Início Autores Posts por Walnice Nogueira Galvão

Walnice Nogueira Galvão

153 Posts 0 comentários

Ismael Ivo, por Walnice Nogueira Galvão

TV Cultura produziu Ismael Vivo, documentário que transmite a munificência da presença física: um homem corpulento, pretíssimo, com olhos e boca e mãos desmesurados, num corpo de suma flexibilidade e graça.

Pilhagem e repatriação (2), por Walnice Nogueira Galvão

É desse amplo processo, considerado o maior deslocamento de obras de arte da História, que trata o filme A dama dourada, com Helen Mirren.

Pilhagem e repatriação (1), por Walnice Nogueira Galvão

Essa é uma longa história, de injustiças sem par, de holocaustos e de genocídios.

Congresso em Praga, por Walnice Nogueira Galvão

Os temas principais foram, naturalmente, aqueles relativos à literatura e à história do Brasil, bem como à sociologia, à economia, à demografia, e muitos outros nesse nível de generalidade. Mas também aqueles ligados à atualidade ou a desvãos menos ventilados desses estudos.

Valle-Inclán e Tirano Banderas, por Walnice Nogueira Galvão

Tirano Banderas é literariamente o mais realizado de todos, porque sua narrativa é inventiva e não propriamente realista

Contos de fadas, por Walnice Nogueira Galvão

Quem vem estudando e revelando essas e outras preciosidades, que pesquisa mundo afora, é Susana Ventura, autora de A Bela e a Fera e outros contos de fadas de Madame Leprince de Beaumont, que acaba de sair.

Candice Renoir, por Walnice Nogueira Galvão

A terceira é a série francesa Candice Renoir, que dá um gigantesco passo avante, sobretudo no humor, mas que, infletindo a tendência, carrega na feminilidade.

Fernando Pessoa e Antonio Conselheiro, por Walnice Nogueira Galvão

De um lado, um poeta português de alto bordo. De outro, um sertanejo perdido nas entranhas do país.

O Batalhão Sagrado de Tebas, por Walnice Nogueira Galvão

Diz ele que esse grupo de elite enfrentou as forças macedônias muito superiores em número, não arredou pé e foi dizimado até o último homem. Seu contingente era de 300 guerreiros.

Samba da Boa Vizinhança, por Walnice Nogueira Galvão

Um papagaio verde-e-amarelo, Zé Carioca é a encarnação do malandro: odeia trabalhar, tira samba no pé, bebe cachaça, fala sem parar, conta patranhas para se promover. Esse é o brasileiro que os americanos inventaram em seus esforços por uma Boa Vizinhança...

Comentário sobre o Oscar (2), por Walnice Nogueira Galvão

Entre os candidatos a melhor filme, Os 7 de Chicago, em que se destaca Sacha Baron Cohen (o Borat) num papel sério e não debochado como de hábito, resgata uma dívida de meio século.

Comentário sobre o Oscar (1), por Walnice Nogueira Galvão

Em 2021, e com enfática aprovação de todo o mundo, destaca-se o comprometimento sem restrições do Oscar com a diversidade.

A coleção de Alípio Freire, por Walnice Nogueira Galvão

Na linha da resistência, tem cunho único no país a coleção que ele veio constituindo desde seus 5 anos no presídio Tiradentes. Os presos políticos ocupavam-se com atividades manuais: um desenhava, o outro recortava, ainda outro escrevia, mais um tecia, outro mais pintava.

Samba paulista, por Walnice Nogueira Galvão

O “samba paulista” é representado com muita honra por Adoniran Barbosa (v. Jornal GGN, 11.7.2018), Germano Mathias e mais o doutor e cientista Paulo Vanzolini, ilustre herpetólogo, que constituem sua linha de frente.

Estórias de cobra, por Walnice Nogueira Galvão

Mas há tempos não ouvíamos a estória de uma cobra chegar tão perto. E há debate a respeito de sua identidade: uns dizem que era uma jararacuçu, outros que era uma limpa-campo.

A propósito de Leon Hirszman, por Walnice Nogueira Galvão

Nos filmes que realizou, 5 longas e 11 curtas, dá para ver que estava sempre em busca de algo – o que o título do livro já implica.

Carmina Burana em Pequim, por Walnice Nogueira Galvão

Os poemas de base da cantata constam do códice manuscrito descoberto em 1803 no mosteiro beneditino de Buren, ou Beuern, na Baviera/Alemanha (donde Carmina Burana, ou, em latim, “versos de Beuern”), preservado na Biblioteca de Munique.

Fernanda, a grande, por Walnice Nogueira Galvão

Ultimamente, à guisa de balanço de uma vida, a atriz nos brindou com dois trabalhos de fôlego. Um deles é Fernanda Montenegro – Itinerário fotobiográfico , uma beleza de edição e de pesquisa, publicado pelo Sesc.

SAMBAS E AFINS – para ouvir na quarentena (III), por Walnice Nogueira Galvão 

No tempo de Noel, os malandros eram figuras habituais, entre os quais ele contava amigos; e muitos deles, como ele mesmo, eram sambistas.

Aretha Franklin – Amazing Grace, por Walnice Nogueira Galvão

É obra do cineasta Sidney Pollack, já falecido, laureado diretor de filmes grandiosos na tradição hollywoodiana.