O local e diverso como pontos de partida para uma informação democrática

A mídia ignora a periferia brasileira

Regular (a mídia) é preciso 
-Coletânea de textos publicados neste blog sobre o tema, post V:

O telespectador ou ouvinte de uma TV ou rádio, começa seu dia sabendo tudo sobre o que ocorre nos grandes centros urbanos do país, como trânsito, condições do tempo, comércio e entretenimento.  Informação nunca é demais, não fosse o fato de que a maioria desses telespectadores ou ouvintes, muitas vezes, vive a centenas de quilômetros destes centros urbanos…

A programação e o conteúdo dos grandes veículos de comunicação privilegia a informação produzida nas grandes concentrações urbanas, esquece a periferia, ignora as manifestações culturais locais.  Quando o fazem, as reproduzem a partir de seus recursos, humanos e técnicos próprios e não daqueles que produzem, genuinamente, tais produtos culturais in loco.

A democratização da informação passa pelo local, pelas manifestações culturais, das mais diversas regiões e micro-regiões país afora…

Leia a íntegra, clique AQUI>>>

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Repórteres Sem Fronteiras denuncia censuras indiretas do governo Bolsonaro e cita caso GGN

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome