E quem vai reparar publicamente a imagem de Gushiken?

Luiz Gushiken foi ministro da Secom, no primeiro mandato de Lula, de lá foi escorraçado pela mídia, hoje justiça  reconhece sua inocência no caso do mensalão.  Miro Teixeira, também ministro à época, agora é solidário a  imprensa que quase destruiu a vida de Gushiken
 



Gushiken, o primeiro e único absolvido na AP 470

O EX-MINISTRO DA SECOM LUIZ GUSHIKEN CUMPRE UMA FUNÇÃO NO JULGAMENTO DA AÇÃO PENAL 470: DEMONSTRAR QUE, NO DICIONÁRIO DE JOAQUIM BARBOSA, TAMBÉM EXISTE O VERBO ABSOLVER E QUE ELE NÃO É INTOLERANTE EM RELAÇÃO AOS RÉUS; MAS PREPAREM-SE: NO QUE DEPENDER DELE, SÓ VIRÃO CONDENAÇÕES

Não é exatamente o que os advogados do ex-ministro Luiz Gushiken defendem, mas o ministro Joaquim Barbosa, relator da Ação Penal 470, o chamado ‘mensalão’, votou pela absolvição do homem da comunicação social do governo Lula por falta de provas. Para o advogado José Roberto Leal de Carvalho, a absolvição teria de vir por meio das provas apresentadas no processo, o que demonstraria que Gushiken nem sequer deveria ter sido incluído na Ação Penal 470.

De qualquer forma, a absolvição de Gushiken cumpre uma função no julgamento do chamado ‘mensalão’: demonstrar que, no dicionário de Barbosa, também existe o verbo absolver e que o relator da AP 470 não é intolerante em relação aos réus, o que reforçaria o argumento de que sua ‘mão pesada’ se justifica…

 
continue lendo

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome