Início Política Monetária

Política Monetária

PEC Emergencial chega à Câmara dos Deputados

Proposta limita custo do auxílio emergencial em R$ 44 bilhões; texto deve ser votado na próxima semana em Plenário

O perverso terraplanismo econômico, por Leda Paulani

Manter a “âncora fiscal” salvará o país, braveteiam tecnocratas do Banco Central. Por trás do economês, o real significado: teto de gastos e mais contrarreformas. Com esta bússola ultraliberal, o naufrágio brasileiro torna-se iminente…

Compromissadas: Política Monetária e Administração da Dívida Pública, por Fernando Nogueira da Costa

Uma lei a ser votada no Senado Federal, nesta semana, concede autonomia ao Banco Central do Brasil. Sem o fim das Operações Compromissadas, não haverá essa autonomia.

BC inicia hoje penúltima reunião do ano para definir taxa Selic

Expectativa é que a Selic se mantenha em 2% ao ano até o final de 2020

Financiamento Monetário do Déficit Fiscal I: Regras ou Arbítrio, por Fernando Nogueira da Costa

Caso o Congresso Nacional aprove a arriscada independência do Banco Central, a exigência de duplo mandato seria uma precaução

“Consertar o que não está quebrado”, critica Nelson Barbosa sobre propostas de Guedes para...

"Os monetaristas de museu do Executivo querem fixar os objetivos do BC em lei", escreveu ex-ministro da Fazenda

Governo não corrige inflação do Imposto de Renda e aprofunda desigualdade

Ao não atualizar a tabela do imposto, mais pessoas são obrigadas a pagar o Fisco

Reduzir a taxa de juros não impactará na economia, por Rogério Maestri

Os “brilhantes” economistas do Banco Central brasileiro, seguindo a mesma cartilha que não deu certo em parte nenhuma do mundo, baixaram em 0,25% a taxa de juros básica do BC

BC envia ao Congresso projeto que autoriza recursos públicos no resgate de bancos em...

Atualmente, o uso de recursos do Tesouro Nacional para esses casos é proibido pela Lei de Responsabilidade Fiscal

Lula e o custo da taxa Selic, por César Locatelli

A resposta de Lula à Belluzzo foi que não entendia porque ninguém “gritava” com os juros cobrados nos financiamentos do comércios e dos bancos

São Paulo alijado da política econômica, por André Motta Araújo

Colocar toda a economia de um País complexo e com uma aguda e prolongada recessão nas mãos de um pequeno grupo de "economistas de mercado" é uma temeridade

Enfiando a cabeça na areia, um Banco Central das avestruzes, por André Motta Araújo

O Brasil não pode pretender ser uma praça financeira e disso viver, como Luxemburgo, Cayman ou Panamá. O Brasil é uma potência agrícola, mineral e deveria ser uma potência industrial.

À beira de uma nova recessão, por José Luis Oreiro

Aqueles que, como eu não acreditam na “fada da confiança”, por absoluta falta de evidência empírica, observam que o governo está tomando medidas que irão reduzir ainda mais o nível de demanda da economia.

A saída fiscal pode estar na emissão de dinheiro pelo Estado, por Everton Sotto...

O governo pode financiar os seus déficits sem precisar recorrer ao aumento da carga tributária ou ao endividamento público tradicional, basta que emita passivos não portadores de juros, isto é, dinheiro

Relembre: Banco Central independente de quem?, por André Motta Araújo

Na hoje longa história do Banco Central do Brasil há dois períodos: de 1966 a 1994 o BC esteve a serviço do desenvolvimento econômico do Brasil, de 1994 até hoje está a serviço do MERCADO FINANCEIRO.

Banco Central mantém Selic em 6,5% ao ano

Esta foi a primeira reunião do Copom sob o comando de Roberto Campos Neto. A decisão era esperada pelo mercado.

Banco Central independente de quem?, por Andre Araujo

Banco Central independente de quem?por Andre AraujoFui testemunha presencial da fundação do Banco Central em 1966 por iniciativa de Roberto Campos. Eu era então...

O quão estimulativa estaria a política monetária brasileira?, por Bráulio Borges e Gilberto Borça...

do Blog do IbreO quão estimulativa estaria a política monetária brasileira?por Bráulio Borges e Gilberto Borça Jr.De acordo com o Banco Central do Brasil...

Copom mantém Selic em 6,5% ao ano

Jornal GGN - O Copom (Comitê de Política Monetária), por unanimidade, manteve a taxa Selic em 6,5% ao ano. A última reunião do ano...

Taxa de juros e o interesse dos bancos, por Paulo Kliass

do Portal Vermelho Paulo Kliass: Taxa de juros e o interesse dos bancos Durante os dias 11 e 12 de dezembro está prevista a realização da...

Leia também

Últimas notícias

GGN