Ex-prefeito tenta barrar CPI na Câmara de Belo Horizonte

marcio_lacerda_-_valter_campanato_abr.jpg
 
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
 
Jornal GGN – Na última semana, Marcio Lacerda (PSB), ex-prefeito de Belo Horizonte (MG), conseguiu uma liminar para suspender a CPI que investiga a PBH Ativos S/A, empresa criada durante sua gestão na capital mineira.
 
A comissão foi aprovada em maio deste ano e tem como objetivo apurar irregularidades nas ações e a falta de transparência na empresa. A transferência de valores do patrimônio dos cofres da cidade para a PBH é apontada como um dos indícios de irregularidades. No total, foram transferidos R$ 1 bilhão para integralizar o capital da empresa.
 
Na ação judicial, Lacerda alegou que a CPI deveria ser paralisada porque teria como objetivo prejudicar sua imagem, já que os vereadores Pedro Patrus (PT) e Gilson Reis (PCdoB) foram oposição ao seu governo.

 
Por outro lado, Patrus diz que o objetivo da CPI é investigar as ações da empresa para esclarecer sobre possíveis irregularidades.  “Queremos investigar essa empresa que recebeu dinheiro público em seu capital social. Queremos transparência e dar o direito à população de Belo Horizonte de saber tudo o que está sendo feito com o dinheiro público”, afirmou
 
O vereador ressalta que entrou com outros pedidos para realizar esta investigação no governo passado, que não foram adiante porque Lacerda tinha maioria na Câmara. 
 
“O ex-prefeito e a Justiça estão impedindo que façamos o nosso trabalho. Hoje paralisaram a CPI, mas amanhã pode ser qualquer ação da Câmara Municipal. A grande pergunta é: qual é o medo do ex-prefeito Marcio Lacerda e o que não pode ser investigado pela CPI? Ninguém tem o direito de não ser investigado, ainda mais um homem público”, criticou o petista.
 
Os vereadores disseram que pretendem recorrer da decisão. “Achamos que existe uma jurisprudência feita pelos tribunais superiores pela não intervenção do Judiciário no Legislativo”, afirmou Reis. 
 
Por meio de nota, Lacerda disse que não tem a intenção de barrar as investigações e diz que não há irregularidades envolvendo a PBH. “O que existe é a necessidade de se evitar que a CPI seja um jogo de cartas marcadas e sirva de palanque eleitoral para o PT e o PCdoB”, disse o ex-prefeito. 
 
Assine

2 comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome