Lava Jato: série de TV em que nem os atores são bem escolhidos, por Rogério Maestri

Por Rogério Maestri

Gosto muito de procurar o óbvio que é tão óbvio que ninguém o enxerga, e cheguei à conclusão científica que muitos falam e ninguém prova que a Lava Jato não se trata de uma investigação policial! Veremos o porquê.

Quando assistimos na TV seriados ou documentários sobre investigações criminais um aspecto diferencia claramente um de outro, a temporalidade.

Num seriado policial de TV quem escreve sabe que a narrativa deve caber em um só episódio, ou seja, acham a vítima, começam a investigação e no fim de uma hora (o fim da fase) todo o crime deve estar resolvido, para que a dinâmica não fique muito maçante a temporalidade da investigação é suprimida.

Por outro lado quando se assiste um documentário sobre uma investigação real qualquer, a temporalidade é claramente mostrada, e se vê que os policiais demoram semanas, meses, anos ou em casos excepcionais décadas até chegar a conclusões da investigação.

Agora quando presenciamos o lançamento do capítulo inédito da 26ª fase da Lava Jato, se verifica que esta famosa operação NÃO ESTÁ FAZENDO UMA INVESTIGAÇÃO, MAS SIM UM SERIADO DE TV.

A divisão da Lava Jato em fases é para satisfazer qualquer coisa menos o sucesso de uma investigação policial, há no mínimo cada duas semanas se lança uma nova fase de investigação, que aparentemente trazem novidades ao caso. Encera-se uma fase e se começa outra. É uma verdadeira ORGIA de investigações novas, saem os policiais da federal em bandos, acompanhados devidamente por câmeras de TV, para realizar os “trocentos” mandados de busca e apreensão e quilos de documentos, centena de computadores e celulares são apreendidos, dezenas de pessoas são capturadas e colocadas em prisão preventiva, é a FARRA DO BOI DAS INVESTIGAÇÕES CRIMINAIS.

Leia também:  O fetiche do PIB como indicador de desenvolvimento e o fiasco da notícia, por Álvaro Miranda

Se raciocinarmos um pouco, vendo a realidade do dia a dia que é mostrado pelas dezenas de investigações de crimes reais que são relatos pela imprensa, temos somente duas conclusões possíveis, ou A POLIÍCIA DO MUNDO INTEIRO É COMPOSTA DE IDIOTAS E INEFICIANTES OU A LAVA A JATO É UMA INVESTIGAÇÃO LEVADA COMO SERIADO DE TV, OU SEJA, UMA FARSA.

Imagino o que deve estar pensando um especialista em crimes financeiros do FBI norte americano, ou ele vem ao Brasil aprender como se investiga, ou ele entra em depressão e pede demissão, ou finalmente ele dá gargalhadas de riso quando vê a celeridade e a aparente eficiência das operações da polícia da Lava Jato. Nem estou falando da Scotland Yard, que por serem ingleses devem ser mais detalhistas nas suas investigações e demorarem mais. Muito menos falo do nosso investigador de polícia que muitas vezes tem que se preocupar com a gasolina de sua viatura para poder ir até o local do crime, estes devem estar em vias de atentarem contra sua própria vida.

Alguém pode dizer que a Lava Jato simplesmente divide a mesma investigação em fases para dar mais ênfase mediática ao assunto, tudo bem, até seria uma desculpa política, mas o que se vê não é bem isto. Na Lava Jato a cada fase está se usando, como falam os procuradores e policiais, novas evidências obtidas em fases anteriores. Vai ser bom assim no raio que o parta, a cada fase anterior gerar evidências para uma nova fase conseguindo dividir isto tudo em 26 fases em dois anos é ser eficiente como nos seriados de TV, o resultado programado para caber num capítulo. Se tivesse tempo e paciência detalharia as fases da Lava Jato, mostrando que os procuradores e policiais dão sempre ênfase aos últimos documentos obtidos para lançar uma nova fase.

