Cafezá – Catarina e Jarirí, uma paixão sobre-humana.

– Óia u réspeito, minina da boca suja! Quiem vai casá cum Zétuméla é ucê, i
ãinda vai sê muié anjinha prele. Óbedecê u ispouso queu arranjá pucê i sê
óbidienti pá vida toda. Ucê vai cuntinuá senu ricaça i nósi vamu fazê um bão
négósso di famia décenti, nas lei dos ômi i di deuso, amém.
 
Eile, entonces, Cafezá, oiô pá Tonho Xicuta, i priguntô prele:

– Uqui ucê achá deisse pidido déila, Xicuta? Ucê achá codevu di déxa a
amardissuada i discansá nu quarto? Ieu num seio si ieu pérmito ou não. Uqui ucê
achá?
– Ieu achu catua muié tá ruim memu, ói lá! Éila num tá cunsiguinu niem abri
oszói déretu, tá cum cara di difunta fresca. Ié bão éila  si arrécuperá pá
aminhã sê biem chicutiada, sinonce u castigu num vai sélvi pá nada. I éila tumém
pódi mórrê i si uilsso acuntecê vai dá trabaio pucê i eisses teus fio réberdi aí
é qui num vão cuncertá memu, puquê eiles num vão si confórmá ca mórti da mamãe
deiles. I eisses mólenga deisses capanga tumém tão cansadu. Apanharu iguar
cachorro vira-lata i tão pricisanu déscansá um poco pá aminhã eiles tê fuórça pá
fazê u sélviçu i dá um bão ispétaculu pá jienti assistí. Eisses aqui tão cascara
tudu sangranu, di tanta unhada ca Catarina deu neiles, ié cumu si eiles tivésse
intrado num saco di gato. Acueles outro ali tão parécenu qui lévaru coice di
cavalo, tão cascara tudu ófendida i amassada das pancada qui Clódiu deu neiles.
I óia a cabessa dacuele oto ali sentadu nu chão, acuele qui levou a purretada na
cachola, a cabessa deile tá parécenu uma jaca pôdi qui isburrachadô nu chão. Ieu
tô pensanu in i lá infiá us meos dedus nu tai da cabessa deile,  pá vê cuantus
dedus tão cabenu nacuela valeta.

Cuandu Xicuta falô anssim, Cafezá, u capanga si alevantô, poisi as manu na
cabessa i virô um risco, saiu córrenu feitu um raio i foi imbóra gritanu:

 “Ninguém maisi vai infiá us dedus nu meo firimiento. Puquê ucês num infia eisses

dedus nus tóba ducêis.”

Indaí, paimeu falô:

– Tá bão entonces. Pódi léva éissa muié pu quarto, pá éila si arrécuperá pá
sofrê u castigu di aminhã.

Indaí, ieu i Clódiu alevantamu nuóssa mãe do chão. Ieu siguranu nos pé déila i
eile siguranu nas cósta, fumu cunduzinu éila pu quarto.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome