Sabujice da sociedade centesimal “sergiomoriana”, por Armando Coelho Neto

Sabujice da sociedade centesimal “sergiomoriana”

por Armando Rodrigues Coelho Neto

Não. Não é por aí. Ouço e repito isso com freqüência, embora em certas situações não seja possível responder por onde é. Às vezes falta conhecimento, estofo político, capital intelectual. Falta uma planilha confiável e um residual “não somos quem”, pois não integramos o bloco das falas autorizadas de que trata a filósofa Marilena Chauí, quando analisa o tal “Discurso Competente”. Nele, não é qualquer um que pode dizer a qualquer outro qualquer coisa em qualquer lugar e em qualquer circunstância. Às vezes, é preciso ser um Arnaldo Jabour, Boris Casoy, Gilmar Mendes…

Disso deriva não se poder debater a vergonha institucionalizada, que Moros, Marinhos, Malafaias, Maçonarias fingem combater. Uma realidade caracterizada pelo que existe de mais repulsivo na construção e ou desconstrução da dignidade humana. Referências fechadas, aplausos à sabujice oportuna, juridiquês falso moralista. Arautos previamente chancelados produzem clichês que possam ser reverberados por pretensos intelectuais ou qualquer ser reconhecidamente precário.

Para ser ouvido é preciso ser quem e usar palavras como moralidade, família, religião, honestidade, bem maior, repressão, futuro, as mesmas que saíram da boca de ladrões durante a farsa do impeachment da Presidenta Dilma (Fora Temer). Tem como suporte a cretinice da gambiarra jurídica qualquer nunca vista. Mesmo que urdida numa instância primária, corrupta, leviana, oportunista. Afinal de contas, situações novas exige soluções igualmente inéditas. Constituição? Ah, ta…

Leia também:  Operação requentada da Lava Jato visa desviar atenção das manobras de Bolsonaro com Receita, por Luis Nassif

O curioso é que o fato novo é mais velho que a solução. Pois foi no velho que se construiu o dito novo, que já nasceu velho. Lembro, por exemplo, que Sérgio Moro nasceu, cresceu, estudou  em plena ditadura. Uma ditadura cretina, corrupta e entreguista. Mas, hoje ele é o novo que, diante da corrupção velha, parece usar o arcaico como moderno e não posso dar risada disso tudo, por não fazer parte do staff autorizado.

É tudo tão cínico quanto produtos vendidos por R$ 1,99. Uma mentira de um centavo que faz as pessoas repetirem que por esse  preço adquiriu e que obteve vantagem. É como se fosse um real a menos. Ilusórios quebrados que levam postos de gasolina a competirem em casas centesimais estúpidas. Por exemplo, gasolina R$ 3,498.  Há forma mais ridicula de disfarçar R$ 3,50? E isso é apenas o lado visível do cinismo social. Por estar na cara e já fazer parte da cultura, dei de chamar modernamente de cultura “sergiomoriana”.

Como a nova sociedade de R$ 1,99 precisa de um demônio, elegeram Luís Inácio Lula da Silva, que na vida real foi o melhor presidente da história do Brasil e até hoje lidera pesquisas de intenção de voto. O mesmo Lula que, segundo as más línguas, seria tratado por Moro como “Nine” (Nove), numa suposta, estúpida, vergonhosa e depreciativa alusão à um dedo a menos naquele satã. Um dedo perdido em lendas que tiram até hoje o sono das Senhoras de Santana e da carolas velhinhas da cidade de Maringá/PR, onde o tal juiz teria nascido.

Leia também:  Como o implacável Sérgio Moro livrou a cara do futuro aliado Paulo Guedes

A sociedade “sergiomoriana” é assim e só pode ser assim. Desse modo, é preciso inventar diabos que dêem suporte à cruzadas religiosas e “moralistas”. Em nome de Deus, tanto faz dizer “Somos Todos Cunha”, “Somos Todos Moro”, “Somos todos Macacos”. A telinha mágica dos Marinhos está pronta para detonar cérebros e moldá-los à nova cartilha. Afinal de contas, já conta com a chancela do Tio Sam – mago que conseguiu patrocinar um golpe de estado no Brasil, apenas distribuindo trocados e garrafas de vinagre para arruaceiros e vestindo paneleiros e carroceiros de verde-amarelo. E algumas chantagens, claro!

Destruir Lula faz parte da mágica centesimal da gasolina, do centavo escroto retido à força. Tudo servindo de exemplo da mentira com a qual se convive, até que apareça um “sergiomoriano” que tente encarar o problema de frente. Alternativamente, a TV Globo/Veja convença que o centavinho retido é obra do PT e que nas contas de Mirian Leitão isso fique demonstrado ter sido o maior crime financeiro da história. Banestado e Trensalão, não.

Nesse Feliz 2017, a cultura “sergiomoriana” vive de esperanças. Umas são chamadas de Deus, outras de Quina ou Mega-Sena. A esperança é a última que morre e precisa ser renovada toda semana: ou ficamos ricos ou vamos para o céu… Mas, é preciso destruir Lula para vender a ilusão de que tudo vai mudar. Algo imprescindível para que tudo fique exatamente como está – centesimalmente “sergiomoriano’.

Armando Rodrigues Coelho Neto é jornalista e advogado, delegado aposentado da Polícia Federal e ex-representante da Interpol em São Paulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  “Estamos vivendo a estatização dos homicídios no Rio”, diz Pedro Abramovay

11 comentários

  1. Esse Moro um dia vai pagar

    Esse Moro um dia vai pagar por todo esse mal. Toda verdade virá a tona. Uma parte dos brasileiros já sabem quem é o tal do Moro…

    • Perca as esperanças, quem aqui entrar
      “Pois nada há de oculto que não venha a ser revelado, e nada em segredo que não seja trazido à luz do dia” Agora leia o comentário do Rui Ribeiro acima e perca as esperanças 

  2. Sempre foi assim na História. Quem não presta fica vivo

    Há dois mil anos atrás, crucificaram Jesus Cristo e soltaram Barrabás. Na Idade Média (ou teria sido na Idade Moderna) atearam fogo em Giordano Bruno em vez de tocarem fogo nos Inquisidores. Agora querem linchar o Lula em vez de lincharem o Sérgio Moro, que acabou com a economia brasileira e a segurança jurídica do país.

    Quem não presta fica vivo

    quem é bom mandam matar

    diria Cecília Meirelles.

    • coraggio sempre

      Cristo na cruz e Barrabás solto, mas…

      Cristo é legado civilizatório de dois mil anos numa sociedade superficial e imediatista nos objetivos.

      Papa Francisco seu exemplo e atitudes enfrentando parte da Cúria e deus dinheiro.

      O clube de Roma nos seus princípios defendia a educação uma luta permanente de todas as gerações, os conhecimentos não se inserem no DNA.

      Lutar sempre mesmo quando:

      “La spem ultima dea fugge i sepolcri”.

  3. Falam que o Moro chegou a

    Falam que o Moro chegou a ganhar em um mês, o salário de 80 mil! É mentira, foi apenas 79.987 Reais. Eu vi no portal da transparência, seus petralhas mentirosos.

    E por que nine em vez de nove? Será que é para firmar a superioridade? Além de ter os dez dedos, ainda sabe falar inglês?

    PS: Lula poderia referir-se ao seu algoz como “Tio Sam’s bitch”, se falasse inglês, claro.

  4. Quando começou o calendário Gregoriano?

    Não lembro exatamente, mas o calendário sergiomoriano, esse está bem vivo na memória. Tristes memórias.

  5. Moro é criminoso. Traidor,

    Moro é criminoso. Traidor, lesa-patria, entreguista e colaboracionista (com interesses internacionais), viola à saciedade – diuturnamente e já às escâncaras – dispositivos da Lei 7.170 de 14 de dezembro de 1983.

    Não tardará a enfrentar uma representação criminal, uma deníncia criminal, uma reação policial, uma reação institucional.

  6. Armando Coelho Neto começa o ano atacando a ‘besta’.

    Prezados leitores,

    É sempre alentador ler artigos corajosos e contundentes, como têm sido os de Armando Coelho Neto. É preciso que mais e mais pessoas do meio jurídico, acadêmico, intelectuais, cidadãos patriotas e preocupados com o futuro de nosso País e mesmo jornalistas dignos desse nome saiam da zona de confôrto ou da indignação silenciosa e se ponham a escrever e dizer o que é necessário.

    Não podemos ser ceriminiosos ou lenientes com aqueles servidores públicos que se associaram em organizações criminosas e que trabalham contra os interesses do Brasil, servindo aos EUA. A chamada “Lava a Jato” é, na verdade, uma Fraude a Jato, uma ORCRIM institucional. As instituições – todas elas – estão apodrecidadas. A mídia comercial é, também, uma ORCRIM institucional. O chamado ‘sistema de justiça’ – composto pela PF, pelo MP e pelo PJ – foi cooptado e está a serviço do alto comando internacional do golpe. As quadrilhas políticas do PSDB e do PMDB têm o aval desse ‘sistema de justiça’ para desmontar, privatizar e entregar aos colonizadores o patrimônio e riquezas e projetos estratégicos a duras penas descobertos, iniciados e organizados pelos governos populares de Lula e Dilma.

    Todos os integrantes da Fraude a Jato, a começar pelo sérgio moro, incorrem em diversos crimes. Vou citar um artigo da Leia que define e tipifica o mais grave deles: o de traição à Pátria.

    CRIME DE TRAIÇÃO À PÁTRIA:
    “Art.
    13 da Lei 7.170/83 – Comunicar, entregar ou permitir a comunicação ou a entrega, a governo ou grupo estrangeiro, ou a organização ou grupo de
    existência ilegal, de dados, documentos ou cópias de documentos, planos, códigos, cifras ou assuntos que, no interesse do Estado brasileiro, são
    classificados como sigilosos.
    Pena: reclusão, de 3 a 15 anos.”

    Fica fácil entender por que juízes e procuradores chantageaim e ameçam os parlamentares, quando estes colocam em pauta projetos que prevêem a punição para juízes e procuradores que cometam abusos, arbitrariedades e outros crimes no exercício da função. Reparem que TODOS os procuradores e juízes envolvidos na Fraude a Jato incorrem no crime tipificado na Lei 7.170/1983.

    PS: Não vale o falso e oportunista argumento de que essa lei é da época da ditadura. Se ela não foi revogada, então está em vigor. E neste momento ela se mostra muito oportuna.

  7. E que tal investigar o que
    E que tal investigar o que faz Moro e a mulher dele nos EUAs? Acredito que lá está se reunindo às escondidas com o Departamento de Justiça, CIA, FBI para prestar contas, receber ordens. Quando Moro voltar terá uma cartilha à cumprir no golpe, na destruição de empresas nacionais para facilitar a entrega das riquezas e recursos estratégicos, o pré sal, dinamitar os programas nacionais de defesa tocados pelas empreiteiras, eliminar a esquerda, Lula e todo aquele que se do nacionalista possa impedir os interesses das nações estrangeiras de roubar nosso país, tomar nosso mercado, nossa economia de assalto e lucrar ainda mais às custas do povo. O Brasil por co tá desses traidores da pátria está condenado a ser subdesenvolvido uma colônia sugada, pilhada e explorada e nos o povo condenados a sermos os escravos. Cadeia é pouco, a solução é pena de morte para essa mídia antinacional, esses agentes do judiciário golpista, corrupto, cooptado, antinacional, criminoso! Esses juizes, procuradores, delegados que foram estudar fora do Brasil não tenham dúvidas foram treinados cooptados pelo departamento de justiça Americano para serem agente infiltrados em nosso país, contra os interesses nacionais do Brasil! Pena de morte nesses traidores!

  8. Moro sera o próximo presidente
    Se por dois milagres Lula não for tornado inelegível e houverem eleixoes em 2018, a bala de prata será Moro candidato a presidente e com reais chances poia é o único coxinha sem rejeição do lado de lá

    E como a Globo criou o caçador de Marajás, forçara o justiceiro contra Lula.

  9. COMENTÁRIOS AGORA SOMEM?

    Sumiu meu comentário, a verdade liberta……Falemos de culinária – Um produto para fazer um arroz diferente é o pequi, fruto muito comum em Goiás e no Norte de Minas Gerais e no nosso Nordeste em alguns lugares, agora que já conhecem o pequi, no proximo comentário falaremos da receita de como fazer.

  10. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome