Haddad: “Sem rumo e liderança, perderemos mais dois anos”

Professor e ex-prefeito de São Paulo alerta para a geopolítica mundial e a parte do Brasil neste latifúndio

Foto: Reprodução/Youtube

Jornal GGN – A situação do Brasil frente a geopolítica mundial é ilustrada pelo professor e ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, em sua coluna na Folha de S. Paulo deste sábado, 2. “Sem rumo e liderança, perderemos mais dois anos. No exterior, Bolsonaro é tema apenas de programas humorísticos. Devemos, porém, nos preparar desde logo para o depois”, escreveu. 

Haddad chama atenção para acordos mundiais firmados no último ano, como o tratado que cria a Parceria Econômica Regional Abrangente (RCEP), em que dez países-membros da Asean (Filipinas, Malásia, Indonésia e Tailândia e outros seis) “se unem aos cinco países da respectiva Área de Livre Comércio (Japão, Coreia, China, Austrália e Nova Zelândia), formando um bloco que congrega 30% do PIB mundial”. 

Além disso, a China e União Europeia selaram o Acordo Abrangente de Investimentos, que facilita o investimento direto recíproco. Já na América, “sob a administração Trump, medidas mudaram as perspectivas regionais” e “mesmo com os democratas, os EUA dificilmente terão olhos para a América Latina como área continental de desenvolvimento econômico”, alertou Haddad. 

“Bolsonaro, do seu lado, não perde oportunidade de hostilizar nosso principal parceiro regional, a Argentina, e global, a China. E, mesmo tendo aceito praticamente todas as exigências europeias para celebrar o acordo UE-Mercosul, não conseguiu obter o necessário aval dos parlamentos dos países europeus em virtude de seu público compromisso com a destruição ambiental”, completou.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora