O que Cristo poderia ter dito aos manifestantes de Copacabana, por J. Carlos de Assis

Movimento Brasil Agora

O que Cristo poderia ter dito aos manifestantes de Copacabana

por J. Carlos de Assis

Se Cristo tivesse estado presente à manifestação de ontem em Copacabana certamente teria dito: “Pai, perdoai-os, porque não sabem o que fazem!” O evento foi realmente grande, mas o recado dado pela multidão foi pífio. Como não tinha mais que promover o impeachment de Dilma, ela teve de se contentar em denunciar o substitutivo da Câmara às dez medidas supostamente contra a corrupção apresentadas pelos  ferozes promotores da Lava Jato na forma de projeto de iniciativa popular.

Tudo falso. Assinaturas para projetos de iniciativa popular são em geral compradas no meio de um povo que não sabe absolutamente nada do que está assinando, para o que os promotores de Curitiba contrataram uma agência de publicidade. Não são medidas contra a corrupção, mas medidas de proteção corporativa a promotores e juízes fascistas. Queriam cobertura total para suas denúncias, o que levou o senador Roberto Requião a dizer que pretendiam receber “indulgência plenária” por seus atos, algo que só pode ser dado pelo Papa.

Só um idiota pode acreditar que foram cidadãos conscientes que assinaram o projeto que os promotores da Lava Jato pretendiam empurrar goela abaixo da Câmara com arrogância jamais vista na história legislativa brasileira. E não é menos idiota o manifestante que passeou ontem pela praia de Copacabana atacando um projeto que certamente nunca leu, não conhece e sobre o qual nada sabe, exceto a opinião dos energúmenos jornalistas da Veja e do Sistema Globo que lutam desesperadamente para acabar de destruir as instituições do país.

Leia também:  Racismo sem Fronteiras, por Marcia Noczynski e Cristiane Alves

Não vou explicar o projeto aprovado na Câmara, que não é perfeito mas desmonta com grande propriedade as investidas fascistas das chamadas dez medidas contra a corrupção propostas pela Lava Jato. Recorro apenas a um jornalista, Elio Gaspari, insuspeito de esquerdismo ou de simpatia por corruptos em sua coluna de domingo no Globo. Ele evoca uma metáfora interessante, segundo a qual um bebê no batismo é cercado por conhecidos suspeitos de corrupção. Teria o bebê alguma culpa por nascer nesse meio?

A metáfora é interessante porque nos remete a outro aspecto da manifestação em Copacabana. Outra vítima foi o presidente do Senado, Renan Calheiros. Ele fez um discurso de estadista, de extrema coragem, em defesa da cidadania e da dignidade do Congresso, somando-se a outro orador, o ministro do STM Gilmar Mendes, na condenação dos excessos da Lava Jato. Discursos bem fundamentados, porém praticamente ignorados pela grande mídia. Seriam as suspeitas que recaem sobre Renan e Gilmar suficientes para assegurar que não tem razão quando defendem o habeas corpus e a presunção de inocência?

Entretanto, temos que ser pacientes na avaliação dessas manifestações orquestradas pela Globo e pela Veja. E não devemos fazer a política do olho por olho e dente por dente. Isso pertence ao espaço do Velho Testamento. O Novo perdoa e, diante da fúria das multidões, simplesmente convida o que não tem culpa a atirar a primeira pedra. Todos, de alguma forma, tivemos culpa pelo descalabro a que chegou a economia e a sociedade. Fomos condescendentes com a corrupção em todos os níveis da República. Por isso a Lava Jato era necessária e indispensável. Apenas não poderia ter cometido os excessos que cometeu contra pessoas e empresas na sua fúria persecutória, aviltando inclusive a soberania nacional com a entrega a um governo estrangeiro da delação da Lava Jato, a fim de repartir com esse governo, sem base legal, o dinheiro da multa da Odebrecht.

Leia também:  Por trás daquele encontro, por Homero Fonseca

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

17 comentários

  1.  “Por isso a Lava Jato era

     “Por isso a Lava Jato era necessária e indispensável.”

    A Lava Jato continua sendo indispensável como toda operação policial! O problema é o gilmar mendes e sua extenção sergio moro e toda a rede de seus mafiosos nas operações! Não entendo porque essa putaria de confundir Lava Jato com os mafiosos que a estão comandando e operacionalizando! Tem que continuar a lava jato sem esses mafiosos! É só isso! Fora fhc e toda a sua máfia e todos aqueles que divulgam de forma sacana e golpista assuntos de alta relevância! Fora gilmar, moro & cia, e fica Lava Jato com gente honesta prá investigar e colocar na cadeia todos os políticos corruptos na cadeia!… principalmente os que já foram até gravados querendo o fim da Lava Jato!!…

     

  2. Agora aparecem os

    Agora aparecem os nacionalistas de ocasião.

    Quando o Brasil entregou a refinaria da Petrobras na Bolivia a Evo, esses nacionalistas chegaram a afirmar que era correto, eis que há uma dívida histórica com os Bollivianos

    Quando perdoamos dívidas de paises Africanos governado por ditadores, esses nacionalistas afirmaram que era correto, eis que temos uma dívida histórica com eles.

    Quando determinados partidos e pessoas passam a ser investigados, esses nacionalistas  gritam pela soberania nacional, começam a bradar que o petróleo é nosso

    Bem interessante esse tipo de nacionalismo do J Carlos 

    • Tira primeiro a trava do teu olho, Marcião

      Marcião, da mesma forma do J. Carlos protesta agora contra a falta de nacionalismo dos golpistas e coxinhas teleguiados pelo PIG, tu protestou e se indignou contra a Refinaria da Petrobrás que ficou com os Bolivianos e ficou furioso com quando as dívidas dos países africanos foram perdoadas, mas não se indigna contra o entreguismo da Coxinhada atual.

      Tu és um cego tentando guiar o suposto cego J. Carlos. Sacou tua hipocrisia ou precisa desenhar?

      • Hipocrisia é tentar me

        Hipocrisia é tentar me julgar, sem saber o que eu penso sobre o assunto,

        Quem expos sua opinião foi o articulista e não eu, sacou ?

  3. A Manifestações do PIG, dos Coxinhas e dos Jatomoristas falharam

    As cinzas de Fidel Castro mobilizaram muito mais gente do que o vivo juiz Sérgio Moro. E olha que a população de Cuba é menor do que o número de desempregados do Brasil.

    Se as cinzas de um morto conseguem mobilizar mais gente do que o Sérgio Moro e sua Lava Jato, então não há nada que impeça a redução para o teto constitucional dos salários dos juízes e promotores, dos deputados e dos senadores, etc.; o Congresso pode acabar com os abusos das autoridades, etc.

    Em vez das nossas autoridades defenderem o arbítrio contra petistas, alegando que pretos, pobres e putas também são tratados com arbitrariedades, com a lei do abuso da autoridade, eles passarão a correr risco de injustiçarem pretos, pobres e putas.

    O Jatomorismo falhou. Dallagnol não poderá mais denunciar alguém com base em convicção e Moro não poderá mais condenar um réu com base em contexto probatório convictório, pois o número de apoiadores do abusismo é insignificante quando comparado ao total da população brasileira.

  4. Pelo amor dos seus filhinhos!!

    “Por isso a Lava Jato era necessária e indispensável.”

     

    Pelamordedeus!! Por Tutatis!! Senhor Assis!! A Vaza a Jato é um conjunto de falsidades em concurso de servidores comprometidos com interesses espúrios tão evidente! Sem nenhum resultado virtuoso material ou moral benéfico para ninguém, ao passo que tem efeitos deletérios, sob todos os aspectos que impactam e impactarão severamente a vida no país até a geração dos seus netos. Onde se juntaram os interesses de uma gangue de servidores públicos, agindo à margem da LEI (quem age à margem da lei é MARGINAL!), uma penca de agentes estrangeiros e as quadrilhas de empresas de comunicação lideradas pela Globo/Mossack-Fonseca. E tu vens dizer que uma porra dessas seria necessária e indispensável.

     

    Pelo amor dos seus filhinhos (e netos)!! Releia e reflita sobre o que escreveu.

  5. “Todos, de alguma forma,

    “Todos, de alguma forma, tivemos culpa pelo descalabro a que chegou a economia e a sociedade.”
    Ah, faça-me o favor.

  6. Análise verossímil, mas com grave erro.

    Prezados,

    A argumentação usada no artigo era bem fundamentada; mas no final José Carlos de Assis cometeu um erro grave, típico dos jovens idealstas, mas incompatível com alguém experiente como ele.

    “Por isso a Lava Jato era necessária e indispensável. Apenas não poderia ter cometido os excessos que cometeu contra pessoas e empresas na sua fúria persecutória, aviltando inclusive a soberania nacional com a entrega a um governo estrangeiro da delação da Lava Jato, a fim de repartir com esse governo, sem base legal, o dinheiro da multa da Odebrecht.”

    Ora, a Fraude a Jato JAMAIS foi necessária e muito menos indispensável. Quem diz isso comete auto-engano e tenta enganar os outros. Quem conhece o passado de sérgio moro e dos integrantes dessa Fraude Política sabe desde o início que os propósitos da midiática operação JAMAIS foram os de combater a corrupção. Será que J. Carlos de Assis lê e ouve Pepe Escobar, lê e ouve Eugênio Aragão? 

    • É extamente isso: ficam

      É extamente isso: ficam tratando uma operação escancardamente política como uma operção criminal e depois ficam reclamando dos excessos…

      Ora, é obvio que eles vão se exceder até o limite do último capricho: estão tendo sucesso em engambelar quem eles querem, da direita à esquerda!

      Enquanto esses ativistas da lava a jato não forem desmascarados em sua militanlcia vulgar, já era.

  7. Fizeram tanto,

    que a Globo agora acaba com o papel das manifestações. Muito menores a direita não conseguiu . As manifestações não deporão Renan e tambem não trarão de volta os penduricalhos dos dez mandamentos de Dallagnol. A briga é mais embaixo e o judiciário está enfrentando alguém do mesmo nível, o legistlativo. Obcecados pelo resto do golpe, uma Globo  explora o acidente da CHAPE,  desmoraliza Marcelo Oderbrecht, e enaltece medidas sabidamente falsas,autoritárias e anticonstitucionais, sob o silêncio Supremo do Supremo. A Globo edita a surra que Moro levou e chantageia  o Micher Temer. Seus reporteres estão  perdidos sem saber o que fazer a espera da mega delação que sabemos não vai fazer um pum para alguns  mas o poder para a mídia é o poder da ameça. E a globo  ameaça, defender os procuradores do MP, ameaça atacar Aécio, ameaça atacar Temer,  mas continuamos vendo do mesmo.  Num Rio conflagrado, onde a justiça bate , aparentem com provas em Cabral, mas apenas midiaticamente em Garotinho, não seria de se estranhar uma grande manifestação. No restante do país, manifestações tiveram um  tamanho devido. Apenas aqueles que querem Moro para pegar o PT, enquanto isto , em Brasília,  a luta pelo poder corre solta entre as instituições. Hoje, o   partido do MP vai fazer a sua avaliação. O legilslativo vai fazer sua avaliação, o executivo vai ficar esperando as avaliações. Amanhã continuarão em seu braço de ferro enquanto Brasil desce a ladeira. Afora a tentativa agitatória da edição da Globo, nada é muito consistente, mas legislativo se unirá ao executivo para focalizar na política ecnonômica que nos leva mais e mais para a recessão em nome do Brasil, a Petrobrás continuará  sendo fatiada  e esquartejada,  mas Parente não enfrentará o Juri. O Procurador Geral da Republica, ignorando  o congresso, continuará firmando contratos judiciários prejudiciasi às nossas companhias com o exterior, mas não enfrentará o juri.  Moro prepara sua volta para as profundezas de onde se formou  para quem sabe voltar em grande estilo ou ficar por lá em total desgraça. Nada no momento é seguro, apenas o aprofundamento da recessão e a destruição de nossas principais armas contra a recessão.

  8. se tocaram


    aqueles com um mínimo de inteligência se tocaram da manipulação e, por isso, não atenderam a este último “vai prá rua, otário”.

    e, provavelmente, não atenderão mais porque ficou fora de moda.

    já os que foram, coitados, são tão burros que “não sabem o que fazem”.

  9. A manifestação ficou parecido

    A manifestação ficou parecido com uma procissão de crentes, com o Moro no papel de Cristo, e o Dallagnol e cia com seus apóstolos? Claro, a jogada (de marketing)  é essa. Ou foi por acaso que eles escolheram 10 medidas? São os dez mandamentos do neo-novo testamento

  10. Quando li “o ministro do STM

    Quando li “o ministro do STM (sic) Gilmar Mendes”, logo pensei “supremo tribunal de mer#@.

    Desculpe, não resisti.

  11. Quer dizer que membros da

    Quer dizer que membros da justiça se utilizaram de meios escusos para conseguir as assinaturas?

    Como disse o Gilmar Mendes – será que quem assinou sabia que esta lei pode ser usada tanto para a justiça, quanto para a injustiça e de forma grave?

    O projeto do Requião tipifica melhor os crimes e os criminosos…

    O projeto dos procuradores cria uma ditadura comandada pela mídia, na qual uma simples reportagem poderá se tornar a “prova ilícita” de que precisa o agente repressor…

  12. passeata

    Sentimos falta da presença do Pastor Everaldo. Nenhum  pastor evengelico tem dado opinião ultimamente. Será que mudaram de ideia?

  13. “Mega-manifestação”

    Não podemos esquecer da “mega-manifestação agorista” prometida para o dia 7 de dezembro, próxima quarta-feira.

    Quem sabe dê as caras por lá (aliás, lá onde?) o candidato apoiado pelo MBA à prefeitura da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, o senador golpista Marcelo Crivella.

    Indiretamente, portanto, o “agorismo” apoiou o golpe da senhora Dilma Rousseff, ao dar respaldo a um golpista.

    Lembrem-se bem disto, caros leitores, ao dar de olhos com um texto do senhor J.C. de Assis.

  14. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome