Weintraub e Damares e os ataques sob o manto da Escola Sem Partido, por Luis Felipe Miguel

A luta dos obscurantistas do Escola Sem Partido não é pelo respeito às convicções de "alunos e pais", mas para que os pais imponham sua visão de mundo aos filhos

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Weintraub e Damares e os ataques sob o manto da Escola Sem Partido

por Luis Felipe Miguel

Weintraub e Damares são tão absurdos que, diante deles, até a Folha consegue acertar. Publicou hoje editorial intitulado “Macarthismo escolar”, condenando a iniciativa de criar um disque-denúncia para que pais reclamem de escolas e professores.

Como punição, as instituições denunciadas teriam cortado o repasse de verbas do MEC. O objetivo é claro: fazer com que secretários de educação e diretores escolares incorporem o papel de censores, para evitar o risco de retaliação.

É uma tentativa de impor o Escola Sem Partido sem sequer passar pelo Congresso e burlando o Judiciário, que suspendeu, por inconstitucional, a vigência de legislação do tipo aprovada em âmbito local.

Em certo ponto, o editorial diz: “Sim, alunos e pais têm direito a ver respeitadas suas convicções religiosas em sala de aula. O princípio não lhes dá autoridade, contudo, para exigir que o professor ensine explicações criacionistas sobre a origem da vida e da espécie humana em pé de igualdade com a teoria da evolução por seleção natural, consagrada pela ciência”.

É complicado fundir “alunos e pais”. A escola serve também como instrumento de possível libertação dos filhos em relação à família, dando a eles contato com outras visões de mundo e permitindo que se transformem em pessoas autônomas. A luta dos obscurantistas do Escola Sem Partido não é pelo respeito às convicções de “alunos e pais”, mas para que os pais imponham sua visão de mundo aos filhos sem qualquer possibilidade de escrutínio crítico e de pensamento independente.

Leia também:  Governo Bolsonaro aposta em Damares para se aproximar dos católicos

E o exemplo da seleção natural é óbvio, mas é preciso falar também, com clareza, do materialismo histórico e dos estudos de gênero, que fazem parte do conhecimento científico acumulado pela humanidade e que, portanto, devem ter lugar garantido na formação escolar.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. De novo, já me sentindo repetitivo: Apenas mais dois representantes da incompetência deste desgoverno. Meros idiotas cuja função é espalhar fumaça visando turvar a visão do povo para a infâmia que se espalha pelo pais. A “cagada” que estes dois fazem poderá ser limpa com relativa facilidade à partir de uma mudança de governo.
    Precisamos gastar energia para conscientizar o Congresso e o STF sobre a necessidade de bloquear os lixos e ignomínias embutidos nas PECs e PLs repetitiva e exaustivamente descarregadas por este desgoverno e que só visam fortalecer seu processo de terror e caos qie sustentam toda esta barbárie.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome