Onde você vê as pessoas pretas?, por Mariana Nassif

É extremamente necessário demandar a inclusão das vidas negras em todo e qualquer lugar sem essa nojeira de só reconhecer as pessoas onde o colonialismo as tenha colocado.

Onde você vê as pessoas pretas?, por Mariana Nassif

Onde você vê as pessoas pretas?

Um apresentador de TV do Bom Dia São Paulo perguntou se Leonel, um jovem negro que esperava o trem, estava indo “pegar a bolinha lá no Pinheiros”, onde ele joga tênis, fazendo referência aos funcionários responsáveis por recolher as bolas durante os treinos e partidas. Leonel responde que é atleta do Polo Aquático do clube e o gosto do constrangimento que é, na verdade, racismo, não desceu até agora.

Onde nós vemos as pessoas pretas importa muito.

É extremamente necessário demandar a inclusão das vidas negras em todo e qualquer lugar sem essa nojeira de só reconhecer as pessoas onde o colonialismo, que é um dos movimentos que envolve números absurdos de mortes de minorias – negros e indígenas, negros e indígenas, negros e indígenas – as tenha colocado.

Sua escola/vida social/curso/companhia/terreiroentãonãovounemfalar tem pessoas pretas? Não? Precisa mudar. Você e o local, coração, siempre.

Desconolizemo-nos, urgentemente, antes que seja tarde.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Fundação Getúlio Vargas, "a" instituição que são muitas, por Frederico de Almeida