Haddad participa do Dia Sem Carro, em Paris

O prefeito Fernando Haddad, que acompanhou o evento em importante avenida parisiense, anunciou que pretende estender a iniciativa para uma rua em cada subprefeitura de São Paulo
 

À esquerda, Champs Élysées de Paris. À direita, Paulista de São Paulo
 
Jornal GGN – Assim como Fernando Haddad busca dedicar todos os domingos da Avenida Paulista, em São Paulo, como um espaço exclusivo a pedestres e ciclistas, proibindo a circulação de automóveis, a prefeita de Paris, Anna Hidalgo, também também comunga a mesma intenção. Hidalgo escolheu fechar avenidas no último domingo, dia 27 de setembro, o Dia Sem Carro (Journée sans Voiture). 
 
Na data, a grande avenida Champs Élysées e outras ruas da cidade foram totalmente fechadas para carros e várias zonas urbanas tiveram a velocidade máxima dos automóveis reduzida para 20 km/h. Anna Hidalgo caminhou pela histórica avenida, na companhia de Haddad e dos prefeitos de Bruxelas, Yvan Mayeur, e de Bristol, George Ferguson. 
 
Durante a caminhada, ao conceder entrevista a jornalistas e políticos estrangeiros, Haddad fez outros dois anúncios importantes que estuda implementar na cidade paulista. “O projeto agora é fechar pelo menos uma rua em cada uma das 32 subprefeituras aos domingos”, afirmou. Além disso, ele contou estar elaborando um projeto de reestruturação dos bairros das margens do rio Tamanduateí.
 
Haddad explicou que São Paulo já teve a experiência de fechar a Avenida Paulista aos domingos e que, segundo pesquisa Ibope, a medida teve 64% de aprovação da população. 
 
Para o embaixador do Brasil na França, Paulo Campos, a presença de Haddad em Paris é “um reconhecimento da importância da cidade de São Paulo e do esforço do prefeito em rever a questão da mobilidade na cidade e em ousar na inovação de propostas”. “Isso tem muita relação com o que está sendo feito em Paris”, afirmou.
 
Durante o trajeto, os prefeitos pararam para cumprimentar vários grupos que ocupavam as ruas e reivindicavam mais espaço para pedestres e ciclistas. Haddad foi abordado por brasileiros que moram ou estavam a passeio na cidade, que elogiaram as inovações urbanas feitas em São Paulo. “O que Haddad está fazendo um São Paulo é uma iniciativa corajosa. Podemos ver que há reações contra, mas é um passo importantíssimo para humanizar a cidade”, disse Sérgio Moraes, arquiteto e professor da Universidade Federal de Santa Catarina, que está morando em Paris para fazer seu pós-doutorado.
 
Encarregado de relações internacionais da Prefeitura de Paris, Patrick Klugman afirmou que a presença do prefeito de São Paulo na cidade foi enriquecedora e a troca de experiências entre as duas capitais foi muito importante. “Sempre ficamos felizes quando os grandes prefeitos do mundo vêm a Paris nos mostrar suas expertises. Todo o mundo olha para o Brasil e para São Paulo, que é uma das cidades mais importantes do mundo”, disse.
 
A cidade francesa já teve uma iniciativa semelhante no dia 22 de setembro de 1998, com a data chamada “Na cidade sem o meu carro”. Na época, o dia teve aprovação de 84% dos franceses e 81% queriam repetir a experiência no ano seguinte e até mesmo ver se espalhar para todas as cidades do país. 
 
Com a criação da Semana da Mobilidade na França, o “Dia sem meu carro” foi deixado de lado, com apenas algumas mobilizações pontuais de ciclistas e pedestres que se organizavam para tentar paralisar a Champs Élysées nos 22 de setembro. Em 2006, um desses atos resultou na prisão de 60 ciclistas pela polícia. No ano passado, 150 deles que pacificamente andavam pela avenida foram cercados e imobilizados pela força policial. Neste ano, Anne Hidalgo decidiu decretar o Dia Sem Carro (Journée sans Voiture). 
 
 
Com informações e imagens de Nina Santos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. Provavelmente o Ministério Público do Meios Ambiente …

    Provavelmente o Ministério Público do Meios Ambiente de São Paulo vai questionar o evento em São Paulo porque o Haddad não fez uma audiência pública com os motoristas de automóveis em SP.

  2. Paris tem 7% da área da
    Paris tem 7% da área da cidade de SP (1500km2 versus 104km2), 18% do número de habitantes (12 milhões contra 2,2) e uma malha metroviária 278% maior (78km contra 212). Fonte:Wikipedia.

    Se fizermos uma conta simples, comparando km de metrô contra área de cidade, a malha metroviária de SP precisaria ser 40x maior para ser equivalente.

    Ok, metrô é da esfera estadual, mas precisamos de mais transporte público de massa antes de querer nos comparar a Paris.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome