Revista GGN

Assine

Samarco, o sustentável insustentável

Por Caetano Scannavino

Depois do lamaçal em Minas, é preciso rever seriamente os padrões da responsabilidade social corporativa.

Como bem lembra Alvaro Almeida em artigo na IstoÉ Dinheiro: "Assim como a BP, que provocou o maior desastre ambiental dos EUA em 2010, a Samarco tinha inúmeros estudos e metodologias para a gestão de riscos de suas operações e forte reputação de excelência socioambiental.

Enfileirou prêmios, foi a primeira mineradora do mundo com certificação ISO 14001 (de gestão ambiental) para todas as etapas de produção. Em levantamento do renomado Reputation Institute, em 2014, alcançou o índice de 74,9 pontos numa escala de 0 a 100, o que a colocava no nível de benchmark para o setor de mineração."

Com tudo que se reconheceu antes e com tudo que aconteceu depois, como fica a credibilidade de quem credita? A reputação dos institutos de reputação?

A impressão é que basta parecer honesto, sem suficientemente ser. A constatação é de que tanto os mecanismos de certificação como os de controle não são garantias para um setor que exige tolerância zero.

Admitir que os padrões são insuficientes é o mesmo que admitir a insustentabilidade do até então sustentável. Ou a irresponsabilidade do até então responsável.

Média: 5 (4 votos)
14 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".
imagem de JMauricio
JMauricio

Capitalismo, cinismo, abuso

Capitalismo, cinismo, abuso de poder, traição à humanidade, matança de inocentes, reino da safadeza e da cara de pau, destruição da natureza. Essa merda finalmente chegou ao fim. Caiu de podre. Contrôle social neles, para minimizar suas letais consequências. Mercado é o cacête.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de agincourt
agincourt

ecológicas

Contanto carneirinho pra chamar o sono e fazer boi dormir tranquilo: ISO 14001, ISO 14OO, ISO 1399,..., ISO OOO1.

...

E, de novo, tome Guy Debord: “O que há de novo é que a economia tenha chegado à guerra aberta contra a humanidade; não apenas as possibilidades de vida do homem, mas também contra as de sua sobrevivência.”

...

Olha só aí embaixo a pérola que Daniel Verilhe, representante da Elf-Aquitaine, soltou durante discussões sobre a proibição da produção mundial de clorofluorcarbono.

“É muito perigoso basear uma estratégia industrial em imperativos ambientais.”[Citado por Guy Debord em A SOCIEDADE DO ESPETÁCULO.]

Isso foi lá em 1986.

Da declaração de Verilhe pra cá, os executivos, preocupados com a imagem das empresas, se expressam em termos mais eufemísticos, ou mesmo francamente “ecológicos”.

Agora todo mundo corre atrás de um certificadozinho ISO não sei das quantas pra atestar a responsabilidade social das empresas – seja lá que diabo seja esse troço.

(Às vezes, sacana que só ele, o puríssimo espírito do capitalismo dá uma escapada, baixa o caboclo Verilhe no vivente e sai uma dessas: “O meio-ambiente é, sem dúvida nenhuma, uma ameaça ao desenvolvimento sustentável. E isso significa que é uma ameaça pro futuro do nosso planeta e dos nossos países [Dilma em Copenhague.].”

...

“Com tudo que se reconheceu antes e com tudo que aconteceu depois, como fica a credibilidade de quem credita?”

Nonada.

Não obstante seu papel na crise iniciada em 2008, as agências de risco continuam aí firmes, fortes e falando grosso.

...

Curiosidade minha: Independentemente de para quais candidatos, com quanto será que a Vale do Rio Doce chegou junto com a grana nas últimas eleições?

Seu voto: Nenhum
imagem de Serjão
Serjão

Nós temos a lama, e eles têm

Nós temos a lama, e eles têm o ouro.

Ou como diz aqui Jomo Kenyatta.

Seu voto: Nenhum (1 voto)

ISO

Essas normas ISO qualquer coisa são uma piada. São normas administrativas. A mesma norma ISO 14000 serve para uma mineradora, uma fábrica de garrafas e uma fábrica de papel. Não tem nada a ver com o processo produtivo. É só papelada pra ganhar prêmio de sustentabilidade.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Ernesto

imagem de sebastião augusto ferreira
sebastião augusto ferreira

Samarco

O único terremoto possível em Minas chama-se Aécio.

 

 

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

O Mercado

COMUNICADO

A mineração HIERRO ltda. deixou cair inadvertidamente milhões de toneladas de minério de ferro de baixo teor, da sua propriedade, no leito dos córregos e rios que chegam até o oceano Atlântico. Advertimos que trata-se de propriedade privada, que não pode se usufruída por terceiros, sob acusação de furto e aplicação de pena de acordo com as Leis em vigor. Em compensação, como oportunidade, oferecemos recompensa de US$20 dólares por cada tonelada concentrada (> 66%Fe) que possam me trazer de volta. Pagamento á vista.

Grato

Seu voto: Nenhum (2 votos)
imagem de Paulo F.
Paulo F.

KKKK!

Certificação: instrumento de marketing!

Por quanto tempo a sociedade sera iludida por estas prestidigitações?

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Assim funciona o capitalismo!

Já disse aqui, mas não tem problema, eu repito.

Enquanto estiverem no LUCRO, clãs tragédias vão se repetir.
O que garante O LUCRO, é o Judiciário. Não é questão de Lei ou controle, é questão de multas e indenizações.

Assim funciona o capitalismo!
Não existe beleza nem muito menos igualdade. Veja o mundo Como ele é!
A violência financeira é o único remédio!

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Álvaro Noites
Álvaro Noites

Enquanto isso a grande mídia

Enquanto isso a grande mídia esconde de qualquer jeito o envolvimento de um de seus grandes anunciantes, a Vale.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de João de Paivao
João de Paivao

E faz isso porque o acionista

E faz isso porque o acionista controlador não é mais o governo federal, hoje encabeçado pelo PT. O maior acionista PN ainda é a União Federal (cerca de 42% dos papéis), mas as ON - com direito a voto e a veto - estão na mão dos magnatas brasileiros e estrangeiros. Por isso a mídia protege a CVRD de hoje.

Seu voto: Nenhum
imagem de Álvaro Noites
Álvaro Noites

Coisas do Brasil e suas

Coisas do Brasil e suas elites: as aparências mandam mais que o conteúdo, basta parecedr honesto, competente, culto, etc.

Seu voto: Nenhum

Nebulosos horizontes e nuvens

Nebulosos horizontes e nuvens sombrias aguardam os indenizáveis

da tragédia anunciada e entregue pelo descaso irresponsável da

Samarco, na localidade de Mariana, em Minas Gerais.

Agora,  quase meia centena de rábulas salivantes, sob a direção

espertissima do doutor  Sérgio Bermudes, secundado pelo não

menos notório Gilmar Mendes, esperam sequiosos as tratativas

contratuais de honorários e sucumbências para dar início à defesa

da Vale.  Procrastinações e engavetamento de ações por vir.

É de lei.

Seu voto: Nenhum (3 votos)
imagem de Leo V
Leo V

Ter certificado ISO não diz

Ter certificado ISO não diz absolutamente nada. Apenas que a empresa cumpiriu os procedimentos da norma. Mas nada diz que os procedimentos da norma são os mais adequados. E mais do que isso, segurança não se consegue apenas seguindo normas.

O pode totalitário desas grandes empresas, e sua ânsia por valorização acionária de curto-prazo transformam o cotidiano o trabalho num salve-se quem puder. É preciso fazer npumero, e torcer para que nada de ruim aconteça.

No dia que houver uma "ISO" limitando metas e adequando quantidade de funcionários ao processo produtivo voltamos a conversar.

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Leo V
Leo V

É preciso ouvir os

É preciso ouvir os trabalhadores que estavam no dia a dia da empresa. Eles mais do que ninguém sabem o que ocorria e as prioridades da empresa.

Os acidentes só são vistos quando saem dos portões da empresa, em catástrofes como essa, mas são o cotidiano dos trabalhadores da mineração.

A propósito, nos três anos que morei em Belo Horizonte pude conhecer mineiros, a maioria sindicalista, de diversas empresas, inclusive da Samarco e da região atingida. Tema bastante discutido nos encontros com os mineiros era a dificuldade de aplicar o 'direito de recusa', previsto na legislação, e que talvez tivesse poupado algumas vidas em Mariana.

"Nas horas anteriores ao rompimento da barragem, segundo o relato de vários trabalhadores, foram sentidos sinais de rachaduras, o que foi informado à empresa, mas a ordem foi seguir trabalhando.

Trata-se de uma barragem que está em funcionamento há mais de 20 anos, sem fiscalização do estado e consequentemente sem manutenção por parte da empresa.

Mais de uma vez, e não apenas em relação à Samarco, mas também à Vale e à CSN , os trabalhadores e os Sindicatos têm alertado sobre os altos índices de adoecimentos e de acidentes existentes na mineração.

Nos últimos anos, repetidas vezes tem sido proposta dos trabalhadores a criação de agentes de saúde e segurança para atuarem juntamente com as Cipas e sindicatos e garantir uma inspeção cotidiana das condições de trabalho dentro das empresas.

O modelo predatório com que estas empresas trabalham para garantir o máximo de lucros no mínimo de tempo com os menores gastos possíveis, só pode gerar acidentes e mortes, como as que tragicamente ocorreram ontem."

http://pstuvale.blogspot.com.br/2013/10/nota-do-pstu-sobre-tragedia-ocor...

Seu voto: Nenhum
imagem de EGSA
EGSA

É tudo a mesma

É tudo a mesma sopa.

 

Isso me fez lembrar das nossas gloriosas empresas de auditoria que fizeram e fazem um bom trabalho, não é não?

O caso da Enron nos Estados Unidos (Arthur Andersen, lembram dela??) e do Banco Panamericano no Brasil (Deloitte, aconteceu alguma coisa com eles??) que o digam.

 

É tudo a mesma sopa.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.