Após novos limites, Marginais tem queda de 30% nos acidentes

 
Jornal GGN – Dados da Companhia de Engenharia de Tráfego, divulgados hoje (19), mostram redução de 30% nos acidentes nas Marginais do Tietê e do Pinheiros, trinta dias depois da redução da velocidade máxima permitida nestas vias. A diminuição da velocidade é uma tentativa da prefeitura paulistana de diminuir o número de vítimas no trânsito. Em 2014, as Marginais tiveram 1180 acidentes, com 1399 feridos e 73 mortos.
 
Do Estadão
 
Número de acidentes cai 30% após novos limites nas Marginais
 
Dados da CET mostram ainda diminuição da lentidão no período entre a tarde e a noite; balanço completo será divulgado nesta 4ª
 
Trinta dias depois da redução de velocidade nas Marginais do Tietê e do Pinheiros, o número de acidentes caiu 30%, segundo dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), divulgados na manhã desta quarta-­feira, 19, pelo Bom dia São Paulo, da TV Globo. Os dados completos serão informados pela CET ainda nesta quarta. 

 
No balanço do primeiro mês de mudanças, houve diminuição da lentidão no período entre a tarde e a noite nas marginais. No dia 20 de julho, a velocidade máxima permitida passou de 90km/h para 70km/h na pista expressa e de 70km/h para 60km/h nas centrais. Nas pistas locais, caiu de 60km/h para 50km/h.
 
A redução da velocidade nas Marginais é uma tentativa da Prefeitura de São Paulo de diminuir a quantidade de mortos e feridos no trânsito. No ano passado, as Marginais registraram total de 1.180 acidentes, deixando 1.399 feridos e outros 73 mortos.

21 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

rdmaestri

- 2015-08-20 12:15:57

A resposta está na pergunta.

Por que um retirante de Guaranhuns não pode dar palestras?

Simplesmente porque ele é um retirante de Guaranhuns.

A lógica não está na lógica!

Sergio de Moraes Paulo

- 2015-08-20 00:39:07

Algumas considerações a respeito da redução da velocidade

LN, 

 

acabei de postar no FB com alguma repercussão positiva: 

 

Se a redução de velocidade nas marginais tiverem de fato evitado ao menos um única morte, já teria valido à pena. Mas, além disso, resultou em:

- redução de 30% do número de acidentes;

- diminuição da lentidão entre as tardes e as noites ( com menos acidentes foi reduzido a frequência e o tempo de fechamento de faixas);

- a longo prazo, a redução do número de acidentes pode impactar o mercado de apólices de seguro.

- menor número de acidentes significa também redução do número de afastamento de afastamento e ausências de trabalhadores;

- com menos acidentes e maior fluidez, diminui-se o tempo de emissão de gases que os carros inevitavelmente apresentam, trazendo ganhos ambientais e de saúde pública.

Percorro uns 10 km da marginal Tietê 4 dias por semana.
Com a alteração não mudei meu horário de saída e não tenho chegado mais tarde em casa.

Não faltei nenhum dia ao trabalho, não cheguei atrasado e não reduzi meu tempo de sono.

Por fim, constato que muita gente vociferou sem ao menos pensar no que estava sendo proposto.

Nessas horas lembro-me do meu professor Milton Santos que um dia disse:

"Só os tolos julgam a história antes dela ocorrer...".

Pois bem, a gritaria contra a redução da velocidade nas marginais já virou história. Os impactos positivos dessa redução estão por vir...

Ricardo Cesar

- 2015-08-20 00:24:17

Os coxinhas, não importa se

Os coxinhas, não importa se andam de Audi ou Celta, eles se acham o senna (ainda se se achassem o Piquet...), só eles podem andar de carro na velocidade que eles querem! Numa palavra: idiotas!

Ricardo Cesar

- 2015-08-20 00:21:24

desenha, senão ele não

desenha, senão ele não entende....

Alan Souza

- 2015-08-19 21:05:38

Com uma daquelas manilhas de esgoto!

joao comentarista

- 2015-08-19 20:36:40

façam as contas

não adianta andar a 90km/h em um trecho e ficar parado num ponto de estrangulamento. Isso só tende a piorar a situação nos pontos críticos e fazer com que fiquem mais tempo parado. Reduzir um pouco a velocidade no trecho permite que menos carros chegue ao ponto crítico num certo intervalo de tempo  e dê melhor fluidez ao transito naquele local, aumentando assim a média da velocidade e reduzindo a lentidão nos horários de pico. Claro que em horários tranquilos isso acaba deixando mais lento. Assim, ou escolhe-se ficar mais tempo parado nos horários de pico, ou gastar um pouco mais de tempo em horários tranquilos ou gastar muito dinheiro para permitir velocidades maximas distintas em horarios distintos.

 

a questão é descobrir qual a velocidade ideal para baixar, pois não adiantar baixar de mais. E este é um problema complexo que nem as melhores simulações disponíveis conseguiriam resolver...

Marcotog

- 2015-08-19 20:20:39

E quem confia na CET que

E quem confia na CET que apresentou um estudo que um veículo precisa de 170 metros para reduzir a velocidade de 90km/h para zero?

 

Aliás, já pagou a DARE?

Jorge Luis

- 2015-08-19 19:54:12

Texto extraído do G1

"O dado é da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e compara acidentes ocorridos no mesmo período do ano passado."

NNN

- 2015-08-19 17:10:37

Calendário...

Será que alguém esqueceu das férias escolares?

luiz valentim

- 2015-08-19 16:55:56

Quando um cara critica o que o outro faz de bom (aliancaliberal)

é porque já perdeu o argumento.

ruyacquaviva

- 2015-08-19 16:22:12

Pois foi o que o troll safado fez

Pois não é que foi justamente o que o troll safado mal alcunhado de "Aliança Liberal" fez!!! Bem que você avisou.

DeBarros

- 2015-08-19 16:21:50

Tiro e queda! Resolveu o

Tiro e queda! Resolveu o problema.

Incrivel como a coxinhada ainda tem ousadia de criticar essa medida, ante beneficios dessa magnitude.

Acredito que mesmo que Haddad descubra a cura do cancer, ande por sobre as aguas, e dote cada Paulistano da capacidade de voar, ele ainda sera considerado inservivel para essa "gente", pelo simples fato de ser to PT. Prefeririam muito mais um ladrao dissimulado, preguicoso e inutil Tucano, a um Prefeito trabalhador, obreiro e resolvedor de problemas de um partido da esquerda.

Definitivamente, os valores dos Paulista foram virados de cabeca para baixo.

ruyacquaviva

- 2015-08-19 16:20:20

Entubada de grosso calibre

Mas que essa foi uma entubada no rabo daqueles que estavam xingando o Haddad, lá isso foi...

E com um tubo de grosso calibre.

ruyacquaviva

- 2015-08-19 16:18:16

Falou o maior mentiros do blog...

E quem confia em um troll tucano mentiroso e covarde?

aliancaliberal

- 2015-08-19 16:10:08

Ai você vai ver que em um ano

Ai você vai ver que em um ano aumentou os acidentes, não sei mas quem confia em numeros de um governo  petista.

Alan Souza

- 2015-08-19 15:44:33

É duro...

O paulistano prefere a morte do que concordar com o Haddad...

joao

- 2015-08-19 14:47:34

Rss
O Que vamos fazer e acabar com rio tiete, nao podemos. Kkk

luiz valentim

- 2015-08-19 13:54:55

Fizeram muito barulho agora será apenas notinha de rodapé o

ou notícia relâmpago nas TVs . e continuará a perseguição a Fernando Haddad, pois ele é candidato ano que vem e a porca mídia demoniza tudo dele só baixam um pouco a bola quando a populaçãi sente os benefícios. 

O Lula divulgou seus clientes das palestras dadas, ele não tinha obrigação mas diante das mentiras fez o melhor.

Esse blog já postou a notícia?

Bernardinho do volei, Oscar shimitt,do Basquete, Bil clinton FHC ,etc todos podem dar palestras , menos o retirante de Guaranhuns.

A suposição do Lula ser candidato em 2018 o fêz virar vítima até 2018

Marcotog

- 2015-08-19 13:39:40

Há quem queira mortes nas

Há quem queira mortes nas ciclovias:

 

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/08/1670620-homem-morre-apos-ser-atropelado-por-ciclista-na-ciclovia-sob-o-minhocao.shtml

Zé Francisco

- 2015-08-19 12:53:26

Tem paulistano que quer

Tem paulistano que quer monóxido de carbono, ditadura militar, rota na rua, volta do Sarney, ser Edurado Cunha e morrer no trânsito. Fazer o que?

Jorge Luis

- 2015-08-19 12:49:14

O pessoal do "não vai dar

O pessoal do "não vai dar certo" agora parte para a fase 2: "os dados da CET são manipulados".

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador