Revista GGN

Assine

Pesquisa inglesa informa que brasileiros vivem longe da realidade dos fatos, por Sergio da Motta e Albuquerque

Pesquisa inglesa informa que brasileiros vivem longe da realidade dos fatos

por Sergio da Motta e Albuquerque

A organização de pesquisa de mercado Ipsos Mori, uma das maiores do Reino Unido, publicou seu relatório anual de 2017 (5/12) sobre a percepção pública das populações de vários países do planeta sobre temas presentes na vida pública e na imprensa internacional, como terrorismo, criminalidade, gravidez de adolescentes, imigração e presença nas redes sociais. A ideia é por a teste a capacidade de diferentes grupos sociais em distinguir fatos concretos de suposições sem comprovação.

Os brasileiros foram os campeões na prova do distanciamento entre a realidade concreta e fatos verificados: só perdemos para os sul-africanos. Em 2015 , estávamos em terceiro lugar. Passamos a segundo, este ano. Nossa população, de acordo com a pesquisa, vive longe da realidade e acredita, por exemplo, que a os assassinatos aumentara entre os anos 2000 e 2016 no país. Na realidade, não houve aumento nem diminuição, afirma o estudo. A situação continua a mesma e não houve aumento nos crimes de morte neste país, entenderam pesquisadores britânicos. Acreditamos, também, que a maior parte da população tem uma conta no Facebook. Não é verdade e só uma minoria (47%) tem presença naquela rede social.

Observem o mapa abaixo. Ele mostra a condição do universo pesquisado em vários países. Quanto mais vermelho, mais longe da realidade dos fatos está uma determinada população no mapa. Quanto mais azul, mais próxima a realidade factual encontra-se um determinado país pesquisado:

                                                    

                                             O Mapa da Ignorância dos fatos da Ipsos

 

 

Existe um grande número de adolescentes grávidas neste país? Cerca de 48% dos entrevistados acreditam que sim, mas apenas 6,7% deste grupo social de jovens brasileiras deram a luz no último ano. A Exame publicou um comentário superficial sobre o relatório britânico. Não explicou muita coisa. Quem é e Ipsos? Ela tem credibilidade para publicar estas pesquisas? Qual foi a metodologia do estudo? Quais as suas fontes da pesquisa? Quantas foram as perguntas feitas, e a quem foram dirigidas? Somos mesmo uma nação de gente “sem-noção”, a viver longe da realidade concreta? Acreditamos em mitos sem qualquer fundamento?

A Ipsos Mori é a segunda maior organização de pesquisa de mercado na Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Em seus relatórios, ela atua em conjunto com a Royal Statistical Society e o prestigiado King's College de Londres. Possui uma estrutura de pesquisa de alta credibilidade, que trabalha com dados do Banco Mundial, OCDE, o Euromonitor e outros organismos credenciados em pesquisas de alcance internacional. Não é uma organização acadêmica, mas uma pesquisadora do mercado de consumo. Este é seu limite. Além dele, a Ipsos Mori possui credibilidade de sobra para publicar seus relatórios anuais sobre percepção pública e suas deformações. Desde que consideremos os limites da estatística em pesquisas de mercado.

           A metodologia da pesquisa

A pesquisa abordou entrevistados de 38 países, pelo sistema do Painel Ipsos online em Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, Chile, China, Colômbia, Dinamarca, Franca, Alemanha, Hong Kong, Hungria, Índia, Indonésia, Israel, Itália, Japão, Malásia, México, Nova Zelândia, Peru, Filipinas, Polônia, Rússia, Arábia Saudita, Singapura, África do Sul, Coréia de Sul, Espanha, Suécia, Turquia, Grã-Bretanha e Estados Unidos. Servia, Montenegro, Holanda e Noruega utilizaram entrevistas face-a-face, além do painel online.

Cerca de 1000 indivíduos entre 16-64 anos (ou 18-64) foram estudados em Austrália, Brasil, Canadá, China, França, Hong Kong, Indonésia, Itália, Japão, Montenegro, Servia, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos. Aproximadamente 2000 pessoas entre 16-64 anos foram pesquisadas em Alemanha; na Holanda, 900, na mesma faixa etária.;cerca de 500, entre 16-64 anos em Argentina, Bélgica, Chile, Colômbia, Dinamarca, Hungria, Índia, Israel, Malásia, México, Nova Zelândia, Peru, Filipinas, Polônia, Arábia Saudita, Singapura, África do Sul, Suécia, Turquia e Coréia do Sul, informou a Ipsos.

Aos entrevistados foram feitas perguntas sobre gravidez adolescente, taxa de homicídios, posse de smartphones, presença em redes sociais (Facebook), prisioneiros imigrantes, terrorismo, vacinação, suicídio, diabetes e boa saúde. As fontes foram a OCDE, o Banco Mundial, a “World Values Survey”, a Organização Mundial de Saúde, o Euromonitor, o Escritório de estatísticas da Austrália e outras organizações nacionais e internacionais . A lista completa das fontes, com o Brasil, pode ser encontrada aqui na web.

Através de uma fórmula matemática, a Ipsos produziu sua lista de países cujas populações apresentaram as respostas mais distantes da realidade em 2017 em sua pesquisa. Os piores resultados aparecem primeiro, numa espécie de hierarquia dos desinformados sobre seus próprios países. Vejamos a relação:

1 África do Sul
2 Brasil
3 Filipinas
4 Peru
5 Índia
6 Indonésia
7 Colômbia
8 México
9 Turquia
10 Arábia Saudita
11 Argentina
12 Itália
13 Chile
14 Japão
15 Malásia
16 França
17 Coreia do Sul
18 Hungria
19 Nova Zelândia
20 Países Baixos
21 Hong Kong
22 Polônia
23 EUA
24 Rússia
25 Alemanha
26 Austrália
27 China
28 Singapura
29 Israel
30 Grã-Bretanha
31 Bélgica
32 Canadá
33 Sérvia
34 Montenegro
35 Espanha
36 Dinamarca
37 Noruega
38 Suécia

 

(Fonte: Ipsos)

Notem que três países escandinavos aparecem como os mais exatos sobre suas realidades. A Itália é o país desenvolvido em pior colocação. E entre os campeões na discrepância entre realidade e fato, estão países menos desenvolvidos: Indonésia, Filipinas, Peru, Brasil, Colômbia, México e Turquia. A América Latina, no mapa acima apresentado, quase toda oscila entre o laranja e o vermelho mais rubro (caso do Brasil), o que assinala um grupo populacional impreciso diante de fatos que acontecem em seus próprios países. A Europa varia entre o azul mais claro ao Sul, até o o tom mais escuro nos países do norte. A Itália aparece como exceção, atrás da Argentina. Japão e França também não estão em boa posição.

                                                             O que dizem estes números?

Se aceitarmos (ao menos em parte) os resultados deste estudo, a que conclusões chegaremos? Por que a visão negativa e errada dos fatos prevalece sobre a realidade? Culpa dos noticiários e suas eternas ladainhas de sofrimento e desespero? Sistemas de educação deficientes? Analfabetismo? Por que as representações da realidade sempre oferecem uma imagem pior do que a realidade factual?

A resposta dos pesquisadores da Ipsos foi perspicaz: “quanto mais a imprensa explora um determinado tema, mais importante ele parece, aos nossos olhos. Nossos cérebros processam informação negativa de forma diferente – ela “gruda” no público e afeta a maneira como ele vê as coisas”, explicou o estudo. Vejamos o nosso caso. Estamos  convencidos que vivemos a pior crise deste país. Acreditamos que a taxa de homicídios aumentou, embora tenha permanecido a mesma, nas estatísticas. Cremos que não temos salvação, e que o Brasil está condenado ao desastre. O pior é sempre mais atraente à imprensa. Por isso muita gente acaba por afastar-se de suas lamentações quotidianas sobre a “crise”. Qual delas?  A que herdamos da administração colonial? A que surgiu depois da morte de Getúlio Vargas? Aquela que existe desde a segunda crise do Petróleo em 1979? Ou a causada pelo impeachment de Dilma Rousseff? Ou a causada última acusação contra Lula? Vivemos a maior crise deste país em sua História?

Temos a tendência (e isto acontece em todos os países do mundo), a acreditar que todas as barbaridades que o ser humano já concebeu estão a acontecer agora, dentro de nossas fronteiras. Isto não é verdade. A imprensa e os meios de comunicação em geral escondem do público as boas notícias. Melhor seria dizer ocultam a realidade da população. Não existe "boa notícia", em oposição à "má notícia. Existem interesses contrariados, ou não, pelas narrativas dos meios de comunicação sobre a realidade. No momento, no Brasil, estamos sob a ditadura da maior ação de agendamento jamais realizada pela imprensa neste país. Numa época em que estas operações pareciam coisa do passado, nossa imprensa produz e reproduz a cada dia uma falsa consciência. Não acredito nesses cenários devastadores que a imprensa publica e transmite como peste contagiosa. Principalmente quando apontam certo partido (PT) em em certo ex-presidente (Lula da Silva) como culpados de tudo de ruim que existe neste Brasil.

Em 2016, diante do nosso cenário econômico nada animador, o Brasil tinha (e ainda tem) um projeto de alto conteúdo tecnológico e que ainda vai trazer muitas divisas e recursos a este país. Era conveniente e faria bem a nossa população saber que o Brasil está a lançar no mercado internacional um avião militar de carga de alto desempenho e conteúdo tecnológico. Mas quase nada foi dito, publicado ou transmitido. Poucas pessoas souberam do KC-390, a aeronave militar com mais chances de substituir o maior sucesso de venda neste nicho de mercado: o norte-americano C-130 “Hércules”, utilizado por quase todas as forças armadas deste planeta e já próximo do fim de sua vida útil. Os europeus e seu cargueiro gigantesco A400M da AIRBUS não podem competir como KC-390 em vendas futuras para países emergentes e mais pobres.A areronave brasileira tem um preço imbatível, e a EMBRAER é uma empresa reconhecida pela qualidade de seus produtos. Mas ninguém comenta, publica ou apoia o projeto neste momento. Notícia boa é má notícia.

Delas andamos fartos, nestes dias. O desconforto continua. É verdade que há outros fatores aqui a influir na condição de alienação da realidade dos fatos entre a população: deficiência no preparo em matemática e ciências em geral, número de adultos analfabetos muito grande no país e má condições de vida em geral. A imprensa não é culpada por tudo. Mas nós temos a tendência a nos fixarmos em aspectos negativos da vida. Até certo ponto isto é saudável: é melhor projetar um cenário negativo do que ser arrastado de surpresa por ele. Mas, antes de partirmos para projeções e especulações sobre o futuro, é melhor aprendermos a verificar por nós mesmos o que é fato, e o que é oportunismo da imprensa. Porque ela quer nos fazer acreditar que nada mais tem jeito e a mudança nunca vai acontecer. Até aparecer uma manchete maior, mais suja e com maior audiência.

 

 

Imagens

Média: 5 (4 votos)
16 comentários

Comentários

Espaço Colaborativo de Comentários

Opções de exibição de comentários

Escolha o modo de exibição que você preferir e clique em "Salvar configurações".

KC-390 para "emergentes".......

  É possivel desde que sejam realizadas gestões junto ao governo dos Estados Unidos da América ( DOS e DOD ), uma vez que equipamentos de procedencia norte-americana são vitais para a aeronave, como todo o sistema de avionica e o sistema de lançamento e gerenciamento de cargas, ambos da Rockwell - Collins.

   "Preço imbativel " :  Em contratos de equipamentos militares/defesa, o item "preço" é composto de muitas variaveis, aliás nem se utiliza a palavra "preço", pois condicionantes politicas, geoestratégicas, linhas e forma de financiamentos, prazos de carencia, "trocas" de produtos entre os Estados ( off sets ) etc.. - nem comento sobre opções "heterodoxas", muito comuns neste mercado - é que formam, o valor de determinado sistema.

     Tipo assim: Vc. pode ter um "preço" de prateleira ótimo, uma diagonal de custos operacionais excelente, MAS sem ter condições de competir , mesmo chegar proximo ao que oferecem seus concorrentes nos outros quesitos.

   

Seu voto: Nenhum

Concentração da Mídia.

Ou seja, o resultado está relacionado à concentração da mídia e informações enviesadas. Parabéns Rede Globo e demais crápulas da comunicação. 

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Não me perguntem por quê

Não tenho culpa, votei no Aécio...

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Luís Henrique Donadio
Luís Henrique Donadio

"Acreditamos, também, que a

"Acreditamos, também, que a maior parte da população tem uma conta no Facebook. Não é verdade e só uma minoria (47%) tem presença naquela rede social."

Erramos por três pontos percentuais, portanto. Não é exatamente algo "fora da realidade".

"Existe um grande número de adolescentes grávidas neste país? Cerca de 48% dos entrevistados acreditam que sim, mas apenas 6,7% deste grupo social de jovens brasileiras deram a luz no último ano."

Como assim "apenas 6,7%"? Para mim é um número absolutamente astronômico. Imagina, uma em cada 15 adolescentes engravida por ano? (Aliás, engravida, não: dá a luz - portanto não estão incluidas aqui as que fazem aborto ou têm abortos espontâneos). A não ser que esse "acreditar que sim" se traduza em algum número fantasioso, não me parece que esse dado demonstre que os brasileiros estejam "fora da realidade".

Seu voto: Nenhum
imagem de Álvaro Noites
Álvaro Noites

8 dos 13 países que estão no

8 dos 13 países que estão no topo do ranking são majoritariamente católicos.

6 dos 13 países que estão no topo do ranking são latino-americanos.

8 dos 13 países que estão no topo do ranking pode ser considerados governados pela direita.

8 dos 13 países que estão no topo do ranking pode ser considerados muito desiguais socialmente.

Seu voto: Nenhum (3 votos)

Um excelente trabalho da

Um excelente trabalho da Globo overseas investment bv e redes de televisão pertencentes à pastores evangelicos, alem claro, da veja, estadão e folha

Seu voto: Nenhum (3 votos)

É o "mundo-matrix" à

É o "mundo-matrix" à brasileira: as bombas semióticas injetadas na veia da sociedade, criando os demônios a serem exorcizados, odiados, e criando paralelamente os heróis, os homens de bem que devem ser celebrados.......  O modo como o brasileiro de nossas classes médias enxerga Moro e Lula, por exemplo, é prova cabal da intensidade da manipulação havida em nosso país.

Somos o império da farsa!

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Enquanto isso os sindicatos,

Enquanto isso os sindicatos, ...ZzzzzzzzzZzzzzzzzzzZzzzzzz.........

https://theintercept.com/2017/12/05/afinal-de-contas-o-que-aconteceu-com...

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de ze sergio
ze sergio

pesquisa....

E os Ingleses falarm por nós. Quanta novidade !!! 

Seu voto: Nenhum (1 voto)
imagem de Edgar Rocha
Edgar Rocha

Metalinguagem da informação

Curioso isto, né colega? Não é sintomático que surja neste exato momento uma pesquisa dizendo que as coisas não estão tão feias quanto sentimos estar? Justo agora, em que o mote da ultra-direita - entregue de mão beijada a esta pelos liberais - comece a surtir os efeitos desejados pelos bolsonaros do mundo afora. A vida é bela. Você é que anda assistindo muito Datena.

Meio copo vazio, meio cheio... A manipulação continua. Equanto isto, tem um "empreendimento funerário" a quinhentos metros da minha casa que, dizem os vizinhos do local, só faz prosperar. O cemitério clandestino do crime - bem atrás de uma escola estadual - é de conhecimento da própria polícia faz tempo. Não são desaparecidos políticos, graças a Deus. São só viciados adubando a terra. Ninguém vai reclamar, mesmo. Nem deles, nem dos demais enterrados em cemitérios por toda a periferia. Eu não assisto o Datena. Ando vendo gente morta, o tempo todo. Será o cinema?

Seu voto: Nenhum
imagem de jossimar
jossimar

Com certeza este mérito é da

Com certeza este mérito é da Globo.

Ao longo de décadas esta empresa conseguiu construir uma nação de ignorantes, estúpidos, alienados e sem noção.

Os três últimos anos são a prova cabal e incontestável deste fato.

A Globo é um problema gravíssimo que o país não pode deixar de resolver com máxima urgência.

Seu voto: Nenhum (4 votos)
imagem de Marcos K
Marcos K

Se me fosse aplicado o

Se me fosse aplicado o questionário da Ipsos Mori eu também seria facilmente enquadrado no caso dos que estão longe de conhecer a própria realidade. São perguntas específicas sobre temas específicos. Até porque os temas perguntados pouco me interessam.

Mas ao menos a pesquisa aponta na direção certa: o brasileiro vive mesmo longe da realidade dos fatos. Não tem a menor noção de que país vive e muito menos que é cotidianamente tratado e visto como um retardado mental pela mídia corporativa. O país em que ele vive é aquele construído pela Rede Globo. É nisso que o brasileiro acredita e não há jeito de trazê-lo a realidade dos fatos.

Obs.: não foi necessário pesquisar muito para constatar que a grande maioria de brasileiros é formada por alienados imbecis. É só circular muito em meio as pessoas de diferentes classes que você se convence disso.

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Não acredito  ..mas, amparado

Não acredito  ..mas, amparado por "meus Institutos", se diante de tal resultado eu até "acharia" que teria uma explicação plausível  ..menos pra estarmos "piores que a CHINA" na foto

TODO DIA somos bombardeados por um punhadico de GRANDE mídia (e seus analistas) que sempre nos remetem, há décadas, a alienação diante de suas novelas, programas non sense de auditório e/ou policiais, futebol e MMA, carnaval e, mais recentemente, realitys

TODO DIA, muito mais do que notícias do NE pro S e SE (*), somos inundados por notícias e pela história "grandiosa" dos EUA, isso, quando não, pela vida da Rainha da Inglaterra e seus filhos e netos (infinitamente mais do que sobre a vida dos nossos vizinhos latinos)

(*) interessante registrar que, recentemente, estando no sertão da BAHIA e Vale do Jequitinhonha, ao ligar a TV pude assitir, não a programação regional  ,,mas ao DATENA falando do transito e das ocorrências policiais de SP (fica difícil)..

..juntemos a isso a realidade em não dispormos de um controle célere e democrático da mída manipuladora, que espalha boatos e mentiras (por exemplo sobre a ficha, foto e amante falsa de DILMA, que nem a presidanta eleita foi atrás de tomar satisfação  ..por medo e covardia) e temos então a receita completa pra nos explicar de tanta letargia

Seu voto: Nenhum (1 voto)

Ah Romanelli !

E vc quer algo mais emocionante que os primeiros passinhos do bisneto da Raínha da Inglaterra ? O 1º vôo feito pelo mesmo ? A sua roupinha que bombou nas redes sociais "? e que no dia seguinte não mais era encontrada nas lojas ?

Deixa de ser mal humorado , pois eu nem durmo sem uma notícia destas ou uma "Crônicas de New York !!!

TV também é cultura !

Quá , quá, quá !

 

Seu voto: Nenhum (3 votos)

lenita

imagem de Willian Pederiva
Willian Pederiva

Desculpa a honestidade, mas é

Desculpa a honestidade, mas é o ato de inventar um  "seu institituto" e desprezar o dado empírico de um instituo sério que faz o Brasileiro estar tão longe da realidade. Por acaso teu olhos e teu umbigo sabem mais do mundo que pesquisas em 38 países?

Se queremos uma nação melhor, o primeiro passo é parar de mentir para nós mesmos, acredito que você é uma pessoas  de boa fé, mas a piada do "meu instituto" já perdeu a graça. Muitas pataquadas recentes foram cometidas neste país e isso nos jogou no lixo. Não dá para ser coniventes com elas.

Seu voto: Nenhum (4 votos)

Imagine  ...não  há o pq se

Imagine  ...não  há o pq se desculpar colega

Reitero que duvido destas pesquisas de cunho internacional e que respeitam MUITAS, inúmeras fontes e as tais "fórmulas matemáticas"  ..PIOR que isso só as recomendações do Banco Mundial fundadas em conceitos e realidades  primeiro mundistas (e antigamente do FMI)

de qq forma  ..pela minha periferia  ..pelo "meu instituto de pesquisa", eu somente tentei expor o que eu achava que poderia estar por trás de tanta das nossas alienações 

abra

Seu voto: Nenhum (2 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.