Agora tentando raciocinar pelo lado policial da Lava Jato, esta desenfreada corrida por novidades, esta divulgação de cada fase na TV e nas revistas, PODE PRODUZIR ALGUMA INVESTIGAÇÃO CORRETA. Pergunto mais, da forma que as investigações estão sendo levadas, preocupadas não em ir ao fundo de cada evidência ou de suspeita que surja, mas sim em achar uma NOVIDADE para poder lançar uma nova fase e aparecer na TV como os astros dos seriados policiais é positivo para qualquer investigação policial.

Leia também:  Aras propõe cortes no MPF que atingem investigações políticas

Qualquer policial do mundo sabe que uma investigação feita no atropelo, simplesmente gera um processo que em primeira instância se o juiz estiver vinculado a isto tudo gerar uma condenação, mas quando chegar aos tribunais superiores termina caindo e não permitindo que culpados reais sejam presos, O chamado mensalão gerou uma impressão que as pessoas sendo condenadas ficam presas, mas devemos nos lembrar que neste julgamento não havia a quem recorrer, condenados só podiam recorrer a deus, pois acima do supremo não tem nada.

A população brasileira está assistindo não a uma investigação policial, mas sim a um seriado de TV em que pelo juiz fazer parte do atores ele está fazendo tudo para que o seu papel fique garantido.

Outro dano permanente que a Lava Jato está fazendo é a polícia e a justiça de todo o país, pois a primeira será cobrada para fazer investigações “fast food” e os juízes a considerar culpado todo aquele que a polícia lhe apresentar, sob pena de serem considerados incompetentes ou frouxos.

Como última lembrança, o Japonês da Federal, membro ativo dos mocinhos na série, foi condenado em última instância no STF por CORRUPÇÃO, mostrando que o produtor da série nem sabe selecionar os seus artistas.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. Os poderes da República Republicana

    No Brasil temos o Poder Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público e a Lava a Jato.

    Minha dúvida é saber como esse último poder será exercido. Haverá eleição direta ou indireta? Indicação? Ou será uma espécie de poder hereditário, e aí teremos o Moro I, II, III. And so on…

    Ah, já ia esquecendo. Temos também o Poder do Tribunal de Contas.

    Então, se não contei errado temos seis Poderes na República REPUBLICANA Federativa do Brasil.

    Puxa vida, ia me esquecendo de novo. Agora, parece que vai surgir mais um, o Poder da Polícia Federal, da República REPUBLICANA Federativa do Brasil.

    Mas bah, Montesquieu que se cuide. Sua obra vai virar um lixo. E todos os cientistas políticos americanos terão que vir ao Brasil aprender o que é um verdadeiro check and balances.

     

  2. Ainda não postaram? Aqui

    Ainda não postaram? Aqui vai:

    FBI, Scotland Yard e a polícia brasileira estavam numa competição para escolher a melhor polícia do mundo.
    Um júri internacional soltou um coelho numa floresta escura e o FBI começou a procura utilizando instrumentos de localização high-tech, mapas de satélites, óculos de visão noturna e identificador de DNA. O esquadrão americano pegou o coelho em 35 minutos.
    O júri voltou a soltar o coelho na floresta e a Scotland Yard começou a procura utilizando técnicas de entrevista com os parentes do mamífero orelhudo, fizeram um perfil psicológico do pequeno animal e um intenso estudo dos hábitos do coelho. O esquadrão inglês capturou o coelho em 32 minutos.
    Mais uma vez, o coelho foi solto na floresta escura e o esquadrão policial brasileiro iniciou a procura. Em 3 minutos, os brasileiros vieram da floresta com um porco-espinho. O porco-espinho tinha as quatro patas fraturadas, oito luxações, onze hematomas e gritava de medo: Sou um coelho! Sou um coelho! Sou um coelho!
    Piadas:http://www.piadas.com.br/

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome