Catástrofe das queimadas é política: elite também queria voltar a devastar florestas, por Gustavo Conde

Eu conheço a psicologia do branco grileiro de terra, em geral herdeiro do pai grileiro, que por sua vez, herdou do avô grileiro.

Brasília (13/06/2018) – O Ibama e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) de Mato Grosso, com apoio do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer-MT) e da Força Nacional, iniciaram nesta terça-feira (12/06) operação conjunta para coibir o desmatamento ilegal da Amazônia. Na primeira ação, agentes ambientais flagraram o corte raso de 160 hectares em área de Reserva Legal em Tapurah (MT) por correntão, técnica que usa dois tratores e uma corrente com elos grossos para derrubar a vegetação nativa.Na base utilizada pelos infratores foram apreendidos um caminhão, uma pá carregadeira, uma moto, uma camionete, motosserras e documentos que evidenciam a saída da madeira, além de fichas de funcionários e comprovantes de transações bancárias. A Sema estima que a ação evitou o desmatamento de outros 800 hectares.Foto: Mayke Toscano/Gcom-MT

Catástrofe das queimadas é política: elite também queria voltar a devastar florestas

por Gustavo Conde

Esse desejo de tacar fogo na terra é uma das características mais eloquentes dos homens brancos.

Se você é branco, homem e tem uma fazenda, provavelmente vai querer “limpar” o terreno colocando fogo em tudo.

É infalível.

Eu sei do que digo. Eu moro no Vale do Paraíba, caras pálidas. Umas das regiões mais desumanizadas do país, a última a abolir a escravidão, terra de grileiros e gente estruturalmente corrupta – a exceção do povo trabalhador, que gera a riqueza que será roubada.

Eu conheço a psicologia do branco grileiro de terra, em geral herdeiro do pai grileiro, que por sua vez, herdou do avô grileiro.

Filho de grileiro, grileirinho é.

Eu sei o tamanho da contrariedade deles com o rigor da fiscalização brasileira, que se intensificou nos anos de democracia recente, iniciados em 2003 e exterminados em 2016.

Eles praticamente só falavam nisso, quando eu tinha a infelicidade de encontrar alguns deles nos bares ou nas casas em que trabalhava como músico.

Era uma tristeza para eles não poder arrancar um mísero pé de árvore nativa, às vezes só pelo prazer de arrancar (homem branco é assim).

Mas eles tinham medo de tocar fogo. Sabiam que o Ibama e os órgãos de fiscalização eram sérios, multavam e prendiam.

Era só mencionar a proibição de desmatar e queimar que eles fechavam a expressão e praguejavam. Não é trivial ser descendente direto dos bandeirantes, os maiores genocidas da história brasileira, representados em livros didáticos feitos para brancos e por brancos como “desbravadores”.

Leia também:  Disputa no home office do genocídio, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Pois bem.

Precisa explicar a felicidade deles agora?

Eu me lembro de um cidadão, aqui da minha terra sangrenta, comemorando uma queimada criminosa em uma propriedade dele na mata atlântica. Ele se safou, mas eram anos FHC, em que a fiscalização ainda engatinhava e funcionava muito na base do compadrio.

Em suma, nossa elite branca não ficou só contrariada com a performance intelectual superior dos pretos e pobres, com os aeroportos cheios de gente de verdade e com a massificação do consumo e do ensino básico e superior.

Eles ficaram histéricos com a proibição de desmatar, de queimar, de destruir florestas, biomas e ecossistemas, esses ‘conceitos’ de comunista.

A destruição do Pantanal e da Amazônia é consequência direta e projeto direto dos operadores do golpe, dessa gente que saiu às ruas com a camiseta amarela da seleção pedindo fora Dilma e Lula preso.

Os veículos de imprensa também comemoram a destruição dos maiores biomas do mundo. Para eles, é como virar a página, como finalizar aquilo que os europeus carniceiros começaram e “lamentavelmente” não terminaram aqui no Brasil (porque nos EUA e na América Latina, em geral, o ‘trabalho’ foi feito).

Esse é o atual estágio das coisas aqui em Pindorama: genocídio, devastação ambiental, extermínio institucional e branquitude estrutural nos corredores do que restou de produção intelectual e/ou política – sempre à exceção do PT, único partido verdadeiramente democrático e único partido diuturnamente atacado por nossas elites midiático-financistas.

Meu filho não verá a Amazônia. Para ele, ela será sempre uma lembrança estranha e difusa de um passado atípico e soberano cujos lampejos democráticos quase participaram de seu futuro agora interrompido – não fosse a vocação assassina, torpe e impostora da nossa elite branca.

3 comentários

  1. E não precisa ir muito longe não…
    conheci um desses bolsonaristas, antigo grileiro da região rural de Teresópolis – RJ, que passou a ficar de olho em todos os pedacinhos de reserva florestal protegida, pensando seriamente em tacar fogo em todas as reservas que fazem limites com sua propriedade ilegal apenas para criar cavalos de raça pura de corredores e muito valiosos.

    Bolsonarismo liberou geral para estes seres do inferno, pois num ambiente onde vivem e se reproduzem centenas de animais silvestres, vai passar a existir apenas um

  2. Os criminosos têm nomes. O agente federal responsável pelos crimes ambientais, Caio Cordeiro, está liderando as prisões de ambientalistas e a destruição das instituições o IBAMA e o IPAAM.
    Juntamente com o Procurador Galano (que destruiu a Fundação AMAZONIA), são eles os principais culpados dos incêndios!
    (o botão do tradutor está no topo)
    http://cstcommand.com/index.php/countries/yuzhnaya-amerika/braziliya/item/22-mezhdunarodnyj-prestupnik-berjot-v-zalozhniki-amazoniyu-i-rabotaet-na-ssha-rassledovanie
    http://cstcommand.com/index.php/countries/yuzhnaya-amerika/braziliya/item/575-cst-command-soobshchayut-iz-brazilii-ob-usilenii-repressij-organizovannykh-temi-zhe-kto-presledoval-rossiyan

  3. É verdade, registre-se. Povo insensato que, nem é capaz de imaginar que destruindo as Reservas Legais, as Áreas de Preservação Permanentes(APP’s), suas florestas, fontes e nascentes e mananciais, etc, estão atentando contra a própria vida e contra sobrevivência da humanidade, uma vez que estão destruindo o seu abastecimento de água e por, se condenando a protagonizarem campanhas infinitas de torneiras sem água. Duvidam? pois então aguardem os resultados e sejam felizes.
    Abaixo, a íntegra do Artigo 3º da Constituição Federal da República Federativa do Brasil, para quem não conhece e entender melhor as responsabilidades dos entes federais dos 03 Poderes, servidores do povo, de acordo com o Parágrafo Único do Artigo 1º da Constituição Federal :
    ” Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
    I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;
    II – garantir o desenvolvimento nacional;
    III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;
    IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”.
    Associado com:
    “Art. 3º Desde que não impliquem despesa permanente, as proposições legislativas e os atos do Poder Executivo com propósito exclusivo de enfrentar a calamidade e suas consequências sociais e econômicas, com vigência e efeitos restritos à sua duração, ficam dispensados da observância das limitações legais quanto à criação, à expansão ou ao aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento de despesa e à concessão ou à ampliação de incentivo ou benefício de natureza tributária da qual decorra renúncia de receita.
    Parágrafo único. Durante a vigência da calamidade pública nacional de que trata o art. 1º desta Emenda Constitucional, não se aplica o disposto no § 3º do art. 195 da Constituição Federal.”
    Sebastião Farias
    Um cidadão brasileiro nordestinamazônida

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome