Turquia derruba avião militar russo na região de fronteira com a Síria

Jornal GGN – O governo da Turquia afirmou que derrubou um avião militar da Rússia, que teria invadido o seu espaço aéreo na região de fronteira com a Síria. Já o Ministério da Defesa da Rússia nega que o SU-24 tenha entrado no espaço turco. Segundo o Exército da Turquia, o avião foi alertado dez vezes sobre o violação do espaço aéreo antes de ser abatido.

Vladimir Putin, presidente da Rússia, disse que o ato foi “uma punhalada nas costas feita por cúmplices de terroristas”. A pedido da Turquia, a OTAN vai realizar uma reunião de emergência para discutir o caso.

Forças russas atuam na Síria desde o final de setembro, aliadas ao ditador Bashar al-Assad para combater o Estado Islâmico. O  governo turco é contrário a Assad e vinha alertando a Rússia para não invadir seu espaço aéreo.

Da Folha

 
O governo da Turquia informou ter derrubado nesta terça-feira (24) um avião militar russo que teria invadido seu espaço aéreo na região de fronteira com a Síria.

Em nota, o Ministério da Defesa da Rússia negou a versão de que o SU-24, que voava a 6.000 metros de altitude, tenha entrado na área turca. “Durante todo o tempo de voo, o avião estava voando somente dentro das fronteiras do território sírio”, declarou.

O Exército da Turquia afirmou ter alertado o avião dez vezes em um período de cinco minutos sobre a violação do espaço aéreo antes de seus caças F-16 o abaterem.

A pedido da Turquia, a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) realizará uma reunião de emergência nesta terça-feira para debater o incidente.

Após o incidente, o governo da Tuquia convocou o embaixador russo em Ancara para esclarecimentos sobre as atividades militares da Rússia próximas à fronteira turco-síria.

De acordo com a emissora CNN-Turk, as autoridades turcas divulgaram a rota do avião russo, mostrando que ele teria violado rapidamente o espaço aéreo no sul do país antes de ser abatido.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que a decisão da Turquia de derrubar o avião é “uma punhalada nas costas feita por cúmplices de terroristas”.

Durante encontro com o rei jordaniano, Abdullah 2º, na cidade de Sochi, Putin disse que o SU-24 foi abatido por um míssil disparado pela aviação turca na Síria, a cerca de 1 quilômetro da fronteira com a Turquia.

Mais cedo, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, havia dito: “É um evento muito sério. Mas sem todas as informações é impossível dizer algo, não seria correto.”

O primeiro-ministro da Turquia, Ahmet Davutoglu, defendeu a decisão de abater o jato russo.

“Queremos que a comunidade internacional saiba que nós estamos preparados para qualquer tipo de sacrifício [para garantir] a segurança e a vida de nossos cidadãos e o controle de nossas fronteiras”, declarou o premiê. “A derrubada de um jato que violou o espaço aéreo turco hoje deve também ser vista nesse contexto.”

PILOTOS

Dados preliminares de Moscou apontam que os dois pilotos do caça conseguirem se ejetar antes da queda. Segundo a agência de notícias turca Dogan, helicópteros russos buscam os pilotos próximo ao local da queda.

Meios de comunicação relataram que ambos estariam em poder de rebeldes sírios, informação não confirmada oficialmente ainda.

Um grupo de rebeldes que atua no noroeste da Síria enviou à agência de notícias Reuters um vídeo que supostamente mostra um dos pilotos russos caído no chão e muito ferido. Segundo um líder do grupo, o piloto estaria morto.

À agência Associated Press, rebeldes disseram que os pilotos russos tentaram pousar de paraquedas em áreas controladas pelo regime sírio após terem se ejetado, mas foram alvejados pelos insurgentes. Um dos tripulantes teria morrido. Não se sabe a condição do segundo piloto.

Putin aceitou as condolências do rei jordaniano pela morte de um dos pilotos, dando a entender que confirma sua captura e morte pelos rebeldes sírios.

CONSEQUÊNCIAS

O episódio pode agravar ainda mais a crise na região. Forças russas atuam desde 30 de setembro na Síria em aliança com o ditador Bashar al-Assad para combater a facção extremista Estado Islâmico. Uma coalizão internacional, formada por França e Estados Unidos, também tem realizado ataques contra o EI, mas, ao contrário de Moscou, faz oposição ao governo de Assad.

O governo turco se opõe a Assad e vinha alertando a Rússia para não invadir seu espaço aéreo. Em outubro, a Otan, aliança militar ocidental da qual a Turquia faz parte, chegou a alertar que estava preparada para defender o território turco da ameaça provocada pela intervenção russa na Síria.

A derrubada do avião russo ocorre ainda em meio a uma nova parceria entre França e Rússia para agir na Síria após os atentados de 13 de novembro em Paris. O presidente francês, François Hollande, vai a Washington negociar com o presidente Barack Obama uma aproximação militar dos russos, assim como pretende ir a Moscou discutir o assunto com o presidente Vladimir Putin.

Nesta quinta (26), o primeiro-ministro britânico, David Cameron, apresenta ao Parlamento proposta para se juntar à coalizão de ataques ao EI na Síria.

Colaborou LEANDRO COLON, de Londres

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

24 comentários

  1. Tem mais….
    O helicóptero de resgate foi atingido por um míssil assim que pousou para resgatar o piloto.

    Esta tudo acontecendo como O PLANEJADO.
    Acredite quem quiser, esta começando.

    Tem mais…

    Após a execução de quatro cidadãos chineses, o Governo de Pequim está pressionado a agir. O Presidente Xi Jinping já prometeu que vai “arrasar” o Estado Islâmico.”

    A china está chegando no Oriente médio após 1500 anos de ausência.

    Século XXI!

  2. O helicóptero de resgate do

    O helicóptero de resgate do avião abatido pelo caça turco foi destruído enquanto estava no solo e usando um míssil antitanque de fabricação estadunidense, do mesmo tipo que foi entregue à “oposição moderada” da Síria pelos mesmos EUA. Nem mesmo os tolos acreditam mais nos discursos hipócritas do governo dos EUA.

  3. Um ato de guerra, como disse

    Um ato de guerra, como disse a Rússia que afirmou ainda que seu jato estava em território sírio e não turco. A Turquia é membro da OTAN e esta quer uma guerra contra a Rússia que justifique sua existência para além da Guerra Fria que findou nos anos 1990. O circo da desgraça global foi armado?

    Há uma outra interpretação plausível. Um SU-24 é um preço que a Rússia pode pagar para recolher informações sobre os radares e armamentos dos caças norte-americanos fornecidos à Turquia. Neste caso o circo está apenas se armando. Não se trata de guerra, mas de disputa de poder (o velho jogo dissimulado da guerra fria que todos já conhecemos).

    Pelo sim ou pelo não e apenas para fazer os inimigos mortais rirem mandei um Twitter provocativo para Putin e para a OTAN:

     

    Care @PutinRF_Eng @NATO 

    In 1984 book there was political control of military actions. We face the military control of political action now.

     

  4. Provas?

    Os pilotos conseguiram ejetar-se e foram mortos por rebeldes sírios – a quem possivelmente estavam atacando.  Se eles cairam em território sírio, que país estavam sobrevoando? A Turquia faz parte do grupo de nações que sustenta, militar e financeiramente, os rebeldes contrários a Assad.  E a Russia é o principal apoio do governante sírio, tanto que bombardeia simultaneamente o ISIS e os rebeldes. Ao que parece, a derrubada do avião é um recado para que não haja mais ataques aos “nossos” aliados.

  5. Czar X sultão

    A intervenção russa na Síria, lembrando que foi a pedido do legítimo governo do país, foi um revés para as pretensões neo-otomanas do Erdogan. O plano turco, em grande parte o mesmo das monarquias do golfo, é a instauração de um regime baseado na maioria sunita e alinhando com os interesses dos seus financiadores. Aceita-se tudo, incluíndo a Sharia como código legal.

    O abate do avião russo, independente de ter ou não violado o espaço aéreo turco, foi um ato de provocação, tendo em vista que jamais os seus armamentos seriam utilizados contra o território da Turquia ou suas forças armadas. Sabemos que a contenção da dita ameaça russa é a pedra de toque dos neocons americanos, acredito que o ataque tenha sido planejado em conjunto.

    O interesse de Ancara na queda do regime baathista é pública e notória. Ao mesmo tempo que afasta o Irã da orla do mediterrâneo, possibilita a criação de uma zona tampão na fronteira sul. Isolando os nacionalistas curdos internos dos externos. 

    Não podemos esquecer também que a vitória nas últimas eleições parlamentares, do partido islâmico que Erdogan lidera, não conseguiu a maioria absoluta necessária para modificar a constituição ao seu bel-prazer. Todos sabemos que um espantalho externo pode ser utilizado para medidas internas heterodoxas. O governo de justiça e desenvolvimento já deixou claro que esmagar os adversários não é empecilho algum quando se colocam no seu caminho.

    A convocação turca de uma reunião de emergência da Otan, para analisar a derrubada do avião russo, é a busca de autorização para continuar a agir da mesma maneira. Claramente contará com o apoio americano e da maioria dos pets europeus. Tudo com o objetivo de abortar a aparente boa vontade internacional demonstrada semana passada para o início de um processo político para a solução do conflito sírio. 

    A Rússia vai rosnar alto e tentar conseguir apoio “moral” de outros países, a sua situação no Oriente Médio é frágil. Não existe a possibilidade de uma retaliação militar, a não ser que o Putin aceite o risco de uma guerra total. Coisa que não acredito.

    Um engajamento público maior do Irã em defesa de um projeto comum e talvez a tão sonhada, pelos russos, presença militar chinesa na região agora fica mais próxima. Para os aiatolãs um Turquia ainda mais forte não interessa, o mesmo para os chineses, haja vista que os terrorista islâmicos de Xinjiang são apoiados por Recep Tayyip Erdogan, logística e financeiramente.

     

    • Boa análise Rebolla. Espero

      Boa análise Rebolla. Espero sinceramente que um ato irracional de algum dos lados não ponha em risco a civilização humana. Aposto que a Rússia irá “morder” a Turquia de um modo que não caracterize ataque ao território turco. Por ex: o afundamento de um sub turco espião em aguas sírias…Com certeza novos bombardeios na fronteira sírio-turca serão escoltados por Su-30, e, neste caso os F-16 turcos estarão em desvantagem. Se os turcos ousarem penetrar, novamente, em território sírio vão levar chumbo e não terão o que reclamar…

      O certo é que a destruição de 500 caminhões tanque do EI carregados de petróleo roubado dos sírios, por parte dos russos, foi um pé na jugular do EI que desagradou a muita gente no ocidente. Fazendo as contas: cerca de 100 barris (~40 ton) X 500= 50.000 barris a uns US$ 20,00 o barril = US$ 1.000.000,00 por viagem do comboio. Agora os financiadores da “farra” do EI terão que repor a frota (por qual rota?). Para a Turquia (compradora) é também um bela perda de lucro… 

  6.  
    O paspalho François

     

    O paspalho François Hollande vai rezar ao pé do Caboclo Mandachuva. Como faziam o Poodle inglês Tony Blair e o vira-lata FHC. O cabra vai a Washington pedir autorização ao presidente Barack Obama, para encetar aproximação militar com os russos. Deverá aproveitar a viagem para pedir também ao Barack, sua concordância, liberando-o para ir a Moscou discutir o assunto com o presidente Vladimir Putin.

    Orlando

  7. Tudo está sendo armado para a

    Tudo está sendo armado para a 3ª Guerra Mundial.

    A intenção é clara: reduzir poderio militar econômico de China e Russia numa tacada só, arrastando ambos para um atoleiro no Oriente Médio.

  8. Pode ser propaganda

    Pode ser propaganda de guerra, mas um dos chefes dos rebeldes turcomanos na Síria disse ao The Guardian que atiraram nos pilotos russos, enquanto caíam de paraquedas. Se for verdade, o cara é muito burro: confessou que cometeram crime de guerra. Ainda mostrou um pedaço do paraquedas e disse que o corpo seria trazido. Veremos.

    http://www.theguardian.com/world/video/2015/nov/24/turkmen-rebels-say-they-shot-at-russian-pilots-ejected-from-downed-jet-video

    • Infelizmente

         Não é considerado um “crime de guerra “, pois milicias não são adidas as convenções internacionais, o que eles fizeram ao abater os que ejetaram, foi uma burrice extrema, uma vez que para qualquer grupo, milicia, até mesmo forças regulares, o mais importante não é matar os tripulantes, algo inutil tanto taticamente como estratégicamente, a doutrina atual é assim:

          1. Aspecto tático : “Marcar” o local da queda, a principio não captura-los, apenas vigia-los ( raramente algum tripulante fica “inteiro ” após uma ejeção ), cercar a area, pois logo após o abate ser confirmado, será lançada uma operação de C-SAR ( Combate – SAR ), de resgate, portanto se aguarda a chegada desta missão – na doutrina russa: 2 helicopteros artilhados tipo MI-24P + 1 MI-8/17/171 tambem artilhado, que descerá no terreno, com uma equipe de no minimo 4   – para que se tenha mais alvos.

          2. Aspecto estratégico/politico : Captura imediata dos tripulantes, preferencialmente vivos, e procurar com a exposição deles, auferir ganhos politicos, até financeiros ( resgate ), troca deles por equipamentos tb. é uma possibilidade, transforma-los em “escudos” é outra – mata-los, é burrice, significa em dinheiro, “chutando baixo” US$ 20 Milhões em resgate.

  9. Não será difícil saber quem

    Não será difícil saber quem está com a verdade  – embora esta seja sempre uma grande vítima das guerras como diz o ditado. Mas ao que tudo indica o avião russo estava mesmo sobre a Síria. Outro vídeo mostra o abate do avião e um dos pilotos ejetado caindo de paraquedas enquanto os milicianos turcomanos gritam que “Deus é grande”… Isto se vê e se ouve neste vídeo dos rebeldes, divulgado rapidinho pela Russia Today.

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=UVbnUOhVQZI%5D

    • Incríveis esses nossos

      Incríveis esses nossos tempos. Sempre se cometeram crimes de guerra, mas hoje eles são cometidos e divulgados rapidinho, com provas e tudo, pelos próprios criminosos. A Rússia não vai deixar barato.

    • E olha que esses são os

      E olha que esses são os “moderados”.

      Pra quem não sabe, a covarde e desumana prática de atirar contra paraquedistas é considerada crime de guerra pela Convenção de Genebra.

      • Mais de uma vez

        Demonstram que são covardes e o turcomano maior é louco ou está agindo por Washington. Será que ele teria mandado abater um avião russo sem que os EUA soubessem? Um membro da OTAN agindo por conta própria? DUVIDO.

  10. A paz de Putin

    Disso tudo, me vem apenas a sensação de que só não estamos numa terceira guerra mundial graças ao bom senso de Vladimir Putin. Somente os fortes sabem quando não se deve agir e quando se deve.

  11. O DITADO
    NÃO esqueçamos do velho ditado:

    A primeira vitima de uma guerra é a verdade!!!!

    Está acontecedo de novo.
    Não acredito em nenhum deles.
    Nem russos, nem turcos, nem sirios, nem americanos, nem franceses, nem rebeldes, nem contra rebeldes, nem iris, nem califas, nem mulas, nem pastores, nem padres.

    ufa, faltou alguém?

  12. Rápidas considerações

    Veja o mapa e pensem como o apóio russo é bem vindo!

    As posições em cinza são do Califado.

    Quanto ao SU24.

    É possível que tenha “encurtado” o caminho sobre território turco. Mas o tempo de sobrevôo de território turco é calculado em menos de 20 segundos! Dez avisos antes do dispari de abate? Em que freqüencia?

     

    Como o Junior 50 já comentou: missão CSAR segue-se ao incidente.

    A missão CSAR russa foi prontamente acionada e um dos helicóptros russos foi destruido com a perda de 01 tripulante.

    As perdas infringidas ao EI (e a seus financiadores) pelos russos. em curto espaço de tempo é considerável.

    Pergunta-se : o que os F16 turcos estavam defendendo? Os curdos são um adversário resilentes….

    Moscou não vai minimizar suas ações após o acontecido. O Ocidente tem um problema enorme. o Califado não será derrotado em meses. O Afeganistão parece não ter chegado às academias militares.

     

  13. Putin é um gênio.
    Sua

    Putin é um gênio.

    Sua investida no Oriente Médio é digna de um mestre em xadrez. Explicarei.

    A Europa depende do gás russo, cujos gasodutos atravessam a Ucrânia, para energia e calefação. Em 2010, foi anunciado publicamente o projeto do gasoduto Nabucco, que levaria gás do Catar à Turquia (http://www.thenational.ae/business/energy/turkey-touts-proposed-gas-pipeline-from-qatar). Isso iria livrar a europa de sua dependência dos russos.

    Aí veio a “primavera árabe”. E os “rebeldes sírios” (o gasoduto precisaria passar pela Síria – Assad era contra). E depois o golpe de Estado na Ucrânia.

    Putin foi comprando tempo, sendo extremamente diplomático até mesmo com os nazistas que tomaram a Ucrânia. E anunciou publicamente um acordo de gasoduto russo atravessando a Turquia, e foi recebido com honras em Ancara. Erdogan não sabia o que o esperava.

    Então os russos terminaram de encilhar o cavalo e cavalgaram depressa rumo à Síria. Um avião com turistas russos é destruído por terroristas. Notas surgem aqui e ali citando o envolvimento de oficiais do Catar no atentado.

    Agora os turcos destroem um caça russo depois que os russos bombardearam sem dó um comboio de caminhões com petróleo vendido pelo Estado Islâmico diretamente ao filho do presidente da Turquia. Aí Putin sai de seu discurso diplomático habitual (calculadamente, é claro) e diz sobre Erdogan, o homem que o recebeu com pompa há poucos meses atrás: “avisamos inúmeras vezes os americanos que se eles quisessem evitar uma guerra que ninguém quer que eles teriam que colocar uma coleira em seu cão raivoso” (http://www.awdnews.com/top-news/president-putin-by-shooting-down-our-fighter-jet-turkey-practically-declared-war-on-russia,-turkish-dictator-erdo%C4%9Fan-is-an-accomplice-in-isis-crimes).

    Ou seja, já foi tudo rigorosamente calculado e planejado pelos russos, e apenas eles sabem qual é seu objetivo real. Será apenas sabotar o gasoduto Nabucco, ou redesenhar o equilíbrio de forças no Oriente Médio? Por hora, os americanos lavaram as mãos e entregaram a Turquia à própria sorte.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome