O Brasil da dissimulação: uma reflexão sobre Neymar e Sérgio Moro, por Leonardo Avritzer

O Brasil da dissimulação: uma reflexão sobre Neymar e Sérgio Moro

por Leonardo Avritzer

Neymar incomoda o Brasil. A pergunta sobre o motivo do incômodo produz uma resposta: porque ele rompe com o paradigma do outro país criado pelo futebol brasileiro nos anos 50 e 60. Existem dois Brasis, aquele das práticas reais e aquele que nós gostamos de mostrar para fora, o país da igualdade racial e do fair play. Desde o final dos anos 50, quando o Brasil se sagrou pela primeira vez, campeão de uma Copa do Mundo, um outro país apresentou-se ao mundo. Ao invés do país do cada um por si, ou do último país que aboliu a escravidão e massacra a população negra diuturnamente nas favelas e nas prisões, o Brasil passou a ter uma nova imagem, a do futebol. Ali, brancos e negros jogam juntos e o que vale é a ideia do coletivo. Nenhum futebol é mais coletivo do que o do Brasil tocando a bola na frente da área do adversário. Gostamos de lembrar como Gérson, Zico, Sócrates e Ronaldinho Gaúcho faziam isso. É essa imagem que o futebol brasileiro desperta no mundo, a contra imagem do país desigual e pouco democrático que agora deu um passo à frente ao apresentar ao mundo um sistema judicial que não respeita nem as regras estabelecidas por ele mesmo. Ninguém melhor para expressar o que os brasileiros gostariam de ser do que um Garrincha, um Zico ou um Pelé, porque eles jogavam futebol por paixão e privilegiavam o fair play.

Neymar rompe com esta imagem desde que despontou no futebol porque ao invés de projetar para fora a imagem popular do bom e ingênuo brasileiro, ele incorpora as práticas das elites e fornece visibilidade para elas. Já na sua transferência do Santos para o Barcelona vimos esta faceta do Neymar. Ninguém sabe como a transação foi feita. No Brasil ela foi de um jeito e na Espanha de outro, uma prática aliás muito parecida com o recente escândalo dos doleiros apurado pela operação Cambio Desligo. Neymar também foi recentemente autuado pela receita federal por fazer o que toda membro da elite local faz. Ele transformou parte dos seus rendimentos como jogador em direitos de imagem alocados em uma empresa devido ao diferencial entre os impostos pagos pelas pessoas físicas e jurídicas no Brasil. Autuado pela receita ele conseguiu se safar da mesma maneira que grandes empresários o fazem. Assim, Neymar incomoda a elite brasileira porque ele faz de forma aberta e escancarada o que ela faz de forma simulada.

Todo mundo sabe qual é a dissimulação de Neymar na Copa da Rússia: ele cai na área, grita, finge que apanhou e no final coleta alguns benefícios extras para o seu time. Mas poucos percebem que esta dissimulação está também presente na grande tragédia brasileira do momento, a investida de Sérgio Moro contra o candidato líder nas pesquisas eleitorais para presidente. Sérgio Moro é um simulador, finge que é juiz imparcial enquanto implanta os vetos da elite a membros do sistema político. Sérgio Moro encontrou-se com Aécio em público e mostrou uma enorme intimidade com ele, mas negou que fossem amigos. Argumentou que encontrou com Aécio porque a “Isto É” reuniu os dois. Sérgio Moro tirou fotos no jantar de gala com João Dória em Nova York, mas também negou que fossem amigos. Segundo ele, havia muita gente convidada pela câmara de comércio Brasil EUA e Dória estava lá. Sérgio Moro desrespeita o STF desde os primeiros momentos da operação Lava Jato, mas nega que o faça. Quando o caldo entorna ele diz: este juiz pede respeitosamente escusas. Por fim, Sérgio Moro depois de argumentar que tinha foro em relação ao ex-presidente devido a ligação do caso com a Petrobrás negou nos embargos impetrados pelo ex-presidente a relação do caso com a Petrobras. Assim, Sérgio Moro agrada a elite brasileira porque ele faz de forma dissimulada o que a elite pede de forma escancarada: a punição do ex-presidente Lula e sua interdição política independentemente das regras do estado de direito ou do direito penal.

Leia também:  15 razões para esperar um novo ataque interno à economia do Brasil, por João Sicsú

Nestes últimos meses Neymar e Sérgio Moro tiveram problemas. Os problemas de Moro são conhecidos. Apesar da enorme pressão midiática sobre o S.T.F. o respaldo que a corte lhe dá revendo inclusive o padrão histórico do direito penal brasileiro começa a esfacelar a própria corte. Moro foi derrotado três vezes pelo STF nas últimas semanas. Na discussão sobre as conduções coercitivas ele sofreu uma forte derrota já que a Lava Jato utilizou o instrumento agora declarado inconstitucional mais de 150 vezes. Moro também foi derrotado na decisão de libertação de José Dirceu que mostra que sua única vitória na questão da prisão em segunda instância é parcial e pode ser revertida. Finalmente, Moro levou um pito do ministro Dias Tóffoli na semana passada ao tentar intervir em uma execução penal que não está ligada a sua vara. O desgaste de Moro vem do mesmo lugar que o desgaste de Neymar, da visibilidade constante de atos de legalidade duvidosa que botam em questão a imparcialidade do juiz. O desgaste de Neymar aumentou com o VAR (vídeo assistante referee) que permitiu que os lances simulados fossem visualizados e criticados.

Dia 08 de julho domingo foi o dia do VAR de Sérgio Moro, o campeão da dissimulação da neutralidade judicial no país. Moro acordou em Portugal com a notícia que o desembargador plantonista do Tribunal Regional Federal da 4ª região havia dado um despacho favorável em um habeas corpus a favor do ex-presidente Lula. Foi então que ele resolveu reagir sem nenhuma simulação. De férias e sem ser o juiz da execução penal, ele escreveu um despacho contra a decisão do seu superior hierárquico. Vale a pena examinar o conteúdo do despacho que é mais uma vez um claro desrespeito às regras da hierarquia judicial que alguns acreditam estarem vigentes no nosso país.. Diz Moro, “… este juiz (no caso Rogério Favreto) assim como não tem poderes de ordenar a prisão do paciente, não tem poderes de ordenar a sua soltura.”. Assim, vemos de forma agora não dissimulada a posição de Sérgio Moro de se colocar como julgador e avaliador das instâncias judiciais acima dele. Se, até o momento, ele o fez de forma dissimulada agora o faz de forma aberta determinando (sic) que um desembargador é “absolutamente incompetente” em relação à decisão tomada. Tivesse o judiciário brasileiro uma organização hierárquica como a da Fifa, o que não é pedir demais, Moro certamente não seria escalado para mais nenhum jogo. A pergunta, no entanto, é: o juiz ator e dissimulador continuará julgando o seu réu preferido e tratando-o como sua  propriedade ou o judiciário brasileiro irá perceber que o fim da dissimulação deve coincidir com o fim do jogo?

Leia também:  Mucha e Art Nouveau (I), por Walnice Nogueira Galvão

Leonardo Avritzer – Cientista Político e professor da UFMG. Autor do livro “Impasses da Democracia no Brasil”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

16 comentários

  1. pisou na bola..

    .. a atitude intempestiva e burra do moro criou uma crise no seio golpista, agora estão escalando todo mundo para apagar a fogueira.. é possível que iniciem uma caçada ao desembargador rebelde, mas também é possível que outros setores comecem a sair da toca.. esquentou..

  2. As transações de jogadores

    As transações de jogadores brasileiros para a Europa envolvem esquemas azeitadíssimos ao longo de décadas!

    O cinismo da Justiça brasileira, então, é mais vetusto aiinda. Não obstante em cada favela e cada periferia saiba-se também há muito que juiz julga pela cara, a patarata ainda vai durar muito: doutores acordaram ontem; e grande parte da classe média permance num porre cego!

    já era!

  3. Neymar e Moro

    Prezado Prof. Avritzer

    Gostei muito da reflexão e da comparação entre essas duas personagens.

    A respeito do jogador, suas simulações patéticas, sua arrogância, seu exibicionismo, a ostentação dos iates, jatos etc. fizeram sua imagem se deteriorar em nível mundial.

    No caso do juiz, a falsidade, a simulação e as arbitrariedades infelizmente ainda demorarão a ser repudiadas pela sociedade. Depois da aberração ocorrida no domingo, quando ele deu (em férias) uma ordem a um desembargador (e que foi obedecida !!!) e hoje no STJ, com uma ministra condenando severamente o desembargador que mandou soltar Lula, depois de tudo isso, somente podermos esperar o pior.

    Conversando com pessoas da classe média com as quais tenho contato no meu dia a dia, percebe-se que as pessoas sequer refletem um minuto sobre o absurdo dessa situação envolvendo o ex-presidente. Para essas pessoas, o que importa é manter Lula preso. Pouco importa a lei, o estado de direito, a Constituição.

    Há uma grande parcela da magistratura, do Ministério Público, da Polícia Federal que estão dispostas a afrontar a Lei, agora sem nenhum pudor. Por isso as fotos do juiz de Curitiba com os próceres do PSDB, a proteção a MIchel Termer, a assessoria de imprensa (!!!!), o auxílio moradia indecente entre outras barbaridades. A mídia transformou essa criatura numa espécie de Vingador da Classe média. Se ocorresse um golpe de estado e a ditatura na qual vivemos fosse completamente desnudada, esses “magistrados” e “procuradores” apoiariam com entusiasmo o novo regime ! Não foi isso que ocorreu na última ditadura?

    Um abraço a todos e vamos à luta !

  4. Neymar e Moro

    Prezado Prof. Avritzer

    Gostei muito da reflexão e da comparação entre essas duas personagens.

    A respeito do jogador, suas simulações patéticas, sua arrogância, seu exibicionismo, a ostentação dos iates, jatos etc. fizeram sua imagem se deteriorar em nível mundial.

    No caso do juiz, a falsidade, a simulação e as arbitrariedades infelizmente ainda demorarão a ser repudiadas pela sociedade. Depois da aberração ocorrida no domingo, quando ele deu (em férias) uma ordem a um desembargador (e que foi obedecida !!!) e hoje no STJ, com uma ministra condenando severamente o desembargador que mandou soltar Lula, depois de tudo isso, somente podermos esperar o pior.

    Conversando com pessoas da classe média com as quais tenho contato no meu dia a dia, percebe-se que as pessoas sequer refletem um minuto sobre o absurdo dessa situação envolvendo o ex-presidente. Para essas pessoas, o que importa é manter Lula preso. Pouco importa a lei, o estado de direito, a Constituição.

    Há uma grande parcela da magistratura, do Ministério Público, da Polícia Federal que estão dispostas a afrontar a Lei, agora sem nenhum pudor. Por isso as fotos do juiz de Curitiba com os próceres do PSDB, a proteção a MIchel Termer, a assessoria de imprensa (!!!!), o auxílio moradia indecente entre outras barbaridades. A mídia transformou essa criatura numa espécie de Vingador da Classe média. Se ocorresse um golpe de estado e a ditatura na qual vivemos fosse completamente desnudada, esses “magistrados” e “procuradores” apoiariam com entusiasmo o novo regime ! Não foi isso que ocorreu na última ditadura?

    Um abraço a todos e vamos à luta !

  5. Equivalência
     

    Neymar e Moro, os bem aventurados frutos da plebe, são fruto de uma época, onde a dissimulação é a tônica.

    Nós fingimos que temos democracia, que respeitamos as leis, que praticamos a igualdade sob todos os aspectos e as pessoas fingem que acreditam.

    Este é um mundo de ilusão.

    É só acreditar no que dizem ser verdade que vira verdade.

    A fé remove as mentiras.

  6. Togados, emplumados e ilegalizados

    Dra. Eliana Calmon cunhou a denominação de alguns de seus colegas de judiciário, em váruios cargos, que não cumprem as leis mas agem na ilegalidade beneficiando amigos ricos e bandidos de várias espécies, com intuito de obter lucro social, comercial e até financeiro. Os BANDIDOS DE TOGAS estão aí, asgindo em beneficio de seus políticos corruptos e contra políticos adversários deles. O PT sofre essa perseguição de alguns desses bandidos que não se cansam e nunca descansam, em sua sanha meléfica para destruir o partido dos TRABALHADORES do Brasil., e trabalhadores não são só os pobres, são todos que trabalham honestamente, e quem não trabalha honestamente, persegue e tenta destruir o PT.

    QUEM NÃO VOTOU NA CANDIDATA DO PT PARA PRESIDENTE, NA ÚLTIMA ELEIÇÃO, VOTOU EM QUEM?

    – Votou no famoso bandido de MG, o tal MINEIRINHO,  de todas listas de propinas de todas empreiteiras envolvidas em corrupção até hoje descobertas e o tal MINEIRINHO perdeu a eleição e deixou órfãos todos seus eleitores, todos potencialmente corruptos, pois o tal MINEIRINHO já era famoso por suas roubalheiras desde que tinha 18 anos e já era FUNCIONÁRIO FANTASMA no gabinete do pai em Brasilia, mas morava e estudava e cheirava no Rio de Janeiro.

    AAH, só para lembrar, o gordo Ronaldo, o fenômeno que se cagou e perdeu uma copa, e o famoso Neymar, apoiaram e fizeram campanha para o MINEIRINHO, contra a DILMA.

    PRECISA FALAR OU EXPLICAR MAIS ALGUMA COISA?

  7. Eu quero é que “ESSA PORRA”

    Eu quero é que “ESSA PORRA” se fôda todinha. Que os ricos catem no lixo, os pobres morram como vermes. Esse povo não merece essa terra que lhes foi dada.

  8. 88 ANOS DE ESQUERDO-FASCISMO TUPINIQUIM

    A fumaça começa a baixar e compreendemos porque de Golpe Militar Caudilhista de Ditadura Fascista ser vangloriado por ter derrubado Governo Eleito diretamente, facultativamente, livremente. A Bipolaridade Esquerdopata seria cômica senão fosse….tão fedorenta. Sérgio Moro é fruto de 40 anos Redemocratas e uma tal ConstituiçãoCaricaturaEscárnioCidadã que os tais redigiram. Símbolo dela foi Tancredo Neves,  a Cria do Fascista, aliado de 1.a ordem dos Familiares do Caudilho, Leonel Brizola e João Goulart, que representaria uma nova direção a um país que voltaria a uma tal Democracia, depois de período submetido a Governo Militar. Governo Militar, dando golpe na Democracia Direta e Eleita entre 1930 e 1954 serviu para tal Elite. Em 1964, esta Elite diz que não serve mais? Porém, mesmo depois de 40 anos em pseudo-democracia, mantém a mesma estrutura politica e juridica implantada por Ditadura Militar Fascista de 88 anos atrás? Entre o ‘Rivotril’ da manhã e o ‘Gardenal’ da tarde, gostaria que fosse explicada tamanha Bipolaridade. Neymar é o Brasileiro. E o Futebol é o Brasil. Usados de forma ditatorial por uma Elite estruturada no Fascismo com suas Ditaduras de Federações. Irmãs Siamesas OAB e CBF explicam tal estrutura. Alguém está falando ou escrevendo sobre o Monopólio exercido sobre o Futebol? É porque a RGT tem Maior Poder Econômico que as Concorrentes !! SABEMOS. É assim em toda Cadeia Econômica. Por isto existe o CADE. Para não deixar que haja Concentração de Mercado desde Papel Higiênico, Pasta de Dentes, Chocolates, Chupeta de Bebê ou Futebol. Porque o CADE de Dilma não agiu? Por que o CADE de Lula não agiu? Por que nesta sujeira vergonhosa e apodrecida que é o controle do Esporte e Futebol Brasileiros, Governos Progressistas se aliaram aos Mafiosos que os comandam e gastaram Bilhões de Reais, em parceria e cumplicidade, para beneficiar tais Criminosos? Vicente Cândido dê sua opinião? Felldmans nos dêem suas opiniões? Desesmbargadores de TJ’s alocados em TJD’s falem como é a parceria Elite do Estado Brasileiro com Criminosos procurados por INTERPOL? O problema no Futebol é o Neymar? Juiz de 1.a Instância pauta uma Nação? Elite Esquerdopata e seu Estado farsante são Ridículos. O Brasil se explica.       

  9.  Assim como Moro grande parte

     Assim como Moro grande parte do judiciário está no mesmo barco da dissimulação, vejam que, imediatamente vários atores em férias aparecem para punir publicamente o juíz de plantão e dar seu pitaco para que Lula continue preso.

     Caso Moro não seje o juíz encarregado dos proximos processos os que irão substitui-lo não serão lá tão isentos assim, talvez terão uma dissimulação mais polida e bem feita.

  10. Sinto muito Avritzer

    O caso de Neymar é mais parecido com a opressão às mulheres. Quando alguma é assediada os machistas de plantão dizem que ela  deu mole que ela provocou . Neymar foi duramente caçado durante toda a copa. Nenhuma palavra foi dita contra os agressores.  Layum pisou no pé de Neymar, o suiço lhe deu um carrinho criminoso e as provocações anti esportivas dos outros jogadores querendo intimidar estáo testemunhados por todos nós. Mas aqui querem fazer de Neymar um símbolo de outra coisa.  Avritzer Neymar tem mais a ver com Garrincha do que tudo o que voce falou. Apenas Garrincha continuou pobre para júbilo dos nossos coxinhas. 

    O tempo inteiro pretendem dizer que o bom futebol não é aquele do drible de uma firula. Submissos nós brasileiros vamos dizendo, que futebol é sim coisa para macho, para troglodita. E a destruição de Neymar que tanto satisfaz nossos adversários, é cantada em prosa e verso, por vários brasileiros que vivem dizendo o que é o brasileiro.

  11. Acho que há um equívoco duplo

    Quando Nilton Santos deu um passo a frente  para saindo da área livrar o Brasil de um penalti, continuou com o seu título de enciclopédia do futebol. Quando Garrincha driblava para lá e pára cá,  ninguem diz que  ele  pretendia humilhar, mas apenas fazer arte. Quando Rivelino caia escandalosamente quando atingido por falta, cheguei até a ouvir que era apenas o jeito italiano de ser. Quando  se fala dos velhos tempos, esquecem dos  contratos de futebol,  e parece que sentem  saudade do tempo em que  os jogadores ganhavam pouco e eram espoliados por cartolas e agentes.  Mas me parece que o julgamento de Neymar é deveras duro, e as associações são mais ainda.  Se querem critica-lo que o façam mas por favor façam de maneira justa assim como sejam equanimes, afinal Layun, desaparecido da mídia parece ganhar o beneplácito. Assim como alguns dizem que Neymar apanhou porque provocou.  Garrincha jamais provocou apenas fez arte.  

    Quanto a Moro, não há nem nunca houve dissimulação. Em todos os momentos todos os atos foram mais do que  claros, foram afrontosos. Ele não dissimulou quando mandou as fitas ilegais para os jornais,. Nao dissimulou quando prendeu preventivamente de forma descarada e fugindo a todos os parametros legais. E continua prendendo.  Não dissimularam em nenhum dos Power Points, disseram abertamente que estavam tomando medidas excepcionais.  A imprensa nunca dissimulou, ela apenas mentiu desbragradamente , ela apenas omitiu verdades, mas jamais dissimulou suas intenções. O mercado não dissimula suas intençoes. Existem apenas  um grupo grande e de poderosos que sem nenhuma dissimulação defendem todos os abusos de poder.

    Jamais houve dissimulação.

  12. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome