Revista GGN

Assine

Petróleo

A mentira sobre Carcará é desnudada, por Alex Prado

da AEPET - Associação dos Engenheiros da Petrobrás 

A mentira sobre Carcará é desnudada

por Alex Prado 

Estatal norueguesa confirma que Carcará tem  ao menos 2 bilhões de barris.

Como disse antes o geólogo Luciano Seixas Chagas, a Statoil confirma em matéria que aqui transcrevemos que os volumes recuperáries de óleo e gás de Carcará chegam a 2 bilhões de barris. Antes da compra, a estimativa era de um valor bem inferior, entre 0,8 e 1,4 bilhão de barris. Segundo o geólogo, na verdade, estes números podem atingir a impressionante cifra de 6 bilhões de barris (4,6 de óleo e 1,4 de gás).

"Além do mais, a Petrobrás, através de Pullen Parente e seu séquito, deixou de exercer o direito de adquirir no leilão da ANP, a área de Carcará Norte, com volumes semelhantes, cometendo um verdadeiro Lesa-Pátria" criticou o geólogo.

Leia mais »

Média: 5 (5 votos)

Um século de acordo secreto das gigantes do petróleo

Sugerido por José Carlos Lima

Conheça os Segredos e Crimes das Sete Irmãs do Petróleo

Do blog Ligia Deslandes

Conheça e entenda através desses vídeos que vamos expor aqui os segredos inconfessáveis das corporações de petróleo nas suas ações pelo mundo no sentido de dominar países e povos tão unicamente no sentido de explorá-los e angariar poder e lucros exorbitantes, à custa de mortes, assassinatos, golpes e várias outras ações criminosas e violentas.

A incrível história desse pacto secreto que deu origem ao controle oligopólico no mundo do fornecimento de petróleo bruto. Em 27 de agosto de 1928, magnatas de petróleo de todo o mundo reuniram-se em segredo para formar uma aliança para evitar o confronto e a divisão. O Acordo Achnacarry (Escócia) marcou a criação de um cartel internacional do petróleo, cujos membros se reservavam o direito de partilhar o mercado de petróleo e fixar os preços como quisessem.

Leia mais »

Média: 4.2 (5 votos)

Financeirização e desintegração vertical da Petrobrás: quem ganha com isso?, por Eduardo Costa Pinto

Financeirização e desintegração vertical da Petrobrás: quem ganha com isso?

por Eduardo Costa Pinto

A Petrobrás, desde a sua criação no governo de Getúlio até a descoberta do pré-sal durante o governo Lula, sempre esteve no centro da política desenvolvimento do setor de petróleo e gás brasileiro, bem como do próprio projeto de desenvolvimento nacional.

A centralidade da Petrobrás foi e é fruto de sua capacidade de coordenar e induzir o setor em virtude de sua: constituição histórica, escala produtiva (verticalização – do poço ao poste), capacidade de acumulação de capital e de desenvolver tecnologia.

Essas capacidades são o reflexo da dupla função (duas faces) que a Petrobrás exerce como setor produtivo estatal. Por um lado, uma “face estatal – orientada para a realização de objetivos políticos [projeto nacional] e de ordem macroeconômico [inflação, balança comercial, etc.]” e, por outro, uma “face empresarial – orientada para a realização de objetivos de natureza estritamente microeconômica [acumulação de capital, endividamento, fluxo de caixa, etc.]”¹.

Leia mais »

Média: 5 (4 votos)

O pré-sal e a política econômica do petróleo: coração do motivo do golpe que retirou o PT do governo federal, por Maria Luiza Feitosa

O pré-sal e a política econômica do petróleo: coração do motivo do golpe que retirou o PT do governo federal

por Maria Luiza Alencar Mayer Feitosa

Cada um fala daquilo que lhe é mais próximo. De minha formação acadêmica interdisciplinar, transitando entre as áreas de História, Direito e Economia, extraio alguns posicionamentos para traçar rápido paralelo entre  Economia e Política pelo viés do Direito, significa que vou falar de política econômica, nomeadamente no período histórico decorrido ao longo do século XX. Tudo isso para chegar aos governos do Partido dos Trabalhadores, ao golpe que tirou Dilma Roussef do poder e dos processos judiciais contra o ex-Presidente Luiz Ignácio da Silva, ponderando os impactos que a exclusão da candidatura de Lula ao pleito de 2018, por essa via, causam sobre a democracia brasileira.

Começo afirmando que a presença do Estado no domínio econômico dá-se, em geral, por meio da regulamentação e\ou da regulação de políticas econômicas. Política econômica é, pois, a junção da política com a economia através do Direito, para compatibilizar fins e meios, com objetivos previamente traçados. Sua natureza é múltipla, com ênfase inicial para as abordagens pública ou privada. Na imbricação dessas esferas, relevam, por exemplo, as políticas orçamentárias, que manipulam as despesas públicas; tributárias, no âmbito da arrecadação de receitas; e monetárias, que realizam a gestão do custo e da quantidade de moeda corrente, assim como a política de juros, de crédito, entre outras.  Leia mais »

Média: 4.1 (9 votos)

O desmoronar dos balanços das multinacionais petrolíferas

Sugestão de Adir Tavares

do Resistir.info

O desmoronar dos balanços das multinacionais petrolíferas

por Manuel Peinado Lorca 

As maiores multinacionais petrolíferas do mundo estão com sérios problemas porque os seus balanços acusam os máximos custos de produção, a queda dos lucros e o aumento vertiginoso da dívida financeira acumulada após anos de perdas. Castigadas pela cada vez mais baixa Taxa de Retorno Energético (EROI), os dias de glória dos gigantes petrolíferos altamente rentáveis chegaram ao fim. Tudo o que resta agora é uma sombra do que outrora foi uma indústria poderosa que,como comentei num artigo anterior , será obrigada a continuar a canibalizar-se para extrair a última gota de petróleo. 

Leia mais »
Média: 5 (2 votos)

Acionistas minoritários no Brasil exigem R$ 20 bilhões da Petrobras

Aidmin (Associação dos Investidores Minoritários) faz comparação com acordo selado nos Estados Unidos alegando não ser justo "observar, mais uma vez de mãos atadas, a destinação de fatia robusta do patrimônio da sociedade ao território estrangeiro"
 
Acionistas minoritários no Brasil abrem processo contra Petrobras Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil
 
Jornal GGN - O acordo de US$ 3 bilhões entre Petrobras e acionistas que processam a estatal nos Estados Unidos abriu justificativa para acionistas minoritários no Brasil entrarem com uma ação contra a companhia aqui no país, alegando não ser justo "observar, mais uma vez de mãos atadas, a destinação de fatia robusta do patrimônio da sociedade ao território estrangeiro".  As informações são do Estadão/Broadcast.
 
Segundo Aurélio Valporto, vice-presidente da Aidmin (Associação dos Investidores Minoritários), entidade autora do novo processo, a indenização exigida é de R$ 20 bilhões considerando que US$ 3 bilhões equivalem a aproximadamente R$ 9,5 bilhões e porque cerca de dois terços dos papéis da Petrobras foram adquiridos na Bolsa de Valores de São Paulo enquanto o restante, um terço, na Bolsa de Nova York. 
 
Logo quando o acordo foi anunciado, na última quinta-feira (04), advogados da Petrobras justificaram que a negociação era a melhor saída para a estatal brasileira, com poucas chances de vitória nas Cortes superiores dos EUA. Segundo informações de Lauro Jardim, o presidente da companhia, Pedro Parente, chegou a telefonar para o Tribunal de Contas da União (TCU) para defender o acordo. Neste domingo (07) o colunista revelou que ministros do TCU estudam interromper a negociação, considerada precipitada à empresa brasileira.
Leia mais »
Média: 3.5 (2 votos)

Presente de Natal: gasolina e diesel sofrem novo reajuste

 
Jornal GGN - A gasolina e o diesem sofrem novo reajuste nos preços comercializados nas refinarias. Segundo a Petrobras a gasolina sobe 1,1% e o diesel 0,4% a partir de amanhã, dia 22. O anúncio foi feito hoje.
 
Ontem, dia 20, a empresa já havia informado um aumento de 0,7% para o dieses e 1,4% para a gasolina, com validade para hoje, quinta-feira.

Leia mais »

Média: 1 (1 voto)

Petróleo, Petrobras, Tecnologia e Soberania Nacional, por Ricardo Maranhão

Petróleo, Petrobras, Tecnologia e Soberania Nacional

por Ricardo Maranhão

Petróleo é bem de uso coletivo, criador de riqueza. Pesquisa, lavra e refinação, constituem as partes de um todo, cuja posse assegura poder econômico e poder político, uma atividade que se confunde com a própria SOBERANIA NACIONAL.

General JÚLIO CAETANO HORTA BARBOSA, Conferências no Clube Militar, 30.07 e 06.08.1947.

ENERGIA E CIVILIZAÇÃO

Energia é a capacidade de produzir trabalho. Trabalho no sentido amplo. Elevar e abaixar cargas. Aquecer, resfriar ou iluminar ambientes. Movimentar pessoas e mercadorias. Cozinhar alimentos. Acionar máquinas em todo tipo de indústria. Mover caminhões, automóveis, trens, navios, metrôs, aviões, motocicletas, bicicletas, bondes.

Sem energia nada se faz. Nada. Sem energia não existe civilização. As pessoas morreriam de calor, de frio, de fome ou de sede.

O consumo de energia define o grau de desenvolvimento de um povo. Quanto mais civilizada, rica e culta uma sociedade maior é o seu consumo de energia.

Leia mais »

Média: 2.8 (4 votos)

Lobby britânico ajudou a acabar com conteúdo nacional no pré-sal

Jornal GGNArtigo de hoje, do The Guardian, revela que Ministro do Comércio do Reino Unido, foi bem-sucedido para pressionar o governo brasileiro, em defesa de suas petroleiras.

O Ministro em questão é Greg Hands. E o lobby pelo relaxamento da regulamentação riscal e ambiental foi feito com Paulo Pedrosa, Ministro das Minas e Energia de fato.

Há tempos, Pedrosa se constituiu no principal interlocutor, dentro do governo, com lobbies britânicos e chineses, interessados no pré-sal e no setor elétrico.

Em março, Hands viajou para o Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo, para defender  o lobby de empresas britânicas de energia, mineração e água.

Teve um encontro com Pedrosa, no qual levou as preocupações da Shell, da BB e da Premier Oil, sobre "tributação e licenciamento ambiental".

Leia mais »

Média: 5 (11 votos)

Engenheiros da Petrobras denunciam: ‘Estão entregando o Brasil’

do Sputnik Brasil

Engenheiros da Petrobras denunciam: ‘Estão entregando o Brasil’

“O Brasil vai receber US$ 6 bilhões, mas está entregando alguns trilhões em reservas.” A afirmação é do vice-presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet), Fernando Siqueira, que comentou com exclusividade para a Sputnik Brasil o leilão de oito áreas do pré-sal realizado nesta sexta-feira, 27.

Com relação à possibilidade de que o governo privatize a BR Distribuidora, a maior rede do país, até o ano que vem, o vice-presidente da Aepet admite que sim. "O Temer está aí para isso, para vender os ativos do país: água, petróleo, minérios. É por isso que ele está forte, é por isso que ele não cai, porque o sistema financeiro internacional, que governa o mundo subdesenvolvido, é que bota os governantes que quer."

Leia mais »
Média: 4.2 (10 votos)

Leilão do pré-sal arrecada menos que o esperado e a Shell é a maior vencedora

Foto: Chris Ratcliffe / Bloomberg
 
Jornal GGN - O governo Temer conseguiu leiloar três de quatro lotes de exploração do pré-sal e arrecadou R$ 6,15 bilhões com as duas rodadas que ocorreram nesta sexta-feira (27). O valor está abaixo da expectativa (79% da receita esperada), mas o Planalto e Agência Nacional do Petróleo, Gás, e Biocombustíveis) classificaram o resultado como um "estrondoso sucesso".
 
Segundo dados da Folha, a Shell foi a empresa que teve maior participação no leilão, embora tenha sido a que ofertou o menor percentual de óleos baixos. No caso, ela ficou com o segundo bloco leiloado hoje, o Alto de Cabo Frio Oeste, que fica na Bacia de Santos, e ofereceu percentual mínimo de excedente em óleo, 22,87%, segundo a Agência Brasil.
Média: 3 (2 votos)

Efeitos da entrega do Pré-sal para a economia, por Dom Cesar

 
Do blog do Romulus
 
 

Por Dom Cesar [*]

([*] Nota: "Dom Cesar" é "agente duplo" do Blog - um executivo de uma multinacional da indústria do petróleo com o "grave defeito" de ser um brasileiro que ama o seu país!)
 
O resultado da MP 795 seria uma renúncia fiscal direta de 1,3 trilhões de reais até 2040 - e não 1,0 trilhão como sugeriu a assessoria parlamentar do Congresso. Somando a renúncia fiscal direta com a indireta (1,99 trilhões de reais) o montante atingiria 3,3 trilhões até 2040 (!)
Média: 5 (3 votos)

O Fim do Petróleo Barato e do Mundo que Conhecemos, por Felipe Coutinho

O Fim do Petróleo Barato e do Mundo que Conhecemos

por Felipe Coutinho

Não há substituto para o petróleo barato de se produzir, mas ele acabou e a humanidade vive as consequências econômicas e sociais deste fato. Neste artigo trabalho com as informações da indústria mundial, o investimento em Exploração e Produção (E&P) e a produção agregada desde 1985 para evidenciar o aumento do custo médio de se encontrar e produzir cada barril adicional de petróleo, para então avaliar as consequências para a indústria e a sociedade. A descoberta do pré-sal e a condição relativa do Brasil e da Petrobras, diante da situação internacional aqui descrita, serão tratados em outro artigo.

Leia mais »

Média: 4.4 (14 votos)

Alta na gasolina é a maior desde 2002, diz ANP

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN - Reportagem da Folha deste sábado (22) aponta que a alta no preço final da gasolina imposta pelo governo Temer é a maior em mais de uma década. A última vez que o preço subiu tanto para o consumidor final foi em 2002, quando a majoração foi de 12,3% - ou R$ 0,55 o litro, em valores atuais. Hoje, o brasileiro terá de desembolsar R$ 3,895 por litro - um aumento de 11,7%, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP).
Sem votos

2 Twitters para Ciro Gomes

Ciro Gomes atacou ferozmente Lula. Ele culpou o ex-presidente por ter dividido o Brasil de uma maneira odienta.

Hoje mandei dois Twitters para o Ciro Gomes:

Você endossou o discurso dos canalhas canalhas canalhas que culpam Lula por ter desafiado a elite. Mas vocês não desapontaria Mao Tsé-Tung. https://t.co/JM2OUwmF1E

Nada mais tenho a dizer a você. Nada mais escutarei de sua boca corrompida pelo elitismo e pela covardia. BLOQUEADO.

Sem votos