao lado de sua esposa, a senadora e ex-militante Lucia Topolanski.

Mesmo que Pepe saia da política, a política não sairá dele. Suas críticas ao capitalismo e à burguesia estão eternizadas, suas ações de vanguarda em questões polêmicas como as aprovações da legalização da maconha, com o Estado regulando a produção e a venda da cannabis, do aborto e a lei do matrimônio civil entre pessoas do mesmo sexo, marcaram sua passagem pelo executivo uruguaio, dando-lhe visibilidade e respeito internacional.

Discursando na ONU criticou o capitalismo dizendo que, “o deus mercado organiza a economia, a vida e financia a aparência de felicidade. Parece que nascemos só para consumir e quando não podemos, carregamos a frustração, a pobreza e a autoexclusão

O ex-guerrilheiro Tupamaro também fez autocrítica sobre a esquerda na América Latina: “Conseguimos, até certo ponto, ajudar essa gente (pobres) a se tornar bons consumidores. Mas não conseguimos transformá-los em cidadãos”.

O gigante Pepe Mujica se define como um pessoa que carrega uma bagagem pessoal leve e sóbria, vivendo apenas com o suficiente para que as coisas não roubem sua liberdade.

Ricardo Mezavila,  escritor, pós-graduado em ciência política, com atuação nos movimentos sociais no Rio de Janeiro.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora