Israel continua a atingir crianças em ataques à Faixa de Gaza

Crianças palestinas mortas em ataques israelenses

Por Mohammed Omer

Do Al Jazeera

Rafah, Faixa de Gaza – A mãe de três filhas e um filho, Umm Fadi, está tentando confortar suas crianças, mas a menina de nove anos, Raghd, chora a noite inteira enquanto os ataques aéreos israelenses continuam a atingir a Faixa de Gaza. “É difícil explicar política para as crianças. Elas ouvem os meninos de outros bairros falarem que Israel está bombardeando de novo, mas eu não consigo dizer por que”. Umm Fadi vive com o marido e os filhos no campo de refugiados de Tal al-Sultan.

Na quinta-feira, um ataque aéreo israelense matou sete civis palestinos, incluído cinco crianças. Segundo o Ministro da Saúde, é o maior número de mortes em um único ataque desde que começou a ofensiva de três dias. A estimativa do Ministério é de que 32 palestinos já tenham sido mortos, mais de 230 estejam feridos e 64 casas tenham sido completamente destruídas.

“Eu estou com medo. E minhas crianças vêm se esconder no meu quarto. Como eu posso mostrar pra elas que não estou com medo?”, diz Umm Fadi, que evita sair de casa, mesmo durante o dia, por medo se ser ferida ou morta.

De acordo com a ONG de defesa dos direitos das crianças, Defence for Children International (DCI), até quarta-feira, pelo menos oito crianças palestinas já haviam sido mortas nos bombardeios israelenses. Dezenas foram feridas. Seis crianças morreram em um único ataque aéreo quando uma bomba atingiu a casa de Odeh Ahmad Mohammad Kaware, acusado de ser ativista do Hamas.

“Para cumprir o objetivo de destruir uma casa, que não é um alvo militar, seis crianças morreram”, afirmou Eyad Abu Eqtaish, diretor da DCI. “A comunidade internacional tem a obrigação de fazer pressão em Israel pelo cumprimento das regras estabelecidas pelas Convenções de Genebra. É claro, pelo grande número de civis palestinos atingidos, que Israel está atacando indiscriminadamente a Faixa de Gaza”, diz Abu Eqtaish.

Em declaração feita na última terça-feira, o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, negou as alegações de que o país está mirando civis. “O alvo de Israel são os terroristas do Hamas e não pessoas inocentes. Por outro lado, o Hamas ataca civis israelenses enquanto se esconde atrás de civis palestinos. Portanto, o Hamas é responsável por qualquer dano causado para civis nos dois lados do conflito”.

De acordo com o médico palestino, Ahmed Abu Tawahinah, as crianças da Faixa de Gaza estão submetidas a situações de estresse extremo e muitas delas precisam de apoio para lidar com transtornos de estresse pós-traumático. “Trauma é um termo usado no ocidente para definir situações normais, seguidas por um colapso. O colapso é o trauma. Mas pra nós, palestinos, o trauma é a vida cotidiana”, afirmou Abu Tawahina. “O termo trauma não é suficiente para descrever o que está acontecendo em Gaza. Eu não estou convencido de que nós estamos conseguindo expressar o horror dessa situação”.

Na última grande operação de Israel em Gaza, 33 crianças palestinas foram mortas. Em 2008 e 2009, na ofensiva de três semanas que ficou conhecida como Operação Chumbo Fundido (Operation Cast Lead), 353 crianças morreram e outras 860 ficaram feridas.

A Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina apurou um crescimento de 100% nos índices de transtornos de estresse pós-traumático. 42% dos pacientes tinham menos de nove anos de idade. A Unicef também apontou que 91% das criança entrevistadas em Gaza têm dificuldades para dormir, 85% não conseguem se concentrar e 82% têm sintomas de raiva e tensão.

“As crianças não tem a mesma capacidade para lidar com essas circunstâncias difíceis. Os pais e demais membros da família oferecem todo apoio que podem para os jovens, para acalmá-los e diminuir seu medo”, explica Ussam Elnounou, do Programa de Saúde Mental Comunitária de Gaza. De acordo com Elnounou, crianças traumatizadas frequentemente desenvolvem problemas psicológicos, que podem incluir um apego excessivo aos pais, tendências a molhar a cama e medo de barulhos altos, como resultado direto dos bombardeios. “Gaza está em um cerco contínuo. A situação já é muito ruim política, econômica e socialmente. Essa guerra está jogando combustível no fogo”.

Em Rafah, Umm Fadi diz que suas filhas começaram a molhar as camas, algo que também aconteceu durante a operação militar israelense de novembro de 2012. “Agora o trauma está conosco novamente. Minhas filhas se assustam até com o barulho da porta da geladeira sendo fechada”.

Tradução: Jornal GGN

83 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Julia Almeida

- 2015-06-07 10:37:47

Besteiras

Vcs todos estao se fazendo de bobos, ne, so pode ser. Vcs sabem que essas fotos sao do masscre que ainda esta acontecendo na Siria, ne? Vcs sabem q eh o proprio hamas q nao deixa a populacao palestina se esconder. Vcs sabem q Israel envia semanalmente comida, agua e remedios para Gaza e quem nao deixa entrar eh o hamas, ne?

Me digam q vcs estao se fazendo de bobos...

Quem faz massacre, estupra, decapita, etc sao seus amigos do estado islamico, sao os terroristas do hamas, do hizbollah, do fattah, do jihad islamico. Acho q vc se confundiu!Em Israel eh democracia. Eh onde pessoas de varias religioes, cores e orientacoes sexuais podem viver livres e sob as mesmas leis e direitos. Vcs sabem!

Nômade

- 2015-03-30 22:17:01

"Sai fora" assim como os

"Sai fora" assim como os Israelenses querem fazer com os palestinos?!!

natyh

- 2014-08-10 20:58:06

Nao existe justificativa para

Nao existe justificativa para esses ataques, até pq nao se faz guerra em nome de Deus

Zélia

- 2014-07-30 06:54:19

https://www.youtube.com/watch

https://www.youtube.com/watch?v=SkK87QGCQcE

 

VEJAM ISSO

sandro s soares

- 2014-07-20 14:44:48

muito serio
Jesus cristo está vindo.

Gonçalves

- 2014-07-15 20:02:57

Mas meu caro, a mídia

Mas meu caro, a mídia brasileira não está totalmente em branco, só a rede globosta com a preocupação com copa do mundo (que já terminou mas não param de falar nisso),sbt sem plavaras, um lixo e por aí vai...
Mas o canal Record News (aberto) e Band News (tv por assinatura), não estão em branco, nem precisamos de CNN e outros para ver tamanha barbarie. E ainda vem artistas de meia-tigela preocupados com Boko HAram com as estudantes nigerianas.

Caetano Greco Junior

- 2014-07-14 16:23:02

Nível intelectual copiativo?

Meu caro, o seu caráter eu reconheço pelo simples fato de você usar um pseudônimo em uma comunidade virtual. Eu quis evidenciar a sua boçalidade, escondida na sua covardia, em usar termos chulos em uma conversação, e não só nesta, pois você, ou seja lá o que for, é uzeiro e vezeiro desta forma de se relacionar com o contraditório. A lamentar que a sua intelectualidade não consiga reconhecer a diferença entre uma cópia e uma citação. Lamentável, ainda, eu estar discutindo com alguém que não é ninguém.

Patricinho

- 2014-07-14 02:59:56

Graça

"O dia que Israel atacar de ''graça'' qualquer palestino, eu me rendo". 

Então levante as mãos e entregue as armas.

Patricinho

- 2014-07-14 02:48:20

nazista = sionista

Outra desonestidade sua: Israel não foi criado com o propósito nobre de abrigar refugiados. Os refugiados é que foram usados como massa de manobra, como ameaça, para possibilitar a criação do estado de Israel. Por trás desse aparente ato de humanismo estava o interesse da reformulação do capitalismo mundial. 

Até nisso os assassinos se igualam: nazistas e sionistas fazem o mesmo papel. Só mudam os emblemas. 

Patricinho

- 2014-07-14 02:42:58

Cara de pau

O seu argumento sobre a "expulsão" de judeus de países árabes é malicioso e por extensão, abriga mentiras. Quando menciona expulsão - que pode até ter ocorrido -  omite que muitos judeus AINDA HOJE vivem em comunidade com seus hábitos e cultura próprios em vários países muçulmanos, árabes ou não. Precisa citar quais? Você é crescido, sabe que existem.

Patricinho

- 2014-07-14 02:19:07

Espertinho

Meia verdade é meia mentira, sabia? Onde foi que aprendeu a lidar com números falsos? 60% de sabras em Israel é forçar a barra, né coleguinha? Está usando a estatística no "modo ricupero". Vejamos: a palavra sabra serve para designar os judeus nascidos no oriente médio, mais precisamente na Palestina, no período que antecede a invasão criminosa dos sionistas europeus. É um termo judeu usado para diferenciar o judeu nascido palestino do judeu europeu ou ianque, que começavam a emigrar para lá. O que você fez? Transformou em sabras todos os judeus nascidos lá depois do golpe sionista. Aí o número é maior, claro. Olha o absurdo que você defende. Colocou no mesmo saco os judeus que viviam lá - e viviam em paz com os palestinos, é sempre bom dizer - e os judeus filhos dos europeus que emigraram. De repente, europeu virou sabra e vice-versa? Conta pra nós: você usa o manual Novilíngua ou aprendeu com os sionistas filhos de Goebbels? 

Giusepe Rangel

- 2014-07-13 01:07:34

Eu também estou ávido em

Eu também estou ávido em saber a diferença.

Giusepe Rangel

- 2014-07-13 00:54:24

Patricinho, você foi muito

Patricinho, você foi muito feliz em seu comentário, o pior é que ainda tem alguns D.M, desinformados que defendem as barbaries cometidas pelo estado de Israel.

Giusepe Rangel

- 2014-07-13 00:46:30

Meu Deus! Será que ninguem

Meu Deus! Será que ninguem vai impedir essa carnificina! Essa covardia! Essa sacanagem!

Cadê a ONU, cadê o Obama, cadê a União Europeia, assisti ao elouquente pronunciamento do Presidente da Venezuela, pedindo ajuda ao mundo para defender as criaças.as mulheres que por sinal naquela região são consideradas como material de consumo. 

Que tristeza ver a mídia brasileira passar em branco, gente o que é isso?

Se alguém interessar pelo assunto, use o controle remoto, e veja (não é revista veja) sintonizando canais estrangeiros, todos estão direto en vivo mostrando a barbárie que Israel está praticando contra os palestinos.

"Quanto mais conheço os homens, mais admiro os cães" 

Anarquista Lúcida

- 2014-07-12 19:06:39

O único problema é definir o que é ser judeu

A definiçao religiosa nao basta, porque há muitos judeus nao religiosos (quase todos grandes intelectuais: Mark, Freud, Chomsky...). A definiçao "étnica" é pelo menos parcialmente mítica, porque nada garante que todos os judeus sejam realmente descendentes dos antigos hebreus da Palestina antiga; hoje, como você disse, há judeus de várias origens étnicas mais próximas e reais. Talvez o único traço realmente caracterizador seja cultural; sao judias as pessoas que se consideram judias e se identificam, se nao com a religiao, pelo menos com a cultura judaica (caso seguramente de Freud; nao sei quanto a Chomsky e ACHO que nao é o caso de Marx). 

Anarquista Lúcida

- 2014-07-12 18:58:36

Fatos?!! Tá de gozaçao? Que fatos?

Parece que bebe. 

mauricio moreira

- 2014-07-12 18:51:52

quando falta argumentos ....

 tenta se se desqualificar os oponentes,, " CONTRA FATOS NAO EXISTEM ARGUMENTOS " !!!!!!

Almeida

- 2014-07-12 09:22:17

Se tomassem a mãe dele como escudo,

Ele acharia normal e pefeitamente justificável passar fogo na velha. "Escudo humano", uma expressão que reduz seres humanos a condição de objeto, de coisa inanimada, faz parte da novilíngua e do duplipensar do arsenal goebbelsionista, são aquelas mentiras para serem repetidas mil vezes até se tornarem verdades, porque eles sabem que existem imbecis alienados para repeti-las feito papagaios.

Jaime

- 2014-07-12 05:51:30

Certo, Ruy, e o que o mapa da

Certo, Ruy, e o que o mapa da região tem a ver especificamente com o meu comentário, exceto para mostrar que os árabes deveriam ter aceitado a partilha em 1947, em prol dos palestinos?
Ainda assim eu respondo: qualquer pessoa razoável é favorável a solução de 2 estados nas fronteiras pré-67 com trocas; é contrária aos assentamentos judaicos além da linha verde, como muitos judeus e israelenses também são contrários. E essa opinião coincide com do próprio Chomsky que defende a mesmíssima coisa. Qualquer solução fora disso é (ainda mais) utópica. Então, como a tua resposta foi direcionada ao fato de que 60% dos judeus de Isarel são sabras, podemos assumir que você está propondo, sei lá, a expulsão dos judeus de Israel? Porque realmente não está dando para te entender: como até agora você não fez uma única crítica ao Hamas - posso supor também que você se alinha com o discurso deles - vem com a esdrúxula e mentirosa comparação desse conflito com o holocausto - mas parece pregar coisa muito pior.

Jaime

- 2014-07-12 05:37:30

Como eu disse, há excessos,

Como eu disse, há excessos, condenáveis. Nada que você apresenta é novidade. E nada disso justifica a tua comparação com o holocausto ou caracteriza genocídio. A morte de civis é condenável, e civis morreram dos dois lados do conflito. A expansão dos assentamentos na cisjordânia é condenável, as ações contra Gaza são questionáveis, assim como são condenáveis os foguetes lançados sobre a população de Israel. Sei, sim, que as forças são assimétricas. Mas não seja ingênuo de achar que se Israel não tivesse poderio militar de dissuasão, um genocídio de verdade já não teria ocorrido e isso independeria da situação do sofrido povo palestino.

Jaime

- 2014-07-12 04:08:55

Entendo ...

Eu entendo o seu raciocínio. Você é que não entendeu o meu. Eu sequer tentei justificar massacres e até disse que não concordo com o tipo de ataque que Israel faz a Gaza. (E, sobre a forma de Israel agir, deliberada, ora para proteger civis palestinos e ora desprezando o risco da presença de civis - isso está surpreendentemente relatado no documentário The Gatekeepers (2012) em entrevistas com os próprios protagonistas israelenses ex-chefes das forças de defesa, onde também aparecem os seus conflitos morais, que ficam evidentes - e algumas operações militares contra Gaza são descritas). 

O que eu discordo veementemente do teu discurso é a comparação com o holocausto, e o emprego do termo genocídio, pois não existe justificativa qualitativa e muito menos quantitativa para tais comparações. Eu também acho que faltam críticas ao Hamás e sobram críticas aos israelenses num certo discurso típico do anti-sionismo, inegavelmente maniqueísta, que invariavelmente falta com a verdade. Sobre "a intenção de manter o conflito" é fato que o governo de Israel não está disposto a fazer as concessões necessárias para a solução de 2 estados e a expansão dos assentamentos é prova disso. Mas o mesmo vale para os palestinos, ou não? A AP está disposta a abrir mão de Jerusalém como capital? E o que dizer do Hamás e do Hezbolah, que sequer aceitam negociar? Qualquer análise razoável da situação precisa olhar para os dois lados.

ruyacquaviva

- 2014-07-12 03:40:53

(Sem título)

ruyacquaviva

- 2014-07-12 03:35:44

O uso da força indiscriminada

O uso da força indiscriminada por Israel é fartamente documentado.

Esta não é a primeira incursão na Faixa de Gaza nem nos territórios palestinos. Já está documentado o uso de bombas de fragmentação e fósforo branco, armas proibidas por convenções internacionais devido a usa crueldade. Foi documentada a demolição de casas de civis palestinos como represária à ação dos grupos chamados terroristas, como se a ação desses grupos justificasse todo tipo de desrespeito aos direitos humanos. Gaza foi cercada e o fornecimento de água, alimentos e medicamentos foi cortado, produzindo mortes de civis por fome e doenças.

Israel tem uma ação SISTEMÁTICA de opressão contra a população civil palestina, não são excessos pontuais, é uma política de Estado. Não adianta ficar alegando mentiras, há farta documentação dos abusos sistemáticos e da violência calculada aplicada pelo Estado de Israel. O motivo é fácil de se observar através dos resultados obtidos:

Jaime

- 2014-07-12 03:01:24

Então, para a sua informação,

Então, para a sua informação, mais de 60% da população judia israelense é de sabras. E os que sobram não são só europeus e americos. Há, inclusive, judeus e descendentes daqueles que foram expulsos de países árabes, que naturalmente, Israel absorveu (ao contrário dos países árabes que nunca tiveram interesse em absorver palestinos).

E, obviamente, Israel não foi "montado para implantar o ocidente dentro do oriente": o oriente médio era parte do império britânico quando da criação do Estado de Israel. Certo ou errado, concorde ou não, Israel foi criado para abrigar judeus refugiados ou que quisessem emigrar para lá. Se não fosse por isso, a proposta de 2 estados sequer faria qualquer sentido.

Heitor Soares de Almeida

- 2014-07-12 02:56:21

Cara, você falou e

Cara, você falou e disse.

Pretendia responder aos impropérios do indigitado comentarista (?). Mas você esgotou todo o repertório argumentativo que eu pretendia utilizar.

Tenho certeza que somos solidários com o sofrido povo palestino.

Abraços, Heitor

Jaime

- 2014-07-12 02:42:30

Não tem mesmo comparação.

Ruy,

Leia o que você mesmo escreveu: os nazistas exterminaram a população do gueto. Logo, não tem mesmo comparação.  Nesse conflito, tem até feridos de Gaza (assim como feridos da guerra civil da Síria), sendo tratados em hospitais israelenses; e, de novo: não que isso justifique os inocentes mortos e feridos. Pode até haver racistas que defendam soluões radicais, como a expulsão dos palestinos, assim como radicais do Hamás defendem a expulsão ou o extermínio dos israelenses. A esses, talvez, você teria razão em chamá-los de 'nazistas' e fazendo a comparação que fosse. Só que isso não ocorrerá, porque Israel comete excessos, alguns condenáveis, mas não usa a "força indiscriminada" que possui, como você diz.
 

Walter o primeiro

- 2014-07-12 02:14:08

ANTISSEMITISMO, sejamos contra

Nada fomenta mais o antissemitismo do que as atitudes sanguinaria de Israel

Varios são os judeus de boa vontade que não aprovam as atitudes do Estado de Israel, inclusive dentro e fora de Israel

Vale lembrar Noan Chomsky e Ilan Pappe

Eles sabem que o povo judeu conhece como poucos povos o que é sofrimento e esta sabendo tambem, como poucos, fazer os outros sofrer

Patricinho

- 2014-07-12 02:12:29

Sério?

Se o papel aceita qualquer coisa, imagina o teclado do Free Wrankler, coitado.    

Patricinho

- 2014-07-12 01:51:50

É uma charada, xarás.

Judeu é o membro da comunidade religiosa mas também pode ser o indivíduo que adotou o judaísmo (páter de todas as fés cristãs e islâmicas). Judeu também é o indivíduo que repeita os escritos do Torá assim como o muçulmano respeita o Corão, jejua que nem o muçulmano, comete a circuncisão masculina do mesmo modo que o muçulmano também, não come carne de porco e o muçulmano também não. Ser judeu também é ser uma pessoa que repeita a história e a cultura dos seus antepassados. Mas há judeus anti-Israel, judeus árabes, judeus anticlericais, ateus, marxistas e pasmem... até anarquistas. O que aliás engrandece a categoria, porque ser anarquista é um sinal de inteligência, de universalidade, de solidariedade humana, coisa rara entre as seitas.

Israelense é diferente. É o sujeito que nasceu dentro do Estado de Israel depois que a ONU deu aos sionistas o direito de expulsar os palestinos de suas terras. Todos que nascem dentro do território mais elástico do mundo é israelense, incluindo árabes, ateus, judeus, muçulmanos, católicos e até testemunhas de Jeová. Agora, se todos tem o mesmo direito, isso já é outra história. Porque não têm. Os escolhidos (judeus de origem européia e norteamericana) são mais israelenses que os demais. O que de certa forma é compreensível, pois são brancos, de olhos claros e tem poder aquisitivo maior.

Agora sionista é mais simples. Este não precia morar em Israel, nem jejuar aos sábados, pode até ser evangélico. É o judeu anabolizado, versão dois.ponto.zero, convicto de que é o máximo, arrogante como os camisas negras e disposto como um cão das SS. É solidário apenas com seus joelhos. Acha que matar crianças palestinas é direito sagrado concedido por Jeová. Mas se quiser entender sua alma, pode chama-lo de fascista. 

Anarquista Lúcida

- 2014-07-12 01:47:13

Sua capacidade de aprendizagem o álcool já comeu faz tempo

Nao vou perder meu tempo com sua trollagem, até porque tenho quase certeza de que você sabe muito bem a diferença que está perguntando. Passa fora, seu reaça decadente. Até antissemitismo? Francamente. 

Galvão

- 2014-07-12 01:09:44

Uma pequena história sobre a Faixa de Gaza

[video:http://youtu.be/kSRac1zktP0]

ruyacquaviva

- 2014-07-12 01:05:33

Não justifica...

Os nazistas justificaram o extermínio da população do Gueto de Varsóvia dizendo que apenas reagiram ao levante do Gueto, quando uma parte dos judeus oprimidos e famintos pegou em armas contra os opressores.

Estude um pouquinho de História antes de falar, porque a comparação é completamente pertinente.

Nada justifica a violência desproporcional e indiscriminada que Israel usa contra o povo palestino. E não é contra o Hamas ou os terroristas, é evidente e inegável que a violência é aplicada indiscriminadamente contra o povo palestino.

Não se trata dos terroristas esconderem-se atrás da população civil, trata-se de matar civis para retaliar as ações dos militantes palestinos.

E muitas vezes grupos israelenses provocam a violência para justificar os massacres. São muitas as provas de provocações e até mesmo de ações disfarçadas para justificar a violência.

O Estado de Israel passou todos os limites, o mundo inteiro está conciente do processo de extermínio e opressão em curso.

 

Patricinho

- 2014-07-12 00:58:48

Você tentou.

Mas não explicou nada de nadica. Usou a lógica reversa do fato consumado para estabelecer uma relação de causa e efeito mentirosa e inútil. Um raciocínio fácil, emprestado dos manuais do Goebbels. Saiba: Israel é o invasor. Os palestinos estão na terra deles. Os judeus sabras (nascidos lá, antes da invasão) também estão na terra deles. O resto é europeu e norteamericano, que de judeu só tem o nome e a crença de que são o que imaginam ser. É um Estado melancolicamente fictício, montado para implantar o ocidente dentro do oriente. 

É igualmente uma estupidez xenófoba comparar Argentina e Brasil com aquela situação. É muito olavo-de-carvalho sua hermenêutica. Se disesse que era reinaldo-de-azevedo, estaria diminuindo seu esforço intelectual. Israel é uma anomalia histórica, uma mentira histérica, uma ideologia dantesca. Não há nada que se compare àquilo. Sua exegese messiânica chama impunemente o fascismo de democracia. Com uma cara de pau que nem o Jabor tem.

Quando terminou a Segunda Guerra, dizia-se que nunca a humanidade tinha visto tamanho horror, por causa do Holocausto e dos crimes em massa praticados pelos nazistas. Parece absurdo dizer (porque a história já está escrita na ordem cronológica), mas os nazistas devem ter aprendido aquelas técnicas de extermínio com os sionistas. 

ruyacquaviva

- 2014-07-12 00:58:40

Não justifica...

Seu blá-blá-blá não consegue justificar o massacre que todos estamos vendo e que nãpo é de hoje.

Por muito tempo coloquei a questão em uma balança e defendi Israel.

Mas é evidente que o Estado de Israel (não o povo e nem ao menos o País, falo do Estado de Israel, o que é diferente assim como o Estado Nazista não era o povo alemão e nem o país Alemanha) é um estado terrorista que tem a intenção firme de manter a situação de conflito constante e a opressão ao povo palestino.

Essas questões que você coloca já não cabem diante da desproporção brutal de recursos, poder bélico e de uso da força. Não tem como disfarçar mais perante a humanidade, trata-se de uma política deliberada e não uma reação à barbárie dos palestinos como é alegado.

Minha comparação com o Gueto de Varsóvia não é forçada, ela é real e todo o mundo está vendo isso. Não está mais dando para disfarçar, trata-se de uma perseguição sistemática a um povo inteiro e o objetivo é manter a violência para o dinheiro continuar fluindo pelo complexo industrial-militar.

 

jorge paula

- 2014-07-12 00:49:04

Sinceramente não entendi.  

Sinceramente não entendi.

   Mas suponho que vc esteja concordando com alguns ''palestinos'' matando CRIANÇAS E ADULTOS israelenses com bomba na cintura. Nao estou concordando com mer... nenhuma estou dizendo que a disparidade, a diferença de poderio militar é grande em prol de Israel e essa matança nao é de hoje e sim desde que foi criado o estado de Israel e nao é so matança é todo tipo de abuso contra os palestinos um verdadeiro apartheid e, pela sua otica esse povo tem que ter suas terras invadidas, seu direito de ir vir controlado, sem direito a ajuda humanitaria...todo tipo de humilhaçao e sem direito a nada.

ruyacquaviva

- 2014-07-12 00:44:40

Não justifica.

Quem invadiu a Palestina foram os sionstas.

Desculpas, apenas desculpas para justificar o assassinato sistemático para eliminar um povo e garantir o lucro das fábricas de armas.

ruyacquaviva

- 2014-07-12 00:42:50

Justificando o massacre...

Você está apenas dando desculpas para a opressão e o assassinato de civis palestinos.

São EXATAMENTE as mesmas desculpas que os nazistas davam para exterminar judeus, ciganos, eslavos e outros povos.

Desculpas para justificar o assassinato e genocídio de um povo.

Dizer que os palestinos não protegem as suas crianças e então, tudo bem matar é uma das coisas mais atrozes que eu já lí neste blog. Uma monstruosidade.

Dá nojo.

Edson, o hermeneuta

- 2014-07-11 23:18:21

Sejamos sinceros...

Imaginem que a Argentina a todo instante lancar centenas de foguetes contra pessoas no Brasil e que esse foguetes só nao causassem estrago graças ao sistema de defesa brasileiro. Que deveria fazer o Brasil? Ficar sentado assistindo ou responder com o seu poderio superior?

O fato é que aqueles que atacam Israel usam civis como escudos, escondem-se e guardam seus arsenais junto aos civis. Não tem santo nessa estória. Com 7 dias de existência, os arabes tentaram dizimar Israel e o povo israelense. Assim como Hitler aos judeus. Eu nao entendo esse ódio todo contra Israel pelo fato de se defender. Quisessem dizimar os arabes e mulcumanos, com o poderio belico que possui, o faria facilmente. Mas nao o faz. Ja o outro lado, se pudesse, nao pensaria duas vezes. 

Nao tem santo nessa estoria, repito.

Os palestinos, se pudessem, matariam, querem matar e já mataram israelenses inocentes em milhares de tentativas.

Israel tem o direito de se defender. Se a defesa é proporcional é outra estória, mas o fato é esse:

Se os que atacam Israel tivessem meio, dizimavam todos israelenses. Israel tem poder para fazer o contrário, mas não o faz.

Israel é uma democracia em meio a um mar de estados com regimes de todo tipo, menos democrático,

Isso explica um pouco, e também, a campanha dos demais países contra aquele Estado.

Jaime

- 2014-07-11 23:09:24

Surpeende-me que uma pessoa

Surpeende-me que uma pessoa tão inteligente, e de cujas opinões costumo concordar com frequência, tenha uma opinião tão maniqueísta e simplista como a demonstrada no comentário acima sobre um assunto tão complexo. Não obstante a tragédia humanitária na qual vivem os habitantes de Gaza nesse exato momento, sinto-me nessa tarefa ingrata de respoder ao seu comentário, apesar de eu ser contra o ataque à Gaza nas condições que se dá (embora eu defenda o direito de Israel defender-se quando atacado pelo Hamás), além de ser a favor de um estado Palestino.

O paralelo entre o conflito de israelenses e palestinos e o holocausto é pra lá de forçado,  mesmo no ocorrido no gueto de Varsóvia. Para começar, repito o que já disse inúmeras vezes, com dados para comprovar, que no conflito entre israelenses e palestinos, em 70 anos, foram mortos (infelizmente) em torno de 15.000 palestinos incluindo os períodos de grandes guerras, de conflitos armados (como o atual) e durante ações terroristas; de uma população que passa de 6 milhões de pessoas. Nos períodos de trégua, como já demonstrei, o conflito não deixa mais de 2 mortos por 100.000 hab./ano. Então, o termo genocídio é questionável, para dizer o mínimo, e comparar isso com um evento que em poucos anos dizimou 2/3 da população judia da Europa é grotesco.

Falar em "culpar as vítimas", quando a quem se culpa  do lado palestino é especificamente o Hamas, é algo espúrio. O Hamas cujas estratégias de ação se concentram em lançar foguetes contra alvos civis, sequestros e o pior, a utilização de áreas civis como base de lançamentos de foguetes e, ainda muito pior, o comprovado (em vídeos e entrevistas dos próprios integrantes) o uso de escudos humanos civis para proteger instalações militares. Não uso isso para justificar os ataques israelenses (cujas consequências trágicas deveriam ser ponderadas pelo governo de Israel), mas para criticar a sua colocação de que se está "culpando as vítimas". Vítima é a população civil palestina, que são vítimas do bloqueio israelense, mas também, sem dúvida e de muita importância, das ações inconsequentes do Hamas - que, claramente, dá pouco ou nenhum valor à vida de palestinos (considere o massacre de centenas de membros do Fatah em Gaza, as execuções sumárias de supostos opositores e de pessoas acusadas de colaborar com Israel, o uso de escudos humanos). Sim, é fato que hoje Gaza está um inferno, mas Israel cessará  os bombardeios e desistirá de uma ação terrestre se o Hamás parar de lançar foguetes contra Israel. Mais provavelmente, será você culpar as vítimas, quando um foguete do Hamás atingir um avião com 300 pessoas de várias religiões e várias nacionalidades no aeroporto de Tel Aviv, que é um dos alvos declarados pelo Hamás e que está ao alcance dos foguetes M302 que possuem.

E para reduzir as simplificações e a demonização de toda a população israelense,  vejamos que um jornal israelense publica hoje um texto de um morador de Gaza, cujo objetivo da publicação é claramente pressionar a população de Israel a se posicionar contra o seu governo no sentido de reduzir os ataques à Gaza. Procure no Haaretz por "Gaza diary: Israelis are completely misled about what's going on" (que dá uma boa dimensão da tragédia - vista de dentro). Você acha imaginável uma publicação equivalente ao Haaretz, com múltiplas visões do conflito, algumas profundamente críticas ao governo de Israel, à opinião publica majoritária em Israel (seja lá qual for), sendo publicadas em Gaza sob o governo do Hamás? Díficil.

fabio GM

- 2014-07-11 22:54:34

triste musica mais verdade

[video:http://www.youtube.com/watch?v=LJe4dRLAsaY]

Antônio - Minas Gerais

- 2014-07-11 22:41:20

Cadê

Cadê o Bizarro Senador Tucano Álvaro Dias gritando, esperniando e condenado a atitude pusilânime do Governo Dilma frente às atrocidades praticadas pelo Governo Sionista de Israel? Israel, com o apoio dos Estados Unidos pratica crime contra a humanidade.

anarquista sério

- 2014-07-11 22:37:20

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anarquista Lúcida

- 2014-07-11 22:31:10

Tb nao aceito o extermínio d 1 povo por outro, nem ANTISSEMITISM

Sai fora, que aqui nao é lugar para isso. 

mauricio moreira

- 2014-07-11 22:25:20

Nao aceito e nem nunca vou

Nao aceito e nem nunca vou aceitar um povo exterminando outro tomando seu territorio, sendo controlador de imperios em outros paises e revertendo o lucro para sua  " causa ", nao e a toa qua as coisas acontecem, tirem essa etiqueta de vitima da testa e parem de agredir as pessoas que sao contra suas barbaries, quanto ao sentimento de o nome que bem entenda.

anarquista sério

- 2014-07-11 21:59:04

   Grande xará lúcida.  M e

 

 Grande xará lúcida.

 M e explique a diferença entre ''israelense'' , ''judeu''  e ''sionista''

               Esou ávido pra aprender.

Paulo Figueira

- 2014-07-11 21:55:27

Certamente não me informo nos

Certamente não me informo nos mesmos meios que você, além de não compartilhar a mesma visão de mundo.

Você como todo coxinha se acha muito bem informado, mas não encherga um palmo diante do nariz.

Maria Lucia Mendes

- 2014-07-11 21:47:22

completando: para UM ser

completando: para UM ser humano.

Maria Lucia Mendes

- 2014-07-11 21:45:44

Pergunta

Triste ter que fazer essa pergunta para ser humano.

 

Anarquista Lúcida

- 2014-07-11 21:41:34

Nao encontre pretextos para justificar seu antissemitismo

Sionistas é uma coisa, israelenses é outra coisa, e judeus é outra coisa ainda. Seu ícone é um burro, OK, dá para entender por quê, mas antissemitismo aqui no Blog nao. 

anarquista sério

- 2014-07-11 21:38:20

  Esse então está viajando na

 

Esse então está viajando na maionese.

  O Fidel EXECUTOU trocentas mil pessoas no chamado ''paredõn''

    Se liga,cara. Leia. Se informe.

anarquista sério

- 2014-07-11 21:33:34

   ''Olocausto''?    Sem

   ''Olocausto''?

   Sem querer vc acertou.

   É apenas substituir ser humano por tijolo.

        Uma Olaria.

Jose Roberto I

- 2014-07-11 21:29:54

Olocausto

É a isso que chamam de olocausto?

anarquista sério

- 2014-07-11 21:29:10

Sinceramente não entendi.  

Sinceramente não entendi.

   Mas suponho que vc esteja concordando com alguns ''palestinos'' matando CRIANÇAS E ADULTOS israelenses com bomba na cintura.

        Contra esse pensar , nem eu ,Freud.Lacan e todos nobéis da paz temos argumentos.

              Fico com Gandhi:

               ''''Olho por olho,ficaremos todos cegos''.

Free Walker

- 2014-07-11 21:17:12

Rapaz, não morrem civis e

Rapaz, não morrem civis e crianças no lado  Israelense porque Israel protege seus civis e crianças. Diuturnamente as sirenes tocam no sul do país anunciando os ataques de foguetes, todo o sul de Israel é tomado de abrigos anti aéreos.....

Longa vida a Israel! a única democracia da região, talvez os únicos árabes verdadeiramente livres vivem dentro do Estado de Israel, e não são poucos não, são mais de 1,5 milhão.....

Carlos Dias

- 2014-07-11 21:01:23

Sem defender sionistas fascista

O Êxodo da Bíblia pode ser uma lenda, é verdade. Há embasamento na arqueologia para se fazer essa acertiva.

Porém, não é lenda que os Romanos, sob o comando do imperador Vespasiano e seu filho e general Tito, destruiram a Judéia, condenaram a morte os que resistiram e expulsaram os judeus humildes (que tiveram de se espalhar pelo mundo em busca de um lugar pra viverem). Infelizmente os sionista da atualidade reproduzem o mesmo comportamento horrível e os mesmos atos de que seus antepassados foram vítimas.

Ou o mundo dá um basta nisso, ou o povo palestino sucumbirá. Resta saber se, levando um inimigo consigo pro além ou saindo em massa daquela que alguns acham que é terra prometida.

anarquista sério

- 2014-07-11 20:55:50

  E daí? Vc irá conhecer meu

 

E daí? Vc irá conhecer meu caráter por ''essa conversação?''

Evidente que não.

     Mas eu posso deduzir seu nível intelectual copiativo:

              ZERO!!!!!!!!!!!!!

anarquista sério

- 2014-07-11 20:41:16

E o que tem a ver imprensa

E o que tem a ver imprensa americana com isso?

   Vc parece alguns Zé Manés que dizem: ''O Brasil vendeu o jogo pra Alemanha''. Antes diziam que o Brasil tinha comprado a Copa..

             Mesmo assim vc não foi perfeita,disse vc:'''  E eu tenho dó de quem acredita piamente na imprensa americana. Sem nenhuma dúvida "

            A perfeição de pessoas esquisitas como vc diria: ''Estudaniense''

                E arrematando:

                '''Sem nenhuma dúvida''.

               Uau!!!!!!!!!!!!!!!

                   Quando crescer quero ser iguaL vc e não ter dúvida de nada.

 

Caetano Greco Junior

- 2014-07-11 20:37:36

Anarquista, sério?

"Pode-se perceber o caráter de um homem pelos adjetivos que ele normalmente utiliza em uma conversação.” – Mark Twain

lenita

- 2014-07-11 20:23:46

E eu tenho dó de quem

E eu tenho dó de quem acredita piamente na imprensa americana. Sem nenhuma dúvida "

 

jorge paula

- 2014-07-11 20:23:42

 ( ALGUÉM já viu um

 ( ALGUÉM já viu um israelense com bombas na cintura matando centenas de inocentes palestinos? Pois é....) E tu acha que se os palestinos tivesse 5% do arsenal nuclear de Israel, esses ataques sem freios(covardes ou nao)que matam crianças e pessoas indefesas,estaria acontecendo?

Paulo Figueira

- 2014-07-11 19:48:28

Que papo é esse de genocídio

Que papo é esse de genocídio praticado por Fidel?

Respeite o povo cubano, os cubanos formam um povo extremamente politizado, educado e revolucionário, jamais permitiriam serem governados por um tirano.

Caso você queira falar de massacres na América Latina procure na história de salvadorenhos, hondurenhos, nicaraguenses, chilenos, Argentinos e etc... todos eles patrocinados pelos norte americanos.

Luiz de Queiroz

- 2014-07-11 19:48:27

Vamos exercitar nossa

Vamos exercitar nossa consciência aqui. Não se trata de dividir a responsabilidade pelo mal entre a esquerda e a direita. Genocídio é genocídio, seja perpetuado pelo Mao Tse-Tung ou pelo Idi Amin Dada. Não dá pra justificar o assassinato de gente inocente como consequência natural de disputa territorial, assim como não dá pra dizer que se trata apenas de uma caçada a inimigos históricos. Tem gente que não tem nada a ver com isso morrendo ali no meio. Vamos tratá-los como efeito colateral? Não é nessa hora que uma nação consciente deve se abrir para o diálogo e a solução pacífica?

chico da dilma

- 2014-07-11 19:04:26

Tudo isso em nome de

Tudo isso em nome de deus,alá,jeová,jesus,torá,alcorão,biblía e etc.Que a santa Tabela Periódica os tragam á razão ao amor e á paz.

Djijo

- 2014-07-11 18:49:21

Palestinos são os judeus

Acho que vc não deve se envergonhar da sua descendência, pois aindei lendo por aí que os israelenses de hoje são judeus convertidos que migraram duma região da europa oriental e que os palestinos são os verdadeiros originários daqule povo. Isso se explica pq parece que nunca houve o tal êxodo do povo judeu, história mal contada, apenas. Tente ver por aí que vc acha essas histórias. Assim se a história é verídica,  na crítica aos israelense vc estaria defendendo os descendentes dos seus antepassados, parentes de longe, mas parentes. Assim seria possível até de os descententes dos convertidos fazer um movimento mundial de repúdio aos falsos judeus.

Djijo

- 2014-07-11 18:42:25

Se um país invade outro e

Se um país invade outro e nisso mata familiares, como receber o invasor tão bárbaro de braços abertos?

anarquista sério

- 2014-07-11 18:38:12

  Vc não aprende

 

Vc não aprende nunca.Genocídio de direita?

  Fidel Castro, Josef Stalin eram de direita?

  Veja esta lista com atenção e veja quantos de ''esquerda'' tem aí ( sem contar esses 2 MONSTROS citados)

          http://super.abril.com.br/blogs/superlistas/10-ditadores-que-talvez-voce-ainda-nao-conheca/

mauricio moreira

- 2014-07-11 18:37:41

ODIO !!!

Um sentimento que parecia esquecido esta cada vez mais latente nas redes sociais, um povo que vive da desgraca e do oportunismo, nao consigo mais olhar para um judeu sem lembrar do que esta acontecendo, espero que a parte boa da raca apareca, caso contrario eles terao  outra bandeira  de vitima para colocar na testa  alem do holocausto.

Anarquista Lúcida

- 2014-07-11 18:27:22

Culpar todos os judeus, nao; mas a maioria dos israelenses sim

Eles votam nesses políticos de Direita, e dao apoio a eles. Sao no mínimo cúmplices do que está acontecendo. Há exceçoes, claro, e felizmente. Mas está mais do que na hora dos israelenses que nao concordam com o genocídio dos palestinos protestarem contra o que o governo deles está fazendo. 

Luiz de Queiroz

- 2014-07-11 18:24:11

Humanidade

E que ser humano é um ser humano que atira contra um inimigo que tem uma criança como escudo?

anarquista sério

- 2014-07-11 18:19:17

Sem me estender no

Sem me estender no assunto,considerando sua inteligência:

   Israel nunca atacou os alemães pra ser dizimado por Hitler.

         Orra meu, é outra história completamente diferente.

              Releia meu comentário,please.

anarquista sério

- 2014-07-11 18:13:42

Se toca meu.Eu quis dizer

Se toca meu.Eu quis dizer queimados vivos.Se vc é alienado e não acompanha noticiário.....a culpa deve ser dos.....judeus.É óbvio.

      Respeito ,e muito, opiniões contrárias.Mas não tenho xodó com ignorância ou analfabetos funcionais.

Caetano Greco Junior

- 2014-07-11 18:03:57

"... 3 jovens judeus foram mortos VIVOS..."

Parei de ler o comentário nessa parte da frase.

Fábio de Oliveira Ribeiro

- 2014-07-11 18:01:26

Meus apelidos de família

Meus apelidos de família (Oliveira Ribeiro) indicam que meus antepassados deixaram a Judéia e depois o judaísmo. Até onde seis, os Oliveiras se estabeleceram no Brasil no século XVI durante a colonização.  Pero Vaz de Caminha, porém, narra que um certo Afonso Ribeiro foi deixado no país a viver com os índios em 1500 (...E mandou com eles, para lá ficar, um mancebo degredado, criado de D. João Telo, a que chamam Afonso Ribeiro, para lá andar com eles e saber de seu viver e maneiras... - http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/a-carta-de-pero-vaz-de-caminha-1627013?page=-1). Cada vez que vejo Israel afundar mais e mais na orgia de violência e vingança desproporcional, fico mais convencido de que meus antepassados agiram corretamente ao dar às costas à terra e à cultura judaica. Eu não os desonraria visitando Israel ou aderindo à religião que eles abandonaram.   

ruyacquaviva

- 2014-07-11 17:59:16

Desculpa esfarrapada

Desculpa esfarrapada para justificar um massacre... Não convence mais ninguem. Nós estamos a par das provocações e do jogo sujo pra justificar o enorme lucro que toda essa violência dá ao complexo industrial-militar de Israel.

ruyacquaviva

- 2014-07-11 17:56:26

Lamentável

Substitua Israel por Alemanha, Palestinos por Judeus e Gaza por Gueto de Varsóvia e terá o seu comentário igualzinho aos comunicados nazistas justificando o massacre aos judeus no Gueto de Varsóvia durante a Segunda Guerra Mundial.

O que Israel está fazendo com os palestinos é um genocídio e você defende esse genocídio com desculpas esfarrapadas culpando as vítimas.

Lamento sua atitude e lamento a brutalidade assassina do Estado de Israel, um Estado terrorista, assassino e genocida que perdeu completamente sua legitimidade e hoje é a maior vergonha de toda a Humanidade.

Free Walker

- 2014-07-11 17:48:53

 “É difícil explicar política

 “É difícil explicar política para as crianças. Elas ouvem os meninos de outros bairros falarem que Israel está bombardeando de novo, mas eu não consigo dizer por que”

Eu digo: é porque os corajosos terroristas do Hamas despejam em média 50 foguetes M-302 sobre o sul de Israel e depois vão se esconder fazendo as crianças palestinas de escudo, para quem sabe produzir umas boas fotos para publicar na imprensa ocidental.

 

rl

- 2014-07-11 17:25:22

ataque

Não são "assassinos israelenses". São "assassinos sionistas", adeptos de uma ideologia que nasceu próxima do nazismo, fez parceria com ele e até hoje segue suas práticas. Não se pode culpar os judeus, ou todos os israelenses, pelas barbaridades cometidas por esses criminosos.

wendel

- 2014-07-11 17:24:39

Carnificina infantil

O estado sionista, mais uma vez, com a desculpa de que o Hamas está lançando foguetes contra eles, embora possa estar realmente acontecendo, mas até agora sem provocar vitimas,  começam a assassinar civis e principalmente crianças no campo de concentração mantidos por eles em Gaza!!!

A comunidade internacional e a ONU, por sua vez, mete o rabo entre as pernas e ficam na constatação e estatísticas, sem no entanto tomar atitude para impedir esta carnificina!!!

Bem sabemos que todos, eu disse todos têm o rabo preso com os sionistas, e ficam inertes em tomar atitudes, tendo em vista o medo, ou melhor o pavor de serem rotulados de anti-semitas, como comumente o fazem.

Assim, a vergonha desta geração, pactuada  entre os assassinos e seus co-autores internacionais, terão o julgamento justo da história, temos  certeza!

Finalizo dizendo: " Voce pode enganar alguns durante algum tempo. Voce pode enganar muitos durante muito tempo. Mas não pode enganar todos durante todo o tempo."

Apesar de dominarem os meios de comunicações planetária!!!!!!!!!!!!! 

 

Carlos Dias

- 2014-07-11 17:08:33

O povo da Palestina tem que tomar uma atitude drástica

O mundo os abandonou... Nenhum governo de país da europa e da américa parece disposto apôr um fim nessa tragédia continuada. Israel fica sempre com o mesmo lero-lero que os terroristas com foguetinhos.. e manda pesados bombardeios sobre áreas povoadas.

O povo palestino não tem mais o que fazer... Sem apoio do ocidente, com inimigos ferozes e muito mais fortes..

Só resta a esse povo duas alternativas.. Sucumbir na sua extinção planejada pelas potências ou tomar algma atitude trágica extrema.. tipo atacara isralem com pedras e facas .. ou se retirarem do lugar em massa e deixarem o maldito território para os sionistas.

 

O trágico de tudo isso é que o ocidente não parece nem um pouco empenhado em acabar com essa vergonha.

Mauricio Salles

- 2014-07-11 16:43:13

Desacreditando do Homem

Por sua grande história, seus grandes sábios, sua grande religiosidade, seu enorme sofrimento durante a Segunda Guerra, Israel deveria dar um exemplo de paz e entendimento para a humanidade. Deveria ser o povo da paz mundial, do perdão, da coragem para levar a serenidade ao planeta. Deveriam ser os líderes do planeta para ações humanitárias. Mas, quando assistimos as atrocidades perpretradas pelo Estado israelense, chegamos a desacreditar de que o ser humano possa superar seus piores sentimentos.

anarquista sério

- 2014-07-11 16:40:58

  O dia que Israel atacar de

 

O dia que Israel atacar de ''graça'' qualquer palestino, eu me rendo.

  Mas é sempre represália( 3 jovens judeus foram mortos VIVOS num espetáculo que não faz o menor sentido;).

       Se é o Hamas, Palestina, grupos de sei o que, a violência parte dos palestinos.E Israel responde.

              Sem contar os mísseis palestinos( grupos específicos,diga-se) e daí nascem muros e distâncias maiores.

             A impressão que tenho é que há grupos pontuais do lado da Palestina que tem orgasmo com guerra.E pouco se importam que seus própios conterrâneos morrerão por tal atitude.

             NãO estão nem aí. E nem se importam da superioridade bélica israelense( inclusive bomba atômica)

                Esses falsos ''herois'' palestinos, são uns covardes IRRESPONSÁVEIS colocando toda sua população em risco.

              Por que não se juntam e invadem Israel, dando uma de exército de Brancaleone e deixe o povo pacífico palestino em paz?

            Não. Eles querem arrastar o povo deles nessa sangrenta e inócua ''luta'' pra perder SEMPRE.

            ( ALGUÉM já viu um israelense com bombas na cintura matando centenas de inocentes palestinos? Pois é....)

                  

Dimas Tobias Leite

- 2014-07-11 16:09:14

ataques de Israel a faixa de Gaza

Como é patético o nosso mundo hoje,  assistimos o video game orquestrado pelas forças de Israel contra os Palestinos. O mundo se torna inerte uma vez que na Palestina não tem nada que o mundo dos poderosos possam explorar, portanto, pouco importa quantas crianças irão morrer com os ataques de Israel, afinal de contas  em nome daquilo que eles um dia patrocinaram e colocaram em evidência que é o partido do HAMAS, hoje eles tentam debelar o grupo armado que eles próprios a vida toda patrocinaram, mas afinal o criado e a criatura ficou incontrolável, mas os objetivos estão sendo cumpridos, afinal com o extermínio lento e prgressiivo dos Palestinos os objetivos de Israel se contemplam com a terra prometida por DEUS. O mundo assiste passivamente Israel contruir o novo MURO DE BERLIM,  a vergonha do mundo com a inércia da ONU e demais países do mundo, ainda que fosse por compaixão com seres humanos, mas como diria o pensador politico Nicolau Maquiavel os fins justificam os meios, ou seja, matar ou exterminar os Palestinos é apenas uma maneira de se firmar o propósito de DEus??!, daqueles que se julgam descendentes diretos. 

Serralheiro 70

- 2014-07-11 15:32:17

Ataque de Israel

Triste sina deste estado . Especializou-se em assassinar palestinos de todas idades e credos ,confinados no campo de concentração Gaza. E isto com o olhar complacente da maior potência militar de todos os tempos,os EUA. Lamento pelos assassinos israelenses e vítimas palestinas. Lá a barbárie sobrevive ao século 21.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador