Feminicídios aumentam e denúncias de violência a mulheres diminuem na pandemia

As quedas nos registros de diversas agressões contra mulheres alerta: diminuíram as denúncias, enquanto que o extremo da violência -feminicídio- aumentou.

Jornal GGN – A simples vista, os dados da violência contra a mulher nos últimos meses deste ano parecem uma vitória em tema de proteção às mulheres. Mas a queda em mais de 25% em todos os registros de violência é sinal de risco diante da pandemia do coronavírus: quando há menos denúncia, não necessariamente há menos violência.

“Temos observado, mês após mês, uma redução em uma série de crimes contra as mulheres em diversos estados”, escreveu o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), na nota técnica com o levantamento destes dados. “Indicativo de que as mulheres estão encontrando mais dificuldades em denunciar a(s) violência(s) sofridas neste período”, completou.

Ao mesmo tempo, no extremo da violência está o feminicídio, dados que já são difíceis de serem escondidos pela pandemia, e estes vêm aumentando. “Os levantamentos periódicos elaborados pelo FBSP têm mostrado, em todos os meses, aumentos nos índices de feminicídios e/ou homicídios em diversos estados.”

Abaixo, apresentamos o resumo dos resultados do levantamento divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública:

  • Denúncias diminuíram

Todas as Unidades da Federação acompanhadas apresentaram redução nos registros de lesão corporal dolosa entre março e maio de 2020 em comparação com o mesmo período no ano anterior. Houve uma queda de 27,2% no período acumulado, com as maiores reduções nos estados do Maranhão (84,6%), Rio de Janeiro (40,2%) e Ceará (26%).

Pelo terceiro mês consecutivo, observou-se uma redução nos registros de estupro e estupro de vulnerável para os estados analisados. Em maio de 2020, os registros caíram 31,6% nos estados acompanhados, passando de 2.116 em 2019 para 1.447 em 2020. Os registros de ameaça contra mulheres também vêm caindo desde o início do período de isolamento nos estados analisados. Houve uma redução de 26,4% nos registros de ameaça em maio de 2020, em comparação com o mesmo período do ano passado.

  • Aumento do Feminicídio
Leia também:  "Um mundo em desordem", criticam OMS e Banco Mundial sobre pandemia da Covid-19

No período entre março e maio de 2020 houve um pequeno aumento de 2,2% nos casos de feminicídios registrados em comparação com o mesmo período de 2019 – foram 189 casos este ano, contra 185 no ano passado. No período acumulado, o estado do Acre apresentou um aumento de 400% nos registros, que passaram de 1 em 2019 para 5 em 2020. No Mato Grosso, esse aumento de 157,1% nos registros, passando de 7 para 18. O
Maranhão foi de 11 casos para 20, aumento de 81,8% nos registros. Já o Pará teve um crescimento de 75% nos registros – de 8 para 14. Alguns estados, por outro lado, apresentaram reduções nos registros de feminicídios no mesmo período. É o caso dos estados do Amapá (100%), Rio de Janeiro (44%) e Espírito Santo (42,9%).

Violência Doméstica Durante Pandemia de Covid-19 Edição 03
Do Fórum Brasileiro de Segurança Pública
Violência contra meninas e mulheres
Nota técnica 2020

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome