3 comentários

  1. Seria um golpe de Estado bem complicado, não acha? Toda elite nacional que conservou poder e unidade no país e veio conservando até hj, perderia o controle para o Bolsonaro. É importante lembrar que ele se elegeu com votos heterogêneos de pessoas cansadas com o outro modelo de Estado, que foi demonizado por décadas, seja corretamente como incorretamente. As pessoas abstraem a realidade e simplificam pra caber em seu senso comum. Simplificaram a ponto de acreditar que o Pt carregaria tudo aquilo. Após tirá-lo, perceberam que não foi o que imaginavam. Bolsonaro é consequência de tudo isso, mas acreditar que ele tem poder pra tanto… Falta-lhe estratégia, capacidade política e força.
    Basta que o decreto seja suspenso e acabou. Ele vai decretar novamente?
    A parábola já está em queda, o sistema está retomando o espaço perdido e não haverá espaço para essa esquerda. Se ela quiser entrar no jogo, terá de mudar, fazer seu reposicionamento na mente dos eleitores para jogar novamente.
    A elite em geral já sabe que esse século é diferente, apenas não quer perder a direção da locomotiva.

  2. Me desculpe é dar muito crédito a um imbecil. Não acredito que ele ou os filhos tenham capacidade e visão para elaborar um planejamento tão complexo ou ter isso como uma estratégia pensada, para mim soa mais como algo que faz parte da personalidade facista e que desde que é deputado federal adotou como sua personalidade.

  3. Acho dificil estabelecer um regime totalitário. O lider é fraco e nao existe unidade onde se multiplicam seitas evangélicas e facções de várias origens, todos com forças equiparadas.
    Vale lembrar Sun Tzu:
    “A vitória está reservada para aqueles que estão dispostos a pagar o preço.”
    Esta turma de evangélicos e facções criminosas não abre mão de nada num butim. Mesmo que, em alguns casos, sejam cabeças da mesma hidra.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome