Gustavo Gitti, um cara que eu acho que você precisa ler, por Matê da Luz

por Matê da Luz

Fiz uma seleção forçada no conteúdo que venho absorvendo ao longo do ano e, choque positivo!, minha vida melhorou e não foi pouco não. Isso porque tenho uma cabeça que funciona à pleno vapor e me envolvo com os temas, sim, eu sei, selecionar o que absorvo é também meta pro ano que chega. 

Enquanto isso de não ser tão esponja não acontece, resolvi peneirar o conteúdo com que tenho relação rotineira e estou/sempre fui encantada com o Gustavo Gitti. 

Gitti é um cara que escreve em alguns veículos, entre eles a Vida Simples, minha revista favorita, e transita pelo O Lugar, uma rede de transformação pessoal muito bacana que eu acho que todo mundo deveria acessar pelo menosu ma vez na vida. Além disso, pode seguir no Facebook como favorito, daqueles que a rede avisa quando publica alguma coisa – porque ele escreve sobre transformação de um jeito muito próprio, muito próspero. 

Este ano, que foi um daqueles difíceis coletiva e individualmente, assimilei muita coisa que o Gitti compartilhou. Especialmente o conteúdo sobre compaixão e empatia. Um deles traz este parágrafo, que anotei e releio antes de dormir, diariamente: 

Portanto, não é uma questão de definição teórica, mas de processos que podemos praticar. Empatia é a capacidade de entrar no mundo dos outros (via imaginação cognitiva ou ressonância afetiva). Amor é o desejo de que todos os seres sejam felizes e encontrem as causas da felicidade — inseparável do altruísmo, a motivação de valorizar e beneficiar os outros. E compaixão é o desejo de que todos os seres não sofram e superem as causas do sofrimento — como diz Matthieu, quando o amor altruísta encontra o sofrimento do outro por meio da empatia, ele se torna compaixão.

O post completo está aqui – e, de novo, vale a leitura. 

Esta é a minha indicação pra leitura de pessoas em 2017. E você? Tem alguém que deseja compartilhar com a gente? Que bacana pode ser a gente se ler em outras palavras, não é mesmo? Escreve aí nos comentários, prometo ir atrás! 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

8 comentários

  1. Basta bater o olho no “teste”

    Basta bater o olho no “teste” bolado pelo pesquisador pra ver que ele esta errado!  (sem tempo agora, volto mais tarde se der)

    Feliz Natal, Mate!

  2. Extremely wrong headed

    Uuuuuhhhhh…  Tenho varios problemas tecnicos com a sustentacao teorica do item.  Empatia NAO eh capacidade de “entrar no mundo dos outros” e “sentir empatia” por uma hora e meia so imaginando o sofrimento dos outros nao chega perto de ser empatia.  Empatia eh exatamente o contrario, eh a capacidade de se abrir permanentemente para que o mundo dos outros te entre -eh natural, eh inevitavel.  Nao existe “empatia ativa”, ponto final -a empatia ativa eh a de quem te “recebe em casa”, vamos dizer.  Ela eh 100 por cento passiva pois nao se faz mindset acquisition por tentar, mas sim por nao tentar.

  3. Alem disso, empatia eh uma

    Alem disso, empatia eh uma linguagem completa -que ja foi secreta por milhares de anos e por isso mesmo nunca foi desenvolvida o suficiente- e que eu ja expliquei varias vezes na internet.  Voce tem que lembrar daquilo por 10 anos, 20 anos, ate a coisa te acertar a mente, entao voce entende tudo de uma vez so.

    Se houver interesse geral (nenhum meu nessas circunstancias, alias) eu escrevo aquilo tudo tudo tudo de novo pro publico em sua maior parte leigo do blog mas nao sei se vale a pena “voluntariar”, o assunto eh super, hiper tecnico e ja era ate mesmo pros espiritas quando eu toquei fogo no “segredo milenar” em publico.  E vou continuar tocando, alias, nao tenho a menor intencao de parar.  Sou empata desde os 15 anos que seja.

  4. Nao sei o que os new agers

    Nao sei o que os new agers dos EUA acham que estao fazendo quando escrevem sentencas similares a essa, do texto:

    “Portanto, não é uma questão de definição teórica, mas de processos que podemos praticar”

    Mas eh uma coisa tao esquizita e autista que me da engulhos!  EH DEFINICAO TEORICA SIM!  TECNICA.

  5. Empatia nao se “pratica”,

    Empatia nao se “pratica”, empatia EH.  Voce EH empata -e consciente disso- ou EH empata -e nao eh consciente disso.  A alternativa “voce nao eh empata” te colocaria literalmente abaixo de cachorros e gatos e mamiferos em geral -um simulacro de humanidade, como o governo dos EUA ja descobriu- e simplesmente nao eh concebivel.  Isso eh, voce tem construidas na sua arquitetura mais linguas do que sabe.

    Eu entenderia perfeitamente se Fulano de Tal fosse autista e precisasse de pratica pra ser Fulano de Tal -pois isso eh o que o autismo eh.  (ADORARIA ver algum outro governo autista que precisasse de pratica pra ser governo, alem do “governo” do Brasil.)

    Mas com empatia…  nao da!  Definicoes tecnicas primeiro.

    Empatia nao se “pratica”, empatia EH.  Voce EH empata -e consciente disso- ou EH empata -e nao eh consciente disso.  A alternativa “voce nao eh empata” te colocaria literalmente abaixo de cachorros e gatos e mamiferos em geral -um simulacro de humanidade, como o governo dos EUA ja descobriu- e simplesmente nao eh concebivel.  Isso eh, voce tem construidas na sua arquitetura mais linguas do que sabe.

    Eu entenderia perfeitamente se Fulano de Tal fosse autista e precisasse de pratica pra ser Fulano de Tal -pois isso eh o que o autismo eh.  (ADORARIA ver algum outro governo autista que precisasse de pratica pra ser governo, alem do “governo” do Brasil.)

    Mas com empatia…  nao da!  Definicoes tecnicas primeiro.

  6. O segundo video eh muito bom

    O segundo video eh muito bom so que eh muito curto, a ideia me parece otima.  Eu nao faco meditacao e me seria inutil:  eu sou contemplativo desde crianca, nao sou muito adepto de pensar especialmente porque ideias inteiras ja me aparecem na cabeca espontaneamente.

    Mas eu voltei so pra dizer que mesmo que eu quizesse escrever um comentario tecniquissimo eu nao conseguiria postar, Mate.  Sinto muito.

  7. Por sinal…  em 15 anos

    Por sinal…  em 15 anos ninguem apontou pra mim um unico erro em minhas ideias empaticas.  De fato, seria impossivel.  Posso ate ter erros de comunicacao como acabou de acontecer, mas teoricos…  nao.  Ja tenho teoria de mente.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome