Início Destaques

Destaques

Financeirização, precatórios e modelo chinês, por Luis Nassif

É nessa quadra, que o modelo chinês desponta, mas fundado em governo forte, não democrático. O aval do Partido Comunista tem permitido aos dirigentes chineses investir contra as principais distorções da economia mundial

Brasil, desde 2015 uma democracia em crise, por Luis Nassif

O Brasil possui o maior número de atributos declinantes do mundo e, desde 2016, passa por um processo de declínio democrático.

Uma análise da dependência brasileira do mercado chinês, por Luis Nassif

Chama a atenção, também, a participação pesada da China nos principais produtos de exportação, respondendo por 88,7% das vendas brasileiras de minério de ferro e 85,1% da venda de soja.

A rota do comércio brasileiro ruma para a Ásia, por Luis Nassif

Definitivamente, a rota do comércio brasileiro está no caminho da Ásia.

O boicote da China à carne brasileira, por Luis Nassif

Mesmo assim, a participação chinesa na balan;a comercial brasileira é avassaladora. Nos 12 meses até outubro de 2021, as compras chinesas chegaram a US$ 99,7 bilhões, 40,11% das exportações brasileiras no periodo.

Comércio está 4% abaixo do ano de 2014, por Luis Nassif

Repare que dois setores que mais refletem a situação atual das famílias - Hipermercados, produtos alimentícios e hipermercados e supermercados - registraram queda de respectivamente 3% e 2,6% no acumulado do ano.

Combustíveis respondem por quase 60% da inflação, por Luis Nassif

No Acumulado do ano, Transportes respondeu por 50,14% da alta. Se somar o peso dos combustíveis no grupo Habitação, a influência aumentará mais ainda.

Como a Lava Jato abriu espaço para a maior corrupção da história, por Luis...

Seja qual for o resultados das eleições, se terá uma nação destroçada, poderes desmoralizados e uma luta intestina que acabará por expor o país a qualquer aventureiro atrevido.

Venda de automóveis estagnada; e de caminhões, em alta, por Luis Nassif

Na ponta rural, os caminhões lograram um crescimento de 41,81% em relação a outubro de 2020, e de 73,47% em relação a outubro de 2018, refletindo a melhoria das cotações internacionais e do câmbio.

Xadrez das raízes do negacionismo e a volta da República Velha, por Luis Nassif

O desafio da reconstrução terá apenas duas possibilidades viáveis. O Lula de 2002. O Lula de 2022, que poderá ser o mesmo, ou mais atirado.

Podemos, o partido que acolheu os justiceiros de Curitiba

Em 2017, já com Renata Abreu no comando, o partido mudou seu nome para PODEMOS, copiando o nome de um partido espanhol que rigorosamente nada tem a ver com ele, com a intenção de varrer seu passado para debaixo do tapete.

O terraplanismo da mídia e o preço da gasolina, por Luis Nassif

Se todos seguirem os preços internacionais, jamais haverá competição, pois o preço estará dado.

Xadrez da mídia e o paradoxo do Bar Bodega, por Luis Nassif

No caso brasileiro, os linchamentos são recorrentes devido à herança secular da escravidão, presente na insensibilidade da classe média - e da mídia -, com os massacres de populações periféricas, de índios, de lavradores, de jovens negros. Naturalizou-se o fenômeno do massacre dos diferentes. Desde os anos 90, o Brasil ostenta os maiores índices de assassinatos per capita entre todos os países. Na época, já tinha um padrão colombiano, mesmo antes da ascensão das milícias e da ampliação das organizações criminosas

Para entender as razões de Dallagnol, por Luis Nassif

Poderiam investigar o que se levantou sobre a Unimed, ou sobre o unicórnio de bigdatas para o qual Dallagnol não apenas fez palestra bem remunerada, como gravou um depoimento comercial e ainda tentou trazer para a própria Lava Jato o sistema da empresa. Pouco tempo depois, a empresa foi acusada de subornar um funcionário da… da.. Isso, da Petrobras.

Acaba o vôo de galinha da indústria, por Luis Nassif

Mesmo a indústria extrativa, beneficiada pelo boom das commodities, puxado pela China, apenas retornou aos níveis pré-pandemia.

A jogada do mercado com a PEC dos precatórios, por Luis Nassif

Tratando-se de fundos, será possível aglomerar títulos para pegar um imóvel maior ou mais valioso, bem como um lote mais substantivo de ações de estatais, empresas de economia mista e empresas cujos ativos tenham sido incorporados ao patrimônio público por inadimplência.

O que os dados de emprego não mostram, por Luis Nassif

Segundo os dados do CAGED, foram 15,4 milhões de contratados contra 15,3 milhões de desligamentos. O que os dados não mostram são os efeitos da substituição dos demitidos pelos novos contratados. Faltou o essencial: quantos foram contratados com emprego formal e quantos pela Carteira Verde Amarela?

O problema não é Maurício do vôlei, mas os cães de guerra, por Luis...

Criou um novo ídolo da direita, não se tenha dúvida.

IPP mostra que inflação continuará em alta, por Luis Nassif

O primeiro indicador são os preços dos 23 grupos industriais pesquisados. No mês, houve aumento em 20 deles e queda em 3. No trimestre, aumento em 22 e queda em 1. No ano e em 12 meses, alta nos 23 grupos.

Raio X mostra fraqueza estrutural do emprego, por Luis Nassif

Outra tragédia é a informalidade do trabalho, que faz com que se reduza cada vez mais os trabalhadores que contribuem para a Previdência Social. O pico do ano passado é ilusório.