Cafezá na estrada – Catarina e Jariri, uma paixão sobre-humana.

 

Cuandos eiles mi virus ali estancada nu mei da sala parécenu uma onça armandu u bote, si assustaru. Paimeu si alévantô ligero i priguntô:

  • Qui qui foi, Catarina? Acunteceu arguma coisa na cuzinha, tua mãe si machucou?

  • Nosionhor, quem vai si machucá é uceis, si num pararem di machucá u meo Jarirí.

  • Intonces é uilsso!? Vórta já pácuzinha, puquê ucê, minina, num tiem nada pá fazê aqui. Vai fritá lambari cocê ganha maisi. Eisse tar di jarirí num é assuntu pucê. Ispaventa daqui sinonce ucê vai lévá uma sóva aqui memu.

I eile, Cafezá, ficô vermei feitu um caquí. Us otrus ficaru ispantadu camia insólenssa, arrégalanu uszói, ispéranu pávê uqui ia acuntecê nalcuele tiatro cotava armanu i fazenu u papé di atris principá ali naquele parco dus horrores. Intones, ieu gritei:

 

  • Num vai mi batê não i vão tê di pará quéssas mardadi cuseis tiem feitu co meo Jarirí. Eile é u meo amore i ieu vô casá quele, useis quérenu o não.

    I u sior, Padre, vai pará di mintí i contá pu délegadu, eisse qui taí du seu ladu, qui Jarirí num robô nada seu i niem quis tacá fogo nucê.

    I tumém vai tê di pagá u sélviçu qui Jarirí feizi pucê. Mutio mi admira um padre qui fica préganu sobre Jésuis na cruiz infincá tumém um moço honesto juntu cuele qui nem Jarirí, qui só trabaiô i tiem di arrécebê. Jarirí paréce qui tá prégado naquelas pórtas quele memu feizi. Ao invés du sior ficá rézanu missa preisses apruveitadô i ladrão qui tá aqui, ucê divia ficá junto dos póbres. Eisses aqui tiem parti cu canhu, cu diabu, o O, u gramulhão. Ucê rranca éissa vistimenta sua, eisse seu saião, i infia nu seu rabu, seu indécenti.

     

    Quandu ieu falei anssim, Cafezá, as muié dacueles ômis, umas biatas qui ficam lambenu o padre na Igreja, ficaru inluquecidas. Uma déilas, uma tar di dona Maria Cuncebida, muié du Tonho Xicuta, um dus dono du jorná, si alévantô cum calor nu mei das pérna, cumessô a abaná u vistido pá vê si arréfrescava u subaquim das pérnas, i gritô disisperada:

  • Nuósso Sior Jésuis Cristu, tira eissa minina doida daqui!!!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora