Gestão Doria demora mais para resolver problemas de zeladoria

Foto Divulgação Prefeitura
 
Jornal GGN – O gestor João Doria é alvo de outra verificação via imprensa. O G1 foi checar como anda a resposta da gestão aos problemas de zeladoria via 156, o canal que o morador da cidade tem para reportar problemas e pedir providências. Dos 81 serviços analisados pelo portal, a zeladoria foi mais lenta que na gestão anterior em 64 deles. Como era de se esperar, a prefeitura diz que herdou solicitações da gestão Haddad. 
 
Buracos de rua, trocas de lâmpadas, capinação de espaços públicos, varrição de ruas, são temas recorrentes no 156, que atende cidadãos de São Paulo. A gestão diz que o atraso ao atendimento é por herança da gestão passada, mas o portal apurou que a resposta é de, em média, 57 dias, seja uma lâmpada ou buraco de rua. Segundo a reportagem, a análise se deu em um mesmo período de tempo para as duas gestões, ou seja, nos primeiros semestres de 2016 e 2017 finalizadas até setembro dos respectivos anos. Assim, no recorte feito, as solicitações analisadas, cerca de 480 mil, não passam de um ano a outro.

 
Assim, com este recorte, apurou-se que um pedido de interferência no trânsito, seja por veículo parado, queda de árvore ou qualquer outro obstáculo, a gestão de Doria leva quase 24,5 dias para resolver, enquanto na gestão de Haddad levarvam, em média, menos de um dia. 
 
A troca de lâmpadas antes, na gestão Haddad, era feita em dois dias; hoje a prefeitura precisa de 25 dias para resolver o problema.
 
Por outro lado, alguns serviços ficaram mais ágeis. Denúncia de caçamba de entulho caiu de 65 dias para 11 dias a solução, denúncia de colocação de lixo domiciliar fora do horário de coleta caiu de 62 dias para 16. Mas aqui é denúncia, não fala o tipo de solução. No caso da manutenção de semáforos, grande reclamação do paulistano, diz que caiu de 54 dias para 28 dias.
 
Na tabela de melhorias no atendimento via 156, o portal destaca ainda ‘erro na cobrança da integração ônibus-metrô-CPTM’, ‘denúncia de má conduta de funcionários’, ‘vistoria de colmeia/vespeiro instalado’, pombos, água parada. 
 
Ao afirmar que a demora se dá pela herança da outra gestão, a prefeitura diz que herdou 600 mil solicitações, anteriores a 2015, mas que os dados não estão disponíveis ao público. Instada a apresentar as planilhas que comprovassem a alegação, a prefeitura não atendeu. Assim, a análise fica restrita ao perído de janeiro a setembro dos anos de 2016 e 2017, com Haddad finalizando 417.376 solicitações e Doria com 389.890 soluções.
 
Segundo Claudio Carvalho, secretário das Prefeituras Regionais, a fila de tapa-buracos foi zerada. A reportagem já encontrou outros números com 11.836 solicitações do primeiro semestre que ainda aguradavam solução. Mas é bom verificar o distrito quando o assunto é buraco, já que no Bom Retiro uma solicitação demora cerca de 180 dias e, em São Rafael, leva cerca de 27 dias para tapar. Já a capinação leva 221 dias na Lapa e, na Penha, o prazo médio é de 30 dias.
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora