O maior erro de Dilma Rousseff, por Sergio da Motta e Albuquerque

O grande erro de Dilma foi ter cedido às pressões para a criminalização de uma tática de luta de proteção aos movimentos populares

do Caderno de Opinião 

O maior erro de Dilma Rousseff

por Sergio da Motta e Albuquerque

Ela não utilizou “pedaladas fiscais”. No meu tempo (ditadura militar) o que ela fez era chamado de “embonecar o balanço”: ‘segurar’ um pouco o dinheiro no caixa do governo, para melhorar as posições contábeis da república, até o final do ano corrente.

Foi afastada do governo por isso. Mas seu erro maior não foi esse.

O grande erro de Dilma foi ter cedido às pressões para a criminalização de uma tática de luta de proteção aos movimentos populares. A tal tática chama-se “Black Bloc”, e nasceu na Alemanha, no final do século passado. (quem quiser saber mais sobre ela, leia o artigo “As origens dos Homens de Preto”, publicado no Observatório da Imprensa, em 2013).

Pois bem, pressionada por todos os lados, depois da morte acidental do cameraman Santiago Elídio, durante um protesto, em 2014, Dilma pôs a tática fora da lei. Foi a alvorada da nova extrema-direita no Brasil. Concordo que houve muitos abusos no uso deste método de proteção às passeatas. Como a destruição do patrimônio público. Mas a proibição do Black Bloc teria consequências devastadoras para as manifestações populares no Brasil daquela data em diante. E para o próprio destino de PT.

O afastamento deles, dos usuários da tática, trouxe os “verde-amarelos” da direita para as ruas, para apoiar a autoridade pública. O Brasil é o único país do mundo onde o significado das manifestações populares foi corrompido: aqui, as massas reacionárias marcham em apoio a um governo que se propõe a destruir a proteção social ao trabalhador. O Brasil não é “surreal”. A sociedade brasileira é cruel e primitiva, em sua realidade cotidiana.

Leia também:  Xadrez dos alertas que antecipavam a guerra final dos Bolsonaro, por Luis Nassif

É bom lembrar que nem mesmo Donald Trump proibiu, até agora, o uso da tática, ou das máscaras negras, da turma da Antifona-os protetores das comunidades em luta contra a opressão e ao avanço da extrema-direita nos Estados Unidos. Eles também utilizam a tática. Com bons resultados, devo dizer.

Aqui, nas ruas agora mandam os “verde-amarelos”. Apenas porque a tática Black Bloc foi criminalizada. Com ela de volta às ruas, não haveria mais abusos contra manifestantes pobres em manifestações populares.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

9 comentários

  1. Um festival de insanidade. O movimento BB foi a a porta aberta para a extrema direita. Cadê eles agora para enfrentar boo e asseclas. Dilma e o PT acordaram tarde.

    3
    1
  2. O que ocorre é que os imbecis que desfilam com camisa da cbf na Atlântica ou na Paulista se escondem atrás de polícias ou milicias, no caso do RJ. Aí é mole ser valente e gritar alto.
    Nao precisa de BB mas sim de um “power to the people” de fato.

    1
    1
  3. A morte do cinegrafista foi “acidental”?! Então as da menina e do músico tambem foram… pauvque baye em chico…

    3
    1
    • Foi acidental por que os dois rapazes envolvidos não miraram o artefato em direção ao cinegrafista para acertá-lo com o intuito de ferir ou matar. Estavam, teoricamente, revidando a agressão policial. Outra coisa com relação a esse caso: a empregadora do cinegrafista deveria ter fornecido equipamentos de segurança como capacete, óculos protetores e máscara pra minimizar os efeitos do gás lacrimogênio, mas não o fez. O funcionário, ciente ou não dos riscos, ficou exposto no fogo cruzado entre polícia e manifestantes. Se ele e outros profissionais da mídia corporativa ou não tivessem mais conhecimentos de como agir e trabalhar durante manifestações, talvez ele ainda estivesse vivo.

  4. Que texto confuso e desonesto. Dilma foi absolvida das acusaçoes que serviram para justificar o golpe.
    Parte da guerra híbrida que convulsiona América do Sul estreada com êxito em Honduras e que se expande cronometricamente.
    Manter o subcontinente instável à semelhança do Oriente Médio é a estratégia inovadora do Departamento de Estado.

  5. Situação ficará cada vez mais insustentável com aprovação de decretos 10046 e 10047(já aprovado s) . Tramitando PL 2418/ 1595 e 443/19. Sabem do que se tratam?? Uma tragédia.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome