Cliente é coagida por vendedora a limpar vômito de criança em loja de roupas

Jornal GGN – Um caso insólito de mau atendimento ao consumidor ocorreu dentro de uma loja da rede Malwee, em São Paulo. No último domingo (8), Jóice Guimarães foi coagida por uma vendedora da unidade do Shopping Interlagos, na zona sul da cidade, a limpar o vômito da filha de 4 anos, que passara mal no local.

Em seu relato no Facebook, que teve mais de 12 mil compartilhamentos, ela disse que foi até a loja para trocar um presente que a menina havia ganhado.  A mãe disse que socorreu a garota, sem ter a ajuda de nenhum funcionário da equipe.

“A vendedora olhava friamente, sem manifestar a mínima solidariedade, oferecer ao menos um copo d’água ou perguntar se precisávamos de alguma ajuda, chamar algum serviço de emergência talvez… Nada. Depois que minha filha estava limpa e sem blusa, no frio do ar condicionado da loja, a vendedora se aproxima e percebo que ela tinha trazido um rodo, um balde com água e pano sujos, de forma imperativa ela diz: “por gentileza, a senhora limpe essa sujeira da loja”, afirmou.

Desnorteada, Jóice disse que limpou o local, mesmo após ter comprado uma roupa nova para a menina. “Eu estava tão aflita, preocupada com a minha filha, com o desconforto e frio que ela sentia que comprei uma blusa para ela, a vesti e depois limpei a loja, monitorada pelos vendedores e clientes que entravam na loja”.

Após o constrangimento, Jóice saiu da loja e escreveu o relato em sua página pessoal. Com a repercussão do caso, a loja se pronunciou na rede e pediu desculpas. Na segunda-feira (9), segundo os relatos de Jóice, uma representante da rede foi até a sua casa formalizar as desculpas e entregar quatro sacolas de roupas para sua filha – que foram doadas para o Exército da Salvação.

Procurada pelo Jornal GGN, a empresa afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que os funcionários envolvidos no caso foram substituídos.

Leia, na íntegra, o pedido de desculpas da rede:

“Estamos cientes do ocorrido com a Sra. Jóice e sua filha M.F. em uma de nossas lojas. Realmente, a falta de atenção, de compreensão e insensibilidade que caracterizaram o atendimento no dia 08/09 na loja de Interlagos foi incondizente com os valores e compromissos da Malwee e com o treinamento realizado com a equipe das lojas. Além de não ser parâmetro de ética e respeito às pessoas, não somente em nossas lojas, mas em qualquer estabelecimento.

A Malwee entrou em contato com a Sra. Jóice para esclarecer o ocorrido e pedir desculpas e concordamos com todos ao dizer que essa atitude foi abusiva e merece um retratamento oficial, assim como uma abordagem direta com os colaboradores da loja em questão para que as medidas cabíveis sejam tomadas. É por isso que postamos esse comunicado em forma de desculpas aqui em nossa página e agradecemos a opinião de todos que puderam contribuir para que nosso atendimento possa ser ainda melhor.

Abraços.”
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome